Quarta-feira da 12ª Semana do Tempo Comum IV Semana do Saltério

Compartilhar:

 

Invitatório

 Ant. do Invitatório: Aclamai o Senhor, ó terra inteira,
              servi ao Senhor com alegria!


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Autor dos seres, Redentor dos tempos,
Juiz temível, Cristo, Rei dos reis,
nosso louvor, o nosso canto e prece,
clemente, acolhei.

Sobe até vós no transcorrer da noite,
como oferenda, um jovial louvor.
Por vós aceito, traga a nós conforto,
da luz, ó Autor.

A honestidade alegre os nossos dias,
não haja morte e treva em nossa vida.
Em nossos atos, sempre a vossa glória
seja refletida!

Queimai em nós o coração e os rins
com a divina chama, o vosso amor.
Velemos, tendo em mãos acesas lâmpadas,
pois vem o Senhor.

Ó Salvador, a vós louvor e glória,
e a vosso Pai, Deus vivo, Sumo Bem.
Ao Santo Espírito o céu entoe hosanas
para sempre. Amém.

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Luz verdadeira, amor, piedade,
e alegria sem medida;
da morte, ó Cristo, nos salvastes!
Por vosso sangue temos vida.

O vosso amor nos corações,
nós vos pedimos, derramai;
dai-lhes da fé a luz eterna
e em caridade os confirmai.

De nós se afaste Satanás,
por vossas forças esmagado.
E venha a nós o Santo Espírito
do vosso trono o Enviado.

Louvor a Deus, eterno Pai,
e a vós seu Filho, Sumo Bem,
reinando unidos pelo Espírito
hoje e nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor,
não te esqueças de nenhum de seus favores!

Salmo 102(103)

Hino à misericórdia do Senhor

Graças à misericordiosa compaixão do nosso Deus, o sol que nasce do alto nos veio visitar (cf. Lc 1,78).

I

1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor, *
e todo o meu ser, seu santo nome!

2
Bendize, ó minha alma, ao Senhor, *
não te esqueças de nenhum de seus favores!

3 Pois ele te perdoa toda culpa, *
e cura toda a tua enfermidade;

4 da sepultura ele salva a tua vida *
e te cerca de carinho e compaixão;

5
de bens ele sacia tua vida, *
e te tornas sempre jovem como a águia!

6 O Senhor realiza obras de justiça *
e garante o direito aos oprimidos;

7
revelou os seus caminhos a Moisés, *
e aos filhos de Israel, seus grandes feitos.

Ant. Bendize, ó minha alma, ao Senhor,
não te esqueças de nenhum de seus favores!

Ant. 2 Como um pai se compadece de seus filhos,
o Senhor tem compaixão dos que o temem.

II

8 O Senhor é indulgente, é favovel, *
é paciente, é bondoso e compassivo.

9 Não fica sempre repetindo as suas queixas, *
nem guarda eternamente o seu rancor.

10
Não nos trata como exigem nossas faltas, *
nem nos pune em proporção às nossas culpas.

11 Quanto os céus por sobre a terra se elevam, *
tanto é grande o seu amor aos que o temem;

12 quanto dista o nascente do poente, *
tanto afasta para longe nossos crimes.

13
Como um pai se compadece de seus filhos, *
o Senhor tem compaixão dos que o temem.

14 Porque sabe de que barro somos feitos, *
e se lembra que apenas somos pó.

15 Os dias do homem se parecem com a erva, *
ela floresce como a flor dos verdes campos;

16
mas apenas sopra o vento ela se esvai, *
já nem sabemos onde era o seu lugar.

Ant. Como um pai se compadece de seus filhos,
o Senhor tem compaixão dos que o temem.

Ant. 3 Obras todas do Senhor, glorificai-o!

III

17 Mas o amor do Senhor Deus por quem o teme *
é de sempre e perdura para sempre;

– e também sua justiça se estende *
por gerações até os filhos de seus filhos,

18
aos que guardam fielmente sua Aliança *
e se lembram de cumprir os seus preceitos.

19 O Senhor pôs o seu trono lá nos céus, *
e abrange o mundo inteiro seu reinado.

=20
Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos, †
valorosos que cumpris as suas ordens, *
sempre prontos para ouvir a sua voz!

21 Bendizei ao Senhor Deus, os seus poderes, *
seus ministros, que fazeis sua vontade!

=22
Bendizei-o, obras todas do Senhor †
em toda parte onde se estende o seu reinado! *
Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

Ant. Obras todas do Senhor, glorificai-o!

V. Fazei-me conhecer vossos caminhos.

R. E então meditarei vossos progios!

 

Primeira leitura

Do Primeiro Livro de Samuel                 19,8-10; 20,1-17

 

Amizade entre Davi e Jônatas

            Naqueles dias: 19,8 Tendo recomeçado a guerra, Davi saiu a combater contra os filisteus, infligindo-lhes uma grande derrota. E eles fugiram diante dele. 9Um espírito maligno mandado pelo Senhor veio novamente sobre Saul. Ele estava sentado em sua casa, e tinha uma lança na mão, enquanto Davi tocava harpa. 10Saul, então, arremessou-lhe a lança, procurando cravá-lo na parede; Davi porém desviou-se e a lança foi cravar-se na parede. Davi esquivou-se e fugiu naquela mesma noite.

              20,1 Davi fugiu de Naiot em Ramá e foi ter com Jônatas, dizendo-lhe: “Que fiz eu? Que crime cometi, e que mal fiz a teu pai,para que ele queira matar-me?” 2Jônatas respondeu: “Não, tu não morrerás! Meu pai não faz coisa alguma grande ou pequena, sem me dizer. Por que me ocultaria isso? Não é possível!” 3Mas Davi jurou, dizendo: “Teu pai sabe muito bem que gozo do teu favor, e por isso pensa: ‘Jônatas não o deve saber, para não ficar magoado’. E, contudo, pela vida do Senhor e pela tua vida, estou apenas a um passo da morte”.

              4Jônatas respondeu a Davi: “Que queres que eu faça? Farei por ti tudo o que me disseres”. Disse-lhe Davi: 5“Amanhã é lua nova, e eu deveria jantar, conforme o costume, à mesa do rei. Deixa-me partir para me esconder no campo, até depois de amanhã à tarde. 6Se teu pai der pela minha ausência, tu lhe dirás que Davi te pediu licença para ir depressa a Belém, sua cidade natal, onde toda a sua família oferece o seu sacrifício anual. 7Se ele disser que está bem, então o teu servo não corre perigo. Mas, se ao contrário ele ficar irado, fica sabendo que ele está resolvido a matar-me. 8Faze este favor ao teu servo, já que fizeste um pacto comigo em nome do Senhor. Se tenho alguma culpa, mata-me tu mesmo, mas não me faças comparecer diante de teu pai”. 9Jônatas disse-lhe: “Deus te livre de tal desgraça! Se eu souber que, de fato, meu pai resolveu matar-te, podes estar certo de que te avisarei”. 10E Davi perguntou: “Mas quem me informarás e teu pai te responder com aspereza?”

              11Jônatas disse a Davi: “Vamos sair para o campo”. E foram ambos para o campo. 12Então Jônatas disse: “Pelo Senhor Deus de Israel, se eu, amanhã ou depois, conseguir saber se as disposições de meu pai são favoráveis a Davi, e se eu não te mandar dizer imediatamente, 13então o Senhor me castigue com todo o seu rigor! Mas se persistir a má vontade de meu pai contra ti, eu te avisarei, sem dúvida, a respeito disso. Poderás, então, partir e ficar tranquilo. E o Senhor esteja contigo, como esteve com meu pai! 14Mais tarde, se eu ainda for vivo, tu me tratarás de acordo com a misericórdia do Senhor. Mas, se eu morrer, 15terás sempre compaixão da minha casa, mesmo quando o Senhor exterminar um por um os inimigos de Davi da face da terra”. 16Foi assim que Jônatas fez aliança com a casa de Davi, dizendo: “Que o Senhor livre Davi das mãos dos inimigos!” 17Em seguida, Jônatas tornou a jurar a Davi por causa da amizade que lhe tinha porque o amava como a si mesmo.

 

Responsório Pr 17,17; 1Jo 4,7b

 

R. Amigo verdadeiro é aquele que ama sempre,

* E o irmão se reconhece nas horas de angústia.

V. Todo aquele que ama, é nascido de Deus

e conhece a Deus. * E o irmão.

 

Segunda leitura

Do Tratado sobre a amizade espiritual, do beato Elredo, abade

(Lib. 3:PL195,692-693)            (Séc.XII)

 

Verdadeira, perfeita e eterna amizade

            Jônatas, jovem de grande nobreza, sem olhar para a coroa régia nem para o futuro reinado fez um pacto com Davi, igualando assim, pela amizade, o súdito ao senhor. Deu preferência a Davi, mesmo quando este foi expulso por seu pai o rei Saul, tendo de se esconder no deserto, como condenado à morte, destinado à espada. Jônatas então humilhou-se para exaltar o amigo perseguido: Tu, são suas palavras, serás rei e eu serei o segundo depois de ti.

            Que espelho estupendo da verdadeira amizade! Admirável! O rei, furioso contra o servo, excitava todo o país contra um possível rival do reino. Assim, acusava sacerdotes de traição, trucidando-os por uma simples suspeita. Percorria as matas, esquadrinhava os vales, cercava com suas tropas os montes e penhascos, fazendo todos prometerem tornar-se vingadores da indignação real.

            Entretanto, Jônatas, o único que poderia ter razão de invejar, só ele julgou dever resistir a seu pai, oferecendo a paz ao amigo, aconselhando-o em tão grande adversidade, preferindo a amizade ao reino: Tu serás rei e eu serei o segundo depois de ti. Em contraste, vede como o pai estimulava a inveja do adolescente contra o amigo, apertava-o com repreensões, amedrontava-o com ameaças de ser despojado do reino, prometendo privá-lo da nobreza.

            Quando pronunciou sentença de morte contra Davi, Jônatas não abandonou o amigo. Por que deve morrer Davi? que culpa tem? que fez ele? Tomou sua vida em suas mãos e feriu o filisteu e tu te alegraste. Por que então irá morrer? A tais palavras, louco de cólera, o rei tentou transpassar Jônatas, com a lança contra a parede, ameaçando aos gritos: Filho de mãe indigna, bem sei que gostas dele para vergonha tua, confusão e infâmia de tua mãe. Depois vomitou todo o veneno sobre o coração do jovem, acrescentando incentivo à sua ambição, alimento à inveja, estímulo à rivalidade e à amargura: Enquanto viver o filho de Isaí, não se estabelecerá o teu reino.

            Quem não se abalaria com tais palavras? Quem não se encheria de inveja? Que amor, que agrado, que amizade elas não corromperiam, não diminuiriam, não fariam esquecer? Jônatas, o moço cheio de afeição, guardou o pacto da amizade, forte contra as ameaças, paciente contra o furor, desprezou o reino por causa da amizade, esquecido das glórias, bem lembrado da graça. Tu serás rei e eu serei o segundo depois de ti.

            Esta é a verdadeira, perfeita, estável e eterna amizade, aquela que a inveja não corrompe, suspeita alguma diminui, não se desfaz pela ambição. Assim provada, não cede; assim batida, não cai; assim sacudida por tantas censuras, mostra-se inabalável e, provocada por tantas injúrias, permanece imóvel. Vai, então, e faze tu o mesmo.

 

Responsório Eclo 6,14-17

 

R. O amigo fiel é refúgio seguro.

* Quem achou tal amigo, encontrou um tesouro.

V. Quem teme ao Senhor,

também há de ter uma boa amizade,

porque tal ele é, tal será seu amigo. * Quem achou.

 

Oração

Senhor, nosso Deus, dai-nos por toda a vida a graça de vos amar e temer, pois nunca cessais de conduzir os que firmais no vosso amor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

Invitatório

  Ant. do Invitatório: Aclamai o Senhor, ó terra inteira,
               servi ao Senhor com alegria!


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

Criador das alturas celestes,
vós fixastes caminhos de luz
para a lua, rainha da noite,
para o sol, que de dia reluz.

Vai-se a treva, fugindo da aurora,
e do dia se espalha o clarão.
Nova força também nos desperta
e nos une num só coração.

O nascer deste dia convida
a cantarmos os vossos louvores.
Do céu jorra uma paz envolvente,
harmonia de luz e de cores.

Ao clarão desta luz que renasce,
fuja a treva e se apague a ilusão.
A discórdia não trema nos lábios,
a maldade não turve a razão.

Quando o sol vai tecendo este dia,
brilhe a fé com igual claridade,
cresça a espera nos bens prometidos
e nos una uma só caridade.

Escutai-nos, ó Pai piedoso,
e vós, Filho, do Pai esplendor,
que reinais, com o Espírito Santo,
na manhã sem ocaso do amor.

Salmodia

Ant. 1 Meu coração está pronto, meu Deus,
está pronto o meu coração!

Salmo 107(108)

Louvor a Deus e pedido de ajuda

Porque o Filho de Deus foi exaltado acima dos céus, sua glória foi anunciada por toda a terra (Arnóbio).

2 Meu coração está pronto, meu Deus, *
está pronto o meu coração!

Vou cantar e tocar para vós: *
desperta, minh’alma, desperta!

3
Despertem a harpa e a lira, *
eu irei acordar a aurora!

4 Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos, *
dar-vos graças por entre as nações!

5
Vosso amor é mais alto que os céus, *
mais que as nuvens a vossa verdade!

6 Elevai-vos, ó Deus, sobre os céus, *
vossa glória refulja na terra!

7
Sejam livres os vossos amados, *
vossa mão nos ajude, ouvi-nos!

=8 Deus falou em seu santo lugar: †
“Exultarei, repartindo Siquém, *
e o vale em Sucot medirei.

=9
Galaad, Manassés me pertencem, †
Efraim é o meu capacete, *
e Ju, o meu cetro real.

=10 É Moab minha bacia de banho, †
sobre Edom eu porei meu calçado, *
vencerei a nação filistéia!”

11 Quem me leva à cidade segura, *
e a Edom quem me vai conduzir,

12
se vós, Deus, rejeitais vosso povo *
e não mais conduzis nossas tropas?

13 Dai-nos, Deus, vosso auxílio na angústia, *
nada vale o socorro dos homens!

14
Mas com Deus nós faremos proezas, *
e ele vai esmagar o opressor.

Ant. Meu coração está pronto, meu Deus,
está pronto o meu coração!

Ant. 2 Deus me envolveu de salvação qual uma veste,
e com o manto da justiça me cobriu.

Cântico Is 61,10–62,5

A alegria do profeta sobre a nova Jerusalém

Vi a cidade santa, a nova Jerusalém,... vestida qual esposa enfeitada para o seu marido (cf. Ap 21,2).

61,10 Eu exulto de alegria no Senhor, *
e minh’alma rejubila no meu Deus.

– Pois me envolveu de salvação, qual uma veste, *
e com o manto da justiça me cobriu,

– como o noivo que coloca o diadema, *
como a noiva que se enfeita com suas jóias.

11 Como a terra faz brotar os seus rebentos *
e o jardim faz germinar suas sementes,

– o Senhor Deus fará brotar sua justiça *
e o louvor perante todas as nações.

62,1 Por ti, Sião, não haverei de me calar, *
nem por ti, Jerusalém, terei sossego,

– até que brilhe tua justiça como a aurora *
e a tua salvação como um farol.

2 Então os povos hão de ver tua justiça, *
e os reis de toda a terra, a tua glória;

– todos eles te darão um nome novo: *
enunciado pelos lábios do Senhor.

3
Serás coroa esplendorosa em sua mão, *
diadema gio entre as mãos do teu Senhor.

4 Nunca mais te chamarão “Desamparada”, *
nem se di de tua terra “Abandonada”;

– mas haverão de te chamar “Minha querida”, *
e se di de tua terra “Desposada”.

– Porque o Senhor se agradou muito de ti, *
e tua terra há de ter o seu esposo.

5 Como um jovem que desposa a bem-amada, *
teu Construtor, assim também, vai desposar-te;

– como a esposa é a alegria do marido, *
serás assim a alegria do teu Deus.

Ant. Deus me envolveu de salvação qual uma veste,
e com o manto da justiça me cobriu.

Ant. 3 Bendirei ao Senhor toda a vida.

Salmo 145(146)

Felicidade dos que esperam no Senhor

Louvamos o Senhor em nossa vida, isto é, em nosso proceder (Arnóbio).

=1 Bendize, minh’alma, ao Senhor! †
2
Bendirei ao Senhor toda a vida, *
cantarei ao meu Deus sem cessar!

3 Não ponhais vossa fé nos que mandam, *
não há homem que possa salvar.

=4
Ao faltar-lhe o respiro ele volta †
para a terra de onde saiu; *
nesse dia seus planos perecem.

=5 É feliz todo homem que busca †
seu aulio no Deus de Jacó, *
e que põe no Senhor a esperança.

6
O Senhor fez o céu e a terra, *
fez o mar e o que neles existe.

– O Senhor é fiel para sempre, *
7 faz justiça aos que são oprimidos;
– ele alimento aos famintos, *
é o Senhor quem liberta os cativos.

=8 O Senhor abre os olhos aos cegos, †
o Senhor faz erguer-se o caído, *
o Senhor ama aquele que é justo.

= 9 É o Senhor quem protege o estrangeiro, †
quem ampara a viúva e o órfão, *
mas confunde os caminhos dos maus.

=10 O Senhor reinará para sempre! †
Ó Sião, o teu Deus reinará *
para sempre e por todos os séculos!

Ant. Bendirei ao Senhor toda a vida.

Leitura breve Dt 4,39-40a

Reconhece, hoje, e grava-o em teu coração, que o Senhor é o Deus lá em cima do céu e cá embaixo na terra, e que não há outro além dele. Guarda suas leis e seus mandamentos que hoje te prescrevo.

Responsório breve

R. Bendirei o Senhor Deus,
* Bendirei em todo o tempo. R.
Bendirei.

V. Seu louvor em minha boca, seu louvor eternamente.
* Bendirei. Glória ao Pai. R.
Bendirei.

Cântico evangélico, ant.

Sirvamos ao Senhor em santidade

enquanto perdurarem nossos dias.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 

71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 
74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 

=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 

78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 

– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

ant. Sirvamos ao Senhor em santidade

enquanto perdurarem nossos dias.

Preces

Jesus Cristo, esplendor do Pai, nos ilumina com a sua palavra. Cheios de amor o invoquemos:

R. Rei da eterna glória, ouvi-nos!

Sois bendito, Senhor, autor e consumador da nossa fé,
porque nos chamastes das trevas para a vossa luz admirável.

R.

Vós, que abristes os olhos aos cegos e fizestes os surdos ouvirem,
aumentai a nossa fé.

R.

Fazei-nos, Senhor, permanecer firmes no vosso amor,
e que nunca nos separemos uns dos outros.

R.

Dai-nos força para resistir à tentação, paciência na tribulação,
e sentimentos de gratidão na prosperidade.

R.

(intenções livres)

Pai nosso...

Oração

Lembrai-vos, Senhor, de vossa santa aliança, consagrada pelo Sangue do Cordeiro, para que vosso povo obtenha o perdão dos pecados e avance continuamente no caminho da salvação. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.  

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

Oração das Nove Horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Vinde, Espírito de Deus,
com o Filho e com o Pai,
inundai a nossa mente,
nossa vida iluminai.

Boca, olhos, mãos, sentidos,
tudo possa irradiar
o amor que em nós pusestes
para aos outros inflamar.

A Deus Pai e ao seu Filho
por vós dai-nos conhecer.
Que de ambos procedeis
dai-nos sempre firmes crer.

Ou:

Mantendo a ordem certa,
do coração fiel,
na hora terça oremos
aos Três, fulgor do céu.

Queremos ser os templos
do Espírito Santo, outrora
descido sobre os Doze
em chamas, nesta hora.

Fiel aos seus desígnios,
do Reino o Autor divino
a tudo ornou de graça
segundo o seu destino.

Louvor e glória ao Pai,
ao Filho, Sumo Bem,
e ao seu divino Espírito,
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me,
pois espero confiante em vossa lei!

Salmo 118(119),145-152

XIX (Coph)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Naquele que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado (1Jo 2,5).

145 Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me! *
Quero cumprir vossa vontade fielmente!

146
Clamo a vós: Senhor, salvai-me, eu vos suplico, *
e então eu guardarei vossa Aliança!

147 Chego antes que a aurora e vos imploro, *
e espero confiante em vossa lei.

148
Os meus olhos antecipam as vigílias, *
para de noite meditar vossa palavra.

149 Por vosso amor ouvi atento a minha voz *
e dai-me a vida, como é vossa decisão!

150
Meus opressores se aproximam com maldade; *
como estão longe, ó Senhor, de vossa lei!

151 Vós estais perto, ó Senhor, perto de mim; *
todos os vossos mandamentos são verdade!

152
Desde criança aprendi vossa Aliança *
que firmastes para sempre, eternamente.

Ant. Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me,
pois espero confiante em vossa lei!

Ant. 2 Deus sabe o que pensam os homens:
pois um nada é o seu pensamento.

Salmo 93(94)

O Senhor faz justiça

O Senhor se vinga de tudo:... pois Deus não nos chamou à impureza, mas à santidade (cf. 1Ts 4,6-7).

I

1 Senhor Deus justiceiro, brilhai, *
revelai-vos, ó Deus vingador!

2
Levantai-vos, Juiz das nações, *
e pagai seu salário aos soberbos!

3 Até quando os injustos, Senhor, *
até quando haverão de vencer?

4
Arrogantes derramam insultos *
e se gabam do mal que fizeram.

5 Eis que oprimem, Senhor, vosso povo *
e humilham a vossa herança;

6
estrangeiro e viúva trucidam, *
e assassinam o pobre e o órfão!

7 Eles dizem: “O Senhor não nos vê *
e o Deus de Jacó não percebe!”

8
Entendei, ó estultos do povo; *
insensatos, quando é que vereis?

9 O que fez o ouvido, não ouve? *
Quem os olhos formou, não verá?

10 Quem educa as nações, não castiga? *
Quem os homens ensina, não sabe?

11
Ele sabe o que pensam os homens: *
pois um nada é o seu pensamento!

Ant. Deus sabe o que pensam os homens:
pois um nada é o seu pensamento.

Ant. 3 Para mim o Senhor, com certeza,
é regio, é abrigo, é rochedo.

II

12 É feliz, ó Senhor, quem formais *
e educais nos caminhos da Lei,

13
para dar-lhe um alívio na angústia, *
quando ao ímpio se abre uma cova.

14 O Senhor não rejeita o seu povo *
e não pode esquecer sua herança:

15
voltarão a juízo as sentenças; *
quem é reto andará na justiça.

16 Quem por mim contra os maus se levanta *
e a meu lado estará contra eles?

17
Se o Senhor não me desse uma ajuda, *
no silêncio da morte estaria!

18 Quando eu penso: “Estou quase caindo!” *
Vosso amor me sustenta, Senhor!

19
Quando o meu coração se angustia, *
consolais e alegrais minha alma.

=20 Pode acaso juntar-se convosco †
o impostor tribunal da injustiça, *
que age mal, tendo a lei por pretexto?

21
Eles podem agir contra o justo, *
condenando o inocente a morrer:

22 Para mim o Senhor, com certeza, *
é regio, é abrigo, é rochedo!

=23
O Senhor, nosso Deus, os arrasa, †
faz voltar contra eles o mal, *

24 sua própria maldade os condena.

Ant. Para mim o Senhor, com certeza,
é regio, é abrigo, é rochedo.

Leitura breve 1Cor 10,24.31

Ninguém procure a sua própria vantagem, mas a vantagem do outro. Quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus.

V. Como é bom agradecermos ao Senhor,

R. E cantar salmos de louvor ao Deus Altíssimo!

Oração

Senhor, nosso Pai, Deus santo e fiel, que enviastes o Espírito prometido por vosso Filho, para reunir os seres humanos divididos pelo pecado, fazei-nos promover no mundo os bens da unidade e da paz. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Oração das doze horas

 


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Ó Deus, verdade e força
que o mundo governais,
da aurora ao meio-dia,
a terra iluminais.

De nós se afaste a ira,
discórdia e divisão.
Ao corpo dai saúde,
e paz ao coração.

Ouvi-nos, Pai bondoso,
por Cristo Salvador,
que vive com o Espírito
convosco pelo Amor.

Ou:

O louvor de Deus cantemos
com fervor no coração,
pois agora a hora sexta
nos convida à oração.

Nesta hora foi-nos dada
gloriosa salvação
pela morte do Cordeiro,
que na cruz trouxe o perdão.

Ante o brilho de tal luz
se faz sombra o meio-dia.
Tanta graça e tanto brilho
vinde haurir, com alegria.

Seja dada a glória ao Pai
e ao Unigênito também,
com o Espírito Paráclito,
pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me,
pois espero confiante em vossa lei!

Salmo 118(119),145-152

XIX (Coph)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Naquele que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado (1Jo 2,5).

145 Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me! *
Quero cumprir vossa vontade fielmente!

146
Clamo a vós: Senhor, salvai-me, eu vos suplico, *
e então eu guardarei vossa Aliança!

147 Chego antes que a aurora e vos imploro, *
e espero confiante em vossa lei.

148
Os meus olhos antecipam as vigílias, *
para de noite meditar vossa palavra.

149 Por vosso amor ouvi atento a minha voz *
e dai-me a vida, como é vossa decisão!

150
Meus opressores se aproximam com maldade; *
como estão longe, ó Senhor, de vossa lei!

151 Vós estais perto, ó Senhor, perto de mim; *
todos os vossos mandamentos são verdade!

152
Desde criança aprendi vossa Aliança *
que firmastes para sempre, eternamente.

Ant. Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me,
pois espero confiante em vossa lei!

Ant. 2 Deus sabe o que pensam os homens:
pois um nada é o seu pensamento.

Salmo 93(94)

O Senhor faz justiça

O Senhor se vinga de tudo:... pois Deus não nos chamou à impureza, mas à santidade (cf. 1Ts 4,6-7).

I

1 Senhor Deus justiceiro, brilhai, *
revelai-vos, ó Deus vingador!

2
Levantai-vos, Juiz das nações, *
e pagai seu salário aos soberbos!

3 Até quando os injustos, Senhor, *
até quando haverão de vencer?

4
Arrogantes derramam insultos *
e se gabam do mal que fizeram.

5 Eis que oprimem, Senhor, vosso povo *
e humilham a vossa herança;

6
estrangeiro e viúva trucidam, *
e assassinam o pobre e o órfão!

7 Eles dizem: “O Senhor não nos vê *
e o Deus de Jacó não percebe!”

8
Entendei, ó estultos do povo; *
insensatos, quando é que vereis?

9 O que fez o ouvido, não ouve? *
Quem os olhos formou, não verá?

10 Quem educa as nações, não castiga? *
Quem os homens ensina, não sabe?

11
Ele sabe o que pensam os homens: *
pois um nada é o seu pensamento!

Ant. Deus sabe o que pensam os homens:
pois um nada é o seu pensamento.

Ant. 3 Para mim o Senhor, com certeza,
é regio, é abrigo, é rochedo.

II

12 É feliz, ó Senhor, quem formais *
e educais nos caminhos da Lei,

13
para dar-lhe um alívio na angústia, *
quando ao ímpio se abre uma cova.

14 O Senhor não rejeita o seu povo *
e não pode esquecer sua herança:

15
voltarão a juízo as sentenças; *
quem é reto andará na justiça.

16 Quem por mim contra os maus se levanta *
e a meu lado estará contra eles?

17
Se o Senhor não me desse uma ajuda, *
no silêncio da morte estaria!

18 Quando eu penso: “Estou quase caindo!” *
Vosso amor me sustenta, Senhor!

19
Quando o meu coração se angustia, *
consolais e alegrais minha alma.

=20 Pode acaso juntar-se convosco †
o impostor tribunal da injustiça, *
que age mal, tendo a lei por pretexto?

21
Eles podem agir contra o justo, *
condenando o inocente a morrer:

22 Para mim o Senhor, com certeza, *
é regio, é abrigo, é rochedo!

=23
O Senhor, nosso Deus, os arrasa, †
faz voltar contra eles o mal, *

24 sua própria maldade os condena.

Ant. Para mim o Senhor, com certeza,
é regio, é abrigo, é rochedo.

Leitura breve Cl 3,17

Tudo o que fizerdes, em palavras ou obras, seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo. Por meio dele dai graças a Deus, o Pai.

V. Eu oferto um sacricio de louvor,

R. Invocando o nome santo do Senhor.

Oração

Deus onipotente e misericordioso, que nos dais novo alento no meio deste dia, olhai com bondade os trabalhos começados e, perdoando nossas faltas, fazei que eles atinjam os fins que vos agradam. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

Oração das Quinze Horas


 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Vós que sois o Imutável,
Deus fiel, Senhor da História,
nasce e morre a luz do dia,
revelando a vossa glória.

Seja a tarde luminosa
numa vida permanente.
E da santa morte o prêmio
nos dê glória eternamente.

Escutai-nos, ó Pai Santo,
pelo Cristo, nosso irmão,
que convosco e o Espírito
vive em plena comunhão.

Ou:

Cumprindo o ciclo tríplice das horas,
louvemos ao Senhor de coração,
cantando em nossos salmos a grandeza
de Deus, que é Uno e Trino em perfeição.

A exemplo de São Pedro, nosso mestre,
guardando do Deus vivo e verdadeiro,
em almas redimidas, o mistério,
sinal de salvação ao mundo inteiro,

também salmodiamos no espírito,
unidos aos apóstolos do Senhor,
e assim serão firmados nossos passos
na força de Jesus, o Salvador.

Louvor ao Pai, autor de toda a vida,
e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem,
unidos pelo amor do Santo Espírito,
Deus vivo pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me,
pois espero confiante em vossa lei!

Salmo 118(119),145-152

XIX (Coph)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Naquele que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado (1Jo 2,5).

145 Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me! *
Quero cumprir vossa vontade fielmente!

146
Clamo a vós: Senhor, salvai-me, eu vos suplico, *
e então eu guardarei vossa Aliança!

147 Chego antes que a aurora e vos imploro, *
e espero confiante em vossa lei.

148
Os meus olhos antecipam as vigílias, *
para de noite meditar vossa palavra.

149 Por vosso amor ouvi atento a minha voz *
e dai-me a vida, como é vossa decisão!

150
Meus opressores se aproximam com maldade; *
como estão longe, ó Senhor, de vossa lei!

151 Vós estais perto, ó Senhor, perto de mim; *
todos os vossos mandamentos são verdade!

152
Desde criança aprendi vossa Aliança *
que firmastes para sempre, eternamente.

Ant. Clamo de todo o coração: Senhor, ouvi-me,
pois espero confiante em vossa lei!

Ant. 2 Deus sabe o que pensam os homens:
pois um nada é o seu pensamento.

Salmo 93(94)

O Senhor faz justiça

O Senhor se vinga de tudo:... pois Deus não nos chamou à impureza, mas à santidade (cf. 1Ts 4,6-7).

I

1 Senhor Deus justiceiro, brilhai, *
revelai-vos, ó Deus vingador!

2
Levantai-vos, Juiz das nações, *
e pagai seu salário aos soberbos!

3 Até quando os injustos, Senhor, *
até quando haverão de vencer?

4
Arrogantes derramam insultos *
e se gabam do mal que fizeram.

5 Eis que oprimem, Senhor, vosso povo *
e humilham a vossa herança;

6
estrangeiro e viúva trucidam, *
e assassinam o pobre e o órfão!

7 Eles dizem: “O Senhor não nos vê *
e o Deus de Jacó não percebe!”

8
Entendei, ó estultos do povo; *
insensatos, quando é que vereis?

9 O que fez o ouvido, não ouve? *
Quem os olhos formou, não verá?

10 Quem educa as nações, não castiga? *
Quem os homens ensina, não sabe?

11
Ele sabe o que pensam os homens: *
pois um nada é o seu pensamento!

Ant. Deus sabe o que pensam os homens:
pois um nada é o seu pensamento.

Ant. 3 Para mim o Senhor, com certeza,
é regio, é abrigo, é rochedo.

II

12 É feliz, ó Senhor, quem formais *
e educais nos caminhos da Lei,

13
para dar-lhe um alívio na angústia, *
quando ao ímpio se abre uma cova.

14 O Senhor não rejeita o seu povo *
e não pode esquecer sua herança:

15
voltarão a juízo as sentenças; *
quem é reto andará na justiça.

16 Quem por mim contra os maus se levanta *
e a meu lado estará contra eles?

17
Se o Senhor não me desse uma ajuda, *
no silêncio da morte estaria!

18 Quando eu penso: “Estou quase caindo!” *
Vosso amor me sustenta, Senhor!

19
Quando o meu coração se angustia, *
consolais e alegrais minha alma.

=20 Pode acaso juntar-se convosco †
o impostor tribunal da injustiça, *
que age mal, tendo a lei por pretexto?

21
Eles podem agir contra o justo, *
condenando o inocente a morrer:

22 Para mim o Senhor, com certeza, *
é regio, é abrigo, é rochedo!

=23
O Senhor, nosso Deus, os arrasa, †
faz voltar contra eles o mal, *

24 sua própria maldade os condena.

Ant. Para mim o Senhor, com certeza,
é regio, é abrigo, é rochedo.

Leitura breve Cl 3,23-24

Tudo o que fizerdes, fazei-o de coração, como para o Senhor e não para os homens. Pois vós bem sabeis que recebereis do Senhor a herança como recompensa. Servi a Cristo, o Senhor!

V. Ó Senhor, sois minha herança e minha taça,

R. Meu destino está seguro em vossas mãos.

Oração

Senhor Jesus Cristo, que para salvar o gênero humano estendestes vossos braços na cruz, concedei que nossas ações vos agradem e manifestem ao mundo vossa obra redentora. Vós que viveis e reinais para sempre.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Devagar, vai o sol se escondendo,
deixa os montes, o campo e o mar,
mas renova o presságio da luz,
que amanhã vai de novo brilhar.

Os mortais se admiram do modo
pelo qual, generoso Senhor,
destes leis ao transcurso do tempo,
alternância de sombra e fulgor.

Quando reina nos céus o silêncio
e declina o vigor para a lida,
sob o peso das trevas a noite
nosso corpo ao descanso convida.

De esperança e de fé penetrados,
saciar-nos possamos, Senhor,
de alegria na glória do Verbo
que é do Pai o eterno esplendor.

Este é o sol que jamais tem ocaso
e também o nascer desconhece.
Canta a terra, em seu brilho envolvida,
nele o céu em fulgor resplandece.

Dai-nos, Pai, gozar sempre da luz
que este mundo ilumina e mantém,
e cantar-vos, e ao Filho, e ao Espírito,
canto novo nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Vosso saber é por demais maravilhoso, ó Senhor.

Salmo 138(139),1-18.23-24

Deus tudo vê

Quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? (Rm 11,34).

I

1 Senhor, vós me sondais e conheceis, *
2 sabeis quando me sento ou me levanto;
= de longe penetrais meus pensamentos, †
3
percebeis quando me deito e quando eu ando, *
os meus caminhos vos são todos conhecidos.

4 A palavra nem chegou à minha língua, *
e já, Senhor, a conheceis inteiramente.

5 Por detrás e pela frente me envolveis; *
pusestes sobre mim a vossa mão.

6
Esta Verdade é por demais maravilhosa, *
é tão sublime que não posso compreendê-la.

7 Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? *
E para onde fugirei de vossa face?

8
Se eu subir até os céus, ali estais; *
se eu descer até o abismo, estais presente.

9 Se a aurora me emprestar as suas asas, *
para eu voar e habitar no fim dos mares;

10
mesmo vai me guiar a vossa mão *
e segurar-me com firmeza a vossa destra.

11 Se eu pensasse: “A escuridão venha esconder-me *
e que a luz ao meu redor se faça noite!”

=12
Mesmo as trevas para vós não são escuras, †
a própria noite resplandece como o dia, *
e a escuridão é tão brilhante como a luz.

Ant. Vosso saber é por demais maravilhoso, ó Senhor.

Ant. 2 Eu, o Senhor, vejo o mais íntimo
e conheço os corações,
recompenso a cada um conforme as obras realizadas.

II

13 Fostes vós que me formastes as entranhas, *
e no seio de minha mãe vós me tecestes.

=14
Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, †
porque de modo admirável me formastes! *
Que progio e maravilha as vossas obras!

– Até o mais íntimo, Senhor, me conheceis; *
15 nenhuma sequer de minhas fibras ignoráveis,
– quando eu era modelado ocultamente, *
era formado nas entranhas subterrâneas.

16 Ainda informe, os vossos olhos me olharam, *
e por vós foram previstos os meus dias;

– em vosso livro estavam todos anotados, *
antes mesmo que um só deles existisse.

17 Quão insonveis são os vossos pensamentos! *
Inconvel, ó Senhor, é o seu número!

18
Se eu os conto, serão mais que os grãos de areia; *
se chego ao fim, ainda falta conhecer-vos.

23 Senhor, sondai-me, conhecei meu coração, *
examinai-me e provai meus pensamentos!

24
Vede bem se não estou no mau caminho, *
e conduzi-me no caminho para a vida!

Ant. Eu, o Senhor, vejo o mais íntimo
e conheço os corações,
recompenso a cada um conforme as obras realizadas.

Ant. 3 Em Cristo é que tudo foi criado,
e é por ele que subsiste o universo.

Cântico Cf. Cl 1,12-20

Cristo, o Primogênito de toda a criatura
e o Primogênito dentre os mortos

=12 Demos graças a Deus Pai onipotente, †
que nos chama a partilhar, na sua luz, *
da herança a seus santos reservada!

(R. Glória a vós, primonito dentre os mortos!)

=13 Do imrio das trevas arrancou-nos †
e transportou-nos para o reino de seu Filho, *
para o reino de seu Filho bem-amado,

14
no qual nós encontramos redenção, *
dos pecados remissão pelo seu sangue.

(R.)

15 Do Deus, o Invisível, é a imagem, *
o Primonito de toda criatura;

=16
porque nele é que tudo foi criado, †
o que há nos céus e o que existe sobre a terra, *
o vivel e também o invisível.

(R.)

= Sejam Tronos e Poderes que há nos céus, †
sejam eles Principados, Potestades: *
por ele e para ele foram feitos.

17
Antes de toda criatura ele existe, *
e é por ele que subsiste o universo.

(R.)

=18 Ele é a Cabeça da Igreja, que é seu Corpo, †
é o prinpio, o Primogênito entre os mortos, *
a fim de ter em tudo a primazia.

19
Pois foi do agrado de Deus Pai que a plenitude *
habitasse no seu Cristo inteiramente.

(R.)

20 Aprouve-lhe também, por meio dele, *
reconciliar consigo mesmo as criaturas,

= pacificando pelo sangue de sua cruz †
tudo aquilo que por ele foi criado, *
o que há nos céus e o que existe sobre a terra.

(R.)

Ant. Em Cristo é que tudo foi criado,
e é por ele que subsiste o universo.

Leitura breve 1Jo 2,3-6

Para saber que o conhecemos, vejamos se guardamos os seus mandamentos. Quem diz: “Eu conheço a Deus”, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. Naquele, porém, que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado. O critério para saber se estamos com Jesus é este: quem diz que permanece nele, deve também proceder como ele procedeu.

Responsório breve

R. Protegei-nos, Senhor,
* Como a pupila dos olhos. R.
Protegei-nos.

V. Guardai-nos, defendei-nos, sob a vossa proteção.
* Como a pupila. Glória ao Pai. R.
Protegei-nos.

Cântico evangélico, ant.

Ó Senhor, manifestai o poder de vosso braço,
dispersai os soberbos e elevai os humildes.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor
47 e se alegrou o meu esrito em Deus, meu Salvador
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, * 
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

49 O Poderoso fez por mim maravilhas * 
e Santo é o seu nome! 
50 Seu amor, de geração em geração, * 
chega a todos que o respeitam; 

51 demonstrou o poder de seu braço, * 
dispersou os orgulhosos; 
52 derrubou os poderosos de seus tronos * 
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, * 
e despediu, sem nada, os ricos. 
54 Acolheu Israel, seu servidor, * 
fiel ao seu amor

55 como havia prometido aos nossos pais, * 
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito, *
pelos culos dos culos. Amém.

ant. Ó Senhor, manifestai o poder de vosso braço,
dispersai os soberbos e elevai os humildes.

Preces

Aclamemos ao Eterno Pai, cuja misericórdia para com o seu povo é sem limites; e digamos com alegria de coração:

R. Senhor, alegrem-se todos os que em vós esperam!

Senhor, que enviastes o vosso Filho não para julgar o mundo mas para salvá-lo,
concedei que a sua morte gloriosa produza em nós muitos frutos.

R.

Vós, que constituístes os sacerdotes como ministros de Cristo e dispensadores dos vossos mistérios,
dai-lhes um coração fiel, ciência e caridade.

R.

Àqueles que chamastes para uma vida de castidade perfeita por amor do reino dos céus,
concedei-lhes a graça de seguirem fiel e generosamente as pegadas de vosso Filho.

R.

Vós, que no princípio criastes o homem e a mulher,
conservai todas as famílias no amor sincero.

R.

(intenções livres)

Vós, que, pelo sacrifício de Cristo, tirastes o pecado do mundo,
perdoai os pecados de todos os que morreram.

R.

Pai nosso...

Oração

Senhor, que aos famintos saciais de bens celestes, lembrai-vos de vossa misericórdia e concedei à nossa pobreza tornar-se rica de vossos dons. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.  

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)

Hino

Agora que o clarão da luz se apaga,
a vós nós imploramos, Criador:
com vossa paternal misericórdia,
guardai-nos sob a luz do vosso amor.

Os nossos corações sonhem convosco:
no sono, possam eles vos sentir.
Cantemos novamente a vossa glória
ao brilho da manhã que vai surgir.

Saúde concedei-nos nesta vida,
as nossas energias renovai;
da noite a pavorosa escuridão
com vossa claridade iluminai.

Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces,
ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor,
que reina para sempre em vossa glória,
convosco e o Espírito de Amor.

Ou:

Ó Cristo, dia e esplendor,
na treva o oculto aclarais.
Sois luz de luz, nós o cremos,
luz aos fiéis anunciais.

Guardai-nos, Deus, nesta noite,
velai do céu nosso sono;
em vós na paz descansemos
em um tranquilo abandono.

Se os olhos pesam de sono,
vele, fiel, nossa mente.
A vossa destra proteja
quem vos amou fielmente.

Defensor nosso, atendei-nos
freai os planos malvados.
No bem guiai vossos servos,
com vosso sangue comprados.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai toda a glória,
com o Espírito Santo,
eterna honra e vitória.

Salmodia

Ant. 1 Ó Senhor, sede a minha proteção,
um abrigo bem seguro que me salva!

Salmo 30(31),2-6

Súplica confiante do aflito

Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito! (Lc 23,46).

2 Senhor, eu ponho em vós minha esperança; *
que eu não fique envergonhado eternamente!
= Porque sois justo, defendei-me e libertai-me, †
3 inclinai o vosso ouvido para mim; *
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!

– Sede uma rocha protetora para mim, *
um abrigo bem seguro que me salve!
4 Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; *
por vossa honra orientai-me e conduzi-me!
5 Retirai-me desta rede traiçoeira, *
porque sois o meu refúgio protetor!

6 Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, *
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!

Ant. Ó Senhor, sede a minha proteção,
um abrigo bem seguro que me salva!

Ant. 2 Das profundezas eu clamo a vós, Senhor!

Salmo 129(130)

Das profundezas eu clamo

Ele vai salvar o seu povo dos seus pecados (Mt 1,21).

1 Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, *
2 escutai a minha voz!
– Vossos ouvidos estejam bem atentos *
ao clamor da minha prece!

3 Se levardes em conta nossas faltas, *
quem haverá de subsistir?
4 Mas em vós se encontra o perdão, *
eu vos temo e em vós espero.

5 No Senhor ponho a minha esperança, *
espero em sua palavra.
6 A minh’alma espera no Senhor *
mais que o vigia pela aurora.

7 Espere Israel pelo Senhor *
mais que o vigia pela aurora!
– Pois no Senhor se encontra toda graça *
e copiosa redenção.

8 Ele vem libertar a Israel *
de toda a sua culpa.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Das profundezas eu clamo a vós, Senhor!

Leitura breve Ef 4, 26-27

Não pequeis. Que o sol não se ponha sobre o vosso ressentimento. Não vos exponhais ao diabo.

Responsório breve
R.
Senhor, em vossas mãos
* Eu entrego o meu espírito. R.Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor.

Cântico evangélico, ant.

Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Oração

Senhor Jesus Cristo, manso e humilde de coração, que tornais leve o fardo e suave o jugo dos que vos seguem, acolhei os propósitos e trabalhos deste dia e concedei-nos um repouso tranquilo, para amanhã vos servirmos com maior generosidade. Vós, que viveis e reinais para sempre. Amém.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,
ao povo que caiu, socorre e exorta,
pois busca levantar-se, Virgem pura,
nascendo o Criador da criatura:
tem piedade de nós e ouve, suave,
o anjo te saudando com seu Ave!

Ou:


Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem tão bela,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!
Virgem Mãe, ó Maria!

Ou:


Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,
vida doçura, esperança nossa, Salve!
A vós bradamos os degredados filhos de Eva,
a vós suspiramos gemendo e chorando
neste vale de lágrimas!
Eia, pois, Advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre!
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria.

Ou:


À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.