Laudes de Sexta-feira da 2ª Semana do Advento

0 comentário


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Em meio à treva escura,
ressoa clara voz.
Os sonhos maus se afastem,
refulja o Cristo em nós. 

Despertem os que dormem
feridos de pecado.
Um novo sol já brilha,
o mal vai ser tirado. 

Do céu desce o Cordeiro
Que traz a salvação.
Choremos e imploremos
Das culpas o perdão. 

E ao vir julgar o mundo
No dia do terror,
Não puna tantas culpas,
Mas venha com amor. 

Ao Pai e ao seu Filho
poder e majestade,
e glória ao Santo Espírito
por toda a eternidade. 

Salmodia

Ant. 1 Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido!

Salmo 50(51)

Tende piedade, ó meu Deus!

Renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. Revesti o homem novo (Ef 4,23-24).

3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *
Na imensidão de vosso amor, purificai-me!
4 Lavai-me todo inteiro do pecado, *
e apagai completamente a minha culpa!

5 Eu reconheço toda a minha iniqüidade, *
o meu pecado está sempre à minha frente.
6 Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, *
e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

– Mostrais assim quanto sois justo na sentença, *
e quanto é reto o julgamento que fazeis.
7 Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade *
e pecador já minha mãe me concebeu.

8 Mas vós amais os corações que são sinceros, *
na intimidade me ensinais sabedoria.
9 Aspergi-me e serei puro do pecado, *
e mais branco do que a neve ficarei.

10 Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, *
e exultarão estes meus ossos que esmagastes.
11 Desviai o vosso olhar dos meus pecados *
e apagai todas as minhas transgressões!

12 Criai em mim um coração que seja puro, *
dai-me de novo um espírito decidido.
13 Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, *
nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

14 Dai-me de novo a alegria de ser salvo *
e confirmai-me com espírito generoso!
15 Ensinarei vosso caminho aos pecadores, *
e para vós se voltarão os transviados.

16 Da morte como pena, libertai-me, *
e minha língua exaltará vossa justiça!
17 Abri meus bios, ó Senhor, para cantar, *
e minha boca anunciará vosso louvor!

18 Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, *
e, se oferto um holocausto, o rejeitais.
19 Meu sacricio é minha alma penitente, *
não desprezeis um coração arrependido!

20 Sede benigno com Sião, por vossa graça, *
reconstruí Jerusalém e os seus muros!
21 E aceitareis o verdadeiro sacrifício, *
os holocaustos e oblações em vosso altar!

Ant. Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido.


Ant. 2 Ó Senhor, mesmo na lera, lembrai-vos
de ter misericórdia.

Cântico Hab 3,2-4.13a.15-19

Deus há de vir para julgar

Erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima (Lc 21,28).

2 Eu ouvi vossa mensagem, ó Senhor, *
e enchi-me de temor.
– Manifestai a vossa obra pelos tempos *
e tornai-a conhecida.

– Ó Senhor, mesmo na cólera, lembrai-vos *
de ter misericórdia!
3 Deus vi lá das montanhas de Temã, *
e o Santo, de Farã.

– O céu se enche com a sua majestade, *
e a terra, com sua glória.
4 Seu esplendor é fulgurante como o sol, *
saem raios de suas mãos.

– Nelas se oculta o seu poder como num véu, *
seu poder vitorioso.
13 Para salvar o vosso povo vós saístes, *
para salvar o vosso Ungido.

15 E lançastes pelo mar vossos cavalos *
no turbilhão das grandes águas.
16 Ao ouvi-lo estremeceram-me as entranhas *
e tremeram os meus lábios.

– A rie penetrou-me até os ossos, *
e meus passos vacilaram.
– Confiante espero o dia da aflição, *
que vi contra o opressor.

17 Ainda que a figueira não floresça *
nem a vinha dê seus frutos,
– a oliveira não dê mais o seu azeite, *
nem os campos, a comida;

– mesmo que faltem as ovelhas nos apriscos *
e o gado nos currais:
18 mesmo assim eu me alegro no Senhor, *
exulto em Deus, meu Salvador!

19 O meu Deus e meu Senhor é minha força *
e me faz ágil como a corça;
– para as alturas me conduz com segurança *
ao cântico de salmos.

Ant. Ó Senhor, mesmo na lera, lembrai-vos
de ter misericórdia.

Ant. 3 Glorifica o Senhor, Jerusalém;
ó Sião, canta louvores ao teu Deus! †

Salmo 147(147 B)

Restauração de Jerusalém

Vem! Vou mostrar-te a noiva, a esposa do Cordeiro! (Ap 21,9).

12 Glorifica o Senhor, Jerusalém! *
Ó Sião, canta louvores ao teu Deus!

13 † Pois reforçou com segurança as tuas portas, *
e os teus filhos em teu seio abençoou;
14 a paz em teus limites garantiu *
e te  como alimento a flor do trigo.

15 Ele envia suas ordens para a terra, *
e a palavra que ele diz corre veloz;
16 ele faz cair a neve como lã *
e espalha a geada como cinza. –

17 Como de pão lança as migalhas do granizo, *
a seu frio as águas ficam congeladas.
18 Ele envia sua palavra e as derrete, *
sopra o vento e de novo as águas correm.

19 Anuncia a Jacó sua palavra, *
seus preceitos e suas leis a Israel.
20 Nenhum povo recebeu tanto carinho, *
a nenhum outro revelou os seus preceitos.

Ant. Glorifica o Senhor, Jerusalém;
ó Sião, canta louvores ao teu Deus!

Leitura breve Jr 30,21a.22


Eis que diz o Senhor: Para chefe será escolhido um dos seus, e o soberano sairá do seu meio; eu o incitarei, e ele se aproximará de mim. Sereis meu povo e eu serei vosso Deus.

Responsório breve


R. Que o universo rejubile e dê gritos de alegria:
* Pois o Senhor há de chegar! R. Que o universo.
V. Justiça e paz se abraçarão.
* Pois o Senhor. Glória ao Pai. R. Que o universo.


CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79

Ant. Dizei: Vós que estais desanimados,
tende ânimo, coragem! Não temais!
Eis que vem o Senhor e nosso Deus!

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou
69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 
71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 
73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 
=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor * 
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 
78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 
– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz


Em latim:

BENEDICTUS Dominus Deus Israel, *
quia visitavit, et fecit redemptionem plebis suae:
Et erexit cornu salutis nobis *
in domo David pueri sui.
Sicut locutus est per os sanctorum, *
qui a saeculo sunt, prophetarum eius:
Salutem ex inimicis nostris, *
et de manu omnium qui oderunt nos:
Ad faciendam misericordiam cum patribus nostris: *
et memorari testamenti sui sancti:
Iusiurandum, quod iuravit ad Abraham patrem nostrum, *
daturum se nobis;
Ut sine timore, de manu inimicorum nostrorum liberati, *
serviamus illi.
In sanctitate et iustitia coram ipso, *
omnibus diebus nostris.
Et tu puer, propheta Altissimi vocaberis: *
praeibis enim ante faciem Domini parare vias eius:
Ad dandam scientiam salutis plebi eius: *
in remissionem peccatorum eorum:
Per viscera misericordiae Dei nostri: *
in quibus visitabit nos, oriens ex alto:
Illuminare his qui in tenebris et in umbra mortis sedent: *
ad dirigendos pedes nostros in viam pacis.


Ant. Dizei: Vós que estais desanimados,
tende ânimo, coragem! Não temais!
Eis que vem o Senhor e nosso Deus!

Preces

Oremos, irmãos diletos, a Cristo nosso Redentor, que veio ao mundo para nossa justificação;
e digamos com alegria:

R. Vinde, Senhor Jesus!

Senhor Jesus Cristo, cujo nascimento segundo a carne foi anunciado pelos antigos profetas,
– dai novo vigor às virtudes que fizestes nascer em nosso coração. R.

A nós que anunciamos ao mundo vossa redenção,
– concedei a salvação e a paz. R.

Vós, que viestes salvar os corações atribulados,
– curai as enfermidades do vosso povo. R.

Vós, que viestes reconciliar o mundo com o Pai,
– livrai-nos de toda condenação quando voltardes como juiz no último dia. 

R.

(intenções livres)

Pai nosso…


Em Latim:

Pater noster, qui es in caelis
Sanctificétur nomen tuum
Advéniat regnum tuum
Fiat volúntas tua
Sicut in caelo, et in terra

Panem nostrum quotidiánum da nobis hódie
Et dimítte nobis débita nostra
Sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris
Et ne nos indúcas in tentatiónem
Sed líbera nos a malo

Amem

Oração

Ó Deus onipotente, dai ao vosso povo esperar vigilante a chegada do vosso Filho, para que, instruídos pelo próprio Salvador, corramos ao seu encontro com nossas lâmpadas acesas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

Categorias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *