Ofício das Leituras da Memória de São Barnabé, apóstolo

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Hino

Do Apóstolo companheiro,
grande auxílio em seu labor,
sobe a ti, do mundo inteiro,
nossa súplica e louvor.

Boa-nova anunciaram
os arautos do Senhor:
pela terra ressoaram
a verdade, a paz, o amor.

Com São Paulo em Antioquia,
recebendo igual missão,
tu levaste a ele Marcos
tendo a Lucas por irmão.

Que as palavras esparzidas,
dando seus frutos de luz,
sejam todas recolhidas,
nos celeiros de Jesus.

Com os Apóstolos sentado,
julgarás todo mortal;
cubra então nosso pecado
teu clarão celestial.

À Trindade celebremos,
e peçamos que nos céus
com os Apóstolos cantemos
o louvor do único Deus.

Salmodia

Ant. 1 Confia ao Senhor o teu destino;
confia nele e com certeza ele agi.

Salmo 36(37)

O destino dos maus e dos bons

Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra (Mt 5,5).

I

1 Não te irrites com as obras dos malvados *
nem invejes as pessoas desonestas;
2 eles murcham tão depressa como a grama, *
como a erva verdejante secarão.

3 Confia no Senhor e faze o bem, *
e sobre a terra habitarás em segurança.
4 Coloca no Senhor tua alegria, *
e ele da o que pedir teu coração.

5 Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; *
confia nele, e com certeza ele agirá.
6 Fará brilhar tua inocência como a luz, *
e o teu direito, como o sol do meio-dia.

7 Repousa no Senhor e espera nele! *
Não cobices a fortuna desonesta,
– nem invejes quem vai bem na sua vida *
mas oprime os pequeninos e os humildes.

8 Acalma a ira e depõe o teu furor! *
Não te irrites, pois seria um mal a mais!
9 Porque serão exterminados os perversos, *
e os que esperam no Senhor terão a terra.

10 Mais um pouco e já os ímpios não existem; *
se procuras seu lugar, não o acharás.
11 Mas os mansos herdarão a nova terra, *
nela gozarão de imensa paz.

Ant. Confia ao Senhor o teu destino;
confia nele e com certeza ele agi.

Ant. 2 Afasta-te do mal e faze o bem,
pois a força do homem justo é o Senhor.

II

12 O pecador arma ciladas contra o justo *
e, ameaçando, range os dentes contra ele;
13 mas o Senhor zomba do ímpio e ri-se dele, *
porque sabe que o seu dia vai chegar.

14 Os ímpios já retesam os seus arcos *
tiram sua espada da bainha,
– para abater os infelizes e os pequenos *
e matar os que estão no bom caminho;
15 mas sua espada há de ferir seus corações, *
e os seus arcos hão de ser despedaçados.

16 Os poucos bens do homem justo valem mais *
do que a fortuna fabulosa dos iníquos.
17 Pois os braços dos malvados vão quebrar-se, *
mas aos justos é o Senhor que os sustenta.

18 O Senhor cuida da vida dos honestos, *
e sua herança permanece eternamente.
19 Não serão envergonhados nos maus dias, *
mas nos tempos de penúria, saciados.

20 Mas os ímpios com certeza morrerão, *
perecerão os inimigos do Senhor;
– como as flores das campinas secarão, *
e sumirão como a fumaça pelos ares.

21 O ímpio pede emprestado e não devolve, *
mas o justo é generoso e dá esmola.
22 Os que Deus abençoar, terão a terra; *
os que amaldiçoar, se perderão.

23 É o Senhor quem firma os passos dos mortais *
e dirige o caminhar dos que lhe agradam;
24 mesmo se caem, não irão ficar prostrados, *
pois é o Senhor quem os sustenta pela mão.

=25 Já fui jovem e sou hoje um ancião, †
mas nunca vi um homem justo abandonado, *
nem seus filhos mendigando o próprio pão.
26 Pode sempre emprestar e ter piedade; *
seus descendentes hão de ser abençoados.

27 Afasta-te do mal e faze o bem, *
e terás tua morada para sempre.
28 Porque o Senhor Deus ama a justiça, *
e jamais ele abandona os seus amigos.

– Os malfeitores hão de ser exterminados, *
e a descendência dos malvados destruída;
29 mas os justos herdarão a nova terra *
nela habitarão eternamente.

Ant. Afasta-te do mal e faze o bem,
pois a força do homem justo é o Senhor.

Ant. 3 Confia em Deus e segue sempre seus caminhos!

III

30 O justo tem nos bios o que é bio, *
sua língua tem palavras de justiça;
31 traz a Aliança do seu Deus no coração, *
e seus passos não vacilam no caminho.

32 O ímpio fica à espreita do homem justo, *
estudando de que modo o matará;
33 mas o Senhor não o entrega em suas mãos, *
nem o condena quando vai a julgamento.

34 Confia em Deus e segue sempre seus caminhos; *
ele have de te exaltar e engrandecer;
– possuirás a nova terra por herança, *
e assistirás à perdição dos malfeitores.

35 Eu vi o ímpio levantar-se com soberba, *
elevar-se como um cedro exuberante;
36 depois passei por lá e já não era, *
procurei o seu lugar e não o achei.

37 Observa bem o homem justo e o honesto: *
quem ama a paz terá bendita descendência.
38 Mas os ímpios serão todos destruídos, *
e a sua descendência exterminada.

39 A salvação dos piedosos vem de Deus; *
ele os protege nos momentos de aflição.
=40 O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, †
defende-os e protege-os contra os ímpios, *
e os guarda porque nele confiaram.

Ant. Confia em Deus e segue sempre seus caminhos!

V. Dai-me bom senso, retidão, sabedoria,
R. Pois tenho  nos vossos santos mandamentos.

Primeira leitura

Do Livro de Josué             2,1-24

Pela fé, a prostituta Raab acolhe pacificamente os espiões

Naqueles dias: 1Josué, filho de Nun, enviou secretamente de Setim dois espiões, dizendo: “Ide reconhecer a terra e a cidade de Jericó”. Eles foram e entraram na casa de uma prostituta chamada Raab, e lá se hospedaram. 2Então foram avisar o rei de Jericó: “Eis que esta noite vieram aqui alguns filhos de Israel para espionar a terra”. 3O rei de Jericó mandou dizer a Raab: “Faze sair os homens que vieram a ti e entraram em tua casa, pois são espiões e vieram reconhecer todo o país”. 4A mulher, porém, tomou os dois homens e os escondeu. Depois disse: “Os homens de fato vieram a mim, mas eu não sabia de onde eram. 5Quando as portas da cidade iam ser fechadas, ao escurecer, os homens saíram e não sei para onde foram. Persegui-os depressa, e os alcançareis”. 6Ela, porém, os fizera subir ao terraço de sua casa e os escondera entre os feixes de linho que ali estavam. 7Os homens os perseguiram pelo caminho que dá para os vaus do Jordão e, logo que os perseguidores saíram, as portas da cidade foram fechadas.

8Antes que os espias se deitassem, a mulher subiu até eles, no terraço, e disse: 9“Eu sei que o Senhor vos entregou este país, que o terror se apoderou de nós e que todos os habitantes do país tremeram diante de vós. 10Pois ouvimos dizer que o Senhor fez secar as águas do mar Vermelho à vossa frente, quando saístes do Egito, e o que fizestes aos dois reis dos amorreus que estavam do outro lado do Jordão, Seon e Og, que vós exterminastes. 11Quando ouvimos isto, tivemos grande medo, o nosso coração desfaleceu, e nenhum de nós tem ânimo diante de vossa presença; porque o Senhor vosso Deus é Deus lá em cima no céu, e aqui embaixo na terra. 12Agora, jurai-me pelo Senhor que, assim como eu usei de misericórdia convosco, assim vós atuareis com a casa de meu pai; e que me dareis um sinal seguro 13de que salvareis meu pai, minha mãe, meus irmãos e minhas irmãs, e todos os seus, e de que nos livrareis da morte”. 14Os homens disseram-lhe: “Nossa vida em troca da tua, contanto que não denuncies a nossa missão. Quando o Senhor nos entregar este país, agiremos contigo com misericórdia e lealdade”. 15Ela, então, os fez descer com uma corda pela janela, pois a casa onde morava se encontrava sobre a muralha. 16E disse-lhes: “Ide para a montanha, para que os perseguidores não caiam sobre vós; ficai lá escondidos três dias, até que os perseguidores voltem; depois continuareis o vosso caminho”.

17Os homens disseram-lhe: “Eis como iremos manter este juramento a que nos obrigaste: 18quando entrarmos no país, amararás este cordão de fio escarlate na janela por onde nos fizeste descer, e reunirás em tua casa teu pai, tua mãe, teus irmãos e toda a família de teu pai. 19Se alguém sair para fora da porta de tua casa, o seu sangue lhe cairá sobre a cabeça, e nós seremos inocentes; mas o sangue de todo aquele que estiver contigo em tua casa caia sobre a nossa cabeça, se alguém nele puser a mão. 20Contudo, se traíres esta palavra, se denunciares a nossa missão, estaremos livres do juramento a que nos obrigaste”. 21Ela respondeu: “Seja conforme as vossas palavras”. E, deixando-os partir, amarou o cordão de fio escarlate na janela.

22Eles partiram, então, para a montanha, lá permanecendo três dias, até que os perseguidores voltassem. Estes procuraram-nos por todo o caminho, mas nada encontraram. 23Os dois homens desceram então da montanha e, atravessando o Jordão, vieram até Josué, filho de Nun, e contaram-lhe tudo o que lhes havia acontecido. 24E disseram-lhe: “O Senhor entregou toda esta terra em nossas mãos, e todos os seus habitantes estão tremendo de medo por nossa causa”.

Responsório             Tg 2,24-26; Hb 11,31

R. Justificada é a pessoa pelas obras
e não unicamente pela fé.
Não foi por suas obras que Raab
tornou-se justa ao acolher os espiões,
fazendo-os voltar por outra via?
* Como o corpo sem espírito é morto,
assim também é morta a fé sem obras.
V. Raab, a meretriz, por sua fé,
não pereceu com os que haviam resistido
porque escondeu os espiões em sua casa.
* Como o corpo.

Segunda leitura

Dos Tratados sobre o Evangelho de São Mateus, de São Cromácio, bispo

(Tract. 5,1.3-4: CCL 9,405-407)            (Séc. IV)

Vós sois a luz do mundo

            Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim num candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa (Mt 5,14-15). O Senhor chamou seus discípulos de sal da terra, porque eles deviam dar um novo sabor, por meio da sabedoria celeste, aos corações dos homens que o demônio tornara insensatos. E também os chamou de luz do mundo porque, iluminados por ele, verdadeira e eterna luz, tornaram-se também eles luz que brilha nas trevas.

            O Senhor é o sol da justiça; é, por conseguinte, com toda razão que chama seus discípulos luz do mundo; pois é por meio deles que irradia sobre o mundo inteiro a luz do seu próprio conhecimento. Com efeito, eles afugentaram dos corações dos homens as trevas do erro, manifestando a luz da verdade.

            Iluminados por eles, também nós passamos das trevas para a luz, como afirma o Apóstolo: Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. Vivei como filhos da luz (Ef 5,8). E noutra passagem: Todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas (1Ts 5,5).

            Com razão diz também São João numa epístola sua: Deus é luz (1Jo 1,5); e quem permanece em Deus está na luz, da mesma forma como ele próprio está na luz. Portanto, uma vez que temos a felicidade de estar libertos das trevas do erro, devemos caminhar sempre na luz, como filhos da luz. A esse propósito, diz ainda o Apóstolo: Vós brilhais como astros no universo. Conservai com firmeza a palavra da vida (Fl 1,15-16). Se não procedemos assim, ocultaremos e obscureceremos com o véu da nossa infidelidade, para prejuízo tanto nosso como dos outros, uma luz tão útil e necessária.

            Eis o motivo por que incorreu em merecido castigo aquele servo que, recebendo o talento para dar juros no céu, preferiu escondê-lo a depositá-lo no banco.

            Assim, aquela lâmpada resplandecente, que foi acesa para nossa salvação, deve sempre brilhar em nós. Pois temos a lâmpada dos mandamentos de Deus e da graça espiritual a que se refere Davi: Vosso mandamento é uma luz para os meus passos, é uma lâmpada em meu caminho (cf. Sl 118,105). E Salomão também diz acerca dela: O preceito da lei é uma lâmpada (cf. Pr 6,23).

            Por isso, não devemos ocultar esta lâmpada da lei e da fé, mas colocá-la sempre no candelabro da Igreja para a salvação de todos. Então gozaremos da luz da própria verdade e serão iluminados todos os que creem.

Responsório At 11,23-24

R. Chegando Barnabé a Antioquia,
e vendo a graça do Senhor, ficou alegre,
* Pois era um homem bom, cheio de fé,
cheio do Espírito Divino.
V. A todos exortava que ficassem fiéis
ao Senhor com lealdade. * Pois era.

Oração

Ó Deus, que designastes São Barnabé, cheio de fé e do Espírito Santo, para converter as nações, fazei que a vossa Igreja anuncie por palavras e atos o Evangelho de Cristo que ele proclamou intrepidamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Um comentário em “Ofício das Leituras da Memória de São Barnabé, apóstolo”

  1. De graça recebestes

    Feliz foi Barnabé, santo de Deus, que mereceu ser contado entre os apóstolos. Era na verdade um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé (At 11,24).

    Oração do dia
    Ó Deus, que designastes são Barnabé, cheio de fé e do Espírito Santo, para converter as nações, fazei que a vossa Igreja anuncie por palavras e atos o evangelho de Cristo que ele proclamou intrepidamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

    ‘ …de graça deveis dar! ‘

    https://padrepauloricardo.org/episodios/os-ultimos-serao-os-primeiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.