Hora Terça da Festa de São Lourenço

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Vinde, Espírito de Deus,
com o Filho e com o Pai,
inundai a nossa mente,
nossa vida iluminai.

Boca, olhos, mãos, sentidos,
tudo possa irradiar
o amor que em nós pusestes
para aos outros inflamar.

A Deus Pai e ao seu Filho
por vós dai-nos conhecer.
Que de ambos procedeis
dai-nos sempre firmes crer.

Ou:

Mantendo a ordem certa,
do coração fiel,
na hora terça oremos
aos Três, fulgor do céu.

Queremos ser os templos
do Espírito Santo, outrora
descido sobre os Doze
em chamas, nesta hora.

Fiel aos seus desígnios,
do Reino o Autor divino
a tudo ornou de graça
segundo o seu destino.

Louvor e glória ao Pai,
ao Filho, Sumo Bem,
e ao seu divino Espírito,
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 A plenitude da lei é o amor.

Salmo 118(119),97-104

XIII (Mem)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Este é o mandamento que dele recebemos: aquele que ama a Deus, ame também o seu irmão! (1Jo 4,21).

97 Quanto eu amo, ó Senhor, a vossa lei! *
Permaneço o dia inteiro a meditá-la.
98 Vossa lei me faz mais sábio que os rivais, *
porque ela me acompanha eternamente.

99 Fiquei mais bio do que todos os meus mestres, *
porque medito sem cessar vossa Aliança.
100 Sou mais prudente que os próprios anciãos, *
porque cumpro, ó Senhor, vossos preceitos.

101 De todo mau caminho afasto os passos, *
para que eu siga fielmente as vossas ordens.
102 De vossos julgamentos não me afasto, *
porque vós mesmo me ensinastes vossas leis.

103 Como é doce ao paladar vossa palavra, *
muito mais doce do que o mel na minha boca!
104 De vossa lei eu recebi inteligência, *
por isso odeio os caminhos da mentira.

Ant. A plenitude da lei é o amor.

Ant. 2 Recordai-vos deste povo que outrora adquiristes!

Salmo 73(74)

Lamentação sobre o templo devastado

Não tenhais medo dos que matam o corpo (Mt 10,28).

I

1 Ó Senhor, por que razão nos rejeitastes para sempre *
e vos irais contra as ovelhas do rebanho que guiais?
=2 Recordai-vos deste povo que outrora adquiristes, †
desta tribo que remistes para ser a vossa herança, *
e do monte de Sião que escolhestes por morada!

3 Dirigi-vos até lá para ver quanta ruína: *
no santuário o inimigo destruiu todas as coisas;
4 e, rugindo como feras, no local das grandes festas, *
lá puseram suas bandeiras vossos ímpios inimigos.

5 Pareciam lenhadores derrubando uma floresta, *
6 ao quebrarem suas portas com martelos e com malhos.
7 Ó Senhor, puseram fogo mesmo em vosso santuário! *
Rebaixaram, profanaram o lugar onde habitais!

8 Entre si eles diziam: “Destruamos de uma vez!” *
E os templos desta terra incendiaram totalmente.
9 Já não vemos mais prodígios, já não temos mais profetas,*
ninguém sabe, entre nós, até quando isto será!

10 Até quando, Senhor Deus, vai blasfemar o inimigo? *
Porventura ultrajará eternamente o vosso nome?
11 Por que motivo retirais a vossa mão que nos ajuda? *
Por que retendes escondido vosso braço poderoso?
12 No entanto, fostes vós o nosso Rei desde o princípio, *
e só vós realizais a salvação por toda a terra.

Ant. Recordai-vos deste povo que outrora adquiristes!

Ant. 3 Levantai-vos, Senhor Deus,
e defendei a vossa causa!

II

13 Com vossa força poderosa dividistes vastos mares *
e quebrastes as cabeças dos dragões nos oceanos.
14 Fostes vós que ao Leviatã esmagastes as cabeças *
e o jogastes como pasto para os monstros do oceano.
15 Vós fizestes irromper fontes de águas e torrentes *
e fizestes que secassem grandes rios caudalosos.

16 Só a vós pertence o dia, só a vós pertence a noite; *
vós criastes sol e lua, e os fixastes lá nos céus.
17 Vós marcastes para a terra o lugar de seus limites, *
vós formastes o verão, vós criastes o inverno.

18 Recordai-vos, ó Senhor, das blasmias do inimigo *
e de um povo insensato que maldiz o vosso nome!
19 Não entregueis ao gavião a vossa ave indefesa, *
não esqueçais até o fim a humilhação dos vossos pobres!

20 Recordai vossa Aliança! A medida transbordou, *
porque nos antros desta terra só existe violência!
21 Que não se escondam envergonhados o humilde e o pequeno, *
mas glorifiquem vosso nome o infeliz e o indigente!

22 Levantai-vos, Senhor Deus, e defendei a vossa causa! *
Recordai-vos do insensato que blasfema o dia todo!
23 Escutai o vozerio dos que gritam contra vós, *
e o clamor sempre crescente dos rebeldes contra vós!

Ant. Levantai-vos, Senhor Deus, e defendei a vossa causa!

Leitura breve                 1Pd 5,10-11

Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna, em Cristo, vos restabelecerá e vos tornará firmes, fortes e seguros. A ele pertence o poder, pelos séculos dos séculos. Amém.

V. O Senhor o revestiu de alegria.
R. E lhe deu uma coroa de triunfo.

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *