Laudes de Sexta-feira da Paixão

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Hino

O fel lhe dão por bebida
sobre o madeiro sagrado.
Espinhos, cravos e lança
ferem seu corpo e seu lado.
No sangue e água que jorram,
mar, terra e céu são lavados. 

Ó cruz fiel sois a árvore
mais nobre em meio às demais,
que selva alguma produz
com flor e frutos iguais.
Ó lenho e cravos tão doces,
um doce peso levais. 

Árvore, inclina os teus ramos,
abranda as fibras mais duras.
A quem te fez germinar
minora tantas torturas.
Leito mais brando oferece
ao Santo Rei das alturas. 

Só tu, ó Cruz, mereceste
suster o preço do mundo
e preparar para o náufrago
um porto, em mar tão profundo.
Quis o cordeiro imolado
banhar-te em sangue fecundo. 

Glória e poder à Trindade.
Ao Pai e ao Filho Louvor.
Honra ao Espírito Santo.
Eterna glória ao Senhor,
que nos salvou pela graça
e nos remiu pelo amor.

Salmodia

Ant. 1 Deus não poupou seu próprio Filho,
mas o entregou por todos nós.

Salmo 50(51)

Tende piedade, ó meu Deus!

Renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. Revesti o homem novo (Ef 4,23-24).

3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *
Na imensidão de vosso amor, purificai-me!
4 Lavai-me todo inteiro do pecado, *
e apagai completamente a minha culpa!

5 Eu reconheço toda a minha iniquidade, *
o meu pecado está sempre à minha frente.
6 Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, *
e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

– Mostrais assim quanto sois justo na sentença, *
e quanto é reto o julgamento que fazeis.
7 Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade *
e pecador já minha mãe me concebeu.

8 Mas vós amais os corações que são sinceros, *
na intimidade me ensinais sabedoria.
9 Aspergi-me e serei puro do pecado, *
e mais branco do que a neve ficarei.

10 Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, *
e exultarão estes meus ossos que esmagastes.
11 Desviai o vosso olhar dos meus pecados *
e apagai todas as minhas transgressões!

12 Criai em mim um coração que seja puro, *
dai-me de novo um espírito decidido.
13 Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, *
nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

14 Dai-me de novo a alegria de ser salvo *
e confirmai-me com espírito generoso!
15 Ensinarei vosso caminho aos pecadores, *
e para vós se voltarão os transviados.

16 Da morte como pena, libertai-me, *
e minha língua exaltará vossa justiça!
17 Abri meus bios, ó Senhor, para cantar, *
e minha boca anunciará vosso louvor!

18 Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, *
e, se oferto um holocausto, o rejeitais.
19 Meu sacricio é minha alma penitente, *
não desprezeis um coração arrependido!

20 Sede benigno com Sião, por vossa graça, *
reconstruí Jerusalém e os seus muros!
21 E aceitareis o verdadeiro sacrifício, *
os holocaustos e oblações em vosso altar!

Ant. Deus não poupou seu próprio Filho,
mas o entregou por todos nós.

Ant. 2 Jesus Cristo nos amou até o fim
e lavou nossos pecados com seu sangue.

Cântico Hab 3, 2-4.13a.15-19

Deus há de vir para julgar

Erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima (Lc 21,28).

2 Eu ouvi vossa mensagem, ó Senhor, *
e enchi-me de temor.
– Manifestai a vossa obra pelos tempos *
e tornai-a conhecida.

– Ó Senhor, mesmo na cólera, lembrai-vos *
de ter misericórdia!
3 Deus vi lá das montanhas de Temã, *
e o Santo, de Farã.

– O céu se enche com a sua majestade, *
e a terra, com sua glória.
4 Seu esplendor é fulgurante como o sol, *
saem raios de suas mãos.

– Nelas se oculta o seu poder como num véu, *
seu poder vitorioso.
13 Para salvar o vosso povo vós saístes, *
para salvar o vosso Ungido.

15 E lançastes pelo mar vossos cavalos *
no turbilhão das grandes águas.
16 Ao ouvi-lo estremeceram-me as entranhas *
e tremeram os meus lábios.

– A rie penetrou-me até os ossos, *
e meus passos vacilaram.
– Confiante espero o dia da aflição, *
que vi contra o opressor.

17 Ainda que a figueira não floresça *
nem a vinha dê seus frutos,
– a oliveira não dê mais o seu azeite, *
nem os campos, a comida;

– mesmo que faltem as ovelhas nos apriscos *
e o gado nos currais:
18 mesmo assim eu me alegro no Senhor, *
exulto em Deus, meu Salvador!

19 O meu Deus e meu Senhor é minha força *
e me faz ágil como a corça;
– para as alturas me conduz com segurança *
ao cântico de salmos.

Ant. Jesus Cristo nos amou até o fim
e lavou nossos pecados com seu sangue.

Ant. 3 Adoramos, Senhor, vosso madeiro,
vossa ressurreição nós celebramos.
A alegria chegou ao mundo inteiro,
pela cruz que nós hoje veneramos.

Salmo 147(147 B)

Restauração de Jerusalém

Vem! Vou mostrar-te a noiva, a esposa do Cordeiro! (Ap 21,9).

12 Glorifica o Senhor, Jerusalém! *
Ó Sião, canta louvores ao teu Deus!

13 † Pois reforçou com segurança as tuas portas, *
e os teus filhos em teu seio abençoou;
14 a paz em teus limites garantiu *
e te  como alimento a flor do trigo.

15 Ele envia suas ordens para a terra, *
e a palavra que ele diz corre veloz;
16 ele faz cair a neve como lã *
e espalha a geada como cinza. –

17 Como de pão lança as migalhas do granizo, *
a seu frio as águas ficam congeladas.
18 Ele envia sua palavra e as derrete, *
sopra o vento e de novo as águas correm.

19 Anuncia a Jacó sua palavra, *
seus preceitos e suas leis a Israel.
20 Nenhum povo recebeu tanto carinho, *
a nenhum outro revelou os seus preceitos.

Ant. Glorifica Adoramos, Senhor, vosso madeiro,
vossa ressurreição nós celebramos.
A alegria chegou ao mundo inteiro,
pela cruz que nós hoje veneramos.

Leitura breve                 Is 52,13-15

Ei-lo, o meu Servo será bem sucedido; sua ascensão será ao mais alto grau. Assim como muitos ficaram pasmados ao vê-lo – tão desfigurado ele estava que não parecia ser um homem ou ter aspecto humano – do mesmo modo ele espalhará sua fama entre os povos. Diante dele os reis se manterão em silêncio, vendo algo que nunca lhes foi narrado e conhecendo coisas que jamais ouviram.

Em lugar do responsório se diz:

Ant. Jesus Cristo se humilhou e se fez obediente,
obediente até à morte e morte de cruz.

Cântico evangélico, ant. Acima de sua cabeça puseram escrito o motivo
da culpa e do crime de Cristo:
Jesus Nazareno, o Rei dos judeus.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou
69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 
71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 
73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 
=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor * 
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 
78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 
– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

Ant. Acima de sua cabeça puseram escrito o motivo
da culpa e do crime de Cristo:
Jesus Nazareno, o Rei dos judeus.

Preces


Adoremos com sincera piedade a Cristo, nosso Redentor, que por nós sofreu a Paixão e foi sepultado para ressuscitar ao terceiro dia; e peçamos humildemente:
R. Senhor, tende piedade de nós!

Cristo, nosso Mestre e Senhor, obediente até à morte por nosso amor,
– ensinai-nos a obedecer sempre à vontade do Pai.R.

Cristo, nossa vida, que morrendo na cruz, destruístes o poder da morte e do inferno,
– ensinai-nos a morrer convosco, para merecermos também ressuscitar convosco na glória.

Cristo, nosso Rei, que fostes desprezado como um verme e humilhado como a vergonha do gênero humano,
– ensinai-nos a imitar a vossa humildade salvadora.R.

Cristo, nossa salvação, que destes a vida por amor dos seres humanos, vossos irmãos e irmãs,
– fazei que nos amemos uns aos outros com a mesma caridade. R.

Cristo, nosso Salvador, que de braços abertos na cruz quisestes atrair para vós a humanidade inteira,
– reuni em vosso reino os filhos e as filhas de Deus dispersos pelo mundo. R.

(intenções livres)

Pai nosso.
 

Oração

Olhai com amor, ó Pai, esta vossa família, pela qual nosso Senhor Jesus Cristo livremente se entregou às mãos dos inimigos e sofreu o suplício da cruz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

Categorias

Comments

  1. Genaceia Alberton disse:

    Pela Paixão de Cristo peçamos misericórdia neste momento de dor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *