Vigílias de Pentecostes

As Vigílias são celebradas aos Domingos, Solenidades e Festas e consistem no prolongamento do Ofício das Leituras, acrescido de três Cânticos do Antigo Testamento e do Evangelho da ressurreição. As Vigílias são a forma mais antiga de oração pública da Igreja, evocando, desde o início, a ressurreição do Senhor na grande Vigília Pascal.


V. Abri os meus bios, ó Senhor.
R. E minha boca anuncia vosso louvor.

R. O Espírito do Senhor o universo todo encheu:
Vinde todos, adoremos! Aleluia!

Salmo 94

Convite ao louvor de Deus

Animai-vos uns aos outros, dia após dia, enquanto ainda se disser ‘hoje’ (Hb 3,13).

1 Vinde, exultemos de alegria no Senhor, *
aclamemos o Rochedo que nos salva!
2 Ao seu encontro caminhemos com louvores, *
e com cantos de alegria o celebremos!

R. 

3 Na verdade, o Senhor é o grande Deus, *
o grande Rei, muito maior que os deuses todos.
4 Tem nas mãos as profundezas dos abismos, *
e as alturas das montanhas lhe pertencem;
5 o mar é dele, pois foi ele quem o fez, *
e a terra firme suas mãos a modelaram.

R. 

6 Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, *
e ajoelhemos ante o Deus que nos criou!
=7 Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, †
e nós somos o seu povo e seu rebanho, *
as ovelhas que conduz com sua mão.

R. 

=8 Oxa ouvísseis hoje a sua voz: †
“Não fecheis os corações como em Meriba, *
9 como em Massa, no deserto, aquele dia,
– em que outrora vossos pais me provocaram, *
apesar de terem visto as minhas obras”.

R. 

=10Quarenta anos desgostou-me aquela raça †
e eu disse: “Eis um povo transviado, *
11 seu coração não conheceu os meus caminhos!”
– E por isso lhes jurei na minha ira: *
“Não entrarão no meu repouso prometido!”

R. 

Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito *
pelos culos dos culos. Amém.

R. 

Hino

Suave luz, luz esplêndida,
fogo do trono enviado
sobre os discípulos de Cristo
como seu dom mais sagrado,

Os corações torna plenos,
a nossa voz enriquece.
Os corações e as línguas
concordes vibrem, em prece.

Consolador Santo, vinde,
os corações abrandai,
regei as línguas fiéis,
fel e veneno queimai.

Com mente pura cantamos,
criação nova tornados.
Nascidos filhos da ira,
da graça agora gerados.

Sois doador e sois dom,
dos corações todo o bem.
A nossa mente inclinai
para o louvor que convém.

Vós os lavais do pecado,
autor de toda a piedade,
gozemos novos em Cristo
desta total novidade. 

Salmodia

Ant. 1 O Espírito sopra aonde quer,
e ouves seu ruído, mas não sabes
de onde vem nem para onde ele vai. Aleluia.

Salmo 103(104)

Hino a Deus Criador

Se alguém está em Cristo, é uma criatura nova. O mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo (2Cor 5,17).

I

1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor! *
Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!
2 De majestade e esplendor vos revestis *
e de luz vos envolveis como num manto.

3 Estendeis qual uma tenda o firmamento, *
construís vosso palácio sobre as águas;
– das nuvens vós fazeis o vosso carro, *
do vento caminhais por sobre as asas;
4 dos ventos fazeis vossos mensageiros, *
do fogo e chama fazeis vossos servidores.

5 A terra vós firmastes em suas bases, *
ficará firme pelos séculos sem fim;
6 os mares a cobriam como um manto, *
e as águas envolviam as montanhas.

7 Ante a vossa ameaça elas fugiram, *
e tremeram ao ouvir vosso trovão;
8 saltaram montes e desceram pelos vales *
ao lugar que destinastes para elas;
9 elas não passam dos limites que fixastes, *
e não voltam a cobrir de novo a terra.

10 Fazeis brotar em meio aos vales as nascentes *
que passam serpeando entre as montanhas;
11 dão de beber aos animais todos do campo, *
e os da selva nelas matam sua sede;
12 às suas margens vêm morar os passarinhos, *
entre os ramos eles erguem o seu canto.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

O Espírito sopra aonde quer,
e ouves seu ruído, mas não sabes
de onde vem nem para onde ele vai. Aleluia.

Ant. 2 De repente um estrondo vem dos céus
como o ruído de um vento impetuoso. Aleluia.

II

13 De vossa casa as montanhas irrigais, *
com vossos frutos saciais a terra inteira;
14 fazeis crescer os verdes pastos para o gado *
e as plantas que são úteis para o homem;

15 para da terra extrair o seu sustento *
e o vinho que alegra o coração,
– o óleo que ilumina a sua face *
e o pão que revigora suas forças.

16 As árvores do Senhor são bem viçosas *
e os cedros que no Líbano plantou;
17 as aves ali fazem os seus ninhos *
e a cegonha faz a casa em suas copas;
18 os altos montes são refúgio dos cabritos, *
os rochedos são abrigo das marmotas.

19 Para o tempo assinalar destes a lua, *
e o sol conhece a hora de se pôr;
20 estendeis a escuridão e vem a noite, *
logo as feras andam soltas na floresta;
21 eis que rugem os leões, buscando a presa, *
e de Deus eles reclamam seu sustento.

22 Quando o sol vai despontando, se retiram, *
e de novo vão deitar-se em suas tocas.
23 Então o homem sai para o trabalho, *
para a labuta que se estende até à tarde.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. De repente um estrondo vem dos céus
como o ruído de um vento impetuoso. Aleluia.

Ant. 3 Enviai o vosso Espírito e renasce todo ser
e havereis de renovar toda a face desta terra! Aleluia.

III

=24 Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras, †
e que sabedoria em todas elas! *
Encheu-se a terra com as vossas criaturas!

=25 Eis o mar tão espaçoso e tão imenso, †
no qual se movem seres incontáveis, *
gigantescos animais e pequeninos;
=26 nele os navios vão seguindo as suas rotas, †
e o monstro do oceano que criastes *
nele vive e dentro dele se diverte.

27 Todos eles, ó Senhor, de vós esperam *
que a seu tempo vós lhes deis o alimento;
28 vós lhes dais o que comer e eles recolhem, *
vós abris a vossa mão e eles se fartam.

=29 Se escondeis a vossa face, se apavoram, †
se tirais o seu respiro, eles perecem *
e voltam para o pó de onde vieram;
30 enviais o vosso espírito e renascem *
e da terra toda a face renovais. 

31 Que a glória do Senhor perdure sempre, *
e alegre-se o Senhor em suas obras!
32 Ele olha para a terra, ela estremece; *
quando toca as montanhas, lançam fogo.

33 Vou cantar ao Senhor Deus por toda a vida, *
salmodiar para o meu Deus enquanto existo.
34 Hoje seja-lhe agradável o meu canto, *
pois o Senhor é a minha grande alegria!

=35 Desapareçam desta terra os pecadores, †
e pereçam os perversos para sempre! *
Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Enviai o vosso Espírito e renasce todo ser
e havereis de renovar toda a face desta terra! Aleluia.

V. O Espírito do Senhor encheu todo o universo. Aleluia.
R. Ele une todo ser e conhece toda voz. Aleluia.

Primeira leitura

Da Carta de São Paulo aos Romanos             8,5-27

Os que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus

        Irmãos: 5Os que vivem segundo a carne aspiram pelas coisas da carne; os que vivem segundo o Espírito, aspiram pelas coisas do espírito. 6Na verdade, as aspirações da carne levam à morte e as aspirações do Espírito levam à vida e à paz. 7Tudo isso, porque as tendências da carne são inimizade contra Deus: não se submetem – nem poderiam submeter-se – à Lei de Deus. 8Os que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus.

        9Vós não viveis segundo a carne, mas segundo o Espírito, se realmente o Espírito de Deus mora em vós. Se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo. 10Se, porém, Cristo está em vós, embora vosso corpo esteja ferido de morte por causa do pecado, vosso espírito está cheio de vida, graças à justiça. 11E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos mora em vós, então aquele que ressuscitou Jesus Cristo dentre os mortos vivificará também vossos corpos mortais por meio do seu Espírito que mora em vós.

        12Portanto, irmãos, temos uma dívida, mas não para com a carne, para vivermos segundo a carne. 13Pois, se viverdes segundo a carne, morrereis, mas se, pelo espírito, matardes o procedimento carnal, então vivereis. 14Todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 15De fato, vós não recebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos: Aba – ó Pai! 16O próprio Espírito se une ao nosso espírito para nos atestar que somos filhos de Deus. 17E, se somos filhos, somos também herdeiros – herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele. 18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós.

        19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. 20Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; também ela espera ser libertada 21da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus. 22Com efeito, sabemos que toda a criação, até ao tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. 24Pois já fomos salvos, mas na esperança. Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? 25Mas se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança.

        26Também o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. 27E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos.

Responsório         Gl 4,6; 3,26; 2Tm 1,7

R. Porque todos vós sois filhos, pela fé em Jesus Cristo,
* Enviou o Senhor Deus aos nossos corações
o Espírito de seu Filho, que clama: “Aba”, Pai. Aleluia.
V. Não nos deu Nosso Senhor um espírito de medo,
mas o Espírito de força, de amor e sobriedade. * Enviou.

Segunda leitura

Do Tratado contra as heresias, de Santo Irineu, bispo

(Lib. 3,17,1-3:SCh34,302-306)         (Séc.II)

O envio do Espírito Santo

        Ao dar a seus discípulos poder para que fizessem os homens renascer em Deus, o Senhor lhes disse: Ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mt 28,19)

        Deus prometera, por meio dos profetas, que nos últimos tempos derramaria o seu Espírito sobre os seus servos e servas para que recebessem o dom da profecia. Por isso, o Espírito Santo desceu sobre o Filho de Deus, que se fez Filho do homem, habituando-se com ele a conviver com o gênero humano, a repousar sobre os homens e a morar na criatura de Deus. Assim renovava os homens segundo a vontade do Pai, fazendo-os passar da sua antiga condição para a vida nova em Cristo.

        São Lucas nos diz que esse Espírito, depois da ascensão do Senhor, desceu sobre os discípulos no dia de Pentecostes, com o poder de dar a vida nova a todos os povos e de fazê-los participar da Nova Aliança. Eis por que, naquele dia, todas as línguas se uniram no mesmo louvor de Deus, enquanto o Espírito congregava na unidade as raças mais diferentes e oferecia ao Pai as primícias de todas as nações.

        Foi por isso que o Senhor prometeu enviar o Paráclito, que os tornaria capazes de receber a Deus. Assim como a farinha seca não pode, sem água, tornar-se uma só massa nem um só pão, nós também, que somos muitos, não poderíamos transformar-nos num só corpo, em Cristo Jesus, sem a água que vem do céu. E assim como a terra árida não produz fruto se não for regada, também nós, que éramos antes como uma árvore ressequida, jamais daríamos frutos de vida, sem a chuva da graça enviada do alto.

        Com efeito, nossos corpos receberam, pela água do batismo, aquela unidade que os torna incorruptíveis; nossas almas, porém, a receberam pelo Espírito.

        O Espírito de Deus desceu sobre o Senhor como espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e de temor de Deus (Is 11,2). É este mesmo Espírito que o Senhor por sua vez deu à Igreja, enviando do céu o Paráclito sobre toda a terra, daquele céu de onde também Satanás caiu como um relâmpago (cf. Lc 10,18).

        Por esse motivo, temos necessidade deste orvalho da graça de Deus para darmos fruto e não sermos lançados ao fogo, e para que também tenhamos um Defensor onde temos um acusador. Pois o Senhor confiou ao Espírito Santo o cuidado da sua criatura, daquele homem que caíra nas mãos dos ladrões e a quem ele, cheio de compaixão, enfaixou as feridas e deu dois denários reais. Tendo assim recebido pelo Espírito a imagem e a inscrição do Pai e do Filho, façamos frutificar os dons que nos foram confiados e os restituamos multiplicados ao Senhor.

Responsório At 2,1-2

R. Ao completar-se Pentecostes, todos eles
na mesma casa se encontrando reunidos,
de repente um ruído veio do céu,
* Como se fosse de um vento impetuoso,
que encheu a casa toda, aleluia.
V. E assim, estando juntos os discípulos,
de repente, um ruído veio do céu. * Como se fosse.

Cânticos

Ant. Não vos deixo como órfãos,
e o vosso coração haverá de se alegrar. Aleluia!

Cântico I    Is 63,1-5

O Senhor, único vencedor dos inimigos

Eles venceram o dragão pelo sangue do Cordeiro (cf. Ap 12,11).

– 1 “Quem é este que vem de Edom, *
vem de Bosra, com vestes vermelhas,
– vem formoso, em trajes de gala, *
caminhando com grande poder?”

– “Sou eu, que proclamo a justiça, *
sou eu, poderoso em salvar!”
– 2 “Mas, por que tua veste é vermelha, *
como a daquele que pisa o lagar?”

– 3 “Eu sozinho pisei o lagar, *
e ninguém me ajudou dentre os povos.
– Com furor, eu, então, os pisei *
e a eles, com ira, esmaguei.

– Salpicou-me seu sangue as vestes, *
o meu traje está todo manchado.
– 4 Da vingança o dia eu queria, *
da redenção já chegou o meu tempo.

– 5 Eu olhei, mas ninguém para ajudar; *
admirei-me, pois não tinha apoio.
– Então, apelei ao meu braço, *
minha ira me veio ajudar.”

Cântico II Os 6,1-6

O Senhor é compassivo, quer misericórdia e não sacrifícios

Ao terceiro dia, o Cristo ressuscitou, segundo as Escrituras (1Cor 15,4).

– 1 Vinde, todos, retornemos ao Senhor, *
pois, se ele nos feriu, nos curará.
=2 Em dois dias nos dará, de novo, a vida †
e em três dias haverá de reerguer-nos *
e viveremos na presença do Senhor.

– 3 Apliquemo-nos, a fim de o conhecer, *
esforcemo-nos, a fim de o seguir!
= Tão certa como a aurora é sua vinda, †
como a chuva para nós ele virá, *
chuva tardia, que irriga toda a terra.

=4 “Que te farei, ó Efraim, e a ti, Judá? †
O vosso amor é como a nuvem da manhã, *
como orvalho que, depressa, se dissipa.
=5 Por isso, os castiguei pelos profetas †
e os matei pelas palavras de minha boca *
e meu juízo resplandece como a luz.

– 6 Misericórdia eu quero e não teus sacrifícios, *
conhecimento do Senhor, mais que holocaustos.”

Cântico III Sf 3,8-13

O resto de Israel, no fim, será salvo

Isaías clama a respeito de Israel: Ainda que o número dos israelitas fosse como a areia do mar, só um resto será salvo (Rm9,27).

=8 Esperai-me, esperai-me, palavra do Senhor, †
no dia em que eu me levantar para dar meu testemunho,*
porque é minha decisão, reunir nações e reinos,
= a fim de derramar sobre eles meu furor †
e toda a indignação da minha cólera inflamada, *
pois o fogo do meu zelo consumirá a terra inteira.

=9 Então, eu haverei de dar aos povos lábios puros, †
para todos invocarem o nome do Senhor *
e o servirem, lado a lado, com igual dedicação.
10 De além dos rios da Etiópia virão os meus adoradores,*
os meus filhos espalhados me trarão seus sacrifícios.

11 Naquele dia, não terás de envergonhar-te de tuas obras,*
dos pecados cometidos, pelos quais tu me traíste,
= porque, então, eu tirarei do teu meio os teus soberbos †
e arrogantes fanfarrões; e não mais te orgulharás *
sobre este Monte santo, que é meu, diz o Senhor.

12 Em teu meio deixarei um povo humilde e modesto, *
que porá sua esperança no nome do Senhor.

= O resto de Israel não fará mais injustiça, †
13 nem mentiras falará; e não mais se haverá *
de encontrar em sua boca uma língua enganadora.

– Pois, serão apascentados e repouso encontrarão *
e não haverá ninguém que os possa perturbar.

Ant. Não vos deixo como órfãos,
e o vosso coração haverá de se alegrar. Aleluia!

Leitura do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus                       28,16-20

Ide e fazei discípulos meus todos os povos

Naquele tempo:16 Os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. 17 Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram. 18 Então Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 19 Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, 20 e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo”.

HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)

A vós, ó Deus, louvamos,
a vós, Senhor, cantamos.
A vós, Eterno Pai,
adora toda a terra.

A vós cantam os anjos,
os céus e seus poderes:
Sois Santo, Santo, Santo,
Senhor, Deus do universo!

Proclamam céus e terra
a vossa imensa glória.
A vós celebra o coro
glorioso dos Apóstolos,

Vos louva dos Profetas
a nobre multidão
e o luminoso exército
dos vossos santos Mártires.

A vós por toda a terra
proclama a Santa Igreja,
ó Pai onipotente,
de imensa majestade,

e adora juntamente
o vosso Filho único,
Deus vivo e verdadeiro,
e ao vosso Santo Espírito.

Ó Cristo, Rei da glória,
do Pai eterno Filho,
nascestes duma Virgem,
a fim de nos salvar.

Sofrendo vós a morte,
da morte triunfastes
abrindo aos que têm fé
dos céus o reino eterno.

Sentastes à direita
de Deus, do Pai na glória.
Nós cremos que de nov
vireis como juiz.

Portanto, vos pedimos:
salvai os vossos servos,
que vós, Senhor, remistes
com sangue precioso.

Fazei-nos ser contados,
Senhor, vos suplicamos,
em meio a vossos santos
na vossa eterna glória.

(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).

Salvai o vosso povo.
Senhor, abençoai-o.
Regei-nos e guardai-nos
até a vida eterna.

Senhor, em cada dia,
fiéis, vos bendizemos,
louvamos vosso nome
agora e pelos séculos.

Dignai-vos, neste dia,
guardar-nos do pecado.
Senhor, tende piedade
de nós, que a vós clamamos.

Que desça sobre nós,
Senhor, a vossa graça,
porque em vós pusemos
a nossa confiança.

Fazei que eu, para sempre,
não seja envergonhado:
Em vós, Senhor, confio,
sois vós minha esperança!

Oração

Deus todo-poderoso, dai-nos celebrar com fervor estes dias de júbilo em honra do Cristo ressuscitado, para que nossa vida corresponda sempre aos mistérios que recordamos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.