Ofício das Leituras de Sábado da Primeira Semana do Tempo Comum

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Um Deus em três pessoas,
o mundo governais:
dos homens que criastes
as faltas perdoais.

Ouvi, pois, nosso canto
e o pranto que vertemos:
de coração sem mancha,
melhor vos contemplemos.

Por vosso amor tenhamos
a alma iluminada,
e alegres aguardemos,
Senhor, vossa chegada.

Rompendo agora a noite,
do sono despertados,
com os bens da pátria eterna
sejamos cumulados!

A glória seja ao Pai,
ao Filho seu também;
ao Espírito igualmente,
agora e sempre. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Autor da glória eterna,
que ao povo santo dais
a graça septiforme
do Espírito, escutai:

Tirai ao corpo e à mente
do mal as opressões;
cortai os maus instintos,
curai os corações.

Tornai as mentes calmas,
as obras completai,
ouvi do orante as preces,
a vida eterna dai.

Do tempo, em sete dias,
o curso conduzis.
No dia oitavo e último
vireis como juiz.

E nele, ó Redentor,
da ira nos poupai,
tirai-nos da esquerda,
à destra nos guardai.

Ouvi a prece humilde
do povo reverente,
e a vós daremos glória,
Deus Trino, eternamente.

Salmodia

Ant. 1 Quem se tornar pequenino como uma criança,
há de ser o maior no Reino dos céus.

Salmo 130(131)

Confiança filial e repouso em Deus

Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração (Mt 11,29)

1 Senhor, meu coração não é orgulhoso, *
nem se eleva arrogante o meu olhar;
– não ando à procura de grandezas, *
nem tenho pretensões ambiciosas!

2 Fiz calar e sossegar a minha alma; *
ela es em grande paz dentro de mim,
– como a criança bem tranqüila, amamentada *
no regaço acolhedor de sua mãe.

3 Confia no Senhor, ó Israel, *
desde agora e por toda a eternidade!

Ant. Quem se tornar pequenino como uma criança,
há de ser o maior no Reino dos céus.

Ant. 2 Na simplicidade do meu coração,
alegre, vos dei tudo aquilo que tenho.

Salmo 131(132)

As promessas do Senhor à casa de Davi

O Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu Pai (Lc 1,32).

I

1 Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi *
e de quanto vos foi ele dedicado;
2 do juramento que ao Senhor havia feito *
e de seu voto ao Poderoso de Jacó:

3 “Não entrarei na minha tenda, minha casa, *
nem subirei à minha cama em que repouso,
4 não deixarei adormecerem os meus olhos, *
nem cochilarem em descanso minhas pálpebras,
5 até que eu ache um lugar para o Senhor, *
uma casa para o Forte de Jacó!”

6 Nós soubemos que a arca estava em Éfrata *
e nos campos de Iaar a encontramos:
7 Entremos no lugar em que ele habita, *
ante o escabelo de seus pés o adoremos!

8 Subi, Senhor, para o lugar de vosso pouso, *
subi vós, com vossa arca poderosa!
9 Que se vistam de alegria os vossos santos, *
e os vossos sacerdotes, de justiça!
10 Por causa de Davi, o vosso servo, *
não afasteis do vosso Ungido a vossa face!

Ant. Na simplicidade do meu coração,
alegre, vos dei tudo aquilo que tenho.

Ant. 3 O Senhor fez a Davi um juramento,
e seu reino permanece para sempre.

II

11 O Senhor fez a Davi um juramento, *
uma promessa que jamais renegará:
– “Um herdeiro que é fruto do teu ventre *
colocarei sobre o trono em teu lugar!

12 Se teus filhos conservarem minha Aliança *
e os preceitos que lhes dei a conhecer,
– os filhos deles igualmente hão de sentar-se *
eternamente sobre o trono que te dei!”

13 Pois o Senhor quis para si Jerusalém *
e a desejou para que fosse sua morada:
14 “Eis o lugar do meu repouso para sempre, *
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

15 “Abençoarei suas colheitas largamente, *
e os seus pobres com o pão saciarei!
16 Vestirei de salvação seus sacerdotes, *
e de alegria exultarão os seus fiéis!”

17 “De Davi farei brotar um forte Herdeiro, *
acenderei ao meu Ungido uma lâmpada.
18 Cobrirei de confusão seus inimigos, *
mas sobre ele brilhará minha coroa!”

Ant. O Senhor fez a Davi um juramento,
e seu reino permanece para sempre.

V. Vinde ver, contemplai os progios de Deus,
R. E a obra estupenda que fez no universo.

Primeira leitura

Do Livro do Eclesiástico             44,1b-2.16−45,6

Elogio dos patriarcas: de Henoc a Moisés

4,1b Vamos fazer o elogio dos homens famosos,
nossos antepassados através das gerações.
2O Senhor criou uma imensa glória
e mostrou sua grandeza desde os tempos antigos.
16Henoc agradou a Deus e foi arrebatado ao paraíso,
para levar a conversão às nações.
17Noé foi reconhecido como o perfeito justo,
no tempo da cólera,
tornou-se o assegurador da reconciliação;
18graças a ele ficou um resto na terra,
 quando houve o dilúvio.
19Nele foram estabelecidas alianças eternas,
para que ninguém mais fosse aniquilado pelo dilúvio.
20Abraão, grande pai de uma multidão de nações,
não teve mácula em sua glória.
Ele observou a lei do Altíssimo
e fez uma aliança com ele.
21Estabeleceu esta aliança na sua carne
e foi reconhecido fiel na prova.
22Por isso, com juramento Deus lhe prometeu
abençoar todas as nações em sua descendência,
multiplicá-la como o pó da terra
23e exaltar sua posteridade como as estrelas,
dar-lhe em herança o país,
de um mar a outro,
desde o Rio até às extremidades da terra.
24Também a Isaac renovou o juramento,
por causa de Abraão, seu pai.
25O Senhor renovou-lhe a bênção de todos os homens,
fez repousar a aliança sobre a cabeça de Jacó.
26Confirmou-o com suas bênçãos
e deu-lhe o país em herança;
dividiu-o em partes
e o distribuiu entre as doze tribos.
27Fez sair dele um homem de misericórdia
que encontrou favor aos olhos de todos.
45,1 Moisés, amado por Deus e pelos homens,
cuja memória é uma bênção,
2Deus o fez semelhante aos santos em glória
e tornou-o poderoso para o terror dos inimigos.
Pela palavra de Moisés fez cessar prodígios
3e glorificou-o em presença dos reis;
deu-lhe mandamentos para o seu povo
e fez-lhe ver a sua glória.
4Por sua fidelidade e humildade ele o santificou,
 escolheu-o entre todos os viventes;
5fez-lhe ouvir a sua voz
e introduziu-o na nuvem;
6deu-lhe, face a face, os mandamentos,
uma lei de vida e de inteligência,
para ensinar a Jacó suas prescrições
e seus decretos a Israel.

Responsório             Cf. Dt 6,3a; 7,9; 6,5

R. Israel, ouve e presta atenção,
e obedece ao que ordena o Senhor.
* Saberás que é ele o Deus forte,
Deus fiel que mantém a Aliança
e o amor para aqueles que o amam.
V. Amarás o Senhor, o teu Deus, de todo o teu coração,
de todo o teu entendimento
e com todas as forças da alma. * Saberás.

Segunda leitura

Da Carta aos Coríntios, de São Clemente I, papa

(Nn.31-3: Funk 1,99-103)                (Séc.I)

Desde o início, Deus a todos justificou pela fé

Com decisão firmemo-nos na bênção de Deus e procuremos ver quais os caminhos desta bênção. Com toda a atenção repassemos no espírito aquilo que desde o início se fez. Por que motivo foi abençoado nosso pai Abraão? Não foi por ter realizado a justiça e a verdade pela fé? Isaac, cheio de confiança, embora soubesse o que ia acontecer, de bom grado deixou-se oferecer em sacrifício. Jacó, com humildade, afastou-se de sua terra, por causa do irmão, e partiu para junto de Labão a quem serviu. Por isso lhe foram dados os doze cetros de Israel.

Se alguém considerar honestamente, um a um, os dons concedidos através de Abraão, entenderá a sua grandeza. Porque dele vêm todos os sacerdotes e levitas que servem ao altar de Deus; dele, segundo a carne, veio o Senhor Jesus; dele vieram os reis, príncipes e chefes de cada família de Judá. Isto sem que as outras tribos tenham menor honra, pois o Senhor prometeu a Abraão: A tua posteridade será numerosa como as estrelas do céu. Todos esses alcançaram glória e majestade, não por obras ou ações justas que tenham praticado, mas por vontade do Senhor. Por isso, também nós, chamados por esta vontade, no Cristo Jesus, não nos justificamos a nós mesmos por causa de nossa sabedoria, ou inteligência, ou piedade, ou ações que tenhamos feito pela santidade do coração, mas apenas pela fé, pela qual Deus onipotente a todos justificou desde o início. A ele a glória pelos séculos dos séculos. Amém.

Que faremos então, irmãos? Vamos deixar de lado as boas obras e largar a caridade? De jeito nenhum! Que o Senhor não o permita! Mas com zelo e alegre coragem apressemo-nos em realizar tudo o que é bom. Pois o Realizador e Senhor de tudo se alegra com suas obras. Por seu altíssimo e imenso poder estendeu os céus e com incompreensível sabedoria os adornou. Separou a terra das águas que a rodeavam, e, sobre o imóvel fundamento de sua vontade, a firmou. Por sua ordem, os animais que a recobrem começaram a existir. Também, tendo criado o mar e tudo o que nele vive, abraça-os com seu poder.

Acima de tudo, suas puras e santas mãos formaram a criatura por excelência, dotada de inteligência: o homem, selo de sua imagem. Pois assim falou Deus: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança; e Deus criou o homem, homem e mulher os criou. Terminadas todas essas obras, louvou-as e as abençoou, dizendo: Crescei e multiplicai-vos. Reparemos que todos os justos, se adornaram de boas obras, e o próprio Senhor, adornando-se, alegrou-se com a beleza de sua criação. Diante, pois, de tal modelo, caminhemos atentos à sua vontade e façamos com todas as nossas forças a obra da justiça.

Responsório             Cf. Dn 9,4b; Rm 8,28

R. O Senhor é o Deus forte e fiel,
que guarda a Aliança e o amor
para todos aqueles que o amam
* E guardam, fiéis, seus preceitos.
V. Sabemos que tudo concorre
para o bem dos que amam a Deus. * E guardam.

Oração

Ó Deus, atendei como pai às preces do vosso povo; dai-nos a compreensão dos nossos deveres e a força de cumpri-los. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.