Ofício das Leituras de Sábado da 22ª Semana do Tempo Comum

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Luz eterna, luz potente,
dia cheio de esplendor,
vencedor da noite escura
e da luz restaurador,
luz que, as trevas destruindo,
enche as mentes de fulgor.

Ao nascerdes, nos chamais,
e acordamos pressurosos;
sem vós, somos miseráveis,
mas convosco, venturosos
e, por vós da morte livres,
nos tornamos luminosos.

Sobre a morte e sobre a noite
por vós somos vencedores.
Dai-nos, Rei, a vossa luz,
luz de esplêndidos fulgores.
Desta luz nem mesmo a noite
escurece os esplendores.

Honra seja ao Pai, a vós
e ao Espírito também,
Una e Trina Divindade,
paz e vida, luz e bem,
nome doce mais que todos,
Deus agora e sempre. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Deus que não tendes princípio,
Deus procedente do Pai,
Deus, que dos dois sois o Amor,
vinde até nós, nos salvai!

Vós sois o nosso desejo,
sede amor e alegria;
vai para vós nosso anseio,
a vossa luz nos recria.

Com o Nascido da Virgem,
ó Pai, de todos Senhor,
regei dos seres o íntimo
por vosso Espírito de amor.

Lembrai-vos, Santa Trindade,
do amor com que nos amastes:
Criando o homem primeiro,
de novo em sangue o criastes.

O que o Deus uno criou,
Cristo na cruz redimiu.
Tendo por nós padecido,
guarde os que em sangue remiu.

A vós, ó Santa Trindade,
paz e alegria convêm,
poder, império e beleza,
honra e louvores. Amém.

Salmodia

Ant. 1 O Senhor, somente ele é que fez grandes maravilhas:
porque eterno é seu amor.

Salmo 135(136)

Hino pascal pelas maravilhas
do Deus criador e libertador

Anunciar as maravilhas de Deus é louvá-lo (Cassiodoro).

I

1 Demos graças ao Senhor, porque ele é bom: *
Porque eterno é seu amor!
2 Demos graças ao Senhor, Deus dos deuses: *
Porque eterno é seu amor!
3 Demos graças ao Senhor dos senhores: *
Porque eterno é seu amor!

4 Somente ele é que fez grandes maravilhas: *
Porque eterno é seu amor!
5 Ele criou o firmamento com saber: *
Porque eterno é seu amor!
6 Estendeu a terra firme sobre as águas: *
Porque eterno é seu amor!

7 Ele criou os luminares mais brilhantes: *
Porque eterno é seu amor!
8 Criou o sol para o dia presidir: *
Porque eterno é seu amor!
9 Criou a lua e as estrelas para a noite: *
Porque eterno é seu amor!

Ant. O Senhor, somente ele é que fez grandes maravilhas:
porque eterno é seu amor.

Ant. 2 Tirou do meio deles Israel
com mão forte e com braço estendido.

II

10 Ele feriu os primonitos do Egito *
Porque eterno é seu amor!
11 E tirou do meio deles Israel: *
Porque eterno é seu amor!
12 Com mão forte e com braço estendido: *
Porque eterno é seu amor!

13 Ele cortou o mar Vermelho em duas partes: *
Porque eterno é o seu amor!
14 Fez passar no meio dele Israel: *
Porque eterno é o seu amor!
15 E afogou o Faraó com suas tropas: *
Porque eterno é seu amor!

Ant. Tirou do meio deles Israel
com mão forte e com braço estendido.

Ant. 3 Demos graças ao Senhor, o Deus dos céus,
pois ele nos salvou dos inimigos.

III

16 Ele guiou pelo deserto o seu povo: *
Porque eterno é seu amor!
17 E feriu por causa dele grandes reis: *
Porque eterno é seu amor!
18 Reis poderosos fez morrer por causa dele: *
Porque eterno é seu amor!

19 A Seon que fora rei dos amorreus: *
Porque eterno é seu amor!
20 E a Og, o soberano de Basã: *
Porque eterno é seu amor!

21 Repartiu a terra deles como herança: *
Porque eterno é seu amor!
22 Como herança a Israel, seu servidor: *
Porque eterno é seu amor!
23 De nós, seu povo, humilhado, recordou-se: *
Porque eterno é seu amor!

24 De nossos inimigos libertou-nos: *
Porque eterno é seu amor!
25 A todo ser vivente ele alimenta: *
Porque eterno é seu amor!
26 Demos graças ao Senhor, o Deus dos céus: *
Porque eterno é seu amor!

Ant. Demos graças ao Senhor, o Deus dos céus,
pois ele nos salvou dos inimigos.

V. Mostrai-nos, ó Senhor, vossos caminhos.

R. E fazei conhecer a vossa estrada!

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Jeremias             31,15-22.27-34

Anúncio da salvação e de nova aliança

15 Isto diz o Senhor:

“Ouviu-se uma voz em Ramá,

– voz de lamento, gemido e pranto –

de Raquel chorando seus filhos,

recusando-se a ser consolada,

pois eles não existem mais”.

16 Isto diz o Senhor:

“Sufoca o choro de tua voz,

enxuga as lágrimas dos olhos,

porque há uma recompensa para as tuas obras,

diz o Senhor;

eles voltarão da terra do inimigo.

17 Resta-te uma última esperança,

diz o Senhor:

os filhos voltarão para a sua terra.

18 Eu mesmo ouvi Efraim dizer, ao ser deportado:

‘Castigaste-me e fui castigado

como um novilho bravo;

converte-me e eu me converterei,

tu és o Senhor meu Deus.

19 Depois que me converteste,

fiz penitência;

depois que me abriste os olhos,

dei sinais de desgosto;

senti-me envergonhado, enrubesci,

sofri a humilhação de minha juventude’.

20 Não é Efraim, para mim,

um filho de que me orgulho

ou uma criança por quem sinto ternura?

Desde que comecei a falar dele,

sempre procuro lembrar-me dele;

por sua causa, comoveu-se meu coração,

e eu prometo compadecer-me dele”,

diz o Senhor.

21 Marca com pedras o teu percurso,

coloca sinais,

põe-te a caminho com coragem

pela estrada por onde sempre andaste;

retorna, jovem Israel,

retorna a estas tuas cidades.

22 Até quando andarás errante,

filha rebelde?

O Senhor criou algo de novo na terra:

a mulher corteja o marido.

27 “Dias virão, diz o Senhor, em que espalharei na casa de Israel e na casa de Judá sementeiras de homens e de animais. 28E assim como fui cuidadoso com elas para arrancar, podar e dispersar, para destruir e afligir, assim serei igualmente para edificar e plantar, diz o Senhor.

29 Naqueles dias,não se ouvirá dizer:

‘Os pais comeram uva azeda

e os dentes dos filhos é que embotaram’,

30pois cada qual morrerá pelo seu pecado; todo aquele que comer uva azeda, terá embotados os próprios dentes.

31 Eis que virão dias, diz o Senhor, em que concluirei com a casa de Israel e a casa de Judá uma nova aliança; 32não como a aliança que fiz com seus pais, quando os tomei pela mão para retirá-los da terra do Egito, e que eles violaram, mas eu fiz valer a força sobre eles, diz o Senhor. 33Esta será a aliança que concluirei com a casa de Israel, depois desses dias, diz o Senhor: imprimirei minha lei em suas entranhas, e hei de inscrevê-la em seu coração; serei seu Deus e eles serão meu povo. 34Não será mais necessário ensinar seu próximo ou seu irmão, dizendo: ‘Conhece o Senhor!’; todos me reconhecerão, do menor ao maior deles, diz o Senhor, pois perdoarei sua maldade, e não mais lembrarei o seu pecado”.

Responsório Sl 50(51),12.11

R. Criai em mim um coração que seja puro,

* Dai-me de novo um espírito decidido.

V. Desviai o vosso olhar dos meus pecados

e apagai todas as minhas transgressões. * Dai-me.

Segunda leitura

Do Sermão sobre as Bem-aventuranças, de São Leão Magno, papa

(Sermo 95,4-6: PL 54, 462-464)       (Séc.V)

A bem-aventurança do reino de Cristo

Após ter proclamado a felicíssima pobreza, o Senhor acrescenta: Bem-aventurados os que choram porque serão consolados (Mt 5,4). Estas lágrimas que têm a promessa da consolação eterna nada têm a ver com a comum aflição deste mundo; nem tornam bem-aventuradas as queixas arrancadas a todo o gênero humano. É outro o motivo dos gemidos dos santos, outra a causa das lágrimas felizes. A tristeza religiosa chora o pecado dos outros ou o próprio. Não se acabrunha porque se manifesta a divina justiça, mas dói-se do que se comete pela iniquidade humana. Sabe ser mais digno de lástima quem pratica a maldade do que quem a sofre, porque a maldade mergulha o injusto no castigo. A paciência leva o justo até à glória.  

 Em seguida diz o Senhor: Bem-aventurados os mansos porque possuirão a terra por herança (Mt 5,5). Os mansos e quietos, humildes, modestos e aflitos a suportar toda injúria recebem a promessa de possuir a terra. Não se considere pequena ou sem valor esta herança, como se fosse diferente da celeste morada, pois não se entende que sejam outros a entrar no reino dos céus. A terra prometida aos mansos e a ser dada aos quietos é a carne dos santos que, graças à humildade, será mudada pela feliz ressurreição e vestida com a glória da imortalidade, nada mais tendo de contrário ao espírito na harmonia de perfeita unidade. O homem exterior será então a tranquila e incorruptível possessão do homem interior.  

Os mansos a possuirão numa paz perpétua e nada diminuirá de sua condição, quando o corruptível se revestir da incorruptibilidade e o mortal se cobrir com a imortalidade (1Cor 15,54); a provação se mudará em prêmio, o ônus de outrora agora será honra.

Responsório Mt 5,4.6.5

R. Felizes os que choram: Serão todos consolados;

* Felizes os famintos e sedentos de justiça:

Serão todos saciados.

V. Felizes são os mansos, pois a terra herdarão.

* Felizes.

Oração

Deus do universo, fonte de todo bem, derramai em nossos corações o vosso amor e estreitai os laços que nos unem convosco para alimentar em nós o que é bom e guardar com solicitude o que nos destes. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *