Ofício das Leituras de Terça-feira da Oitava da Páscoa

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Eis o dia de Deus verdadeiro,
no clarão de luz santa banhado.
Nele, o sangue do novo Cordeiro
apagou deste mundo o pecado.

Deu a fé novamente aos perdidos,
deu aos cegos de novo a visão.
Quem não há de perder todo o medo,
vendo o céu ser aberto ao ladrão?

Eis o fato que aos anjos assombra:
ver o Cristo na cruz como réu,
e o ladrão que com ele padece,
conquistar a coroa do céu.

Admirável, profundo mistério:
lava a carne da carne a fraqueza
e, tirando os pecados do mundo,
restitui-lhe a antiga nobreza.

O que pode existir mais sublime
que o pecado à procura da graça?
Que da morte nascer vida nova
e um amor que aos temores desfaça?

Ó Jesus, dos fiéis corações
sede eterna alegria pascal;
congregai os nascidos da graça
pelo vosso triunfo imortal.

Glória a vós que vencestes a morte
e brilhais, com o Pai, Sumo Bem,
no esplendor coruscante do Espírito
pelos séculos eternos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 O Rei da glória é o Senhor onipotente. Aleluia.

Salmo 23(24)

– 1Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, *
o mundo inteiro com os seres que o povoam;
– 2porque ele a tornou firme sobre os mares, *
e sobre as águas a mantém inabalável.

– 3“Quem subirá até o monte do Senhor, *
quem ficará em sua santa habitação?”
=4“Quem tem mãos puras e inocente coração, †
quem não dirige sua mente para o crime, *
nem jura falso para o dano de seu próximo.

– 5Sobre este desce a bênção do Senhor *
e a recompensa de seu Deus e Salvador”.
– 6“É assim a geração dos que o procuram, *
e do Deus de Israel buscam a face”.

=7“Ó portas, levantai vossos frontões! †
Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *
a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

=8Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †
“É o Senhor, o valoroso, o onipotente, *
o Senhor, o poderoso nas batalhas!”

=9“Ó portas, levantai vossos frontões! †
Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *
a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

=10Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †
“O Rei da glória é o Senhor onipotente, *
o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!”

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. O Rei da glória é o Senhor onipotente. Aleluia.

Ant. 2 Nações, glorificai o nosso Deus,
é ele quem dá vida à nossa vida. Aleluia.

Salmo 65(66)

I

=1Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, †
2cantai salmos a seu nome glorioso, *
dai a Deus a mais sublime louvação!

=3Dizei a Deus: “Como são grandes vossas obras! †
Pela grandeza e o poder de vossa força, *
vossos próprios inimigos vos bajulam.

– 4Toda a terra vos adore com respeito *
e proclame o louvor de vosso nome!”
– 5Vinde ver todas as obras do Senhor: *
seus prodígios estupendos entre os homens!

– 6O mar ele mudou em terra firme, *
e passaram pelo rio a pé enxuto.
– Exultemos de alegria no Senhor! *
7Ele domina para sempre com poder,
– e seus olhos estão fixos sobre os povos: *
que os rebeldes não se elevem contra ele!

– 8Nações, glorificai ao nosso Deus, *
anunciai em alta voz o seu louvor!
– 9É ele quem dá vida à nossa vida, *
e não permite que vacilem nossos pés.

– 10Na verdade, ó Senhor, vós nos provastes, *
nos depurastes pelo fogo como a prata.
– 11Fizestes-nos cair numa armadilha, *
e um grande peso nos pusestes sobre os ombros.

=12Permitistes aos estranhos oprimir-nos, †
nós passamos pela água e pelo fogo, *
mas finalmente vós nos destes um alívio!


– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Nações, glorificai o nosso Deus,
é ele quem dá vida à nossa vida. Aleluia.

Ant. 3 Vinde e ouvi: eu vou contar
todo o bem que Deus me fez. Aleluia.

II

– 13Em vossa casa entrarei com sacrifícios *
e cumprirei todos os votos que vos fiz;
– 14as promessas que meus lábios vos fizeram, *
e minha boca prometeu na minha angústia.

=15Eu vos oferto generosos holocaustos, †
a fumaça perfumosa dos cordeiros, *
ofereço-vos novilhos e carneiros.

– 16Todos vós que a Deus temeis, vinde escutar: *
vou contar-vos todo bem que ele me fez!
– 17Quando a ele o meu grito se elevou, *
já havia gratidão em minha boca!

– 18Se eu guardasse planos maus no coração, *
o Senhor não me teria ouvido a voz.
– 19Entretanto, o Senhor quis atender-me *
e deu ouvidos ao clamor da minha prece.

=20Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, †
não rejeitou minha oração e meu clamor, *
nem afastou longe de mim o seu amor!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Vinde e ouvi: eu vou contar
todo o bem que Deus me fez. Aleluia.

V. Deus, o Pai, ressuscitou a Jesus Cristo dentre os mortos, aleluia,
R. Para que esteja no Senhor a nossa fé e esperança. Aleluia.

Primeira leitura
Da Primeira Carta de São Pedro             1,22–2,10

A vida dos filhos de Deus

        Irmãos: 1,22Pela obediência à verdade, purificastes as vossas almas, para praticar um amor fraterno sem fingimento. Amai-vos, pois, uns aos outros, de coração e com ardor. 23Nascestes de novo, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, mediante a palavra de Deus, viva e permanente. 24Com efeito,

“toda carne é como erva,
e toda a sua glória como a flor da erva;
secou-se a erva, cai a sua flor.
25Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.”
        Ora, esta palavra é a que vos foi anunciada no Evangelho.
        2,1 Portanto, despojai-vos de toda maldade, mentira e hipocrisia, e de toda a inveja e calúnia. 2Como criancinhas recém-nascidas, desejai o leite legítimo e puro, que vos vai fazer crescer na salvação. 3Pois já provastes que o Senhor é bom. 4Aproximai-vos do Senhor, pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e honrosa aos olhos de Deus. 5Do mesmo modo, também vós, como pedras vivas, formai um edifício espiritual, um sacerdócio santo, a fim de
oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 6Com efeito, nas Escrituras se lê:
“Eis que ponho em Sião uma pedra angular,
escolhida e magnífica;
quem nela confiar, não será confundido”.
        7A vós, portanto, que tendes fé, cabe a honra. Mas para os que não creem,
“a pedra que os construtores rejeitaram
tornou-se a pedra angular,
8pedra de tropeço e rocha que faz cair”. Nela tropeçam os que não acolhem a Palavra; esse é o destino deles.
        9Mas vós sois a raça escolhida, o sacerdócio do Reino, a nação santa, o povo que ele conquistou para proclamar as obras admiráveis daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa. 10Vós sois aqueles que “antes não eram povo, agora porém são povo de Deus; os que não eram objeto de misericórdia, agora porém alcançaram misericórdia.”

Responsório 1Pd 2,5.9a

R. Aproximai-vos do Senhor, a Pedra viva
e quais outras pedras vivas também vós,
construí-vos como casa espiritual;
dedicai-vos a um santo sacerdócio,
* Oferecendo sacrifícios espirituais
agradáveis a Deus Pai por Jesus Cristo. Aleluia.
V. Sois a raça escolhida, sacerdócio régio,
nação santa e o povo conquistado por Deus.
* Oferecendo.

Segunda leitura


Dos Sermões de Santo Anastácio de Antioquia
(Oratio 4, 1-2: PG 89, 1347-1349)        (Séc.VI)

Era necessário que Cristo sofrese
para assim entrar em sua glória

        Cristo, por suas palavras e ações, revelou que era verdadeiro Deus e Senhor do universo. Ao subir para Jerusalém com seus discípulos, dizia-lhes: Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos gentios, aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei, para ser escarnecido, flagelado e crucificado (Mt 20,18.19). Fazia, na verdade, estas afirmações em perfeita consonância com as predições dos profetas, que haviam anunciado sua morte em Jerusalém.
        Desde o princípio, a Sagrada Escritura havia predito a morte de Cristo com os sofrimentos que a precederiam, e também tudo quanto aconteceu com seu corpo depois da morte; predisse igualmente que aquele a quem tudo isto sucedeu é Deus impassível e imortal. De outro modo, nunca poderíamos afirmar que era Deus se, ao contemplarmos a verdade da encarnação, não encontrássemos nela razões para proclamar, com clareza e justiça, uma e outra coisa, ou seja, seu sofrimento e sua impassibilidade. O motivo pelo qual o Verbo de Deus, e portanto impassível, se submeteu à morte é que, de outra maneira, o homem não podia salvar-se. Este motivo somente ele o conhece e aqueles aos quais revelou. De fato, o Verbo conhece tudo o que é do Pai, como o Espírito que esquadrinha tudo, mesmo as profundezas de Deus (1Cor 2,10).
        Realmente, era preciso que Cristo sofresse. De modo algum a paixão podia deixar de acontecer. Foi o próprio Senhor quem declarou, quando chamou de insensatos e lentos de coração os que ignoravam ser necessário que Cristo sofresse, para assim entrar em sua glória. Por isso, veio ao encontro do seu povo para salvá-lo, deixando aquela glória que tinha junto do Pai, antes da criação do mundo. Mas a salvação devia consumar-se por meio da morte do autor da nossa vida, como ensina São Paulo: Consumado pelos sofrimentos, ele se tornou o princípio da vida (cf. Hb 2,10).
        Deste modo se vê como a glória do Filho unigênito, glória esta que por nossa causa ele havia deixado por breve tempo, foi-lhe restituída por meio da cruz, na carne que tinha assumido. É o que afirma São João, no seu evangelho, ao indicar qual era aquela água de que falava o Salvador: Aquele que crê em mim, rios de água viva jorrarão do seu interior. Falava do Espírito, que deviam receber os que tivessem fé nele; pois ainda não tinha sido dado o Espírito, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado (Jo 7,38-39); e chama glória a morte na cruz. Por isso, quando o Senhor orava, antes de ser crucificado, pedia ao Pai que o glorificasse com aquela glória que tinha junto dele, antes da criação do mundo.

Responsório Hb 2,10; Ap 1,6b; Lc 24,26

R. Convinha que Aquele, por quem
e para quem existe todo ser,
conduzindo para a glória grande número de filhos,
levasse à perfeição, através do sofrimento,
o Autor da salvação.
* A ele seja glória e domínio pelos séculos. Aleluia.
V. Era preciso que o Cristo sofresse
para entrar em sua glória. * A ele seja.  

HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)

A vós, ó Deus, louvamos,
a vós, Senhor, cantamos.
A vós, Eterno Pai,
adora toda a terra.

A vós cantam os anjos,
os céus e seus poderes:
Sois Santo, Santo, Santo,
Senhor, Deus do universo!

Proclamam céus e terra
a vossa imensa glória.
A vós celebra o coro
glorioso dos Apóstolos,

Vos louva dos Profetas
a nobre multidão
e o luminoso exército
dos vossos santos Mártires.

A vós por toda a terra
proclama a Santa Igreja,
ó Pai onipotente,
de imensa majestade,

e adora juntamente
o vosso Filho único,
Deus vivo e verdadeiro,
e ao vosso Santo Espírito.

Ó Cristo, Rei da glória,
do Pai eterno Filho,
nascestes duma Virgem,
a fim de nos salvar.

Sofrendo vós a morte,
da morte triunfastes
abrindo aos que têm fé
dos céus o reino eterno.

Sentastes à direita
de Deus, do Pai na glória.
Nós cremos que de nov
vireis como juiz.

Portanto, vos pedimos:
salvai os vossos servos,
que vós, Senhor, remistes
com sangue precioso.

Fazei-nos ser contados,
Senhor, vos suplicamos,
em meio a vossos santos
na vossa eterna glória.

(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).

Salvai o vosso povo.
Senhor, abençoai-o.
Regei-nos e guardai-nos
até a vida eterna.

Senhor, em cada dia,
fiéis, vos bendizemos,
louvamos vosso nome
agora e pelos séculos.

Dignai-vos, neste dia,
guardar-nos do pecado.
Senhor, tende piedade
de nós, que a vós clamamos.

Que desça sobre nós,
Senhor, a vossa graça,
porque em vós pusemos
a nossa confiança.

Fazei que eu, para sempre,
não seja envergonhado:
Em vós, Senhor, confio,
sois vós minha esperança!

Oração

Ó Deus, que nos concedestes a salvação pascal, acompanhai o vosso povo com vossos dons celestes, para que, tendo conseguido a verdadeira liberdade, possa um dia alegrar-se no céu, como exulta agora na terra. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

2 comentários em “Ofício das Leituras de Terça-feira da Oitava da Páscoa”

  1. Hoje, consegui rezar laudes. Foi bom. Mas o resto das outras orações não coincidem com o fuso horário de Moçambique. Acho que temos diferenças de 6horas. Por exemplo agora são 5h40.

  2. Consegui fazer estas orações obrigada pelo zelo por nós os filhos do Deus vivo que morreu na cruz para a salvação de todos amem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.