Ofício das Leituras da Festa da Dedicação da Basílica do Latrão

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Senhor Jesus, a quem tudo pertence,
mas aceitais dos homens os presentes:
um lugar santo hoje vos dedicaram,
por isso nós exultamos contentes.

Salve lugar, Senhor, que foi chamado
Casa do Rei, porta de umbrais celestes,
por onde sobe a Deus todo o seu povo,
como a Escada que a Jacó vós destes!

Eis o lugar, Senhor, onde os fiéis
cantando acorrem neste vosso dia,
para buscar na fonte a vida eterna
e oferecer no altar da Eucaristia!

Ó Deus, volvei a nós um rosto amigo
e com carinho guardai o vosso povo,
que hoje celebra o templo consagrado,
cantando em vossa honra um canto novo.

Louvor a vós, o Pai, e glória ao Filho,
que foi na terra o templo verdadeiro,
e nos mandou o Espírito divino
que faz um templo vivo ao povo inteiro.

Salmodia

Ant. 1 Ó portas, levantai vossos frontões!

Elevai-vos bem mais alto, antigas portas! 

Salmo 23(24)

 –1 Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, *

o mundo inteiro com os seres que o povoam;

2 porque ele a tornou firme sobre os mares, *

e sobre as águas a mantém inabalável. 

3 “Quem subirá até o monte do Senhor, *

quem ficará em sua santa habitação?”

=4 “Quem tem mãos puras e inocente coração, †

quem não dirige sua mente para o crime, *

nem jura falso para o dano de seu próximo.

5 Sobre este desce a bênção do Senhor *

e a recompensa de seu Deus e Salvador”.

6 “É assim a geração dos que o procuram, *

e do Deus de Israel buscam a face”.

=7 “Ó portas, levantai vossos frontões! †

Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *

a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

=8 Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †

“É o Senhor, o valoroso, o onipotente, *

o Senhor, o poderoso nas batalhas!”

=9 “Ó portas, levantai vossos frontões! †

Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *

a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

=10 Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †

“O Rei da glória é o Senhor onipotente, *

o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!”

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant.Ó portas, levantai vossos frontões!
Elevai-vos bem mais alto, antigas portas! 

Ant. 2 Quão amável, ó Senhor, é vossa casa! †

Salmo 83(84) 

Quão amável, ó Senhor, é vossa casa, * 
† quanto a amo, Senhor Deus do universo!
3 Minha alma desfalece de saudades * 
e anseia pelos átrios do Senhor! 
– Meu coração e minha carne rejubilam * 
e exultam de alegria no Deus vivo! 

=Mesmo o pardal encontra abrigo em vossa casa, † 
e a andorinha ali prepara o seu ninho, * 
para nele seus filhotes colocar:
– vossos altares, ó Senhor Deus do universo! * 
vossos altares, ó meu Rei e meu Senhor! 

Felizes os que habitam vossa casa; * 
para sempre haverão de vos louvar!
6 Felizes os que em vós têm sua força, * 
e se decidem a partir quais peregrinos! 

=7 Quando passam pelo vale da aridez, † 
o transformam numa fonte borbulhante, * 
pois a chuva o vestirá com suas bênçãos.
Caminharão com um ardor sempre crescente * 
e hão de ver o Deus dos deuses em Sião. 

Deus do universo, escutai minha oração! * 
Inclinai, Deus de Jacó, o vosso ouvido!
10 Olhai, ó Deus, que sois a nossa proteção, * 
vede a face do eleito, vosso Ungido! 

11 Na verdade, um só dia em vosso templo * 
vale mais do que milhares fora dele!
– Prefiro estar no limiar de vossa casa, * 
a hospedar-me na mansão dos pecadores!

12 O Senhor Deus é como um sol, é um escudo, * 
e largamente distribui a graça e a glória.
– O Senhor nunca recusa bem algum * 
àqueles que caminham na justiça. 
13 Ó Senhor, Deus poderoso do universo, * 
feliz quem põe em vós sua esperança!

 – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant.Quão amável, ó Senhor, é vossa casa!

Ant. 3 Dizem coisas gloriosas da cidade do Senhor.

Salmo 86(87)

1 O Senhor ama a cidade *
que fundou no Monte santo;
2 ama as portas de Sião *
mais que as casas de Jacó.

3 Dizem coisas gloriosas *
da Cidade do Senhor:
4 ‘Lembro o Egito e Babilônia *
entre os meus veneradores.

= Na Filistéia ou em Tiro †
ou no país da Etiópia, *
este ou aquele ali nasceu’.

=5 De Sião, porém, se diz: †
‘Nasceu nela todo homem; *
Deus é sua segurança’.

=6 Deus anota no seu livro, †
onde inscreve os povos todos: *
‘Foi ali que estes nasceram’.

7 E por isso todos juntos *
a cantar se alegrarão;
– e, dançando, exclamarão: *
‘Estão em ti as nossas fontes!’

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant.Dizem coisas gloriosas da cidade do Senhor.

V. Eu me volto reverente ao vosso templo.
R. E adoro com respeito o vosso nome.

Primeira leitura

Da Primeira Carta de São Pedro             2,1-17

Como pedras vivas, entrai na edificação

Caríssimos: 1Despojai-vos de toda maldade, mentira e hipocrisia, e de toda a inveja e calúnia. 2Como criancinhas recém-nascidas, desejai o leite legítimo e puro, que vos vai fazer crescer na salvação. 3Pois já provastes que o Senhor é bom. 4Aproximai-vos do Senhor, pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e honrosa aos olhos de Deus. 5Do mesmo modo, também vós, como pedras vivas, formai um edifício espiritual, um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 6Com efeito, nas Escrituras se lê: 

“Eis que ponho em Sião uma pedra angular, 
escolhida e magnífica; 
quem nela confiar, não será confundido”. 
7A vós, portanto, que tendes fé, cabe a honra. Mas para os que não creem, 
“a pedra que os construtores rejeitaram 
tornou-se a pedra angular, 
8pedra de tropeço e rocha que faz cair”. Nela tropeçam os que não acolhem a Palavra; esse é o destino deles. 

9Mas vós sois a raça escolhida, o sacerdócio do Reino, a nação santa, o povo que ele conquistou para proclamar as obras admiráveis daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa. 10Vós sois aqueles que “antes não eram povo, agora porém são povo de Deus; os que não eram objeto de misericórdia, agora porém alcançaram misericórdia.”  

11Amados, eu vos exorto como a estrangeiros e migrantes: afastai-vos das humanas paixões,que fazem guerra contra vós mesmos. 12Tende bom procedimento no meio dos gentios. Deste modo, mesmo caluniando-vos, como se fôsseis malfeitores, eles poderão observar a vossa boa atuação e glorificar a Deus, no dia de sua visitação. 

13Sede submissos a toda autoridade humana, por amor ao Senhor, quer ao imperador, como soberano, 14quer aos governadores, que por ordem de Deus castigam os malfeitores e premiam os que fazem o bem. 15Pois a vontade de Deus é precisamente esta: que, fazendo o bem, caleis a ignorância dos insensatos. 16Conduzi-vos como pessoas livres, mas sem usar a liberdade como pretexto para o mal. Pelo contrário, sede servidores de Deus. 

17Honrai a todos, e amai os irmãos. Tende temor de Deus, e honrai o rei. 

Responsório             Cf. Tb 13,16; Ap 21,19-21

R. Todas tuas muralhas são de pedras preciosas.
* E as torres de Sião serão reconstruídas
com gemas reluzentes.
V. As portas de Sião serão reconstruídas
com safiras e esmeraldas
e todas suas muralhas, com pedras preciosas.
* E as torres.

Segunda leitura

Dos Sermões de São Cesário de Arles, bispo

(Sermo 229,1-3: CCL 104,905-908)             (Séc.VI)

Pelo batismo fomos todos feitos templos de Deus

Celebramos hoje, irmãos diletos, com exultação jubilosa e com a bênção de Cristo, o natalício deste templo. Nós, porém, é que temos de ser o verdadeiro templo vivo de Deus. Todavia é com muita razão que os povos cristãos observam com fé a solenidade da Igreja-mãe, por quem reconhecem ter nascido espiritualmente. Pois pelo primeiro nascimento éramos vasos da ira de Deus; pelo segundo, foi-nos dado ser vasos da sua misericórdia. O primeiro nascimento lançou-nos na morte; e o segundo, chamou-nos de novo à vida.

Todos nós, caríssimos, antes do batismo fomos templos do demônio; depois do batismo, obtivemos ser templos de Cristo. E se meditarmos com atenção sobre a salvação de nossa alma, reconheceremos que somos o verdadeiro templo vivo de Deus. Deus não habita somente em construções de mão de homem (At 17,24) nem em casa feita de pedras e madeira; mas principalmente na alma feita à imagem de Deus e edificada por mãos deste artífice. Desse modo pôde São Paulo dizer: O templo de Deus, que sois vós, é santo (1Cor 3,17).

E já que Cristo, quando veio, expulsou o diabo de nossos corações para preparar um templo para si, quanto pudermos, esforcemo-nos com seu auxílio para que em nós não sofra injúria por nossas más obras. Pois quem proceder mal, faz injúria a Cristo. Como disse acima, antes que Cristo nos redimisse, éramos casa do diabo; depois foi-nos dado ser casa de Deus. Deus se dignou fazer de nós sua casa.

Por isso, diletos, se queremos celebrar na alegria o natalício do templo, não devemos destruir em nós, pelas obras más, os templos vivos de Deus. E falarei de modo que todos compreendam: cada vez que entramos na igreja, queremos encontrá-la tal como devemos dispor nossas almas.

Queres ver bem limpa a basílica? Não manches tua alma com as nódoas do pecado. Se desejas que a basílica seja luminosa, também Deus quer que tua alma não esteja em trevas, mas que em nós brilhe a luz das boas obras, como disse o Senhor, e seja glorificado aquele que está nos céus. Do mesmo modo como tu entras nesta igreja, assim quer Deus entrar em tua alma, conforme prometeu: E habitarei e andarei entre eles (cf. Lv 26,11.12).

Responsório             Cf. Ez 47,1.9

R. Vi água saindo da porta do templo, do lado direito.
* E todos aos quais esta água chegou,
tornaram-se salvos, cantando em voz alta:
Aleluia, aleluia.
V. Na dedicação do templo, o povo entoava louvores,
e em todos os lábios vibrava suave um canto festivo.
* E todos.

 HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)

A vós, ó Deus, louvamos,

a vós, Senhor, cantamos.

A vós, Eterno Pai,

adora toda a terra.

A vós cantam os anjos,

os céus e seus poderes:

Sois Santo, Santo, Santo,

Senhor, Deus do universo!

Proclamam céus e terra

a vossa imensa glória.

A vós celebra o coro

glorioso dos Apóstolos,

Vos louva dos Profetas

a nobre multidão

e o luminoso exército

dos vossos santos Mártires.

A vós por toda a terra

proclama a Santa Igreja,

ó Pai onipotente,

de imensa majestade,

e adora juntamente

o vosso Filho único,

Deus vivo e verdadeiro,

e ao vosso Santo Espírito.

Ó Cristo, Rei da glória,

do Pai eterno Filho,

nascestes duma Virgem,

a fim de nos salvar.

Sofrendo vós a morte,

da morte triunfastes,

abrindo aos que têm fé

dos céus o reino eterno.

Sentastes à direita

de Deus, do Pai na glória.

Nós cremos que de novo

vireis como juiz.

Portanto, vos pedimos:

salvai os vossos servos,

que vós, Senhor, remistes

com sangue precioso.

Fazei-nos ser contados,

Senhor, vos suplicamos,

em meio a vossos santos

na vossa eterna glória.

(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).

Salvai o vosso povo.

Senhor, abençoai-o.

Regei-nos e guardai-nos

até a vida eterna.

Senhor, em cada dia,

fiéis, vos bendizemos,

louvamos vosso nome

agora e pelos séculos.

Dignai-vos, neste dia,

guardar-nos do pecado.

Senhor, tende piedade

de nós, que a vós clamamos.

Que desça sobre nós,

Senhor, a vossa graça,

porque em vós pusemos

a nossa confiança.

Fazei que eu, para sempre,

não seja envergonhado:

Em vós, Senhor, confio,

sois vós minha esperança!

Oração

Ó Deus, que edificais o vosso templo eterno com pedras vivas e escolhidas, infundi na vossa Igreja o Espírito que lhe destes, para que o vosso povo cresça sempre mais construindo a Jerusalém celeste. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *