Ofício das Leituras da Memória de Santo Irineu, bispo e mártir

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Santo mártir, sê propício
no teu dia de esplendor,
em que cinges a coroa,
o troféu de vencedor.

Este dia sobre as trevas
deste mundo te elevou,
e, juiz e algoz vencendo,
todo a Cristo te entregou.

Entre os anjos ora brilhas,
testemunha inquebrantável,
com as vestes que lavaste
no teu sangue venerável.

Junto a Cristo, sê agora
poderoso intercessor;
ouça ele as nossas prece
se perdoe ao pecador.

Desce a nós por um momento,
de Jesus traze o perdão,
e os que gemem sob o fardo
grande alívio sentirão.

A Deus Pai, ao Filho Único
e ao Espírito, a vitória.
Deus te orna com coroa
na mansão da sua glória.

Salmodia

Ant. 1 O Senhor farájustiça para os pobres.

Salmo 9 B(10)

Ação de graças

Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus! (Lc 6,20).

I

1 Ó Senhor, por que ficais assim tão longe, *
e, no tempo da aflição, vos escondeis,
2 enquanto o pecador se ensoberbece, *
o pobre sofre e cai no laço do malvado?

3 O ímpio se gloria em seus excessos, *
blasfema o avarento e vos despreza;
4 em seu orgulho ele diz: “Não há castigo! *
Deus não existe!” – 5É isto mesmo que ele pensa.

= Prospera a sua vida em todo tempo; †
vossos juízos estão longe de sua mente; *
ele vive desprezando os seus rivais.
6 No seu íntimo ele pensa: “Estou seguro! *
Nunca jamais me atingirá desgraça alguma!”

7 Só há maldade e violência em sua boca, *
em sua língua, só mentira e falsidade.
8 Arma emboscadas nas saídas das aldeias, *
mata inocentes em lugares escondidos.

9 Com seus olhos ele espreita o indefeso, *
como um leão que se esconde atrás da moita;
– assalta o homem infeliz para prendê-lo, *
agarra o pobre e o arrasta em sua rede.

10 Ele se curva, põe-se rente sobre o chão, *
e o indefeso tomba e cai em suas garras.
11 Pensa consigo: “O Senhor se esquece dele, *
esconde o rosto e já não vê o que se passa!”

Ant. O Senhor farájustiça para os pobres.

Ant. 2 Vós, Senhor, vedes a dor e o sofrimento.

II

12 Levantai-vos, ó Senhor, erguei a mão! *
Não esqueçais os vossos pobres para sempre!
13 Por que o ímpio vos despreza desse modo? *
Por que diz no coração: “Deus não castiga?”

14 Vós, porém, vedes a dor e o sofrimento, *
vós olhais e tomais tudo em vossas mãos!
– A vós o pobre se abandona confiante, *
sois dos órfãos vigilante protetor.

15 Quebrai o braço do injusto e do malvado! *
Castigai sua malícia e desfazei-a!
16 Deus é Rei durante os séculos eternos. *
Desapareçam desta terra os malfeitores!

17 Escutastes os desejos dos pequenos, *
seu coração fortalecestes e os ouvistes,
=18 para que os órfãos e oprimidos deste mundo †
tenham em vós o defensor de seus direitos, *
e o homem terreno nunca mais cause terror!

Ant. Vós, Senhor, vedes a dor e o sofrimento.

Ant. 3 As palavras do Senhor são verdadeiras
como a prata depurada pelo fogo.

Salmo 11(12)

Oração contra as más línguas

Porque éramos pobres, o Pai enviou o seu Filho (Sto. Agostinho).

2 Senhor, salvai-nos! Já não  um homem bom! *
Não há mais fidelidade em meio aos homens!
3 Cada um só diz mentiras a seu próximo, *
com língua falsa e coração enganador.

4 Senhor, calai todas as bocas mentirosas *
e a língua dos que falam com soberba,
5 dos que dizem: “Nossa língua é nossa força! *
Nossos bios são por nós! – Quem nos domina?”

6 “Por causa da aflição dos pequeninos, *
do clamor dos infelizes e dos pobres,
– agora mesmo me erguerei, diz o Senhor, *
e darei a salvação aos que a desejam!”

=7 As palavras do Senhor são verdadeiras, †
como a prata totalmente depurada, *
sete vezes depurada pelo fogo.

8 Vós, porém, ó Senhor Deus, nos guardareis *
para sempre, nos livrando desta raça!
– Em toda a parte os malvados andam soltos, *
porque se exalta entre os homens a baixeza.

Ant. As palavras do Senhor são verdadeiras
como a prata depurada pelo fogo.

V. Deus dirige os humildes na justiça.
R. E aos pobres ele ensina o seu caminho.

Primeira leitura

Do Segundo Livro de Samuel                 2,1-11; 3,1-5

Davi é ungido rei de Judá, em Hebron

            Naqueles dias: 2,1 Davi consultou o Senhor, dizendo: “Devo subir a alguma das cidades de Judá?” O Senhor respondeu: “Sobe”. Davi perguntou: “Para onde irei?” E a resposta foi: “Para Hebron”. 2Davi pôs-se a caminho de Hebron com suas duas mulheres, Aquinoan de Jezrael e Abigail, viúva de Nabal do Carmelo. 3Davi levou também os homens que estavam com ele, cada um com sua família, e fixaram-se nas povoações de Hebron. 4Vieram os homens de Judá e ali ungiram Davi como rei de Judá.

            Davi soube, então, que os homens de Jabes de Galaad haviam sepultado Saul. 5Mandou-lhes mensageiros, dizendo: “Sede benditos pelo Senhor, porque praticastes este ato de piedade para com o vosso soberano Saul, dando-lhe sepultura! 6Que o Senhor, por sua vez, se mostre bom e fiel para convosco. Eu também vos beneficiarei por esta ação que fizestes. 7Tende coragem e sede homens valorosos, porque, ainda que tenha morrido Saul, vosso senhor, a casa de Judá me ungiu como seu rei”.

              8Ora, Abner, filho de Ner, chefe do exército de Saul, tomou Isbaal, filho de Saul, e levou-o a Maanaim. 9Lá o constituiu rei de Galaad, de Aser, de Jezrael, de Efraim e Benjamim, e de todo o Israel. 10Isbaal, filho de Saul, tinha quarenta anos quando se tornou rei de Israel, e reinou durante dois anos. Só a casa de Judá seguia Davi. 11Sete anos e seis meses reinou Davi sobre a casa de Judá em Hebron.

              3,1 Houve então uma guerra prolongada entre a casa de Saul e a casa de Davi. Mas à medida que o poder de Davi se fortificava, o de Saul enfraquecia cada vez mais.

              2Davi teve vários filhos em Hebron: o primogênito foi Amnon, nascido de Aquinoam de Jezrael; 3o segundo foi Queleab, nascido de Abigail, viúva de Nabal do Carmelo; o terceiro foi Absalão, filho de Maaca, filha de Tolmai, rei de Gesur; 4o quarto foi Adonias, filho de Hagit; o quinto Safatias, nascido de Abital, 5e o sexto Jetraam, nascido de Egla, esposa de Davi. Foram estes os filhos que nasceram a Davi em Hebron.

Responsório Gn 49,10.8ac

R. Nunca há de se afastar o cetro de Judá,
nem o bastão dentre seus pés.
* Até que venha o Prometido, o Esperado das nações.
V. Ó Judá, os teus irmãos te louvarão,
inclinar-se-ão a ti os filhos de teu pai.
* Até que venha.

Segunda leitura

Do Tratado contra as heresias, de Santo Irineu, bispo

(Lib. 4,20,5-7:Sch 100, 640-642.644-648)         (Séc. II)

A glória de Deus é o homem vivo;
e a vida do homem é a visão de Deus

            O esplendor de Deus dá a vida. Consequentemente, os que veem a Deus recebem a vida. Por isso, aquele que é inacessível, incompreensível e invisível, torna-se compreensível e acessível para os homens, a fim de dar a vida aos que o alcançam e veem. Assim como viver sem a vida é impossível, sem a participação de Deus não há vida. Participar de Deus consiste em vê-lo e gozar da sua bondade. Por conseguinte, os homens hão de ver a Deus para poderem viver. Por esta visão tornam-se imortais e se elevam até ele. Como já disse, estas coisas foram anunciadas pelos profetas de modo figurado: que Deus seria visto pelos homens que possuem seu Espírito e aguardam sem cessar sua vinda. Assim também diz Moisés no Deuteronômio: Nesse dia veremos que Deus pode falar ao homem, sem que este deixe de viver (cf. Dt 5,24).

            Deus, que realiza tudo em todos, é inacessível e inefável, quanto ao seu poder e à sua grandeza, para os seres por ele criados. Mas não é de modo algum desconhecido, pois todos sabemos, por meio do seu Verbo, que há um só Deus Pai que contém todas as coisas e dá existência a todas elas, como está escrito no Evangelho: A Deus, ninguém jamais viu. Mas o Unigênito de Deus, que está na intimidade do Pai, ele no-lo deu a conhecer (Jo 1,18).

            Portanto, quem desde o princípio nos dá a conhecer o Pai é o Filho, que desde o princípio está com o Pai.As visões proféticas, a diversidade de carismas, os ministérios, a glorificação do Pai, tudo isto, como uma sinfonia bem composta e harmoniosa, ele manifestou aos homens, no tempo próprio, para seu proveito. Porque onde há composição, há harmonia; onde há harmonia, tudo acontece no tempo próprio; e quando tudo acontece no tempo próprio, há proveito.

            Por esta razão, o Verbo se tornou o administrador da graça do Pai para proveito dos homens. Em favor deles, pôs em prática o seu plano: mostrar Deus ao homem e apresentar o homem a Deus. No entanto, conservou a invisibilidade do Pai: desta forma o homem não desprezaria a Deus e seria sempre estimulado a progredir. Ao mesmo tempo, mostrou também, por diversos modos, que Deus é visível aos homens, para não acontecer que, privado totalmente de Deus, o homem chegasse a perder a própria existência. Pois a glória de Deus é o homem vivo, e a vida do homem é a visão de Deus. Com efeito, se a manifestação de Deus, através da criação dá a vida a todos os seres da terra, muito mais a manifestação do Pai, por meio do Verbo, dá a vida a todos os que veem a Deus.

Responsório Ml 2,6; Sl 88(89),22

R. A doutrina da verdade estava em sua boca
e não se encontrou falsidade nos seus lábios;
* Em paz e retidão comigo caminhou.
V. Estará sempre com ele minha mão onipotente
e meu braço poderoso há de ser a sua força.
* Em paz.

Oração

Ó Deus, vós concedestes ao bispo Santo Irineu firmar a verdadeira doutrina e a paz da Igreja; pela intercessão de vosso servo, renovai em nós a fé e a caridade, para que nos apliquemos constantemente em alimentar a união e a concórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Um comentário em “Ofício das Leituras da Memória de Santo Irineu, bispo e mártir”

  1. Ameaçou os ventos

    Farei surgir um sacerdote fiel, que agirá segundo o meu coração e a minha vontade, diz o Senhor (1Sm 2,35).

    Oração do dia
    Ó Deus, vós concedestes ao bispo Santo Irineu firmar a verdadeira doutrina e a paz da Igreja; pela intercessão de vosso servo, renovai em nós a fé e a caridade, para que nos apliquemos constantemente em alimentar a união e a concórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

    ‘ “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” ‘

    https://padrepauloricardo.org/episodios/a-verdade-de-cristo-e-a-verdade-de-sempre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.