I Vésperas – SANTÍSSIMO SACRAMENTO DO CORPO E SANGUE DE CRISTO

0 comentário

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Vamos todos louvar juntos
o mistério do amor,
pois o preço deste mundo
foi o sangue redentor,
recebido de Maria,
que nos deu o Salvador.

Veio ao mundo por Maria,
foi por nós que ele nasceu.
Ensinou sua doutrina,
com os homens conviveu.
No final de sua vida,
um presente ele nos deu.

Observando a Lei mosaica,
se reuniu com os irmãos.
Era noite. Despedida.
Numa ceia:refeição.
Deu-se aos doze em alimento,
pelas suas próprias mãos.

A Palavra do Deus vivo
transformou o vinho e o pão
no seu sangue e no seu corpo
para a nossa salvação.
O milagre nós não vemos,
basta a fé no coração.

Tão sublime sacramento
adoremos neste altar,
pois o Antigo Testamento
deu ao Novo seu lugar.
Venha a fé por suplemento
os sentidos completar.

Ao Eterno Pai cantemos
e a Jesus, o Salvador.
Ao Espírito exaltemos,
na Trindade, eterno amor.
Ao Deus Uno e Trino demos
a alegria do louvor.

Salmodia

Ant. 1 O Senhor bom e clemente
alimentou os que o temem,
e deixou-nos a lembrança
de suas grandes maravilhas.

Salmo 110(111)

–1 Eu agradeço a Deus de todo o coração *
junto com todos os seus justos reunidos!
–2 Que grandiosas são as obras do Senhor, *
elas merecem todo o amor e admiração!

–3 Que beleza e esplendor são os seus feitos! *
Sua justiça permanece eternamente!
–4 O Senhor bom e clemente nos deixou *
a lembrança de suas grandes maravilhas.

–5 Ele dá o alimento aos que o temem *
e jamais esquecerá sua Aliança.
–6 Ao seu povo manifesta seu poder, *
dando a ele a herança das nações. 

–7 Suas obras são verdade e são justiça, *
seus preceitos, todos eles, são estáveis,
–8 confirmados para sempre e pelos séculos, *
realizados na verdade e retidão.

=9 Enviou libertação para o seu povo, †
confirmou sua Aliança para sempre. *
Seu nome é santo e é digno de respeito.

=10 Temer a Deus é o princípio do saber, †
e é sábio todo aquele que o pratica. *
Permaneça eternamente o seu louvor.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. O Senhor bom e clemente
alimentou os que o temem,
e deixou-nos a lembrança
de suas grandes maravilhas.


Ant. 2 O Senhor, que traz a paz à sua Igreja,
nos dá como alimento a flor do trigo.

Salmo 147(147 B)

12 Glorifica o Senhor, Jerusalém! *
Ó Sião, canta louvores ao teu Deus!

13 Pois reforçou com segurança as tuas portas, *
e os teus filhos em teu seio abençoou;
14 a paz em teus limites garantiu *
e te dá como alimento a flor do trigo.

15 Ele envia suas ordens para a terra, *
e a palavra que ele diz corre veloz;
16 ele faz cair a neve como lã *
e espalha a geada como cinza. 

17 Como de pão lança as migalhas do granizo, *
a seu frio as águas ficam congeladas.
18 Ele envia sua palavra e as derrete, *
sopra o vento e de novo as águas correm.

19 Anuncia a Jacó sua palavra, *
seus preceitos e suas leis a Israel.
20 Nenhum povo recebeu tanto carinho, *
a nenhum outro revelou os seus preceitos.

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Espírito que habita em nosso peito *
pelos séculos dos séculos. Amém.

Ant. O Senhor, que traz a paz à sua Igreja,
nos dá como alimento a flor do trigo.


Ant. 3 Em verdade eu vos digo:
Não foi Moisés quem deu outrora
aquele pão que vem do céu,
porém meu Pai é quem vos dá
o verdadeiro pão do céu.

 Cântico Ap 11,17-18; 12,10b-12a

 – 1,17 Graças vos damos, Senhor Deus onipotente, *
a Vós que sois, a Vós que éreis e sereis,
– porque assumistes o poder que vos pertence, *
e enfim tomastes posse como rei! 

(R. Nós vos damos graças, nosso Deus!) 

=18 As nações se enfureceram revoltadas, †
mas chegou a vossa ira contra elas *
e o tempo de julgar vivos e mortos,
= e de dar a recompensa aos vossos servos, †
aos profetas e aos que temem vosso nome, *
aos santos, aos pequenos e aos grandes. (R.) 

=12,10Chegou agora a salvação e o poder †
e a realeza do Senhor e nosso Deus, *
e o domínio de seu Cristo, seu Ungido.
– Pois foi expulso o delator que acusava *
nossos irmãos, dia e noite, junto a Deus. (R.) 

=11Mas o venceram pelo sangue do Cordeiro †
e o testemunho que eles deram da Palavra, *
pois desprezaram sua vida até à morte.
– 12Por isso, ó céus, cantai alegres e exultai *
e vós todos os que neles habitais! (R.)

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Espírito que habita em nosso peito *
pelos séculos dos séculos. Amém.

Ant. Em verdade eu vos digo:
Não foi Moisés quem deu outrora
aquele pão que vem do céu,
porém meu Pai é quem vos dá
o verdadeiro pão do céu.


Leitura breve                 1Cor 10,16-17

O cálice da bênção, o cálice que abençoamos, não é comunhão com o sangue de Cristo? E o pão que partimos, não é comunhão com o corpo de Cristo? Porque há um só pão, nós todos somos um só corpo, pois todos participamos desse único pão.

Responsório breve

R. Deus lhes deu para comer o pão do céu,
* Aleluia, aleluia. R. Deus lhes deu.
V. O homem se nutriu do pão dos anjos.* Aleluia.
Glória ao Pai. R. Deus lhes deu.


CÂNTICO EVANGÉLICO (MAGNIFICAT) Lc 1,46-55

Ant. Quão suave é vosso Espírito, ó Senhor, em nosso meio!
Pois quisestes demonstrar tal doçura a vossos filhos,
que os famintos saciais com o pão que vem do céu
de sabor delicioso,
e aos ricos insolentes despedis de mãos vazias.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor *
47 e exulta meu esrito em Deus, meu Salvador;
48 porque olhou para humildade de sua serva, *
doravante as gerações hão de chamar-me de bendita.

49 O Poderoso fez em mim maravilhas *
Santo é o seu nome!
50 Seu amor para sempre se estende *
sobre aqueles que o temem;

51 manifestou o poder de seu braço, *
dispersou os soberbos;
52 derrubou os poderosos de seus tronos *
e elevou os humildes;

53 saciou de bens os famintos, *
despediu os ricos sem nada.
54 Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,

55 como havia prometido a nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Espírito que habita em nosso peito *
pelos séculos dos séculos. Amém.


Em Latim

Magnificat anima mea Dominum
Et exultavit spiritus meus in Deo salvatóre meo.
Quia respexit humilitatem ancillæ suæ: ecce enim ex hoc beatam me dicent omnes generationes.
Quia fecit mihi magna qui potens est, et sanctum nomen eius.
Et misericordia eius a progenie in progenies timentibus eum.
Fecit potentiam in brachio suo, dispersit superbos mente cordis sui.
Deposuit potentes de sede et exaltavit humiles.
Esurientes implevit bonis et divites dimisit inanes,
Suscepit Israel puerum suum recordatus misericordiæ suæ,
Sicut locutus est ad patres nostros, Abraham et semini eius in sæcula.

Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto
Sicut erat in principio, et nunc, et semper, et in saecula saeculorum.
Amen.

Ant. Quão suave é vosso Espírito, ó Senhor, em nosso meio!
Pois quisestes demonstrar tal doçura a vossos filhos,
que os famintos saciais com o pão que vem do céu
de sabor delicioso,
e aos ricos insolentes despedis de mãos vazias.

Preces

Cristo nos convida a todos para a Ceia em que entrega seu corpo e sangue pela vida do mundo. Peçamos-lhe com amor e confiança:

R. Cristo, pão do céu, dai-nos a vida eterna!

Cristo, Filho do Deus vivo, que nos mandastes celebrar a ceia eucarística em memória de vós,
– fortalecei a Igreja com a fiel celebração de vossos mistérios. R.

Cristo, sacerdote único do Deus Altíssimo, que confiastes aos sacerdotes a oferenda da Eucaristia,
– fazei que eles realizem em suas vidas o que celebram no sacramento. R.

Cristo, maná descido do céu, que reunis num só corpo todos os que participam do mesmo pão,
– conservai na paz e na concórdia aqueles que creem em vós. R.

Cristo, médico celeste, que no pão da vida nos ofereceis o remédio da imortalidade e o penhor da ressurreição,
– dai saúde aos doentes e perdão aos pecadores.R.

(intenções livres)

Cristo, rei da eterna glória, que nos mandastes celebrar a eucaristia para anunciar a vossa morte até à vossa vinda no fim dos tempos,
– tornai participantes da vossa ressurreição todos os que morreram no vosso amor. R.

Pai nosso.


Em Latim:

Pater noster, qui es in caelis
Sanctificétur nomen tuum
Advéniat regnum tuum
Fiat volúntas tua
Sicut in caelo, et in terra

Panem nostrum quotidiánum da nobis hódie
Et dimítte nobis débita nostra
Sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris
Et ne nos indúcas in tentatiónem
Sed líbera nos a malo

Amem

Oração

Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento, nos deixastes o memorial da vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continuamente os frutos da vossa redenção. Vós, que viveis e reinais com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

Categorias
Helber Clayton é leigo católico, servidor público, escritor, casado, formado em Letras, com licenciatura em Língua Portuguesa, Língua Inglesa e respectivas literaturas, Especialista em Língua Latina e Filologia Românica.
Mora em Teixeira de Freitas na Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *