Ofício das Leituras de Terça-feira da 18ª Semana do Tempo Comum

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Despertados no meio da noite,
meditando, em vigília e louvor,
entoemos com todas as forças
nosso canto vibrante ao Senhor,

para que celebrando em conjunto
deste Rei glorioso os louvores,
mereçamos viver, com seus santos,
vida plena nos seus esplendores.

Esse dom nos conceda a Trindade,
Pai e Filho e Amor, Sumo Bem,
cuja glória ressoa na terra
e no céu pelos séculos. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Deus bondoso, inclinai o vosso ouvido,
por piedade, acolhei a nossa prece.
Escutai a oração dos vossos servos,
como Pai que dos seus filhos não se esquece.

Para nós volvei, sereno, a vossa face,
pois a vós nos confiamos sem reserva;
conservai as nossas lâmpadas acesas,
afastai do coração todas as trevas.

Compassivo, absolvei os nossos crimes,
libertai-nos, e as algemas nos quebrai;
os que jazem abatidos sobre a terra
com a vossa mão direita levantai.

Glória a Deus, fonte e raiz de todo ser,
glória a vós, do Pai nascido, Sumo Bem,
sempre unidos pelo Amor do mesmo Espírito,
Deus que reina pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Confia ao Senhor o teu destino;
confia nele e com certeza ele agi.

Salmo 36(37)

O destino dos maus e dos bons

Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra (Mt 5,5).

I

1 Não te irrites com as obras dos malvados *
nem invejes as pessoas desonestas;
2 eles murcham tão depressa como a grama, *
como a erva verdejante secarão.

3 Confia no Senhor e faze o bem, *
e sobre a terra habitarás em segurança.
4 Coloca no Senhor tua alegria, *
e ele da o que pedir teu coração.

5 Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; *
confia nele, e com certeza ele agirá.
6 Fará brilhar tua inocência como a luz, *
e o teu direito, como o sol do meio-dia.

7 Repousa no Senhor e espera nele! *
Não cobices a fortuna desonesta,
– nem invejes quem vai bem na sua vida *
mas oprime os pequeninos e os humildes.

8 Acalma a ira e depõe o teu furor! *
Não te irrites, pois seria um mal a mais!
9 Porque serão exterminados os perversos, *
e os que esperam no Senhor terão a terra.

10 Mais um pouco e já os ímpios não existem; *
se procuras seu lugar, não o acharás.
11 Mas os mansos herdarão a nova terra, *
nela gozarão de imensa paz.

Ant. Confia ao Senhor o teu destino;
confia nele e com certeza ele agi.

Ant. 2 Afasta-te do mal e faze o bem,
pois a força do homem justo é o Senhor.

II

12 O pecador arma ciladas contra o justo *
e, ameaçando, range os dentes contra ele;
13 mas o Senhor zomba do ímpio e ri-se dele, *
porque sabe que o seu dia vai chegar.

14 Os ímpios já retesam os seus arcos *
tiram sua espada da bainha,
– para abater os infelizes e os pequenos *
e matar os que estão no bom caminho;
15 mas sua espada há de ferir seus corações, *
e os seus arcos hão de ser despedaçados.

16 Os poucos bens do homem justo valem mais *
do que a fortuna fabulosa dos iníquos.
17 Pois os braços dos malvados vão quebrar-se, *
mas aos justos é o Senhor que os sustenta.

18 O Senhor cuida da vida dos honestos, *
e sua herança permanece eternamente.
19 Não serão envergonhados nos maus dias, *
mas nos tempos de penúria, saciados.

20 Mas os ímpios com certeza morrerão, *
perecerão os inimigos do Senhor;
– como as flores das campinas secarão, *
e sumirão como a fumaça pelos ares.

21 O ímpio pede emprestado e não devolve, *
mas o justo é generoso e dá esmola.
22 Os que Deus abençoar, terão a terra; *
os que amaldiçoar, se perderão.

23 É o Senhor quem firma os passos dos mortais *
e dirige o caminhar dos que lhe agradam;
24 mesmo se caem, não irão ficar prostrados, *
pois é o Senhor quem os sustenta pela mão.

=25 Já fui jovem e sou hoje um ancião, †
mas nunca vi um homem justo abandonado, *
nem seus filhos mendigando o próprio pão.
26 Pode sempre emprestar e ter piedade; *
seus descendentes hão de ser abençoados.

27 Afasta-te do mal e faze o bem, *
e terás tua morada para sempre.
28 Porque o Senhor Deus ama a justiça, *
e jamais ele abandona os seus amigos.

– Os malfeitores hão de ser exterminados, *
e a descendência dos malvados destruída;
29 mas os justos herdarão a nova terra *
nela habitarão eternamente.

Ant. Afasta-te do mal e faze o bem,
pois a força do homem justo é o Senhor.

Ant. 3 Confia em Deus e segue sempre seus caminhos!

III

30 O justo tem nos bios o que é bio, *
sua língua tem palavras de justiça;
31 traz a Aliança do seu Deus no coração, *
e seus passos não vacilam no caminho.

32 O ímpio fica à espreita do homem justo, *
estudando de que modo o matará;
33 mas o Senhor não o entrega em suas mãos, *
nem o condena quando vai a julgamento.

34 Confia em Deus e segue sempre seus caminhos; *
ele have de te exaltar e engrandecer;
– possuirás a nova terra por herança, *
e assistirás à perdição dos malfeitores.

35 Eu vi o ímpio levantar-se com soberba, *
elevar-se como um cedro exuberante;
36 depois passei por lá e já não era, *
procurei o seu lugar e não o achei.

37 Observa bem o homem justo e o honesto: *
quem ama a paz terá bendita descendência.
38 Mas os ímpios serão todos destruídos, *
e a sua descendência exterminada.

39 A salvação dos piedosos vem de Deus; *
ele os protege nos momentos de aflição.
=40 O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, †
defende-os e protege-os contra os ímpios, *
e os guarda porque nele confiaram.

Ant. Confia em Deus e segue sempre seus caminhos!

V. Dai-me bom senso, retidão, sabedoria,
R. Pois tenho  nos vossos santos mandamentos.

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Amós             7,1-17

Visões de ruínas

1 O Senhor mostrou-me esta visão: Eram formações de gafanhotos, que surgiam na época em que começam a brotar as plantações tardias – naquelas que nascem, depois da ceifa dos cereais, para uso do rei. 2Aconteceu que, quando a praga acabou de comer a erva da terra, eu disse: “Senhor Deus, peço-vos sejais bondoso; como poderá Jacó resistir? Ele é tão fraco!” 3O Senhor compadeceu-se. “Isso não acontecerá”, disse o Senhor Deus.

4 O Senhor mostrou-me esta visão: O Senhor Deus ameaçava fazer justiça pelo fogo, um fogo, que devorou o grande abismo e consumiu o campo. 5E eu disse: “Senhor Deus, acalmai-vos, eu vos rogo; como poderá Jacó resistir? Ele é tão débil”! 6O Senhor compadeceu-se. “Isto também não acontecerá”, diz o Senhor Deus.

7 O Senhor Deus mostrou-me outra visão: era um homem de pé, junto ao muro rebocado, tendo na mão uma colher de pedreiro. 8Disse-me o Senhor: “Que estás vendo, Amós?” Respondi: “Uma colher de pedreiro”. Disse o Senhor: “Pois eu vou pôr uma colher de pedreiro no meio do meu povo Israel; não lhe darei mais prazo para o perdão. 9As colinas de Isaac serão devastadas e os santuários de Israel, demolidos; e atacarei com a espada a casa de Jeroboão”.

10 Então Amasias, sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel: “Amós conspira contra ti, dentro da própria casa de Israel; o país não consegue evitar que se espalhem todas as suas palavras. 11Ele anda dizendo: ‘Jeroboão morrerá pela espada, e Israel será deportado de sua pátria, como escravo’”. 12Disse depois Amasias a Amós: “Vidente, sai e procura refúgio em Judá, onde possas ganhar teu pão e exercer a profecia; 13mas em Betel não deverás insistir em profetizar, porque aí fica o santuário do rei e a corte do reino.” 14Respondeu Amós a Amasias, dizendo:

“Não sou profeta

nem sou filho de profeta;

sou pastor de gado e cultivo sicômoros.

15 O Senhor chamou-me,

quando eu tangia o rebanho,

e o Senhor me disse:

‘Vai profetizar para Israel, meu povo’.

16 E agora ouve a palavra do Senhor. Tu dizes: ‘Não profetizes contra Israel e não insinues palavras contra a casa de Isaac’. 

17 Pois bem, isto diz o Senhor: ‘Tua mulher se prostituirá na cidade, teus filhos e filhas morrerão pela espada, tuas terras serão tomadas e loteadas; tu mesmo morrerás em terra poluída, e Israel será levado em cativeiro para longe de seu país’”.

Responsório                 Am 3,7.8b; 7,15

R. Nada faz o Senhor Deus, sem revelar os seus segredos
aos profetas, os seus servos.
* Falou o Senhor Deus; quem não profetizará?
V. Ao seguir o meu rebanho tomou-me o Senhor,
e falou-me nestes termos:
Vai tu e profetiza a meu povo Israel.* Falou.

Segunda leitura

Da chamada Carta de Barnabé

 (Cap.5,1-8;6,11-16: Funk 1,13-15.19-21)                  (Séc. II)

A nova criação

O Senhor aceitou entregar seu corpo à destruição para sermos santificados pela remissão dos pecados que nos vem da aspersão de seu sangue. Sobre ele foi escrito tanto para Israel como para nós: Foi ferido por causa de nossas iniquidades e atribulado por nossos pecados; por suas chagas fomos curados. Igual à ovelha, conduzido ao matadouro e como cordeiro diante do tosquiador (cf. Is 53,5-7). Quantas e quão grandes graças devemos dar ao Senhor que nos mostrou as coisas passadas, ensinou-nos as presentes e não pôs fora de nosso entendimento as futuras. Diz a Escritura: Não se armam injustamente redes contra as aves (cf. Pr 1,17). Quer dizer, perecerá, com justiça, o homem que possui o conhecimento do caminho da justiça e se volta para o caminho das trevas.

E ainda há mais, meus irmãos: se o Senhor aceitou padecer por nossa vida, apesar de ser o Senhor do mundo inteiro, ele a quem disse Deus na criação do mundo: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança (Gn 1,26), como suportou o sofrimento por mão de homem? Aprendei. Os profetas, por sua graça, sobre ele profetizaram; ser-lhe-ia preciso aparecer na carne para destruir a morte e manifestar a ressurreição dos mortos. Ele tudo suportou para cumprir a promessa feita aos pais e preparar para si um povo novo enquanto estava na terra, e revelar-se, depois da ressurreição, como o Juiz. Assim também ensinava, fazendo tão grandes prodígios e milagres,a Israel que não o confessava nem amava.

Quando, pois, nos renovou pela remissão dos pecados, fez com que tivéssemos nova forma, uma alma como de meninos, como se nos tivesse criado de novo. A Escritura diz a nosso respeito, como fala o Pai ao Filho: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança e domine os animais da terra, as aves do céu e os peixes do mar (cf. Gn 1,26). E o Senhor, vendo a beleza de nossa forma, disse: Crescei e multiplicai-vos e enchei a terra (Gn 1,28). Tudo isto disse o Pai ao Filho.

Mas vou mostrar-te de novo, como fala a nós. Realizou a segunda criação nos últimos tempos. Pois disse o Senhor: Eis que faço as últimas como as primeiras (cf. Ap 2,19). Contemplando-o, declara o profeta: Entrai na terra onde correm o leite e o mel e dominai-a (cf. Ex 33,3).

Assim fomos nós formados de novo, como também outro profeta fala: Eis, diz o Senhor, arrancarei deles, isto é, daqueles que o Espírito do Senhor antevia, os corações de pedra e porei corações de carne (Ez 11,19). Ele quis aparecer na carne e habitar entre nós. Templo santo para o Senhor, meus irmãos, é a morada de nosso coração. E o Senhor reafirma: Louvar-te-ei na reunião de meus irmãos e cantarei a ti no meio da assembleia dos santos (cf. Sl 21,23).

Na verdade somos nós, aqueles que ele introduziu na terra boa.

Responsório                 At 3,25; Gl 3,8a

R. Sois filhos dos profetas e filhos da Aliança,
que Deus, nos tempos idos, firmou com nossos pais,
quando disse a Abraão:
* Na tua descendência serão abençoadas
as nações de toda a terra.
V. Prevendo a Escritura, que aos gentios Deus iria
pela fé justificar, anunciou, de antemão,
a Boa-nova a Abraão. * Na tua.

Oração

Manifestai, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa criação, e conservando-a renovada. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Despertados no meio da noite,
meditando, em vigília e louvor,
entoemos com todas as forças
nosso canto vibrante ao Senhor,

para que celebrando em conjunto
deste Rei glorioso os louvores,
mereçamos viver, com seus santos,
vida plena nos seus esplendores.

Esse dom nos conceda a Trindade,
Pai e Filho e Amor, Sumo Bem,
cuja glória ressoa na terra
e no céu pelos séculos. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Deus bondoso, inclinai o vosso ouvido,
por piedade, acolhei a nossa prece.
Escutai a oração dos vossos servos,
como Pai que dos seus filhos não se esquece.

Para nós volvei, sereno, a vossa face,
pois a vós nos confiamos sem reserva;
conservai as nossas lâmpadas acesas,
afastai do coração todas as trevas.

Compassivo, absolvei os nossos crimes,
libertai-nos, e as algemas nos quebrai;
os que jazem abatidos sobre a terra
com a vossa mão direita levantai.

Glória a Deus, fonte e raiz de todo ser,
glória a vós, do Pai nascido, Sumo Bem,
sempre unidos pelo Amor do mesmo Espírito,
Deus que reina pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Confia ao Senhor o teu destino;
confia nele e com certeza ele agi.

Salmo 36(37)

O destino dos maus e dos bons

Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra (Mt 5,5).

I

1 Não te irrites com as obras dos malvados *
nem invejes as pessoas desonestas;
2 eles murcham tão depressa como a grama, *
como a erva verdejante secarão.

3 Confia no Senhor e faze o bem, *
e sobre a terra habitarás em segurança.
4 Coloca no Senhor tua alegria, *
e ele da o que pedir teu coração.

5 Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; *
confia nele, e com certeza ele agirá.
6 Fará brilhar tua inocência como a luz, *
e o teu direito, como o sol do meio-dia.

7 Repousa no Senhor e espera nele! *
Não cobices a fortuna desonesta,
– nem invejes quem vai bem na sua vida *
mas oprime os pequeninos e os humildes.

8 Acalma a ira e depõe o teu furor! *
Não te irrites, pois seria um mal a mais!
9 Porque serão exterminados os perversos, *
e os que esperam no Senhor terão a terra.

10 Mais um pouco e já os ímpios não existem; *
se procuras seu lugar, não o acharás.
11 Mas os mansos herdarão a nova terra, *
nela gozarão de imensa paz.

Ant. Confia ao Senhor o teu destino;
confia nele e com certeza ele agi.

Ant. 2 Afasta-te do mal e faze o bem,
pois a força do homem justo é o Senhor.

II

12 O pecador arma ciladas contra o justo *
e, ameaçando, range os dentes contra ele;
13 mas o Senhor zomba do ímpio e ri-se dele, *
porque sabe que o seu dia vai chegar.

14 Os ímpios já retesam os seus arcos *
tiram sua espada da bainha,
– para abater os infelizes e os pequenos *
e matar os que estão no bom caminho;
15 mas sua espada há de ferir seus corações, *
e os seus arcos hão de ser despedaçados.

16 Os poucos bens do homem justo valem mais *
do que a fortuna fabulosa dos iníquos.
17 Pois os braços dos malvados vão quebrar-se, *
mas aos justos é o Senhor que os sustenta.

18 O Senhor cuida da vida dos honestos, *
e sua herança permanece eternamente.
19 Não serão envergonhados nos maus dias, *
mas nos tempos de penúria, saciados.

20 Mas os ímpios com certeza morrerão, *
perecerão os inimigos do Senhor;
– como as flores das campinas secarão, *
e sumirão como a fumaça pelos ares.

21 O ímpio pede emprestado e não devolve, *
mas o justo é generoso e dá esmola.
22 Os que Deus abençoar, terão a terra; *
os que amaldiçoar, se perderão.

23 É o Senhor quem firma os passos dos mortais *
e dirige o caminhar dos que lhe agradam;
24 mesmo se caem, não irão ficar prostrados, *
pois é o Senhor quem os sustenta pela mão.

=25 Já fui jovem e sou hoje um ancião, †
mas nunca vi um homem justo abandonado, *
nem seus filhos mendigando o próprio pão.
26 Pode sempre emprestar e ter piedade; *
seus descendentes hão de ser abençoados.

27 Afasta-te do mal e faze o bem, *
e terás tua morada para sempre.
28 Porque o Senhor Deus ama a justiça, *
e jamais ele abandona os seus amigos.

– Os malfeitores hão de ser exterminados, *
e a descendência dos malvados destruída;
29 mas os justos herdarão a nova terra *
nela habitarão eternamente.

Ant. Afasta-te do mal e faze o bem,
pois a força do homem justo é o Senhor.

Ant. 3 Confia em Deus e segue sempre seus caminhos!

III

30 O justo tem nos bios o que é bio, *
sua língua tem palavras de justiça;
31 traz a Aliança do seu Deus no coração, *
e seus passos não vacilam no caminho.

32 O ímpio fica à espreita do homem justo, *
estudando de que modo o matará;
33 mas o Senhor não o entrega em suas mãos, *
nem o condena quando vai a julgamento.

34 Confia em Deus e segue sempre seus caminhos; *
ele have de te exaltar e engrandecer;
– possuirás a nova terra por herança, *
e assistirás à perdição dos malfeitores.

35 Eu vi o ímpio levantar-se com soberba, *
elevar-se como um cedro exuberante;
36 depois passei por lá e já não era, *
procurei o seu lugar e não o achei.

37 Observa bem o homem justo e o honesto: *
quem ama a paz terá bendita descendência.
38 Mas os ímpios serão todos destruídos, *
e a sua descendência exterminada.

39 A salvação dos piedosos vem de Deus; *
ele os protege nos momentos de aflição.
=40 O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, †
defende-os e protege-os contra os ímpios, *
e os guarda porque nele confiaram.

Ant. Confia em Deus e segue sempre seus caminhos!

V. Dai-me bom senso, retidão, sabedoria,
R. Pois tenho  nos vossos santos mandamentos.

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Amós             7,1-17

Visões de ruínas

1 O Senhor mostrou-me esta visão: Eram formações de gafanhotos, que surgiam na época em que começam a brotar as plantações tardias – naquelas que nascem, depois da ceifa dos cereais, para uso do rei. 2Aconteceu que, quando a praga acabou de comer a erva da terra, eu disse: “Senhor Deus, peço-vos sejais bondoso; como poderá Jacó resistir? Ele é tão fraco!” 3O Senhor compadeceu-se. “Isso não acontecerá”, disse o Senhor Deus.

4 O Senhor mostrou-me esta visão: O Senhor Deus ameaçava fazer justiça pelo fogo, um fogo, que devorou o grande abismo e consumiu o campo. 5E eu disse: “Senhor Deus, acalmai-vos, eu vos rogo; como poderá Jacó resistir? Ele é tão débil”! 6O Senhor compadeceu-se. “Isto também não acontecerá”, diz o Senhor Deus.

7 O Senhor Deus mostrou-me outra visão: era um homem de pé, junto ao muro rebocado, tendo na mão uma colher de pedreiro. 8Disse-me o Senhor: “Que estás vendo, Amós?” Respondi: “Uma colher de pedreiro”. Disse o Senhor: “Pois eu vou pôr uma colher de pedreiro no meio do meu povo Israel; não lhe darei mais prazo para o perdão. 9As colinas de Isaac serão devastadas e os santuários de Israel, demolidos; e atacarei com a espada a casa de Jeroboão”.

10 Então Amasias, sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel: “Amós conspira contra ti, dentro da própria casa de Israel; o país não consegue evitar que se espalhem todas as suas palavras. 11Ele anda dizendo: ‘Jeroboão morrerá pela espada, e Israel será deportado de sua pátria, como escravo’”. 12Disse depois Amasias a Amós: “Vidente, sai e procura refúgio em Judá, onde possas ganhar teu pão e exercer a profecia; 13mas em Betel não deverás insistir em profetizar, porque aí fica o santuário do rei e a corte do reino.” 14Respondeu Amós a Amasias, dizendo:

“Não sou profeta

nem sou filho de profeta;

sou pastor de gado e cultivo sicômoros.

15 O Senhor chamou-me,

quando eu tangia o rebanho,

e o Senhor me disse:

‘Vai profetizar para Israel, meu povo’.

16 E agora ouve a palavra do Senhor. Tu dizes: ‘Não profetizes contra Israel e não insinues palavras contra a casa de Isaac’. 

17 Pois bem, isto diz o Senhor: ‘Tua mulher se prostituirá na cidade, teus filhos e filhas morrerão pela espada, tuas terras serão tomadas e loteadas; tu mesmo morrerás em terra poluída, e Israel será levado em cativeiro para longe de seu país’”.

Responsório                 Am 3,7.8b; 7,15

R. Nada faz o Senhor Deus, sem revelar os seus segredos
aos profetas, os seus servos.
* Falou o Senhor Deus; quem não profetizará?
V. Ao seguir o meu rebanho tomou-me o Senhor,
e falou-me nestes termos:
Vai tu e profetiza a meu povo Israel.* Falou.

Segunda leitura

Da chamada Carta de Barnabé

 (Cap.5,1-8;6,11-16: Funk 1,13-15.19-21)                  (Séc. II)

A nova criação

O Senhor aceitou entregar seu corpo à destruição para sermos santificados pela remissão dos pecados que nos vem da aspersão de seu sangue. Sobre ele foi escrito tanto para Israel como para nós: Foi ferido por causa de nossas iniquidades e atribulado por nossos pecados; por suas chagas fomos curados. Igual à ovelha, conduzido ao matadouro e como cordeiro diante do tosquiador (cf. Is 53,5-7). Quantas e quão grandes graças devemos dar ao Senhor que nos mostrou as coisas passadas, ensinou-nos as presentes e não pôs fora de nosso entendimento as futuras. Diz a Escritura: Não se armam injustamente redes contra as aves (cf. Pr 1,17). Quer dizer, perecerá, com justiça, o homem que possui o conhecimento do caminho da justiça e se volta para o caminho das trevas.

E ainda há mais, meus irmãos: se o Senhor aceitou padecer por nossa vida, apesar de ser o Senhor do mundo inteiro, ele a quem disse Deus na criação do mundo: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança (Gn 1,26), como suportou o sofrimento por mão de homem? Aprendei. Os profetas, por sua graça, sobre ele profetizaram; ser-lhe-ia preciso aparecer na carne para destruir a morte e manifestar a ressurreição dos mortos. Ele tudo suportou para cumprir a promessa feita aos pais e preparar para si um povo novo enquanto estava na terra, e revelar-se, depois da ressurreição, como o Juiz. Assim também ensinava, fazendo tão grandes prodígios e milagres,a Israel que não o confessava nem amava.

Quando, pois, nos renovou pela remissão dos pecados, fez com que tivéssemos nova forma, uma alma como de meninos, como se nos tivesse criado de novo. A Escritura diz a nosso respeito, como fala o Pai ao Filho: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança e domine os animais da terra, as aves do céu e os peixes do mar (cf. Gn 1,26). E o Senhor, vendo a beleza de nossa forma, disse: Crescei e multiplicai-vos e enchei a terra (Gn 1,28). Tudo isto disse o Pai ao Filho.

Mas vou mostrar-te de novo, como fala a nós. Realizou a segunda criação nos últimos tempos. Pois disse o Senhor: Eis que faço as últimas como as primeiras (cf. Ap 2,19). Contemplando-o, declara o profeta: Entrai na terra onde correm o leite e o mel e dominai-a (cf. Ex 33,3).

Assim fomos nós formados de novo, como também outro profeta fala: Eis, diz o Senhor, arrancarei deles, isto é, daqueles que o Espírito do Senhor antevia, os corações de pedra e porei corações de carne (Ez 11,19). Ele quis aparecer na carne e habitar entre nós. Templo santo para o Senhor, meus irmãos, é a morada de nosso coração. E o Senhor reafirma: Louvar-te-ei na reunião de meus irmãos e cantarei a ti no meio da assembleia dos santos (cf. Sl 21,23).

Na verdade somos nós, aqueles que ele introduziu na terra boa.

Responsório                 At 3,25; Gl 3,8a

R. Sois filhos dos profetas e filhos da Aliança,
que Deus, nos tempos idos, firmou com nossos pais,
quando disse a Abraão:
* Na tua descendência serão abençoadas
as nações de toda a terra.
V. Prevendo a Escritura, que aos gentios Deus iria
pela fé justificar, anunciou, de antemão,
a Boa-nova a Abraão. * Na tua.

Oração

Manifestai, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa criação, e conservando-a renovada. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *