Ofício das Leituras da Memória de Santo Inácio de Loiola, presbítero

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Cristo Pastor, modelo dos pastores,
comemorando a festa deste Santo,
a multidão fiel e jubilosa,
vosso louvor celebra neste canto.

Feito por Deus ministro e sacerdote,
associado ao vosso dom perfeito,
bom despenseiro, foi por vós chamado
a presidir o vosso povo eleito.

Do seu rebanho foi pastor e exemplo,
ao pobre alívio e para os cegos luz,
pai carinhoso, tudo para todos,
seguindo em tudo o Bom Pastor Jesus.

Cristo, que aos santos dais nos céus o prêmio,
com vossa glória os coroando assim,
dai-nos seguir os passos deste mestre
e ter um dia um semelhante fim.

Justo louvor ao Sumo Pai cantemos,
e a vós, Jesus, Eterno Rei, também.
Honra e poder ao vosso Santo Espírito
no mundo inteiro, agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Quem se tornar pequenino como uma criança,
há de ser o maior no Reino dos céus.

Salmo 130(131)

Confiança filial e repouso em Deus

Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração (Mt 11,29)

1 Senhor, meu coração não é orgulhoso, *
nem se eleva arrogante o meu olhar;
– não ando à procura de grandezas, *
nem tenho pretensões ambiciosas!

2 Fiz calar e sossegar a minha alma; *
ela es em grande paz dentro de mim,
– como a criança bem tranqüila, amamentada *
no regaço acolhedor de sua mãe.

3 Confia no Senhor, ó Israel, *
desde agora e por toda a eternidade!

Ant. Quem se tornar pequenino como uma criança,
há de ser o maior no Reino dos céus.

Ant. 2 Na simplicidade do meu coração,
alegre, vos dei tudo aquilo que tenho.

Salmo 131(132)

As promessas do Senhor à casa de Davi

O Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu Pai (Lc 1,32).

I

1 Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi *
e de quanto vos foi ele dedicado;
2 do juramento que ao Senhor havia feito *
e de seu voto ao Poderoso de Jacó:

3 “Não entrarei na minha tenda, minha casa, *
nem subirei à minha cama em que repouso,
4 não deixarei adormecerem os meus olhos, *
nem cochilarem em descanso minhas pálpebras,
5 até que eu ache um lugar para o Senhor, *
uma casa para o Forte de Jacó!”

6 Nós soubemos que a arca estava em Éfrata *
e nos campos de Iaar a encontramos:
7 Entremos no lugar em que ele habita, *
ante o escabelo de seus pés o adoremos!

8 Subi, Senhor, para o lugar de vosso pouso, *
subi vós, com vossa arca poderosa!
9 Que se vistam de alegria os vossos santos, *
e os vossos sacerdotes, de justiça!
10 Por causa de Davi, o vosso servo, *
não afasteis do vosso Ungido a vossa face!

Ant. Na simplicidade do meu coração,
alegre, vos dei tudo aquilo que tenho.

Ant. 3 O Senhor fez a Davi um juramento,
e seu reino permanece para sempre.

II

11 O Senhor fez a Davi um juramento, *
uma promessa que jamais renegará:
– “Um herdeiro que é fruto do teu ventre *
colocarei sobre o trono em teu lugar!

12 Se teus filhos conservarem minha Aliança *
e os preceitos que lhes dei a conhecer,
– os filhos deles igualmente hão de sentar-se *
eternamente sobre o trono que te dei!”

13 Pois o Senhor quis para si Jerusalém *
e a desejou para que fosse sua morada:
14 “Eis o lugar do meu repouso para sempre, *
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

15 “Abençoarei suas colheitas largamente, *
e os seus pobres com o pão saciarei!
16 Vestirei de salvação seus sacerdotes, *
e de alegria exultarão os seus fiéis!”

17 “De Davi farei brotar um forte Herdeiro, *
acenderei ao meu Ungido uma lâmpada.
18 Cobrirei de confusão seus inimigos, *
mas sobre ele brilhará minha coroa!”

Ant. O Senhor fez a Davi um juramento,
e seu reino permanece para sempre.

V. Vinde ver, contemplai os progios de Deus,

R. E a obra estupenda que fez no universo.

Primeira leitura

Da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios                 12,14−13,13

O Apóstolo anuncia a próxima visita para corrigir os coríntios

Irmãos: 12,14 Eis que, pela terceira vez, estou pronto para ir visitar-vos, e não vos serei pesado. Pois não busco os vossos bens, mas a vós mesmos! Aliás, não são os filhos que devem ajuntar bens para os pais, mas, sim, os pais para os filhos. 15Quanto a mim, de boa vontade despenderei ao máximo e me gastarei a mim mesmo inteiramente por vós. Será que, amando-vos mais, sou por isso menos amado? 16Mas seja! Eu não fui pesado para vós. Porém, astuto como sou, foi por esperteza que vos conquistei – assim dizem. 

17Acaso vos prejudiquei por algum daqueles que vos enviei? 18Insisti com Tito a ir ter convosco e com ele enviei o irmão. Acaso Tito vos explorou? Não procedemos no mesmo espírito? Não seguimos as mesmas pegadas? 

19Há muito tempo que pensais que fazemos nossa defesa diante de vós? Não! É diante de Deus, em Cristo, que nós falamos, e tudo, caríssimos, para a vossa edificação! 20Receio, com efeito, que, quando aí chegar, não vos encontre tais quais vos desejo encontrar e que, da vossa parte, me encontreis tal como não desejais encontrar-me. Receio que haja entre vós contendas, ciúmes, iras, disputas, maledicências, mexericos, insolências, desordens. 21Receio ainda que, na minha próxima visita, o meu Deus me humilhe por vossa causa, e que eu tenha que chorar por muitos dos que antes pecaram e ainda não se converteram da libertinagem, da fornicação e da devassidão, em que caíram. 

13,1 É a terceira vez que vou ter convosco. “Toda a questão será resolvida pelo depoimento de duas ou três testemunhas”. 2Já o disse, estando a segunda vez aí entre vós, e agora que estou ausente, o repito àqueles que anteriormente pecaram e a todos os demais: Se eu voltar mais uma vez, não pouparei ninguém, 3já que procurais uma prova de que Cristo fala em mim. Ele não se tem mostrado fraco para convosco, mas, pelo contrário, tem mostrado grande poder, entre vós. 4É verdade que ele foi crucificado, em razão da sua fraqueza, mas está vivo, pelo poder de Deus. Nós também somos fracos nele, mas com ele viveremos, pelo poder de Deus para convosco. 

5Examinai-vos bem a vós mesmos, para verdes se estais na fé. Submetei-vos à prova. Será que não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? A menos que estejais reprovados. 6Quanto a nós, espero que reconhecereis que não estamos reprovados. 7Rogamos a Deus que não façais mal algum, não para mostrar que somos aprovados, mas para que vós pratiqueis o bem, mesmo que nós sejamos tidos como reprovados. 8Com efeito, não podemos nada contra a verdade, mas somente a favor da verdade. 9Alegramo-nos quando somos fracos e vós, fortes. É isto que pedimos em nossas orações: que vos aperfeiçoeis sempre mais. 10Por isso, escrevo estas coisas, estando ausente, para que, uma vez presente, não precise agir com severidade, fazendo valer a autoridade que o Senhor me deu para edificação e não para destruição. 

11Enfim, irmãos, alegrai-vos, trabalhai no vosso aperfeiçoamento, encorajai-vos, cultivai a concórdia, vivei em paz, e o Deus do amor e da paz estará convosco. 12Saudai-vos uns aos outros com o beijo santo. Todos os santos vos saúdam. 13A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós. 

Responsório 2Cor 13,11; Fl 4,7

R. Alegrai-vos, meus irmãos, procurai a perfeição,
tende paz e harmonia,
* E convosco estará o Deus da paz e do amor.
V. A paz de Deus, que ultrapassa todo entendimento,
guarde os vossos corações no Senhor Cristo Jesus.
* E convosco.,

Segunda leitura

Da Narrativa autobiográfica de Santo Inácio, recolhida de viva voz pelo Padre Luís Gonçalves da Câmara

(Cap.1,5-9:Acta Sanctorum Iulii, 7 [1868], 647) (Séc.XVI)

Provai os espíritos a ver se são de Deus

Inácio gostava muito de ler livros mundanos e romances que narravam supostos feitos heróicos de homens ilustres. Assim que se sentiu melhor, pediu que lhe dessem alguns deles, para passar o tempo. Mas não se tendo encontrado naquela casa nenhum livro deste gênero, deram-lhe um que tinha por título A vida de Cristo e outro chamado Florilégio dos Santos, ambos escritos na língua pátria.

Com a leitura frequente desses livros, nasceu-lhe um certo gosto pelos fatos que eles narravam. Mas, quando deixava de lado essas leituras, entregava seu espírito a lembranças do que lera outrora; por vezes ficava absorto nas coisas do mundo, em que antes costumava pensar.

Em meio a tudo isto, estava a divina providência que, através dessas novas leituras, ia dissipando os outros pensamentos. Assim, ao ler a vida de Cristo nosso Senhor e dos santos, punha-se a pensar e a dizer consigo próprio: “E se eu fizesse o mesmo que fez São Francisco e o que fez São Domingos?” E refletia longamente em coisas como estas. Mas sobrevinham-lhe depois outros pensamentos vazios e mundanos, como acima se falou, que também se prolongavam por muito tempo. Permaneceu nesta alternância de pensamentos durante um tempo bastante longo.

Contudo, nestas considerações, havia uma diferença: quando se entretinha nos pensamentos mundanos, sentia imenso prazer; mas, ao deixá-los por cansaço, ficava triste e árido de espírito. Ao contrário, quando pensava em seguir os rigores praticados pelos santos, não apenas se enchia de satisfação, enquanto os revolvia no pensamento, mas também ficava alegre depois de os deixar.

No entanto, ele não percebia nem avaliava esta diferença, até o dia em que se lhe abriram os olhos da alma, e começou a admirar-se desta referida diferença. Compreendeu por experiência própria que um gênero de pensamentos lhe trazia tristeza, e o outro, alegria. Foi esta a primeira conclusão que tirou das coisas divinas. Mais tarde, quando fez os Exercícios Espirituais, começou tomando por base esta experiência, para compreender o que ensinou sobre o discernimento dos espíritos.

Responsório             1Pd 4,11.8a

R. Se alguém fala, que sejam palavras de Deus;
se alguém serve, que seja com a força de Deus,
* Para que em todas as coisas
Deus seja louvado, através de Jesus.
V. Mas acima de tudo tende amor duradouro
de uns para os outros. * Para que.

Oração

Ó Deus, que suscitastes em vossa Igreja Santo Inácio de Loiola para propagar a maior glória do vosso nome, fazei que, auxiliados por ele, imitemos seu combate na terra, para partilharmos no céu sua vitória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *