Ofício das Leituras de Terça-feira da 3ª Semana da Páscoa

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Exulte o céu do alto,
aplaudam terra e mar;
o Cristo, ressurgindo,
a vida vem nos dar.

O tempo favorável
à terra já voltou;
felizes, contemplamos
o dia salvador,

no qual o mundo, salvo
no sangue do Cordeiro,
já brilha em meio às trevas
com brilho verdadeiro.

A morte mata a morte,
da culpa nos redime;
a força do vencido,
vencendo, apaga o crime.

É esta a nossa espera,
é este o nosso gozo:
também ressurgiremos,
com Cristo glorioso.

Por isso, celebremos
a Páscoa do Cordeiro,
repletos pela graça
do seu amor primeiro.

Jesus, sede a alegria
perene dos remidos;
uni na vossa glória
da graça os renascidos.

Louvor a vós, Jesus,
da morte vencedor,
reinando com o Pai
e o seu eterno Amor.

Salmodia

Ant. 1 Eis que Deus se põe de ,
e os inimigos se dispersam! †

Salmo 67(68)

Entrada triunfal do Senhor

Tendo subido às alturas, ele capturou prisioneiros e distribuiu dons aos homens (Ef 4,8).

I

2 Eis que Deus se põe de , e os inimigos se dispersam!*
† Fogem longe de sua face os que odeiam o Senhor! 
=3 Como a fumaça se dissipa, assim também os dissipais, †
como a cera se derrete, ao contato com o fogo, *
assim pereçam os iníquos ante a face do Senhor!

4 Mas os justos se alegram na presença do Senhor *
rejubilam satisfeitos e exultam de alegria! 
=5 Cantai a Deus, a Deus louvai, cantai um salmo a seu nome! †
Abri caminho para Aquele que avança no deserto; *
o seu nome é Senhor: exultai diante dele!

6 Dos órfãos ele é pai, e das viúvas protetor; *
é assim o nosso Deus em sua santa habitação. 
=7 É o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados, †
quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura, *
mas abandona os rebeldes num deserto sempre estéril!

8 Quando saístes com o povo, caminhando à sua frente *
e atravessando o deserto, a terra toda estremeceu; 
9 orvalhou o próprio céu ante a face do Senhor, *
e o Sinai também tremeu perante o Deus de Israel.

10 Derramastes lá do alto uma chuva generosa, *
e vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes; 
11 e ali vosso rebanho encontrou sua morada; *
com carinho preparastes essa terra para o pobre.

Ant. Eis que Deus se põe de ,
e os inimigos se dispersam!

Ant. 2 Nosso Deus é um Deus que salva,
só o Senhor livra da morte.

II

12 O Senhor anunciou a boa-nova a seus eleitos, *
e uma grande multidão de nossas jovens a proclama: 
13 “Muitos reis e seus exércitos fogem um após o outro, *
e a mais bela das mulheres distribui os seus despojos.

=14 Enquanto descansais entre a cerca dos apriscos, †
as asas de uma pomba como prata resplandecem, *
e suas penas têm o brilho de um ouro esverdeado. 
15 O Senhor onipotente dispersou os poderosos, *
dissipou-os como a neve que se espalha no Salmon!”

16 Montanhas de Basã tão escarpadas e altaneiras *
ó montes elevados desta serra de Basã, 
=17 por que tendes tanta inveja, ó montanhas sobranceiras, †
deste Monte que o Senhor escolheu para morar? *
Sim, é nele que o Senhor habita eternamente!

18 Os carros do Senhor contam milhares de milhares; *
do Sinai veio o Senhor, para morar no santuário. 
=19 Vós subistes para o alto e levastes os cativos, †
os homens prisioneiros recebestes de presente, *
até mesmo os que não querem vão morar em vossa casa.

20 Bendito seja Deus, bendito seja cada dia, *
o Deus da nossa salvação, que carrega os nossos fardos! 
21 Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador;*
o Senhor, só o Senhor, nos pode livrar da morte! 
22 Ele esmaga a cabeça dos que são seus inimigos, *
e os crânios contumazes dos que vivem no pecado.

23 Diz o Senhor: “Eu vou trazê-los prisioneiros de Basã, *
até do fundo dos abismos vou tra-los prisioneiros! 
24 No sangue do inimigo o teu  vai mergulhar, *
e a língua de teus cães terá também a sua parte”.

Ant. Nosso Deus é um Deus que salva,
só o Senhor livra da morte.

Ant. 3 Reinos da terra, celebrai
o nosso Deus, cantai-lhe salmos!

III

25 Contemplamos, ó Senhor, vosso cortejo que desfila, *
é a entrada do meu Deus, do meu Rei, no santuário; 
26 os cantores vão à frente, vão atrás os tocadores, *
e no meio vão as jovens a tocar seus tamborins.

27 “Bendizei o nosso Deus, em festivas assembléias! *
Bendizei nosso Senhor, descendentes de Israel!” 
=28 Eis o jovem Benjamim que vai à frente deles todos; †
eis os chefes de Judá com as suas comitivas, *
os principais de Zabulon e os principais de Neftali.

29 Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder, *
confirmai este poder que por nós manifestastes, 
30 a partir de vosso templo, que es em Jerusalém, *
para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes!

=31 Ameaçai, ó nosso Deus, a fera brava dos caniços, †
a manada de novilhos e os touros das nações! *
Que vos rendam homenagem e vos tragam ouro e prata! 
= Dispersai todos os povos que na guerra se comprazem!† 
32 Venham príncipes do Egito, venham dele os poderosos,*
e levante a Etiópia suas mãos para o Senhor!

=33 Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos! † 
34 Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos. *
Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa.

35 Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens. *
Sobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade! 
36 Em seu templo ele é admirável e a seu povo dá poder. *
Bendito seja o Senhor Deus, agora e sempre. Amém, amém!

Ant. Reinos da terra, celebrai
o nosso Deus, cantai-lhe salmos!

V. Ressurgindo dentre os mortos,
Jesus Cristo já não morre. Aleluia.
R. E a morte não tem mais
nenhum domínio sobre ele. Aleluia.


Primeira leitura

Do Livro do Apocalipse 8,1-13

Sete anjos flagelam o mundo 

1Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, fez-se no céu um silêncio de meia hora. 2Vi então os sete Anjos que estão diante de Deus. Eles receberam sete trombetas. 3E veio um outro anjo que se colocou perto do altar, com um turíbulo de ouro. Ele recebeu uma grande quantidade de incenso, para oferecê-lo com as orações de todos os santos, no altar de ouro que está diante do trono. 4E da mão do anjo subia até Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos. 5Então, o anjo pegou no turíbulo e encheu-o com o fogo do altar e atirou o turíbulo sobre a tera. Houve trovões, clamores, relâmpagos e um grande terremoto.  

 6Os sete anjos com as sete trombetas prepararam-se para tocar.  

7O primeiro anjo tocou a trombeta, e caíram sobre a terra granizo e fogo misturados com sangue. A terça parte da terra foi queimada, a terça parte das árvores foi queimada, e toda a erva verde foi queimada.  

8O segundo anjo tocou a trombeta, e algo como uma grande montanha ardendo em chamas foi lançado no mar. A terça parte do mar transformou-se em sangue. 9A terça parte das criaturas, que viviam no mar, morreu. A terça parte dos navios se perdeu.  

10E o terceiro anjo tocou a trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha; caiu sobre a terça parte dos rios e sobre as fontes das águas. 11O nome da estrela é “Amargura”. A terça parte das águas tornou-se amargura e muitas pessoas morreram devido às águas, porque se tinham tornado amargas. 

12E o quarto anjo tocou a trombeta, e foi atingida a terça parte do sol e a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas, de modo que escureceu a terça parte delas, e o dia perdeu um terço de sua claridade, e a noite igualmente. 

13Na minha visão, então, eu ouvi uma águia, que voava no ápice do céu, proclamar em alta voz: “Ai! Ai! Ai dos habitantes da terra, por causa dos próximos toques de trombeta, dos três anjos que devem ainda tocar”.

Responsório Cf. Ap 8,3-4; 5,8b

R. Aparecendo um outro anjo, ficou de pé junto ao altar,
segurando em suas mãos um turíbulo de ouro;
foi-lhe dado muito incenso, para ser oferecido.
* E subiu à presença de Deus
a fumaça do incenso. Aleluia.
V. Cada anjo trazia uma taça de ouro repleta de incenso;
são as preces dos santos. * E subiu.

Segunda leitura

Dos Sermões de Santo Agostinho, bispo 

(Sermo 34,1-3.5-6:CCL41,424-426)     (Séc.V)

Cantemos ao Senhor o canto do amor

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, e o seu louvor na assembleia dos fiéis (Sl 149,1). 

Somos convidados a cantar um canto novo ao Senhor. O homem novo conhece o canto novo. O canto é uma manifestação de alegria e, se examinarmos bem, é uma expressão de amor. Quem, portanto, aprendeu a amar a vida nova, aprendeu também a cantar o canto novo. É, pois, pelo canto novo que devemos reconhecer o que é a vida nova. Tudo isso pertence ao mesmo Reino: o homem novo, o canto novo, a aliança nova. 

Não há ninguém que não ame. A questão é saber o que se deve amar. Não somos, por conseguinte, convidados a não amar, mas sim a escolher o que havemos de amar. Mas o que podemos escolher, se antes não formos escolhidos? Porque não conseguiremos amar, se antes não formos amados. Escutai o apóstolo João: Nós amamos porque ele nos amou primeiro (cf. 1Jo 4,10). Procura saber como o homem pode amar a Deus; não encontrarás resposta, a não ser esta: Deus o amou primeiro. Deu-se a si mesmo aquele que amamos, deu-nos a capacidade de amar. Como ele nos deu esta capacidade, ouvi o apóstolo Paulo que diz claramente: O amor de Deus foi derramado em nossos corações. Por quem? Por nós, talvez? Não. Então por quem? Pelo Espírito Santo que nos foi dado (Rm5,5). 

Tendo, portanto, uma tão grande certeza, amemos a Deus com o amor que vem de Deus. Escutai ainda mais claramente o mesmo São João: Deus é amor: quem permanece no amor, permanece com Deus, e Deus permanece com ele (1Jo 4,16). É bem pouco afirmar: O amor vem de Deus (1Jo,4,7). Quem de nós se atreveria a dizer: Deus é amor? Disse-o quem sabia o que possuía. 

 Deus se oferece a nós pelo caminho mais curto. Clama para cada um de nós: Amai-me e me possuireis; porque não podeis amar-me se não me possuirdes. 

Ó irmãos, ó filhos, ó novos rebentos da Igreja católica, ó geração santa e celestial, que renascestes em Cristo para uma vida nova! Ouvi-me, ou melhor, ouvi através do meu convite: Cantai ao Senhor Deus um canto novo. Já estou cantando, respondes. Tu cantas, cantas bem, estou escutando. Mas oxalá a tua vida não dê testemunho contra tuas palavras. 

Cantai com a voz, cantai com o coração, cantai com os lábios, cantai com a vida: Cantai ao Senhor Deus um canto novo. Queres saber o que cantar a respeito daquele a quem amas? Sem dúvida, é acerca daquele a quem amas que desejas cantar. Queres saber então que louvores irás cantar? Já o ouviste: Cantai ao Senhor Deus um canto novo. Que louvores? Seu louvor na assembleia dos fiéis. O louvor de quem canta é o próprio cantor.

Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente.

Responsório Rm 6,4b; 1Jo 3,23b; cf. Jt 16,13

R. Assim como Jesus ressurgiu
dos mortos por glória do Pai,
nós vivamos também vida nova.
* E amemo-nos mutuamente,
conforme nos deu por preceito. Aleluia.
V. Cantemos louvores a Deus,
novo hino ao Senhor entoemos!
* E amemo-nos.

Oração 

Ó Deus, que abris as portas do reino dos céus aos que renasceram pela água e pelo Espírito Santo, aumentai em vossos filhos e filhas a graça que lhes destes para que, purificados de todo pecado, obtenham os bens que prometestes. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *