Vésperas – Quarta-feira da 16ª Semana do Tempo Comum

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Devagar, vai o sol se escondendo,
deixa os montes, o campo e o mar,
mas renova o presságio da luz,
que amanhã vai de novo brilhar.

Os mortais se admiram do modo
pelo qual, generoso Senhor,
destes leis ao transcurso do tempo,
alternância de sombra e fulgor.

Quando reina nos céus o silêncio
e declina o vigor para a lida,
sob o peso das trevas a noite
nosso corpo ao descanso convida.

De esperança e de fé penetrados,
saciar-nos possamos, Senhor,
de alegria na glória do Verbo
que é do Pai o eterno esplendor.

Este é o sol que jamais tem ocaso
e também o nascer desconhece.
Canta a terra, em seu brilho envolvida,
nele o céu em fulgor resplandece.

Dai-nos, Pai, gozar sempre da luz
que este mundo ilumina e mantém,
e cantar-vos, e ao Filho, e ao Espírito,
canto novo nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Vosso saber é por demais maravilhoso, ó Senhor.

Salmo 138(139),1-18.23-24

Deus tudo vê

Quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? (Rm 11,34).

I

1 Senhor, vós me sondais e conheceis, *
2 sabeis quando me sento ou me levanto;
= de longe penetrais meus pensamentos, †
3 percebeis quando me deito e quando eu ando, *
os meus caminhos vos são todos conhecidos.

4 A palavra nem chegou à minha língua, *
e já, Senhor, a conheceis inteiramente.
5 Por detrás e pela frente me envolveis; *
pusestes sobre mim a vossa mão.
6 Esta Verdade é por demais maravilhosa, *
é tão sublime que não posso compreendê-la.

7 Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? *
E para onde fugirei de vossa face?
8 Se eu subir até os céus, ali estais; *
se eu descer até o abismo, estais presente.

9 Se a aurora me emprestar as suas asas, *
para eu voar e habitar no fim dos mares;
10 mesmo  vai me guiar a vossa mão *
e segurar-me com firmeza a vossa destra.

11 Se eu pensasse: “A escuridão venha esconder-me *
e que a luz ao meu redor se faça noite!”
=12 Mesmo as trevas para vós não são escuras, †
a própria noite resplandece como o dia, *
e a escuridão é tão brilhante como a luz.

Ant. Vosso saber é por demais maravilhoso, ó Senhor.

Ant. 2 Eu, o Senhor, vejo o mais íntimo
e conheço os corações,
recompenso a cada um conforme as obras realizadas.

II

13 Fostes vós que me formastes as entranhas, *
e no seio de minha mãe vós me tecestes.
=14 Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, †
porque de modo admirável me formastes! *
Que progio e maravilha as vossas obras!

– Até o mais íntimo, Senhor, me conheceis; *
15 nenhuma sequer de minhas fibras ignoráveis,
– quando eu era modelado ocultamente, *
era formado nas entranhas subterrâneas.

16 Ainda informe, os vossos olhos me olharam, *
e por vós foram previstos os meus dias;
– em vosso livro estavam todos anotados, *
antes mesmo que um só deles existisse.

17 Quão insonveis são os vossos pensamentos! *
Inconvel, ó Senhor, é o seu número!
18 Se eu os conto, serão mais que os grãos de areia; *
se chego ao fim, ainda falta conhecer-vos.

23 Senhor, sondai-me, conhecei meu coração, *
examinai-me e provai meus pensamentos!
24 Vede bem se não estou no mau caminho, *
e conduzi-me no caminho para a vida!

Ant. Eu, o Senhor, vejo o mais íntimo
e conheço os corações,
recompenso a cada um conforme as obras realizadas.

Ant. 3 Em Cristo é que tudo foi criado,
e é por ele que subsiste o universo.

Cântico Cf. Cl 1,12-20

Cristo, o Primogênito de toda a criatura
e o Primogênito dentre os mortos

=12 Demos graças a Deus Pai onipotente, †
que nos chama a partilhar, na sua luz, *
da herança a seus santos reservada!

(R. Glória a vós, primonito dentre os mortos!)

=13 Do imrio das trevas arrancou-nos †
e transportou-nos para o reino de seu Filho, *
para o reino de seu Filho bem-amado,
14 no qual nós encontramos redenção, *
dos pecados remissão pelo seu sangue.

(R.)

15 Do Deus, o Invisível, é a imagem, *
o Primonito de toda criatura;
=16 porque nele é que tudo foi criado, †
o que há nos céus e o que existe sobre a terra, *
o vivel e também o invisível.

(R.)

= Sejam Tronos e Poderes que há nos céus, †
sejam eles Principados, Potestades: *
por ele e para ele foram feitos.
17 Antes de toda criatura ele existe, *
e é por ele que subsiste o universo.

(R.)

=18 Ele é a Cabeça da Igreja, que é seu Corpo, †
é o prinpio, o Primogênito entre os mortos, *
fim de ter em tudo a primazia.
19 Pois foi do agrado de Deus Pai que a plenitude *
habitasse no seu Cristo inteiramente.

(R.)

20 Aprouve-lhe também, por meio dele, *
reconciliar consigo mesmo as criaturas,
= pacificando pelo sangue de sua cruz †
tudo aquilo que por ele foi criado, *
o que há nos céus e o que existe sobre a terra.

(R.)

Ant. Em Cristo é que tudo foi criado,
e é por ele que subsiste o universo.

Leitura breve 1Jo 2,3-6

Para saber que o conhecemos, vejamos se guardamos os seus mandamentos. Quem diz: “Eu conheço a Deus”, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. Naquele, porém, que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado. O critério para saber se estamos com Jesus é este: quem diz que permanece nele, deve também proceder como ele procedeu.

Responsório breve

R. Protegei-nos, Senhor,
* Como a pupila dos olhos. R. Protegei-nos.

V. Guardai-nos, defendei-nos, sob a vossa proteção.
* Como a pupila. Glória ao PaiR. Protegei-nos.

Cântico evangélico, ant.

Ó Senhor, manifestai o poder de vosso braço,
dispersai os soberbos e elevai os humildes.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor * 
47 e se alegrou o meu esrito em Deus, meu Salvador
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, * 
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

49 O Poderoso fez por mim maravilhas * 
Santo é o seu nome! 
50 Seu amor, de geração em geração, * 
chega a todos que o respeitam; 

51 demonstrou o poder de seu braço, * 
dispersou os orgulhosos; 
52 derrubou os poderosos de seus tronos * 
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, * 
e despediu, sem nada, os ricos. 
54 Acolheu Israel, seu servidor, * 
fiel ao seu amor

55 como havia prometido aos nossos pais, * 
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito, *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. Ó Senhor, manifestai o poder de vosso braço,
dispersai os soberbos e elevai os humildes.

Preces

Aclamemos ao Eterno Pai, cuja misericórdia para com o seu povo é sem limites; e digamos com alegria de coração:

R. Senhor, alegrem-se todos os que em vós esperam!

Senhor, que enviastes o vosso Filho não para julgar o mundo mas para salvá-lo,
– concedei que a sua morte gloriosa produza em nós muitos frutos.

R.

Vós, que constituístes os sacerdotes como ministros de Cristo e dispensadores dos vossos mistérios,
– dai-lhes um coração fiel, ciência e caridade.

R.

Àqueles que chamastes para uma vida de castidade perfeita por amor do reino dos céus,
– concedei-lhes a graça de seguirem fiel e generosamente as pegadas de vosso Filho.

R.

Vós, que no princípio criastes o homem e a mulher,
– conservai todas as famílias no amor sincero.

R.

(intenções livres)

Vós, que, pelo sacrifício de Cristo, tirastes o pecado do mundo,
– perdoai os pecados de todos os que morreram.

R.

Pai nosso…

Oração

Senhor, que aos famintos saciais de bens celestes, lembrai-vos de vossa misericórdia e concedei à nossa pobreza tornar-se rica de vossos dons. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.  

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *