Ofício das Leituras de Quinta-feira da 1ª Semana do Advento

0 2 Comentário(s)

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

O Verbo eterno do Pai,
da luz do Pai emanado,
nascendo eleva a história,
caída pelo pecado.

Nos corações, vosso amor
queime, qual fogo candente.
Ao escutar vosso anúncio,
fuja a mentira da mente.

As profundezas dos seres,
Juiz, vireis penetrar
e, castigando o culpado,
o Reino ao justo entregar.

Enfim, liberto das culpas,
fruto de nossas malícias,
no céu possamos gozar
vossas eternas delícias.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai toda a glória,
com o Espírito Santo,
eterna honra e vitória.

Salmodia

Ant. A palavra do Senhor é proteção
paraaqueles que a ele se confiam.

IV

31 São perfeitos os caminhos do Senhor, *
sua palavra é provada pelo fogo;
– nosso Deus é um escudo poderoso *
para aqueles que a ele se confiam.

32 Quem é deus além de Deus nosso Senhor? *
Quem é Rochedo semelhante ao nosso Deus?
33 Foi esse Deus que me vestiu de fortaleza *
e que tornou o meu caminho sem pecado.

34 Tornou ligeiros os meus pés como os da corça *
e colocou-me em segurança em lugar alto;
35 adestrou as minhas mãos para o combate, *
e os meus braços, para usar arcos de bronze.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Ou:

Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. A palavra do Senhor é proteção
para aqueles que a ele se confiam.

Ant. 2 Com a vossa mão direita me amparastes.

V

=36 Por escudo vós me destes vossa ajuda; †
com a vossa mão direita me amparastes, *
e a vossa proteção me fez crescer.
37 Alargastes meu caminho ante meus passos, *
e por isso os meus pés não vacilaram.

38 Persegui meus inimigos e alcancei-os, *
não voltei sem os haver exterminado;
39 esmaguei-os, já não podem levantar-se, *
e debaixo dos meus pés caíram todos.

40 Vós me cingistes de coragem para a luta *
e dobrastes os rebeldes a meus pés.
41 Vós fizestes debandar meus inimigos, *
e aqueles que me odeiam dispersastes.

42 Eles gritaram, mas ninguém veio salvá-los; *
os seus gritos o Senhor não escutou.
43 Esmaguei-os como o pó que o vento leva *
e pisei-os como a lama das estradas.

44 Vós me livrastes da revolta deste povo *
e me pusestes como chefe das nações;
– serviu-me um povo para mim desconhecido, *
45 mal ouviu a minha voz, obedeceu.

= Povos estranhos me prestaram homenagem, †
46 povos estranhos se entregaram, se renderam *
e, tremendo, abandonaram seus redutos.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Ant. Com a vossa mão direita me amparastes.

Ant. 3 Viva o Senhor! Bendito seja o meu Rochedo! †

VI

47 Viva o Senhor! Bendito seja o meu Rochedo! *
† E louvado seja Deus, meu Salvador!
48 Porque foi ele, o Senhor, que me vingou *
e os povos submeteu ao meu domínio;

= libertou-me de inimigos furiosos, †
49 me exaltou sobre os rivais que resistiam *
e do homem sanguinário me salvou.
50 Por isso, entre as nações, vos louvarei, *
cantarei salmos, ó Senhor, ao vosso nome.

=51 Concedeis ao vosso rei grandes vitórias †
e mostrais misericórdia ao vosso Ungido, *
a Davi e à sua casa para sempre.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Ant. Viva o Senhor! Bendito seja o meu Rochedo!

V. Escutai, povos todos, a Palavra do Senhor.
R. E anunciai-a até os confins de toda a terra.

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Isaías             16,1-5; 17,4-8

Os moabitas refugiam-se no reino de Judá.

Conversão de Efraim

16,1 Enviai um cordeiro ao dominador da terra,
desde Pedra, no deserto, ao monte de Sião.
2 Acontecerá que as cidades de Moab
fugirão para os baixios do Arnon,
como aves e seus filhotes que saem voando,
abandonando os ninhos.
Dá um conselho, toma uma decisão;
faze escurecer como noite a tua sombra ao meio-dia,
esconde os fugitivos, não denuncies os errantes.
4 Deixa morar contigo os fugitivos de Moab;
serve-lhes de esconderijo contra o devastador;
pois a opressão se acabou,
a devastação chegou ao fim,
desapareceu da terra o invasor.
5 O trono se firmará sobre a misericórdia;
sentar-se-á sobre ele, com toda a verdade,
na terra de Davi, um juiz que busca a justiça
e sabe ministrá-la com rapidez.
17,4 “Naquele dia, diminuirá a glória de Jacó,
sua robustez perderá vigor;
será como o ceifeiro que agarra os caules
e com o braço colhe espigas;
ou como o catador de espigas no vale de Rafaim;
ali não será deixado senão um cacho de uvas;
ou será como ao sacudir-se a oliveira,
em que ficam duas ou três azeitonas na ponta do galho;
ou será ainda como quando ficam
quatro ou cinco frutas no alto da árvore”,
diz o Senhor Deus de Israel.
7 Naquele dia, o homem se voltará para o seu criador
e olhará só para o Deus Santo de Israel;
8 não prestará atenção aos altares
que suas mãos fabricaram
e seus dedos aperfeiçoaram;
nem olhará para bosques e altares de incenso.

Responsório             Cf. Jr 33,15.16; Is 16,5

R. De Davi farei brotar um rebento de justiça
que tra de novo à terra o direito e a justiça.
* Será este o seu nome: “Senhor, nossa justiça”.
V. O seu trono tem por base o amor e a compaixão;
juiz justo julga com justiça e retidão.
* Será este.

Segunda leitura

Do Comentário sobre o Diatéssaron, de Santo Efrém, diácono

(Cap. 18,15-17; SCh 121,325-328).             (Séc. IV)

Vigiai: Cristo virá de novo

Para impedir que os discípulos o interrogassem sobre o momento de sua vinda, disse-lhes Cristo: Aquela hora ninguém a conhece, nem os anjos nem o Filho. Não vos compete saber o tempo e o momento (cf. Mc 13,32-33). Ocultou-nos isso para que ficássemos vigilantes e cada um de nós pudesse pensar que esse acontecimento se daria durante a nossa vida. Se tivesse revelado o tempo de sua vinda, esta deixaria de ter interesse e não seria mais desejada pelos povos da época em que se manifestará. Ele disse que viria, mas não declarou o momento e por isso as gerações e todos os séculos o esperam ardentemente.

Embora o Senhor tenha dado a conhecer os sinais de sua vinda, não se vê exatamente o último deles, pois numa mudança contínua, esses sinais apareceram e passaram e, por outro lado, ainda perduram. Sua última vinda será igual à primeira.

Os justos e os profetas o desejavam, pensando que se manifestaria em seu tempo; do mesmo modo, cada um dos fiéis de hoje deseja recebê-lo em sua época, pois ele não disse claramente o dia em que viria. E isto sobretudo para ninguém pensar que está submetido a uma determinação e hora, ele que domina os números e os tempos. Como poderia estar oculto àquele que descreveu os sinais de sua vinda, o que ele próprio estabeleceu? O Senhor pôs em relevo esses sinais para que, desde o primeiro dia, os povos de todos os séculos pensassem que ele viria no próprio tempo deles.

Permanecei vigilantes porque, quando o corpo dorme, é a natureza que nos domina e nossa atividade é então dirigida, não por nossa vontade, mas pelos impulsos da natureza. E quando a alma está dominada por um pesado torpor, como por exemplo a pusilanimidade ou a tristeza, é o inimigo que a domina e a conduz, mesmo contra a sua vontade. Os impulsos dominam a natureza e o inimigo domina a alma.

Por isso, o Senhor recomendou ao homem a vigilância tanto da alma como do corpo: ao corpo, para que se liberte da sonolência; e à alma, para que se liberte da indolência e pusilanimidade. Assim diz a Escritura: Vigiai, justos (cf. 1Cor 15,34); e também: Despertei e ainda estou contigo (cf. Sl 138,18); e ainda: Não desanimeis (cf. Jo 16,33). Por isso não desanimamos no exercício do ministério que recebemos (2Cor 4,1).

Responsório             Is 55,3-4; At 28,28

R. Convosco hei de fazer uma eterna aliança,
fiel ao meu amor, a Davi, meu servidor!
* Eu fiz dele testemunha entre os povos do universo,
guia e mestre das nações.
V. Às nações foi enviada a salvação que é Jesus Cristo
e haverão de rece-la. *Eu fiz dele. 

Oração

Despertai, ó Deus, o vosso poder e socorrei-nos com a vossa força, para que vossa misericórdia apresse a salvação que nossos pecados retardam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora 

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Comments

  1. Neide Apparecida Zambaldi disse:

    Se toda Internet apresentasse este gênero de publicação edificante e de reconhecimento ao Nosso Criador, cessaria a pandemia, mal-estares,ódios e rancores. A Humanidade seria feliz, pois Deus assumiria o comando benfazejo do nosso viver. Muitos gostariam de poder rezar a Liturgia das Horas , principalmente os jovens, mas não têm recursos para comprarem livros caros. Então, agradeço por esta publicação altamente educativa com acesso a todas as classes sociais. Já vi um seminarista pobre ter que mudar o tema de sua tese para ordenação sacerdotal, por não poder comprar os livros básicos para sua bibliografia…. Deus os abençoe muito aos que disponibilizaram, através da Internet, esta santa publicação da Liturgia das Horas.

    1. Obrigado pela mensagem.
      Deus te abençoe sempre!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.