Vésperas da Memória de São Bernardo, abade

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Bernardo, luz celeste,
que agora festejamos,
transforma em dons divinos
os hinos que cantamos.

O Cristo no teu peito,
sol vivo que flameja,
te faz coluna, escudo,
doutor da sua Igreja.

O Espírito em teus lábios
pôs fontes de verdade
e mel que se derrama
por toda a humanidade.

Ninguém com mais ternura
nos fala de Maria:
busquemos na procela
a Estrela que nos guia!

De claustros tu semeias
a Europa e o mundo inteiro,
os papas te consultam,
dos reis és conselheiro.

Ao Deus, que é uno e trino,
as vozes elevemos,
e um dia, face a face,
contigo contemplemos.

Salmodia

Ant. 1 Ele é meu amor, meu regio,
meu escudo: é nele que espero.

Salmo 143(144)

Oração pela vitória e pela paz

As suas mãos foram treinadas para a luta, quando venceu o mundo conforme disse: eu venci o mundo (Sto. Hilário).

I

=1 Bendito seja o Senhor, meu rochedo, †
que adestrou minhas mãos para a luta, *
e os meus dedos treinou para a guerra!

2 Ele é meu amor, meu refúgio, *
libertador, fortaleza e abrigo;
– é meu escudo: é nele que espero, *
ele submete as nações a meus pés.

=3 Que é o homem, Senhor, para vós? †
Por que dele cuidais tanto assim, *
e no filho do homem pensais?
4 Como o sopro de vento é o homem, *
os seus dias são sombra que passa.

5 Inclinai vossos céus e descei, *
tocai os montes, que eles fumeguem.
6 Fulminai o inimigo com raios, *
lançai flechas, Senhor, dispersai-o!

=7 Lá do alto estendei vossa mão, †
retirai-me do abismo das águas, *
e salvai-me da mão dos estranhos;
8 sua boca só tem falsidade, *
sua mão jura falso e engana.

Ant. Ele é meu amor, meu regio,
meu escudo: é nele que espero.


Ant. 2 Feliz o povo que tem o Senhor por seu Deus!

II

9 Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, *
nas dez cordas da harpa louvar-vos,
10 a vós que dais a vitória aos reis *
e salvais vosso servo Davi.

11 Da espada maligna livrai-me *
e salvai-me da mão dos estranhos;
– sua boca só tem falsidade, *
sua mão jura falso e engana.

12 Que nossos filhos, quais plantas viçosas, *
cresçam sadios, e fortes floresçam!
– As nossas filhas, colunas robustas, *
que um artista esculpiu para o templo.

13 Nossos celeiros transbordem de cheios, *
abastecidos de todos os frutos!
– Nossas ovelhas em muitos milhares *
se multipliquem nas nossas campinas!

=14 O nosso gado também seja gordo! †
Não haja brechas em nossas muralhas, *
nem desterro ou gemido nas praças!
15 Feliz o povo a quem isto acontece, *
e que tem o Senhor por seu Deus!

Ant. Feliz o povo que tem o Senhor por seu Deus!


Ant. 3 Chegou agora a salvação e o poder
e a realeza do Senhor e nosso Deus.

Cântico Ap 11,17-18; 12,10b-12a

O julgamento de Deus

11,17 Graças vos damos, Senhor Deus onipotente, *
a Vós que sois, a Vós que éreis e sereis,

– porque assumistes o poder que vos pertence, *
e enfim tomastes posse como rei!

(R. Nós vos damos graças, nosso Deus!)

18 As nações se enfureceram revoltadas, †
mas chegou a vossa ira contra elas *
e o tempo de julgar vivos e mortos,
= e de dar a recompensa aos vossos servos, †
aos profetas e aos que temem vosso nome, *
aos santos, aos pequenos e aos grandes.

(R.)

=12,10 Chegou agora a salvação e o poder †
a realeza do Senhor e nosso Deus, *
e o donio de seu Cristo, seu Ungido.
– Pois foi expulso o delator que acusava *
nossos irmãos, dia e noite, junto a Deus.

(R.)

11 Mas o venceram pelo sangue do Cordeiro †
e o testemunho que eles deram da Palavra, *
pois desprezaram sua vida até à morte.
– 12 Por isso, ó céus, cantai alegres e exultai *
e vós todos os que neles habitais!

(R.)

Ant. Chegou agora a salvação e o poder
e a realeza do Senhor e nosso Deus.

Leitura breve Cf. Cl 1,23

Permanecei inabaláveis e firmes na fé, sem vos afastardes da esperança que vos dá o evangelho, que ouvistes, que foi anunciado a toda criatura debaixo do céu.

Responsório breve

R. O Senhor é o meu Pastor:
* Não me falta coisa alguma. R. O Senhor.
V. Pelos prados me conduz. * Não me falta.
Glória ao Pai. R. O Senhor.


CÂNTICO EVANGÉLICO (MAGNIFICAT) Lc1,46-55 .

Ant. Doutor melífluo, São Bernardo, do Esposo sois amigo,
sois cantor da Virgem Mãe, sois ilustre em Claraval,
e pastor dos mais insignes.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor *
47 e exulta meu esrito em Deus, meu Salvador;
48 porque olhou para humildade de sua serva, *
doravante as gerações hão de chamar-me de bendita.

49 O Poderoso fez em mim maravilhas *
Santo é o seu nome!
50 Seu amor para sempre se estende *
sobre aqueles que o temem;

51 manifestou o poder de seu braço, *
dispersou os soberbos;
52 derrubou os poderosos de seus tronos *
e elevou os humildes;

53 saciou de bens os famintos, *
despediu os ricos sem nada.
54 Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,

55 como havia prometido a nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.


Em Latim

Magnificat anima mea Dominum
Et exultavit spiritus meus in Deo salvatóre meo.
Quia respexit humilitatem ancillæ suæ: ecce enim ex hoc beatam me dicent omnes generationes.
Quia fecit mihi magna qui potens est, et sanctum nomen eius.
Et misericordia eius a progenie in progenies timentibus eum.
Fecit potentiam in brachio suo, dispersit superbos mente cordis sui.
Deposuit potentes de sede et exaltavit humiles.
Esurientes implevit bonis et divites dimisit inanes,
Suscepit Israel puerum suum recordatus misericordiæ suæ,
Sicut locutus est ad patres nostros, Abraham et semini eius in sæcula.

Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto
Sicut erat in principio, et nunc, et semper, et in saecula saeculorum.
Amen.

Ant. Doutor melífluo, São Bernardo, do Esposo sois amigo,
sois cantor da Virgem Mãe, sois ilustre em Claraval,
e pastor dos mais insignes.

Preces

Oremos a Cristo, luz dos povos e alegria de todo ser vivente; e digamos com fé:

R. Senhor, dai-nos luz, paz e salvação!

Luz sem ocaso e Palavra eterna do Pai, que viestes para salvar a humanidade inteira,
– iluminai os catecúmenos da Igreja com a luz da vossa verdade.

R.

Desviai, Senhor, o vosso olhar dos nossos pecados,
– porque em vós se encontra o perdão.

R.

Vós quereis que os seres humanos, com a sua inteligência, investiguem os segredos da natureza;
– fazei que as ciências e as artes contribuam para a vossa glória e o bem-estar de todas as pessoas.

R.

Protegei aqueles que se dedicam no mundo ao serviço de seus irmãos e irmãs,
– para que possam realizar o seu ideal com liberdade e sem atropelos.

R.

(intenções livres)

Senhor, que tendes as chaves da morte e da vida,

– fazei entrar na vossa luz os nossos irmãos e irmãs que adormeceram na esperança da ressurreição.

R.

Pai nosso.


Em Latim:

Pater noster, qui es in caelis
Sanctificétur nomen tuum
Advéniat regnum tuum
Fiat volúntas tua
Sicut in caelo, et in terra

Panem nostrum quotidiánum da nobis hódie
Et dimítte nobis débita nostra
Sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris
Et ne nos indúcas in tentatiónem
Sed líbera nos a malo

Amem

Oração

Ó Deus, que fizestes do abade São Bernardo, inflamado de zelo por vossa casa, uma luz que brilha e ilumina a Igreja, dai-nos, por sua intercessão, o mesmo fervor para caminharmos sempre como filhos da luz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *