Ofício das Leituras de Sábado da 28ª Semana do Tempo Comum

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Luz eterna, luz potente,
dia cheio de esplendor,
vencedor da noite escura
e da luz restaurador,
luz que, as trevas destruindo,
enche as mentes de fulgor.

Ao nascerdes, nos chamais,
e acordamos pressurosos;
sem vós, somos miseráveis,
mas convosco, venturosos
e, por vós da morte livres,
nos tornamos luminosos.

Sobre a morte e sobre a noite
por vós somos vencedores.
Dai-nos, Rei, a vossa luz,
luz de esplêndidos fulgores.
Desta luz nem mesmo a noite
escurece os esplendores.

Honra seja ao Pai, a vós
e ao Espírito também,
Una e Trina Divindade,
paz e vida, luz e bem,
nome doce mais que todos,
Deus agora e sempre. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Deus que não tendes princípio,
Deus procedente do Pai,
Deus, que dos dois sois o Amor,
vinde até nós, nos salvai!

Vós sois o nosso desejo,
sede amor e alegria;
vai para vós nosso anseio,
a vossa luz nos recria.

Com o Nascido da Virgem,
ó Pai, de todos Senhor,
regei dos seres o íntimo
por vosso Espírito de amor.

Lembrai-vos, Santa Trindade,
do amor com que nos amastes:
Criando o homem primeiro,
de novo em sangue o criastes.

O que o Deus uno criou,
Cristo na cruz redimiu.
Tendo por nós padecido,
guarde os que em sangue remiu.

A vós, ó Santa Trindade,
paz e alegria convêm,
poder, império e beleza,
honra e louvores. Amém.

Salmodia

Ant. 1 O Senhor convocou o céu e a terra,
para fazer o julgamento do seu povo.

Salmo 49(50)

O culto que agrada a Deus

Não vim revogar a Lei, mas consumar (cf. Mt 5,17).

I

1 Falou o Senhor Deus, chamou a terra, *
do sol nascente ao sol poente a convocou.
2 De Sião, beleza plena, Deus refulge, *
3 vem a nós o nosso Deus e não se cala.

– À sua frente vem um fogo abrasador, *
ao seu redor, a tempestade violenta.
4 Ele convoca céu e terra ao julgamento, *
para fazer o julgamento do seu povo:

5 “Reuni à minha frente os meus eleitos, *
que selaram a Aliança em sacrifícios!”
6 Testemunha o próprio céu seu julgamento, *
porque Deus mesmo é juiz e vai julgar.

Ant. O Senhor convocou o céu e a terra,
para fazer o julgamento do seu povo.

Ant. 2 Invoca-me no dia da angústia,
e então haverei de te livrar.

II

=7 “Escuta, ó meu povo, eu vou falar; †
ouve, Israel, eu testemunho contra ti: *
Eu, o Senhor, somente eu, sou o teu Deus!

8 Eu não venho censurar teus sacrifícios, *
pois sempre estão perante mim teus holocaustos;
9 não preciso dos novilhos de tua casa *
nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos. –

10 Porque as feras da floresta me pertencem *
e os animais que estão nos montes aos milhares.
11 Conheço os pássaros que voam pelos céus *
e os seres vivos que se movem pelos campos.

12 Não te diria, se com fome eu estivesse, *
porque é meu o universo e todo ser.
13 Porventura comerei carne de touros? *
Beberei, acaso, o sangue de carneiros?

14 Imola a Deus um sacrifício de louvor *
e cumpre os votos que fizeste ao Altíssimo.
15 Invoca-me no dia da angústia, *
e então te livrarei e hás de louvar-me”.

Ant. Invoca-me no dia da angústia,
e então haverei de te livrar.

Ant. 3 O sacricio de louvor é que me honra.

III

=16 Mas ao ímpio é assim que Deus pergunta: †
“Como ousas repetir os meus preceitos *
e trazer minha Aliança em tua boca?

17 Tu que odiaste minhas leis e meus conselhos *
e deste as costas às palavras dos meus lábios!
18 Quando vias um ladrão, tu o seguias *
e te juntavas ao convívio dos adúlteros.

19 Tua boca se abriu para a maldade *
e tua língua maquinava a falsidade.
20 Assentado, difamavas teu irmão, *
e ao filho de tua mãe injuriavas.

21 Diante disso que fizeste, eu calarei? *
Acaso pensas que eu sou igual a ti?
– É disso que te acuso e repreendo *
e manifesto essas coisas aos teus olhos.

=22 Entendei isto, todos vós que esqueceis Deus, †
para que eu não arrebate a vossa vida, *
sem que haja mais ninguém para salvar-vos!

23 Quem me oferece um sacrifício de louvor, *
este sim é que me honra de verdade.
– A todo homem que procede retamente, *
eu mostrarei a salvação que vem de Deus”.

Ant. O sacricio de louvor é que me honra.

V. Não cessamos de orar e interceder por vós, irmãos,
R. Para que possais chegar ao mais pleno conhecer da vontade do Senhor.

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Malaquias             3,1-24

O dia do Senhor

Assim fala o Senhor Deus: 1“Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu templo o Dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais. Ei-lo que vem, diz o Senhor dos exércitos; 2e quem poderá fazer-lhe frente, no dia de sua chegada? E quem poderá resistir-lhe, quando ele aparecer? Ele é como o fogo da forja e como a barrela dos lavadeiros; 3e estará a postos, como para fazer derreter e purificar a prata: assim ele purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata, e eles poderão assim fazer oferendas justas ao Senhor. 4Será então aceitável ao Senhor a oblação de Judá e de Jerusalém, como nos primeiros tempos e nos anos antigos. 5Eu me aproximarei de vós para julgar; serei testemunha contra os praticantes de magia, os adúlteros, os perjuros, os que oprimem trabalhadores, viúvas e órfãos, os que exploram forasteiros, e os que não me têm temor, diz o Senhor dos exércitos.

6Pois eu sou o Senhor e não mudei;
mas vós, filhos de Jacó, ainda não chegastes ao fim.
7 Desde o tempo de vossos pais,
vos tendes afastado de meus preceitos e leis,
não os observastes.
Voltai a mim
e eu voltarei a vós,
diz o Senhor dos exércitos.
E dizeis: ‘Como voltaremos?’
8 Acaso pode o homem enganar a Deus?
Mas vós me enganastes.
Dizeis: ‘Em que te enganamos?’
No pagamento dos dízimos e das primícias.
9 Estais sob o golpe da minha maldição,
porque me enganastes, vós todos.
10 Levai todo o dízimo ao celeiro
para que haja alimento em minha casa;
procurai pôr-me à prova, diz o Senhor dos exércitos,
para ver se eu não abrirei sobre vós as portas da chuva
e não derramarei sobre vós as bênçãos da abundância;
11 por vós, afugentarei os animais daninhos,
e eles não estragarão os frutos da terra,
nem haverá vinhas estéreis em vosso campo,
diz o Senhor dos exércitos.
12 Todas as nações vos proclamarão felizes,
porque sereis uma terra de delícias,
disse o Senhor dos exércitos.
13 Vossas palavras são duras contra mim, diz o Senhor, e ainda perguntais: 14‘Que dissemos contra ti?’ Vós estais dizendo: ‘É coisa inútil servir a Deus; que vantagem tivemos em observar seus preceitos e em levar uma vida severa na presença do Senhor dos exércitos? 15Portanto, hoje os felizardos são os soberbos, pois consolidaram-se, praticando o mal, e, mesmo provocando a Deus, estão impunes’. 16Vieram, entretanto, a falar uns com os outros, os tementes a Deus. O Senhor prestou atenção e ouviu-os; em sua presença foi escrito um livro de feitos notáveis, aberto aos que temem o Senhor e têm seu nome no pensamento. 17Serão para mimo tesouro, diz o Senhor dos exércitos, para o dia que eu me reservar; hei de favorecê-los, como o pai ao filho que o serve. 18De novo vereis a distância que há entre o justo e o ímpio, entre o que serve a Deus e o que não o serve.  

19 Eis que virá o dia, abrasador como fornalha, em que todos os soberbos e ímpios serão como palha; e esse dia vindouro haverá de queimá-los, diz o Senhor dos exércitos, tal que não lhes deixará raiz nem ramo. 20Para vós, que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo salvação em suas asas; saireis saltando como bezerros bem nutridos 21e pisareis os ímpios e os tereis sob a planta dos pés, quando forem reduzidos a cinza, no dia que estou preparando, diz o Senhor dos exércitos.

22 Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo,
a quem transmiti
no Horeb, para todo o Israel,
mandamentos e ordenações.
23 Eis que eu vos enviarei o profeta Elias,
antes que venha o dia do Senhor,
dia grande e terrível;
24 o coração dos pais há de voltar-se para os filhos,
e o coração dos filhos para seus pais,
para que eu não intervenha,
ferindo de maldição a vossa terra”.

Responsório Ml 3,1; Lc 1,76

R. Vou mandar meu mensageiro a fim de preparar
o caminho à minha frente.
* A seu templo há de vir o Senhor Dominador,
a quem vós procurais
e o anjo da Aliança, a quem vós desejais.
V. Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos.
* A seu templo.

Segunda leitura

Da Constituição Pastoral Gaudium et spes sobre a Igreja no mundo de hoje, do Concílio Vaticano II

(Nn.40.45)                    (Séc.XX)

Eu sou o alfa e o ômega, o primeiro e o último

A compenetração da cidade terrestre e da celeste, apenas a fé a pode perceber; e não só, permanece o mistério da história humana, perturbada pelo pecado, até à plena revelação da glória dos filhos de Deus.  

A Igreja, na verdade, está em busca de seu fim próprio, a salvação. E não apenas comunica ao homem a vida divina, mas irradia sua luz que, de certo modo, se reflete no mundo inteiro: principalmente por sanar e elevar a dignidade da pessoa humana, tornar mais sólida a coesão da sociedade e conferir uma significação mais profunda à cotidiana atividade dos homens. Desse modo, a Igreja, mediante cada membro seu e a comunidade toda inteira, julga poder contribuir muito para tornar a família dos homens e sua história mais humanas.  

Ao mesmo tempo que ajuda o mundo e dele muito recebe, a Igreja tem em mira uma só coisa, a vinda do reino de Deus e a salvação de todo o gênero humano. Porquanto todo bem, que o Povo de Deus em sua peregrinação terrestre pode prestar à humanidade, decorre do fato de ser a Igreja o sacramento da salvação universal, manifestando e realizando ao mesmo tempo o mistério do amor de Deus para com os homens.  

O Verbo de Deus, por quem tudo foi feito, fez-se carne, a fim de, homem perfeito, salvar a todos e tudo recapitular. O Senhor é o fim da história humana. O ponto para o qual convergem as aspirações da história e da civilização, o centro do gênero humano, júbilo de todos os corações e plenitude de seus desejos. Foi ele que o Pai ressuscitou dos mortos, exaltou e colocou à sua direita, constituindo-o juiz dos vivos e dos mortos. Vivificados e unidos no seu Espírito, peregrinamos em direção à consumação da história humana que coincidirá perfeitamente com o desígnio de seu amor: Reunir em Cristo tudo o que existe nos céus e na terra (Ef 1,10).  

O mesmo Senhor disse: Eis que venho logo e comigo a recompensa, para dar a cada um segundo suas obras. Eu sou o alfa e o ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim (Ap 22,12-13).

Responsório At 10,36; 4,12a; 10,42b

R. Deus mandou sua Palavra,
anunciando a sua paz por meio de Jesus;
* Que é de todos o Senhor; pois não existe sob o céu
outro nome entre os homens, pelo qual sejamos salvos.
V. Foi por Deus constituído Juiz dos vivos e dos mortos.
* Que é de todos.

Oração

Ó Deus, sempre nos preceda e acompanhe a vossa graça para que estejamos sempre atentos ao bem que devemos fazer. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Mesa Posta por Kétsia Araújo (@coloqueamornamesa) • Fotos e vídeos do Instagram
Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *