Ofício das Leituras de Sábado da 33ª Semana do Tempo Comum

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Um Deus em três pessoas,
o mundo governais:
dos homens que criastes
as faltas perdoais.

Ouvi, pois, nosso canto
e o pranto que vertemos:
de coração sem mancha,
melhor vos contemplemos.

Por vosso amor tenhamos
a alma iluminada,
e alegres aguardemos,
Senhor, vossa chegada.

Rompendo agora a noite,
do sono despertados,
com os bens da pátria eterna
sejamos cumulados!

A glória seja ao Pai,
ao Filho seu também;
ao Espírito igualmente,
agora e sempre. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Autor da glória eterna,
que ao povo santo dais
a graça septiforme
do Espírito, escutai:

Tirai ao corpo e à mente
do mal as opressões;
cortai os maus instintos,
curai os corações.

Tornai as mentes calmas,
as obras completai,
ouvi do orante as preces,
a vida eterna dai.

Do tempo, em sete dias,
o curso conduzis.
No dia oitavo e último
vireis como juiz.

E nele, ó Redentor,
da ira nos poupai,
tirai-nos da esquerda,
à destra nos guardai.

Ouvi a prece humilde
do povo reverente,
e a vós daremos glória,
Deus Trino, eternamente.

Salmodia

Ant. 1 Quem se tornar pequenino como uma criança,
há de ser o maior no Reino dos céus.

Salmo 130(131)

Confiança filial e repouso em Deus

Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração (Mt 11,29)

1 Senhor, meu coração não é orgulhoso, *
nem se eleva arrogante o meu olhar;
– não ando à procura de grandezas, *
nem tenho pretensões ambiciosas!

2 Fiz calar e sossegar a minha alma; *
ela es em grande paz dentro de mim,
– como a criança bem tranqüila, amamentada *
no regaço acolhedor de sua mãe.

3 Confia no Senhor, ó Israel, *
desde agora e por toda a eternidade!

Ant. Quem se tornar pequenino como uma criança,
há de ser o maior no Reino dos céus.

Ant. 2 Na simplicidade do meu coração,
alegre, vos dei tudo aquilo que tenho.

Salmo 131(132)

As promessas do Senhor à casa de Davi

O Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu Pai (Lc 1,32).

I

1 Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi *
e de quanto vos foi ele dedicado;
2 do juramento que ao Senhor havia feito *
e de seu voto ao Poderoso de Jacó:

3 “Não entrarei na minha tenda, minha casa, *
nem subirei à minha cama em que repouso,
4 não deixarei adormecerem os meus olhos, *
nem cochilarem em descanso minhas pálpebras,
5 até que eu ache um lugar para o Senhor, *
uma casa para o Forte de Jacó!”

6 Nós soubemos que a arca estava em Éfrata *
e nos campos de Iaar a encontramos:
7 Entremos no lugar em que ele habita, *
ante o escabelo de seus pés o adoremos!

8 Subi, Senhor, para o lugar de vosso pouso, *
subi vós, com vossa arca poderosa!
9 Que se vistam de alegria os vossos santos, *
e os vossos sacerdotes, de justiça!
10 Por causa de Davi, o vosso servo, *
não afasteis do vosso Ungido a vossa face!

Ant. Na simplicidade do meu coração,
alegre, vos dei tudo aquilo que tenho.

Ant. 3 O Senhor fez a Davi um juramento,
e seu reino permanece para sempre.

II

11 O Senhor fez a Davi um juramento, *
uma promessa que jamais renegará:
– “Um herdeiro que é fruto do teu ventre *
colocarei sobre o trono em teu lugar!

12 Se teus filhos conservarem minha Aliança *
e os preceitos que lhes dei a conhecer,
– os filhos deles igualmente hão de sentar-se *
eternamente sobre o trono que te dei!”

13 Pois o Senhor quis para si Jerusalém *
e a desejou para que fosse sua morada:
14 “Eis o lugar do meu repouso para sempre, *
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

15 “Abençoarei suas colheitas largamente, *
e os seus pobres com o pão saciarei!
16 Vestirei de salvação seus sacerdotes, *
e de alegria exultarão os seus fiéis!”

17 “De Davi farei brotar um forte Herdeiro, *
acenderei ao meu Ungido uma lâmpada.
18 Cobrirei de confusão seus inimigos, *
mas sobre ele brilhará minha coroa!”

Ant. O Senhor fez a Davi um juramento,
e seu reino permanece para sempre.

V. Vinde ver, contemplai os progios de Deus,

R. E a obra estupenda que fez no universo.

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Zacarias             14,1-21

Tribulação e glória de Jerusalém nos últimos tempos

Assim fala o Senhor: 1“Eis que o dia do Senhor está chegando, teus despojos serão divididos em teu próprio recinto; 2reunirei todas as nações para o combate em Jerusalém, e então a cidade será tomada, as casas serão destruídas e as mulheres, violadas: metade da cidade irá para o cativeiro, mas o resto do povo não será expulso dela. 3Então sairá o Senhor a combater contra aquelas nações, como já combateu no tempo da guerra. 4Seus pés se firmarão, naquele dia, sobre o Monte das Oliveiras, situado ao nascente de Jerusalém; o Monte das Oliveiras será rachado ao meio, em duas partes, ao nascente e ao poente, formando enormes escarpas; metade do monte se afastará para o Norte e metade, para o Sul. 5Fugireis para os vales entre os montes, porque esse vale se estende até Iasol; fugireis, como fugistes do terremoto, no reinado de Ozias, rei de Judá; virá o Senhor, meu Deus, e todos os santos com ele.

Acontecerá, naquele dia, que não haverá luz,mas sim frio e gelo; 7será um só dia contínuo, só conhecido do Senhor, sem divisão de dia e noite; ao cair da tarde, haverá luz. 8Acontecerá, naquele dia, que brotarão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental e metade para o mar ocidental: correrão no verão e no inverno. 9O Senhor reinará sobre a terra inteira: naquele dia, haverá um só Senhor, o seu nome será único. 10Todo o país voltará à faixa do deserto, desde Gaba até Remon, ao sul de Jerusalém, que será exaltada e repovoada em seu território, desde a Porta de Benjamin até ao lugar da Porta Velha, até à Porta dos Ângulos; e desde a Torre de Hananeel até aos Lagares do Rei. 11Ali habitarão, e não haverá mais nenhuma contrariedade, mas Jerusalém será habitada em condições de segurança.

12 O Senhor fará cair sobre todos os povos, que atacaram Jerusalém, um flagelo, a saber, cada um terá seu corpo apodrecido, ainda em vida; apodrecidos os olhos dentro das órbitas; apodrecida a língua na boca. 13Naquele dia, o Senhor fará surgir uma grande confusão entre eles, que se agredirão e se ferirão uns aos outros. 14Mas o próprio Judá lutará em Jerusalém; as riquezas de todas as nações vizinhas lhes serão arrebatadas, ouro, prata e roupas em quantidade. 15Flagelo semelhante àquele sofrerão os cavalos, mulas, camelos, asnos e animais de carga que se encontrarem nos acampamentos.

16 Os sobreviventes de todas as nações que atacaram Jerusalém virão a ela, todos os anos, para adorar o Rei, Senhor dos exércitos, e celebrar a festa dos Tabernáculos. 17Se alguma dessas nações da terra não for a Jerusalém para adorar o Rei, Senhor dos exércitos, não mais cairá sobre ela a chuva. 18Mas, se o povo do Egito não se mexer para ir até lá, cairá sobre ele um outro flagelo, que o Senhor se reserva lançar sobre os povos, que se recusam a celebrar a festa dos Tabernáculos. 19Tal será o castigo do Egito e o castigo de todos os povos que não forem celebrar a solenidade dos Tabernáculos. 20Naquele dia, colocarão nas campainhas dos cavalos: ‘Reservado para o Senhor’; e as bacias, na casa do Senhor, ficarão repletas, como taças diante do altar. 21Todo recipiente, em Jerusalém e em Judá, será reservado ao serviço do Senhor dos exércitos”.

 Responsório             Zc 14,8a; 13,1; Jo 19,34

R. Naquele dia há de jorrar uma fonte de água viva
para a casa de Davi e os habitantes de Sião
* Para lavar o pecador.
V. Um soldado abriu o lado de Jesus com uma lança
e logo saiu sangue e água juntamente. * Para lavar.

Segunda leitura

Das Conferências de Santo Tomás de Aquino, presbítero

(Col. super Credo in Deum: Opuscula theologica 2, Taurini 1954, pp. 216-217)             (Séc.XIII)

Serei saciado quando aparecer a vossa glória

Com muita propriedade se põe a consumação de todos os nossos desejos, a vida eterna, no final do Símbolo dado aos fiéis, dizendo: “Na vida eterna. Amém”. 

Em primeiro lugar, a vida eterna une-nos a Deus. Pois Deus mesmo é o prêmio e a consumação de nossos esforços todos: Eu sou teu protetor e tua imensa recompensa (Gn 15,1). Esta união consiste na visão perfeita: Vemos agora como por espelho, em enigma; depois, face a face (1Cor 13,12).

Comporta ainda o máximo louvor, segundo o Profeta: Gozo e alegria nela haverá, ação de graças e voz de louvor (Is 51,3).

E também a perfeita satisfação do desejo, porque lá cada bem-aventurado terá muito além do desejado e esperado. A razão está em que, nesta vida, ninguém pode contentar perfeitamente seu desejo, e criatura alguma sacia o anseio do homem; só Deus o sacia e o excede infinitamente. Por isto, o ser humano não descansa senão em Deus. Santo Agostinho disse: “Tu, Senhor, nos fizeste para ti e inquieto está nosso coração enquanto não repousa em ti”.

Já que, na pátria, os santos possuirão a Deus perfeitamente, é evidente que seu desejo será saciado e ainda a glória o excederá. Assim diz o Senhor: Entra no gozo de teu Senhor (Mt 25,21). Agostinho diz por sua vez: “O gozo inteiro não entrará nos que se alegram, mas os que se alegram entrarão inteiros nesse gozo. Sereis saciados quando aparecer tua glória”; e outra vez: “Quem cumula de bens teu desejo”.

Quanto há de delicioso, tudo ali está com superabundância. Se procuramos delícias, lá haverá o máximo e perfeitíssimo prazer, porque brotando do sumo bem, de Deus: Delícias a tua destra para sempre (Sl 15,11).

Consiste ainda na suave companhia de todos os santos; sociedade agradável a mais não poder, porque cada um terá, em companhia de todos os bem-aventurados, todos os bens. Um amará o outro como a si mesmo, então se alegrará com o bem do outro como se fosse próprio. O que terá por resultado que crescerá a alegria e o gáudio de um, na medida do gáudio de todos.

Responsório             Sl 16(17),15; 1Cor 13,12b

R. Eu verei, justificado, a vossa face
* E ao despertar me saciará vossa presença.
V. Agora, eu conheço de modo imperfeito,
mas lá conhecerei como também sou conhecido.
* E ao despertar.

Oração

Senhor nosso Deus, fazei que a nossa alegria consista em vos servir de todo o coração, pois só teremos felicidade completa, servindo a vós, criador de todas as coisas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. 

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *