Ofício das Leituras da Memória de Santa Teresa de Jesus, virgem e doutora da Igreja

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Eterno Sol, que envolveis
a criação de esplendor,
a vós, Luz pura das mentes,
dos corações o louvor.

Pelo poder do Espírito,
lâmpadas vivas brilharam.
Da salvação os caminhos
a todo o mundo apontaram.

Por estes servos da graça
fulgiu com novo esplendor
o que a palavra proclama
e que a razão demonstrou.

Tem parte em suas coroas,
pela doutrina mais pura,
este varão que louvamos
e como estrela fulgura.

Por seu auxílio pedimos:
dai-nos, ó Deus, caminhar
na direção da verdade
e assim a vós alcançar.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e vós, ó Filho, também,
com o Espírito Santo,
Rei para sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Ó meu Deus, escutai minha prece,
ao clamor do inimigo estremeço!

Salmo 54(55),2-15.17-24

Oração depois da traição de um amigo

Jesus começou a sentir medo e angústia (Mc 14,33)

I

2 Ó meu Deus, escutai minha prece, *
não fujais desta minha oração!
3 Dignai-vos me ouvir, respondei-me: *
a angústia me faz delirar!

4 Ao clamor do inimigo estremeço, *
e ao grito dos ímpios eu tremo.
– Sobre mim muitos males derramam, *
contra mim furiosos investem.

5 Meu coração dentro em mim se angustia, *
e os terrores da morte me abatem;
6 o temor e o tremor me penetram, *
o pavor me envolve e deprime!

=7 É por isso que eu digo na angústia: †
Quem me dera ter asas de pomba *
e voar para achar um descanso!
8 Fugiria, então, para longe, *
e me iria esconder no deserto.

Ant. Ó meu Deus, escutai minha prece,
ao clamor do inimigo estremeço!

Ant. 2 O Senhor have de libertar-nos
da mão do inimigo traiçoeiro.

II

– 9 Acharia depressa um regio *
contra o vento, a procela, o tufão.
=10 Ó Senhor, confundi as más línguas; †
dispersai-as, porque na cidade *
só se  violência e discórdia!

=11 Dia e noite circundam seus muros, †
12 dentro dela há maldades e crimes, *
a injustiça, a opressão moram nela!
– Violência, imposturas e fraudes *
já não deixam suas ruas e praças.

13 Se o inimigo viesse insultar-me, *
poderia aceitar certamente;
– se contra mim investisse o inimigo, *
poderia, talvez, esconder-me.

14 Mas és tu, companheiro e amigo, *
tu, meu íntimo e meu familiar,
15 com quem tive agradável convívio *
com o povo, indo à casa de Deus!

Ant. O Senhor have de libertar-nos
da mão do inimigo traiçoeiro.

Ant. 3 Lança sobre o Senhor teus cuidados,
porque ele há de ser teu sustento.

III

17 Eu, porém, clamo a Deus em meu pranto, *
e o Senhor me haverá de salvar!
18 Desde a tarde, à manhã, ao meio-dia, *
faço ouvir meu lamento e gemido.

19 O Senhor há de ouvir minha voz, *
libertando a minh’alma na paz,
– derrotando os meus agressores, *
porque muitos estão contra mim!

20 Deus me ouve e haverá de humilhá-los, *
porque é Rei e Senhor desde sempre.
– Para os ímpios não há conversão, *
pois não temem a Deus, o Senhor.

21 Erguem a mão contra os próprios amigos, *
violando os seus compromissos;
22 sua boca está cheia de unção, *
mas o seu coração traz a guerra;
– suas palavras mais brandas que o óleo, *
na verdade, porém, são punhais.

23 Lança sobre o Senhor teus cuidados, *
porque ele há de ser teu sustento,
– e jamais ele irá permitir *
que o justo para sempre vacile!

24 Vós, porém, ó Senhor, os lançais *
no abismo e na cova da morte.
– Assassinos e homens de fraude *
não verão a metade da vida.
– Quanto a mim, ó Senhor, ao contrário: *
ponho em vós toda a minha esperança!

Ant. Lança sobre o Senhor teus cuidados,
porque ele há de ser teu sustento.

V. Ó meu filho, fica atento ao meu saber,
R. Presta ouvidos à minha inteligência!

Primeira leitura

Início do Livro do Profeta Malaquias                 1,1-14; 2,13-16

Profecia sobre os sacerdotes negligentes e sobre o repúdio

1,1 Palavra do Senhor a Israel, por meio de Malaquias.

2 “Amei-vos, diz o Senhor, e dissestes: ‘De que modo nos amaste?’ Não era Jacó irmão de Esaú? – diz o Senhor. 3Amei a Jacó e odiei a Esaú, transformei seus montes em solidão e dei sua herança às feras do deserto. 4Se Edom disser: ‘Fomos destruídos,mas voltaremos, e edificaremos o que foi destruído’, assim fala o Senhor dos exércitos: Eles edificarão e eu destruirei; serão chamados ‘país da impiedade’ e ‘povo com quem o Senhor estará irado para sempre’. 5E vossos olhos hão de ver, e vós haveis de dizer: ‘Deus é glorificado além das fronteiras de Israel’.

O filho honra o pai, e o servo, o seu senhor. Se eu sou pai, onde está a honra que me é devida? E, se eu sou senhor, onde está o temor devido? – diz o Senhor dos exércitos a vós, sacerdotes, que desrespeitais o meu nome e ainda dizeis: ‘Em que desrespeitamos nós o teu nome?’ 7Ofereceissobre o meu altar alimento impuro e ainda dizeis: ‘Em que te estamos ofendendo com isso?’ E afirmais também: ‘A mesa do Senhor não tem importância. 8Se ofereceis à imolação um animal cego, isto não é mau? E, se ofereceis um animal coxo, doente, isto não é mau? Ofereça-o alguém a seu chefe. Irá ele ficar contente ou receber-te com favor? – diz o Senhor dos exércitos. 9Mas agora, suplicai diante de Deus, para que ele se compadeça de vós! Sendo isto iniciativa de vossa parte, não irá ele acolher-vos com benevolência? – diz o Senhor dos exércitos. 10Quem é dentre vós, que fechará as portas para não ter de acender sem necessidade o fogo do meu altar? Não tenho desejo de ficar convosco, diz o Senhor dos exércitos, nem aceitarei oferendas de vossas mãos. 11Desde o nascer do sol até ao poente, grande é meu nome entre as nações, em todo lugar se oferece um sacrifício e uma oblação pura ao meu nome, porque grande é o meu nome entre as nações, diz o Senhor dos exércitos. 12Vós, porém, o profanais no ato de dizerdes: ‘A mesa do Senhor está contaminada, e sua comida não serve’. 13Dizeis: ‘Quanto trabalho para ela!’, e assim vós a desprezais, diz o Senhor dos exércitos. Trazeis um animal roubado, manco e doente, e o dais a mim de presente. Acaso vou aceitá-lo de vossas mãos? –diz o Senhor. 14Maldito o homem falso; possuindo no rebanho um animal perfeito, ele imola em voto ao Senhor um defeituoso. Pois eu sou o grande Rei, diz o Senhor dos exércitos, e o meu nome é temível entre as nações.

2,13 E fazeis mais ainda: cobris o altar do Senhor com lágrimas, pranto e gemidos, enquanto que eu já não olho mais para o vosso sacrifício nem recebo de vossas mãos nada que me aplaque; 14e vós dizeis: ‘Por qual motivo?’ Porque o Senhor é testemunha do que existe entre ti e tua esposa jovem, a quem foste infiel, tua companheira e esposa, por juramento. 15Não fez Deus uma união entre carne e espírito? A que visa a união, senão obter de Deus a semente? Respeitai, portanto, o vosso espírito;e tu não sejas infiel à tua esposa jovem. 16Se alguém, por ódio, a repudiar, diz o Senhor, Deus de Israel, terá suas vestes cobertas de iniquidade, diz o Senhor dos exércitos. Respeitai o vosso espírito e não sejais infiéis”.

Responsório                 Ml 2,5.6a; Sl 109(110),4

R. A Aliança que eu fiz com Levi}
foi um pacto de vida e de paz;
para que ele a mim respeitasse
e, de fato, temeu o meu nome.
* Houve a lei da verdade em sua boca,
a injustiça não houve em seus lábios.
V. Jurou o Senhor e manterá sua palavra:
Tu és sacerdote eternamente,
segundo a ordem do rei Melquisedec. * Houve a lei.

Segunda leitura

Das Obras de Santa Teresa de Jesus, virgem

(Opusc. De libro vitae, cap.22,6-7.14)            (Séc.XVI)

Lembremo-nos sempre do amor de Cristo

Com tão bom amigo presente, com tão esforçado chefe, tudo se pode sofrer. Serve de ajuda e dá reforço; a ninguém falta. É amigo verdadeiro. Sempre tenho visto claramente que, para contentarmos a Deus e para que nos faça ele mercês, quer que seja por intermédio desta humanidade sacratíssima, na qual declarou Sua Majestade ter posto suas complacências. 

É o que muitíssimas vezes e muito bem tenho visto por experiência, e também mo disse o Senhor. Tenho compreendido claramente que por esta porta havemos de entrar, se quisermos que nos mostre grandes segredos a soberana Majestade. De modo que não se queira outro caminho, ainda que se esteja no cume da contemplação. Por aqui se vai seguro. É por meio deste Senhor nosso que nos vêm todos os bens. Ele ensinará o caminho: contemplemos sua vida, porque não há modelo melhor. 

O que mais queremos, do que ter a nosso lado tão bom amigo, que não nos deixará nos trabalhos e nas tribulações, como fazem os amigos deste mundo? Bem-aventurado quem o amar de verdade e sempre o trouxer junto de si. Olhemos o glorioso São Paulo de cujos lábios, por assim dizer, não saía senão o nome de Jesus, tão bem gravado o tinha no coração. Desde que entendi isto, tenho considerado atentamente alguns santos, grandes contemplativos, tais como São Francisco, Santo Antônio de Pádua, São Bernardo, Santa Catarina de Sena. Com liberdade havemos de andar neste caminho, entregues às mãos de Deus. Se Sua Majestade quiser elevar-nos à categoria de seus íntimos e confidentes dos seus segredos, vamos de boa vontade. 

Quando pensarmos em Cristo, sempre nos lembremos do amor com que nos concedeu tantas graças e da grande ternura que nos testemunhou em nos dar tal penhor do muito que nos ama, pois amor pede amor. Procuremos sempre ir considerando estas verdades e estimulando-nos a amar. Porque, uma vez que nos conceda o Senhor a graça de que este amor nos seja impresso no coração, tudo nos será mais fácil: faremos grandes coisas muito depressa e com pouco trabalho.

Responsório Sl 72(73),27a.28a; 1Cor 6,17

R. Eis que haverão de perecer os que vos deixam;
* Mas para mim só há um bem: É estar com Deus,
é colocar o meu refúgio no Senhor.
V. Aquele que se une ao Senhor,
com ele constitui um só espírito. * Mas para mim.

Oração

Ó Deus, que pelo Espírito Santo fizestes surgir Santa Teresa para recordar à Igreja o caminho da perfeição, dai-nos encontrar sempre alimento em sua doutrina celeste e sentir em nós o desejo da verdadeira santidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *