Ofício das Leituras da Memória de São Francisco Xavier, presbítero

 

Ofício das Leituras

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Cristo Pastor, modelo dos pastores,
comemorando a festa deste Santo,
a multidão fiel e jubilosa,
vosso louvor celebra neste canto.

Feito por Deus ministro e sacerdote,
associado ao vosso dom perfeito,
bom despenseiro, foi por vós chamado
a presidir o vosso povo eleito.

Do seu rebanho foi pastor e exemplo,
ao pobre alívio e para os cegos luz,
pai carinhoso, tudo para todos,
seguindo em tudo o Bom Pastor Jesus.

Cristo, que aos santos dais nos céus o prêmio,
com vossa glória os coroando assim,
dai-nos seguir os passos deste mestre
e ter um dia um semelhante fim.

Justo louvor ao Sumo Pai cantemos,
e a vós, Jesus, Eterno Rei, também.
Honra e poder ao vosso Santo Espírito
no mundo inteiro, agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Cantai, entoai salmos ao Senhor,
publicai todas as suas maravilhas!

Salmo 104(105)

O senhor é fiel às suas promessas

Os Apóstolos anunciam aos povos as maravilhas de Deus, realizadas na vinda de Cristo (Sto. Atanásio).

I

– 1 Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, *
anunciai entre as nações seus grandes feitos!
– 2 Cantai, entoai salmos para ele, *
publicai todas as suas maravilhas!
– 3 Gloriai-vos em seu nome que é santo, *
exulte o coração que busca a Deus!

– 4 Procurai o Senhor Deus e seu poder, *
buscai constantemente a sua face!
– 5 Lembrai as maravilhas que ele fez, *
seus progios e as palavras de seus lábios!

– 6 Descendentes de Abraão, seu servidor, *
filhos de Jacó, seu escolhido,
– 7 ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, *
vigoram suas leis em toda a terra.

– 8 Ele sempre se recorda da Aliança, *
promulgada a incontáveis gerações;
– 9 da Aliança que ele fez com Abraão, *
e do seu santo juramento a Isaac.

– 10 Confirmou sua Promessa a Jacó, *
a Israel como perpétua Aliança,
– 11 quando disse: “Hei de dar-vos Canaã, *
esta terra que, por sorte, é vossa herança”.

 12 Quando ainda eram bem pouco numerosos *
e estrangeiros no país, onde acamparam,
– 13 mudavam de nação para nação, *
e de reinos para povos diferentes,

 14 não consentiu que nenhum povo os oprimisse, *
e até reis ele puniu por causa deles.
 15 Disse ele: “Não toqueis nos meus ungidos, *
e a nenhum de meus profetas maltrateis!”

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Cantai, entoai salmos ao Senhor,
publicai todas as suas maravilhas!

Ant. 2 O Senhor não abandona o justo que é traído.

II

– 16 Mandou vir, então, a fome sobre a terra *
e os privou de todo pão que os sustentava;
– 17 um homem enviara à sua frente, *
Jo que foi vendido como escravo.

– 18 Apertaram os seus pés entre grilhões *
e amarraram seu pescoço com correntes,
– 19 a que se cumprisse o que previra, *
e a palavra do Senhor lhe deu razão.

– 20 Ordenou, então, o rei que o libertassem, *
o soberano das nações mandou soltá-lo;
– 21 fez dele o senhor de sua casa, *
e de todos os seus bens o despenseiro,
 22 para dar ordens a seus nobres à vontade *
e ensinar sabedoria aos anciãos.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. O Senhor não abandona o justo que é traído.

Ant. 3 Deus lembrou-se de seu santo juramento
e fez sair com grande bilo o seu povo.

III

– 23 Foi então que Israel entrou no Egito *
e Ja foi habitar no país de Cam.
– 24 Deus deu um grande crescimento a seu povo *
e o fez mais forte que os próprios opressores.

 25 Ele mudou seus corações para odiá-lo, *
e trataram com má-fé seus servidores.
– 26 Então mandou Moisés, seu mensageiro, *
e igualmente Aarão, seu escolhido;
– 27 por meio deles realizou muitos prodígios *
e, na terra do Egito, maravilhas.

 28 Enviou trevas e fez tudo escurecer, *
mas eles resistiram às suas ordens.
 29 Então, em sangue transformou as suas águas *
e assim fez perecer todos os peixes.

– 30 A terra deles fervilhou de tantas rãs, *
que até nos quartos de seus reis elas saltavam.
– 31 Ele ordenou, e vieram moscas como nuvens *
e mosquitos sobre toda a região.

– 32 Granizo em vez de chuva lhes mandou, *
chamas de fogo sobre toda a sua terra.
– 33 Estragou as suas vinhas e figueiras, *
e as árvores do campo derrubou.

 34 Ele deu ordens e vieram gafanhotos, *
e também vieram grilos incontáveis;
– 35 eles comeram toda erva do país *
e devoraram o produto de seus campos.

– 36 Matou na própria terra os primogênitos, *
a fina flor de sua força varonil.
– 37 Fez sair com ouro e prata o povo eleito, *
nenhum doente se encontrava em suas tribos.

– 38 O Egito se alegrou quando partiram, *
tomado de pavor diante deles.
– 39 Uma nuvem estendeu para abrigá-los, *
deu-lhes fogo para a noite iluminar.

– 40 Pediram e mandou-lhes codornizes, *
o Senhor os saciou com pão do céu.
– 41 Fendeu a rocha e as águas irromperam *
e correram qual torrente no deserto.

– 42 Ele lembrou-se de seu santo juramento *
que fizera a Abraão, seu servidor.
– 43 Fez sair com grande júbilo o seu povo, *
e seus eleitos entre gritos de alegria.

– 44 Então lhes deu as terras das nações, *
e desfrutaram as riquezas desses povos,
– 45 para guardarem os preceitos do Senhor *
e obedecerem fielmente à sua lei.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Deus lembrou-se de seu santo juramento
e fez sair com grande bilo o seu povo.

V. Ele anuncia a Ja sua palavra.
R. Seus preceitos, suas leis a Israel.

Primeira leitura

Do Livro do Profeta Isaías             21,6-12

A sentinela anuncia a queda da Babilônia

Isto me disse o Senhor:
“Vai e coloca uma sentinela
para relatar tudo que vê.

Se ela vê um carro, uma parelha de cavalos,
uma pessoa montada num burro, outra num camelo,
deve concentrar o olhar com grande atenção”.

Gritou a sentinela:
“Eu fico sempre o dia inteiro, Senhor,
em meu posto de observação,
fico as noites inteiras
em meu posto de guarda;
eis que está vindo para cá um punhado de homens,
uma parelha de cavalos”.

E, retomando, disse:
“Caiu, caiu Babilônia,
todas as estátuas de seus deuses
foram quebradas no chão”.

10 Ó minha gente, triturada, batida na minha eira,
eu vos tenho relatado
o que ouvi do Senhor dos exércitos, Deus de Israel.

11 Oráculo sobre Duma.

Alguém grita para mim de Seir:
“Guarda, que notícias da noite?
Guarda, que notícias da noite?”

12 Disse o guarda:
“Chegou manhã, chegou noite;
se buscais alguém, continuai buscando,
voltai, vinde”.

Responsório                 Ap 18,2.4.5

R. Com voz poderosa, o anjo exclamou:
Caiu Babinia, a grande, caiu!
E ouvi outra voz do céu que dizia:
* Deixai-a, meu povo, para que cada um
se preserve da ria e da ira de Deus.
V. Seus pecados chegaram ao mais alto dos céus,
e o Senhor se lembrou dos atos iquos,
praticados por ela.
* Deixai-a, meu povo, para que cada um
se preserve da ria e da ira de Deus.

Segunda leitura

Das Cartas a Santo Inácio, de São Francisco Xavier, presbítero

(E Vita Francisci Xaverii, auctore H. Tursellini, Romae, 1596, Lib. 4, epist. 4 [1542] et 5 [1544])    (Séc. XVI)

Ai de mim, se não evangelizar!

Percorremos as aldeias de neófitos, que receberam os sacramentos cristãos há poucos anos. Esta região não é cultivada pelos portugueses, já que é muito estéril e pobre; e os cristãos indígenas, por falta de sacerdotes, nada sabem a não ser que são cristãos. Não há ninguém que celebre para eles as sagradas funções; ninguém que lhes ensine o Símbolo, o Pai-nosso, a Ave-Maria e os mandamentos da Lei de Deus.

Desde que aqui cheguei, não parei um instante: visitando com frequência as aldeias, lavando na água sagrada os meninos não batizados. Assim, purifiquei grandíssimo número de crianças que, como se diz, não sabem absolutamente distinguir entre a direita e a esquerda. Estas crianças não me permitiram recitar ofício divino, nem comer, nem dormir, enquanto não lhes ensinasse alguma oração; foi assim que comecei a perceber que delas é o reino dos céus.

À vista disto, como não podia, sem culpa, recusar pedido tão santo, começando pelo testemunho do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinava-lhes o Símbolo dos Apóstolos, o Pai-nosso e a Ave-Maria. Observei que são muito inteligentes; se houvesse quem os instruísse nos preceitos cristãos, não duvido que seriam excelentes cristãos.

Nestas paragens, são muitíssimos aqueles que não se tornam cristãos, simplesmente por faltar quem os faça tais. Veio-me muitas vezes ao pensamento ir pelas academias da Europa, particularmente a de Paris, e por toda a parte gritar como louco e sacudir aqueles que têm mais ciência do que caridade, clamando: “Oh! Como é enorme o número dos que excluídos do céu, por vossa culpa se precipitam nos infernos!”

Quem dera que se dedicassem a esta obra com o mesmo interesse com que se dedicam às letras, para que pudessem prestar contas a Deus da ciência e dos talentos recebidos!

Na verdade, muitos deles, impressionados por esta ideia, entregando-se à meditação das realidades divinas, talvez estivessem mais preparados para ouvir o que Deus diria neles: abandonando as cobiças e interesses humanos, se fizessem atentos a um aceno ou vontade de Deus. Decerto, diriam de coração: Aqui estou, Senhor; que devo fazer? (At 9,10; 22,10). Envia-me para onde for do teu agrado, até mesmo para a Índia.

Responsório Lc 1,2; At 1,8

R. É grande a colheita e os operários são poucos.
* Por isso pedi ao Senhor da colheita
que mande operários à sua colheita.
V. Recebereis vossa força do Espírito,
que haverá de descer sobre vós;
e sereis testemunhas de mim
até os extremos da terra. *Por isso.

Oração

Ó Deus, que pela pregação de São Francisco Xavier conquistastes para vós muitos povos do oriente, concedei a todos os fiéis o mesmo zelo, para que a santa Igreja possa alegrar-se com o nascimento de novos filhos em toda a terra. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora 

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *