Laudes de Terça-feira da II Semana da Quaresma

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Hino

Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Salmodia

Ant. 1 Enviai-me, ó Senhor, vossa luz, vossa verdade!

Salmo 42(43)

Saudades do templo

Eu vim ao mundo como luz (Jo 12,46).

1 Fazei justiça, meu Deus, e defendei-me *
contra a gente impiedosa;
– do homem perverso e mentiroso *
libertai-me, ó Senhor!

2 Sois vós o meu Deus e meu refúgio: *
por que me afastais?
– Por que ando tão triste e abatido *
pela opressão do inimigo?

3 Enviai vossa luz, vossa verdade: *
elas serão o meu guia;
– que me levem ao vosso Monte santo, *
até a vossa morada!

4 Então irei aos altares do Senhor, *
Deus da minha alegria.
– Vosso louvor cantarei, ao som da harpa, *
meu Senhor e meu Deus!

5 Por que te entristeces, ó minh’alma, *
a gemer no meu peito?
– Espera em Deus! Louvarei novamente *
o meu Deus Salvador!

Ant. Enviai-me, ó Senhor, vossa luz, vossa verdade!

Ant. 2 Salvai-nos, ó Senhor, todos os dias!

Cântico Is 38,10-14.17-20

Angústia de um agonizante e alegria da cura

Eu sou aquele que vive. Estive morto… Eu tenho a chave da morte (Ap 1,18).

10 Eu dizia: “É necesrio que eu me  *
no apogeu de minha vida e de meus dias;
– para a mansão triste dos mortos descerei, *
sem viver o que me resta dos meus anos”.

=11 Eu dizia: “Não verei o Senhor Deus †
sobre a terra dos viventes nunca mais; *
nunca mais verei um homem neste mundo!”

12 Minha morada foi à força arrebatada, *
desarmada como a tenda de um pastor.
– Qual tecelão, eu ia tecendo a minha vida, *
mas agora foi cortada a sua trama.

13 Vou me acabando de manhã até à tarde, *
passo a noite a gemer até a aurora.
– Como um leão que me tritura os ossos todos, *
assim eu vou me consumindo dia e noite.

14 O meu grito é semelhante ao da andorinha, *
o meu gemido se parece ao da rolinha.
– Os meus olhos já se cansam de elevar-se, *
de pedir-vos: “Socorrei-me, Senhor Deus!”

17 Mas vós livrastes minha vida do sepulcro, *
e lançastes para trás os meus pecados.
18 Pois a mansão triste dos mortos não vos louva, *
nem a morte poderá agradecer-vos;

– para quem desce à sepultura é terminada *
a esperança em vosso amor sempre fiel.
19 Só os vivos é que podem vos louvar, *
como hoje eu vos louvo agradecido.

– O pai há de contar para seus filhos *
vossa verdade e vosso amor sempre fiel.
=20 Senhor, salvai-me! Vinde logo em meu auxílio, †
e a vida inteira cantaremos nossos salmos, *
agradecendo ao Senhor em sua casa.

Ant. Salvai-nos, ó Senhor, todos os dias!

Ant. 3 Ó Senhor, convém cantar vosso louvor
com um hino em Sião! †

Salmo 64(65)

Solene ação de graças

Sião significa a cidade celeste (Orígenes).

2 Ó Senhor, convém cantar vosso louvor *
com um hino em Sião!
3 † E cumprir os nossos votos e promessas, *
pois ouvis a oração.

– Toda carne há de voltar para o Senhor, *
por causa dos pecados.
4 E por mais que nossas culpas nos oprimam, *
perdoais as nossas faltas.

5 É feliz quem escolheis e convidais *
para morar em vossos átrios!
– Saciamo-nos dos bens de vossa casa *
e do vosso templo santo.

6 Vossa bondade nos responde com prodígios, *
nosso Deus e Salvador!
– Sois a esperança dos confins de toda a terra *
e dos mares mais distantes.

7 As montanhas sustentais com vossa força: *
estais vestido de poder.
8 Acalmais o mar bravio e as ondas fortes *
e o tumulto das nações.

9 Os habitantes mais longínquos se admiram *
com as vossas maravilhas.
– Os extremos do nascente e do poente *
inundais de alegria.

10 Visitais a nossa terra com as chuvas, *
e transborda de fartura.
– Rios de Deus que vêm do céu derramam águas, *
e preparais o nosso trigo.

11 É assim que preparais a nossa terra: *
vós a regais e aplainais,
– os seus sulcos com a chuva amoleceis *
e abençoais as sementeiras.

12 O ano todo coroais com vossos dons, *
os vossos passos são fecundos;
– transborda a fartura onde passais, *
13 brotam pastos no deserto.

– As colinas se enfeitam de alegria, *
14 e os campos, de rebanhos;
– nossos vales se revestem de trigais: *
tudo canta de alegria!

Ant. Ó Senhor, convém cantar vosso louvor
com um hino em Sião!

Leitura breve             Jl 2,12-13

Voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos; rasgai o coração, e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus; ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo.

Responsório breve

R. Curai-me, ó Deus Santo,
* Pois pequei contra vós! R. Curai-me.
V. Tende piedade de mim, renovai-me!* Pois pequei.
Glória ao Pai. R. Curai-me.

CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79

Ant. O vosso Mestre é um somente,
é o Cristo Senhor que está nos céus.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou
69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 
71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 
73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 
=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor * 
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 
78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 
– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

Ant. O vosso Mestre é um somente,
é o Cristo Senhor que está nos céus.

Preces

Rendamos graças a Deus Pai, que nos deu o seu Filho Unigênito, a Palavra que se fez carne, para ser nosso alimento e nossa vida; e supliquemos:

R. Que a palavra de Cristo habite em nossos corações!

Concedei-nos escutar com mais frequência a vossa palavra, nesta quaresma,
– para louvarmos a Cristo, nossa Páscoa, com maior piedade e devoção, na grande solenidade que se aproxima.
R.
Que o vosso Espírito Santo nos ensine,
– e nos faça testemunhas da vossa verdade e bondade para animar os que vacilam e os que erram.
R.
Fazei-nos viver mais profundamente o mistério de Cristo,
– e manifestá-lo mais claramente em nossa vida.
R.
Purificai e renovai a vossa Igreja neste tempo de graça,
– para que ela proclame cada vez melhor a vossa vontade e a vossa salvação.
R.
(intenções livres)  

Pai nosso…

Oração

Guardai, Senhor Deus, a vossa Igreja com a vossa constante proteção, e, como a fraqueza humana desfalece sem vosso auxílio, livrai-nos constantemente do mal e conduzi-nos pelos caminhos da salvação. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

Um comentário em “Laudes de Terça-feira da II Semana da Quaresma”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.