Quinta-feira da 4ª Semana da Quaresma  IV Semana do Saltério

Compartilhar:

 

Invitatório

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

Agora é tempo favorável,

divino dom da Providência,
para curar o mundo enfermo
com um remédio, a penitência.

 

Da salvação refulge o dia,
na luz de Cristo a fulgurar.

O coração, que o mal feriu,

a abstinência vem curar.

 

Em corpo e alma, a abstinência,

Deus, ajudai-nos a guardar.

Por tal passagem, poderemos

à páscoa eterna, enfim, chegar.

 

Todo o Universo vos adore,

Trindade Santa, Sumo Bem.

Novos por graça entoaremos

um canto novo a vós. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Foi vossa mão e a luz de vossa face,
que no passado salvaram nossos pais.

Salmo 43(44)

Calamidades do povo

Em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou (Rm 8,37).

I

2 Ó Deus, nossos ouvidos escutaram, *
e contaram para nós, os nossos pais,

– as obras que operastes em seus dias, *
em seus dias e nos tempos de outrora:

=3 Expulsastes as nações com vossa mão, †
e plantastes nossos pais em seu lugar; *
para aumen-los, abatestes outros povos.

4
Não conquistaram essa terra pela espada, *
nem foi seu braço que lhes deu a salvação;

– foi, porém, a vossa mão e vosso braço *
e o esplendor de vossa face e o vosso amor.

5 Sois vós, o meu Senhor e o meu Rei, *
que destes as vitórias a Jacó;

6
com vossa ajuda é que vencemos o inimigo, *
por vosso nome é que pisamos o agressor.

7 Eu não pus a confiança no meu arco, *
a minha espada não me pôde libertar;

8 mas fostes vós que nos livrastes do inimigo, *
e cobristes de vergonha o opressor.

9
Em vós, ó Deus, nos gloriamos todo dia, *
celebrando o vosso nome sem cessar.

Ant. Foi vossa mão e a luz de vossa face,
que no passado salvaram nossos pais.

Ant. 2 O Senhor não afasta de vós a sua face,
se a ele voltardes de todo coração.

II

10 Porém, agora nos deixastes e humilhastes, *
já não saís com nossas tropas para a guerra!

11
Vós nos fizestes recuar ante o inimigo, *
os adverrios nos pilharam à vontade.

12 Como ovelhas nos levastes para o corte, *
e no meio das nações nos dispersastes.

13
Vendestes vosso povo a preço baixo, *
e não lucrastes muita coisa com a venda!

14 De nós fizestes o escárnio dos vizinhos, *
zombaria e gozação dos que nos cercam;

15
para os pagãos somos motivo de anedotas, *
zombam de nós a sacudir sua cabeça.

16 À minha frente trago sempre esta desonra, *
e a vergonha se espalha no meu rosto,

17
ante os gritos de insultos e blasfêmias *
do inimigo sequioso de vingança.

Ant. O Senhor não afasta de vós a sua face,
se a ele voltardes de todo coração.

Ant. 3 Levantai-vos, ó Senhor,
não nos deixeis eternamente!

III

18 E tudo isso, sem vos termos esquecido *
e sem termos violado a Aliança;

19 sem que o nosso coração voltasse atrás, *
nem se afastassem nossos pés de vossa estrada!

20
Mas à cova dos chacais nos entregastes *
e com trevas pavorosas nos cobristes!

21 Se tivéssemos esquecido o nosso Deus *
e estendido nossas mãos a um Deus estranho,

22 Deus não teria, por acaso, percebido, *
ele que o interior dos corações?

23
Por vossa causa nos massacram cada dia *
e nos levam como ovelha ao matadouro!

24 Levantai-vos, ó Senhor, por que dormis? *
Despertai! Não nos deixeis eternamente!

25
Por que nos escondeis a vossa face *
e esqueceis nossa opressão, nossa miséria?

26 Pois arrasada até o pó está noss’alma *
e ao chão está colado o nosso ventre.

– Levantai-vos, vinde logo em nosso auxílio, *
libertai-nos pela vossa compaixão!

Ant. Levantai-vos, ó Senhor, não nos deixeis eternamente!

V. Quem medita a lei de Deus

R. Dará frutos a seu tempo.

 

Primeira leitura

Do Livro dos Números             12,16−13,1-3a.17-33

 

Exploradores israelitas são enviados a Canaã

Naqueles dias, 12,16 o povo partiu de Haserot, e foi acampar no deserto de Farã.

13,1 O Senhor falou a Moisés, dizendo: 2“Envia alguns homens para explorar a terra de Canaã, que eu vou dar aos filhos de Israel. Enviarás um homem de cada tribo, e que todos sejam chefes”.

3Moisés fez o que o Senhor tinha ordenado, enviando ao deserto de Farã chefes entre o povo.

17Moisés enviou-os para explorar o país de Canaã, recomendando-lhes: “Segui pelo deserto de Negueb. Quando chegardes às montanhas, 18observai como é o país, se o povo que nele vive é forte ou fraco, se são poucos ou muitos; 19como é a terra em que esse povo mora, se é boa ou ruim; como são as cidades em que vivem, se muradas ou sem muros; 20seoseusolo é fértil ou pobre, se existem árvores ou não. Sede corajoso se trazei-nos alguns frutos dessa terra”. Era então o tempo em que as primeiras uvas já podiam ser comidas.

21Eles subiram e exploraram o país desde o deserto de Sin até Roob, na entrada de Emat. 22Subindo pelo deserto de Negueb, chegaram a Hebron, onde viviam Aimã, Sesai e Tolmai, descendentes de Enac. Hebron foi construída sete anos antes que Tânis no Egito. 23E chegaram ao vale de Escol. Ali cortaram um ramo de videira com seu cacho, que dois homens transportaram numa vara; e apanharam também romãs e figos. 24O lugar foi chamado vale de Escol (vale do Cacho) por causa do cacho de uva que os filhos de Israel dali levaram.

25Ao fim de quarenta dias, eles voltaram do reconhecimento do país, 26e apresentaram-se a Moisés, a Aarão e a toda a comunidade dos filhos de Israel, em Cades, no deserto de Farã. E, falando a eles e a toda a comunidade, mostraram os frutos da terra, 27e fizeram a sua narração, dizendo: “Entramos no país, ao qual nos enviastes, que de fato é uma terra onde corre leite e mel, como se pode reconhecer por estes frutos. 28Porém, os habitantes são fortíssimos, e as cidades grandes e fortificadas. Vimos lá descendentes de Enac; 29os amalecitas vivem no deserto do Negueb; os hititas, jebuseus e amorreus, nas montanhas; mas os cananeus, na costa marítima e ao longo do Jordão”.

30Entretanto Caleb, para acalmar o povo revoltado, que se levantava contra Moisés, disse: “Subamos e conquistemos a terra, pois somos capazes de fazê-lo”. 31Mas os homens que tinham ido com ele disseram: “Não podemos enfrentar esse povo, porque é mais forte do que nós”. 32E, diante dos filhos de Israel, começaram a difamar a terra que haviam explorado, dizendo: “A terra que fomos explorar é uma terra que devora os seus habitantes: o povo que aí vimos é de estatura extraordinária. 33Lá vimos gigantes, filhos de Enac, da raça dos gigantes; comparados com eles parecíamos gafanhotos”.

 

Responsório             Dt 1,31a.32.26.27a

R. Ao deserto o Senhor, vosso Deus, vos levou

como um pai que carrega o seu filho no colo.

* Nem assim confiastes no Senhor, vosso Deus.

V. Não quisestes subir para a terra da herança

e, sem ter confiança na palavra de Deus,

contra Deus murmurastes. * Nem assim.

 

Segunda leitura

Dos Sermões de São Leão Magno, papa

(Sermo 15, De passione Domini,3-4: PL 54,366-367)

(Séc.V)

 

Contemplemos a paixão do Senhor

Quem venera realmente a paixão do Senhor deve contemplar de tal modo, com os olhos do coração, Jesus crucificado, que reconheça na carne do Senhor a sua própria carne.

Trema a criatura perante o suplício do seu Redentor, quebrem-se as pedras dos corações infiéis e saiam para fora, vencendo todos os obstáculos, aqueles que jaziam debaixo de seus túmulos. Apareçam também agora na cidade santa, isto é, na Igreja de Deus, como sinais da ressurreição futura e realize-se nos corações o que um dia se realizará nos corpos.

A nenhum pecador é negada a vitória da cruz e não há homem a quem a oração de Cristo não ajude. Se ela foi útil para muitos dos que o perseguiam, quanto mais não ajudará os que a ele se convertem?

Foi eliminada a ignorância da incredulidade, foi suavizada a aspereza do caminho, e o sangue sagrado de Cristo extinguiu o fogo daquela espada que impedia o acesso ao reino da vida. A escuridão da antiga noite cedeu lugar à verdadeira luz.

O povo cristão é convidado a gozar as riquezas do paraíso, e para todos os batizados está aberto o caminho de volta à pátria perdida, desde que ninguém queira fechar para si próprio aquele caminho que se abriu também à fé do ladrão arrependido.

Evitemos que as preocupações desta vida nos envolvam na ansiedade e no orgulho, de tal modo que não procuremos, com todo o afeto do coração, conformar-nos a nosso Redentor na perfeita imitação de seus exemplos. Tudo o que ele fez ou sofreu foi para a nossa salvação, a fim de que todo o Corpo pudesse participar da virtude da Cabeça.

Aquela sublime união da nossa natureza com a sua divindade, pela qual o Verbo se fez carne e habitou entre nós (Jo 1,14), não exclui ninguém da sua misericórdia senão aquele que recusa acreditar. Como poderá ficar fora da comunhão com Cristo quem recebe aquele que assumiu a sua própria natureza e é regenerado pelo mesmo Espírito por obra do qual nasceu Jesus? Quem não reconhece nele as fraquezas próprias da condição humana? Quem não vê que alimentar-se, buscar o repouso do sono, sofrer angústia e tristeza, derramar lágrimas de compaixão, eram próprios da condição de servo?

Foi precisamente para curar a nossa natureza das antigas feridas e purificá-la das manchas do pecado, que o Filho Unigênito de Deus se fez também Filho do Homem, de modo que não lhe faltasse nem a humanidade em toda a sua realidade, nem a divindade em sua plenitude.

É nosso, portanto, o que esteve morto no sepulcro, o que ressuscitou ao terceiro dia e o que subiu para a glória do Pai, no mais alto dos céus. Se andarmos pelos caminhos de seus mandamentos e não nos envergonharmos de proclamar tudo o que ele fez pela nossa salvação na humildade do seu corpo, também nós teremos parte na sua glória. Então se cumprirá claramente o que prometeu: Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus (Mt 10,32).

 

Responsório             1Cor 1,18.23

R. A linguagem da cruz é loucura

para aqueles que vão se perder;

* Para aqueles, porém, que se salvam,

para nós, é a força de Deus.

V. Nós anunciamos o Cristo, o Cristo, o Crucificado,

que é escândalo para os judeus

e para os gentios é loucura. * Para aqueles.

 

Oração

Nós vos pedimos, ó Deus de bondade, que, corrigidos pela penitência e renovados pelas boas obras, possamos perseverar nos vossos mandamentos e chegar purificados às festas pascais. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

 

Invitatório

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Salmodia

Ant. 1 Fazei-me sentir vosso amor desde cedo!

Salmo 142(143),1-11

Prece na aflição

Ninguém é justificado por observar a Lei de Moisés, mas por crer em Jesus Cristo (Gl 2,16).

1 Ó Senhor, escutai minha prece, *
ó meu Deus, atendei minha súplica!

– Respondei-me, ó vós, Deus fiel, *
escutai-me por vossa justiça!

=2 Não chameis vosso servo a juízo, †
pois diante da vossa presença *
não é justo nenhum dos viventes.

3 O inimigo persegue a minha alma, *
ele esmaga no chão minha vida

– e me faz habitante das trevas, *
como aqueles que há muito morreram.

4
Já em mim o alento se extingue, *
o coração se comprime em meu peito!

=5 Eu me lembro dos dias de outrora †
e repasso as vossas ações, *
recordando os vossos prodígios.

=6
Para vós minhas mãos eu estendo; †
minha alma tem sede de vós, *
como a terra sedenta e sem água.

7 Escutai-me depressa, Senhor, *
o esrito em mim desfalece!

= Não escondais vossa face de mim! †
Se o fizerdes, já posso contar-me *
entre aqueles que descem à cova!

8 Fazei-me cedo sentir vosso amor, *
porque em vós coloquei a esperança!

– Indicai-me o caminho a seguir, *
pois a vós eu elevo a minha alma!

9
Libertai-me dos meus inimigos, *
porque sois meu refúgio, Senhor!

10 Vossa vontade ensinai-me a cumprir, *
porque sois o meu Deus e Senhor!

– Vosso Esrito bom me dirija *
e me guie por terra bem plana!

11 Por vosso nome e por vosso amor *
conservai, renovai minha vida!

– Pela vossa justiça e clemência, *
arrancai a minha alma da angústia!

Ant. Fazei-me sentir vosso amor desde cedo!

Ant. 2 O Senhor vai fazer correr a paz como um rio
para a nova Sião.

Cântico Is 66,10-14a

Consolação e alegria na Cidade Santa

A Jerusalém celeste é livre, e é a nossa mãe (Gl 4,26).

=10 Alegrai-vos com Sião
e exultai por sua causa, *
todos vós que a amais;

– tomai parte no seu júbilo, *
todos vós que a lamentais!

=11 Podereis alimentar-vos, †
saciar-vos com fartura *
com seu leite que consola;

– podereis deliciar-vos *
nas riquezas de sua glória.

=12 Pois assim fala o Senhor: †
“Vou fazer correr a paz *
para ela como um rio,

– e as riquezas das nações *
qual torrente a transbordar.

= Vós sereis amamentados †
e ao colo carregados *
e afagados com carícias;

13
como a mãe consola o filho. *
em Sião vou consolar-vos.

=14 Tudo isso vós vereis, †
e os vossos corações *
de alegria pulsarão;

– vossos membros, como plantas, *
tomarão novo vigor”.

Ant. O Senhor vai fazer correr a paz como um rio
para a nova Sião.

Ant. 3 Cantai ao nosso Deus, porque é suave.

Salmo 146(147 A)

Poder e bondade de Deus

A vós, ó Deus, louvamos, a vós, Senhor, cantamos.

=1 Louvai o Senhor Deus, porque ele é bom, †
cantai ao nosso Deus, porque é suave: *
ele é digno de louvor, ele o merece!

2 O Senhor reconstruiu Jerusalém, *
e os dispersos de Israel juntou de novo;

3 ele conforta os corações despedaçados, *
ele enfaixa suas feridas e as cura;

4
fixa o mero de todas as estrelas *
e chama a cada uma por seu nome.

5 É grande e onipotente o nosso Deus, *
seu saber não tem medida nem limites.

6 O Senhor Deus é o amparo dos humildes, *
mas dobra até o chão os que são ímpios.

7
Entoai, cantai a Deus ação de graças, *
tocai para o Senhor em vossas harpas!

8 Ele reveste todo o céu com densas nuvens, *
e a chuva para a terra ele prepara;

– faz crescer a verde relva sobre os montes *
e as plantas que são úteis para o homem;

9
ele aos animais seu alimento, *
e ao corvo e a seus filhotes que o invocam.

10 Não é a força do cavalo que lhe agrada, *
nem se deleita com os músculos do homem,

11
mas agradam ao Senhor os que o respeitam, *
os que confiam, esperando em seu amor!

Ant. Cantai ao nosso Deus, porque é suave.

Leitura breve             Cf. 1Rs 8,51-53a
Nós somos, Senhor, teu povo e tua herança. Teus olhos estejam abertos à súplica do teu servo e do teu povo, Israel, escutando-nos toda vez que te invocarmos. Pois tu nos separaste para ti como herança dentre todos os povos da terra.

Responsório breve
R.
Nós somos vosso povo, ó Senhor.
* Misericórdia, Senhor, a vós clamamos! R. Nós somos.
V. Curvados sob o peso dos pecados,
choramos de tristeza. * Misericórdia.
Glória ao Pai. R. Nós somos.

Cântico evangélico, ant.
O meu testemunho não é de um homem;
mas isto vos digo para que vos salveis.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 

71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 
74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 

=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 

78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 

– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

Ant. O meu testemunho não é de um homem;
mas isto vos digo para que vos salveis.

Preces

Celebremos a bondade de Deus, que se revelou em Cristo Jesus. E de todo o coração lhe supliquemos:

R. Lembrai-vos, Senhor, de vossos filhos e filhas!

Concedei-nos viver mais profundamente o mistério da Igreja;
que ela seja para toda a humanidade o sacramento eficaz da salvação. R.

Deus, amigo do ser humano, ensinai-nos a trabalhar generosamente para o progresso da civilização,
e a buscar em todas as coisas o vosso Reino. R.

Levai-nos a saciar nossa sede de justiça,
na fonte de água viva que nos destes em Cristo. R.

Perdoai, Senhor, todos os nossos pecados,
e dirigi nossos passos no caminho da justiça e da verdade. R.

(intenções livres)

Pai nosso.

Oração

Nós vos pedimos, ó Deus de bondade, que, corrigidos pela penitência e renovados pelas boas obras, possamos perseverar nos vossos mandamentos e chegar purificados às festas pascais. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

Oração das Nove Horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

Na fé em Deus, por quem vivemos,
na esperança do que cremos,
no dom da santa caridade,
de Cristo as glórias entoemos.

Ao sacrifício da Paixão
na hora terça conduzido,
Jesus levando a cruz às costas,
arranca às trevas o perdido.

Vós nos livrastes do decreto
duma total condenação;
do mundo mau livrai o povo,
fruto da vossa redenção.

A Cristo, ao Pai e ao Santo Espírito,
Trindade Santa, Eterno Bem,
nosso louvor e ação de graças
hoje e nos séculos. Amém.

Salmodia 

Ant. Chegou o tempo de penincia,
de conversão e de salvação.

Salmo 118(119),153-160

XX (Res)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Tu tens palavras de vida eterna (Jo 6,69).

153 Vede, Senhor, minha miria, e livrai-me, *
porque nunca me esqueci de vossa lei!

154
Defendei a minha causa e libertai-me! *
Pela palavra que me destes, dai-me a vida!

155 Como estão longe de salvar-se os pecadores, *
pois não procuram, ó Senhor, vossa vontade!

156
É infinita, Senhor Deus, vossa ternura: *
conforme prometestes, dai-me a vida!

157 Tantos são os que me afligem e perseguem, *
mas eu nunca deixarei vossa Aliança!

158
Quando vejo os renegados, sinto nojo, *
porque foram infiéis à vossa lei.

159 Quanto eu amo, ó Senhor, vossos preceitos! *
Vossa bondade reanime a minha vida!

160
Vossa palavra é fundada na verdade, *
os vossos justos julgamentos são eternos.

Salmo 127(128)

A paz do Senhor na família

De Sião, isto é, da sua Igreja, o Senhor te abençoe (Arnóbio).

1 Feliz és tu se temes o Senhor *
e trilhas seus caminhos!

2 Do trabalho de tuas mãos hás de viver, *
serás feliz, tudo irá bem!

3 A tua esposa é uma videira bem fecunda *
no coração da tua casa;

– os teus filhos são rebentos de oliveira *
ao redor de tua mesa.

4 Será assim abençoado todo homem *
que teme o Senhor.

5 O Senhor te abençoe de Sião, *
cada dia de tua vida;

– para que vejas prosperar Jerusalém *
6
e os filhos dos teus filhos.

– Ó Senhor, que venha a paz a Israel, *
que venha a paz ao vosso povo!

Salmo 128(129)

A renovada esperança do povo oprimido

A Igreja fala dos sofrimentos que ela suporta (Sto. Agostinho).

1 Quanto eu fui perseguido desde jovem, *
que o diga Israel neste momento!

2
Quanto eu fui perseguido desde jovem, *
mas nunca me puderam derrotar!

3 Araram lavradores o meu dorso, *
rasgando longos sulcos com o arado.

4
Mas o Senhor, que sempre age com justiça, *
fez em pedaços as correias dos malvados.

5 Que voltem para trás envergonhados *
todos aqueles que odeiam a Sião!

6
Sejam eles como a erva dos telhados, *
que bem antes de arrancada já secou!

7 Esta jamais enche a mão do ceifador *
nem o regaço dos que juntam os seus feixes;

=8
para estes nunca dizem os que passam: †
“Sobre vós desça a bênção do Senhor! *
Em nome do Senhor vos bendizemos!”

Ant. Chegou o tempo de penincia,
de conversão e de salvação.

Leitura breve             Is 55,6-7
Buscai o Senhor, enquanto pode ser achado; invocai-o, enquanto ele está perto. Abandone o ímpio seu caminho, e o homem injusto, suas maquinações; volte para o Senhor, que terá piedade dele, volte para nosso Deus, que é generoso no perdão.

V. Criai em mim um coração que seja puro.
R. Dai-me de novo um espírito decidido!

Oração

Nós vos pedimos, ó Deus de bondade, que, corrigidos pela penitência e renovados pelas boas obras, possamos perseverar nos vossos mandamentos e chegar purificados às festas pascais. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Oração das doze horas

 


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Hino

Na mesma hora em que Jesus, o Cristo,
sofreu a sede, sobre a cruz pregado,
conceda a sede de justiça e graça
a quem celebra o seu louvor sagrado.

Ao mesmo tempo ele nos seja a fome
e o Pão divino que a Si mesmo dá;
seja o pecado para nós fastio,
só no bem possa o nosso gozo estar.

A unção viva do divino Espírito
impregne a mente dos que cantam salmos;
toda frieza do seu peito afaste,
no coração ponha desejos calmos,

Ao Pai e ao Cristo suplicamos graça,
com seu Espírito, eterno Bem;
Trindade Santa, protegei o orante,
guardai o povo em caridade. Amém.

Salmodia

Ant. Por minha vida, diz o Senhor,
não quero a
morte do pecador,
mas que ele
volte e tenha vida.

Salmo 118(119),153-160

XX (Res)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Tu tens palavras de vida eterna (Jo 6,69).

153 Vede, Senhor, minha miria, e livrai-me, *
porque nunca me esqueci de vossa lei!

154
Defendei a minha causa e libertai-me! *
Pela palavra que me destes, dai-me a vida!

155 Como estão longe de salvar-se os pecadores, *
pois não procuram, ó Senhor, vossa vontade!

156
É infinita, Senhor Deus, vossa ternura: *
conforme prometestes, dai-me a vida!

157 Tantos são os que me afligem e perseguem, *
mas eu nunca deixarei vossa Aliança!

158
Quando vejo os renegados, sinto nojo, *
porque foram infiéis à vossa lei.

159 Quanto eu amo, ó Senhor, vossos preceitos! *
Vossa bondade reanime a minha vida!

160
Vossa palavra é fundada na verdade, *
os vossos justos julgamentos são eternos.

Salmo 127(128)

A paz do Senhor na família

De Sião, isto é, da sua Igreja, o Senhor te abençoe (Arnóbio).

1 Feliz és tu se temes o Senhor *
e trilhas seus caminhos!

2 Do trabalho de tuas mãos hás de viver, *
serás feliz, tudo irá bem!

3 A tua esposa é uma videira bem fecunda *
no coração da tua casa;

– os teus filhos são rebentos de oliveira *
ao redor de tua mesa.

4 Será assim abençoado todo homem *
que teme o Senhor.

5 O Senhor te abençoe de Sião, *
cada dia de tua vida;

– para que vejas prosperar Jerusalém *
6
e os filhos dos teus filhos.

– Ó Senhor, que venha a paz a Israel, *
que venha a paz ao vosso povo!

Salmo 128(129)

A renovada esperança do povo oprimido

A Igreja fala dos sofrimentos que ela suporta (Sto. Agostinho).

1 Quanto eu fui perseguido desde jovem, *
que o diga Israel neste momento!

2
Quanto eu fui perseguido desde jovem, *
mas nunca me puderam derrotar!

3 Araram lavradores o meu dorso, *
rasgando longos sulcos com o arado.

4
Mas o Senhor, que sempre age com justiça, *
fez em pedaços as correias dos malvados.

5 Que voltem para trás envergonhados *
todos aqueles que odeiam a Sião!

6
Sejam eles como a erva dos telhados, *
que bem antes de arrancada já secou!

7 Esta jamais enche a mão do ceifador *
nem o regaço dos que juntam os seus feixes;

=8
para estes nunca dizem os que passam: †
“Sobre vós desça a bênção do Senhor! *
Em nome do Senhor vos bendizemos!”

Ant. Por minha vida, diz o Senhor,
não quero a
morte do pecador,
mas que ele
volte e tenha vida.

Leitura breve             Dt 30,2-3a
Tu te converterás ao Senhor teu Deus com teus filhos, e obedecerás aos seus mandamentos com todo o teu coração e com toda a tua alma, conforme tudo o que hoje te ordeno. O Senhor teu Deus te fará voltar do cativeiro e se compadecerá de ti,

V. Desviai o vosso olhar dos meus pecados.
R. E apagai todas as minhas transgressões!

Oração

Nós vos pedimos, ó Deus de bondade, que, corrigidos pela penitência e renovados pelas boas obras, possamos perseverar nos vossos mandamentos e chegar purificados às festas pascais. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

Oração das Quinze Horas


 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

O número sagrado,
três vezes três das horas,
abrindo um novo espaço,
nos chama à prece, agora.
Ao nome de Jesus,
perdão seu povo implora.

O Cristo ouviu a prece
sincera do ladrão.
A graça foi-lhe dada,
por sua confissão.
Jesus ouvindo a súplica,
também nos dê perdão.

Agora morre a morte,
vencida pela cruz;
após as trevas densas,
serena, volta a luz;
o horror do mal se quebra,
na mentes Deus reluz.

A Cristo nós rogamos
e ao Pai, eterno Bem,
com seu Divino Espírito,
amor que os sustém,
proteja sua Igreja
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força

Salmo 118(119),153-160

XX (Res)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Tu tens palavras de vida eterna (Jo 6,69).

153 Vede, Senhor, minha miria, e livrai-me, *
porque nunca me esqueci de vossa lei!

154
Defendei a minha causa e libertai-me! *
Pela palavra que me destes, dai-me a vida!

155 Como estão longe de salvar-se os pecadores, *
pois não procuram, ó Senhor, vossa vontade!

156
É infinita, Senhor Deus, vossa ternura: *
conforme prometestes, dai-me a vida!

157 Tantos são os que me afligem e perseguem, *
mas eu nunca deixarei vossa Aliança!

158
Quando vejo os renegados, sinto nojo, *
porque foram infiéis à vossa lei.

159 Quanto eu amo, ó Senhor, vossos preceitos! *
Vossa bondade reanime a minha vida!

160
Vossa palavra é fundada na verdade, *
os vossos justos julgamentos são eternos.

Salmo 127(128)

A paz do Senhor na família

De Sião, isto é, da sua Igreja, o Senhor te abençoe (Arnóbio).

1 Feliz és tu se temes o Senhor *
e trilhas seus caminhos!

2 Do trabalho de tuas mãos hás de viver, *
serás feliz, tudo irá bem!

3 A tua esposa é uma videira bem fecunda *
no coração da tua casa;

– os teus filhos são rebentos de oliveira *
ao redor de tua mesa.

4 Será assim abençoado todo homem *
que teme o Senhor.

5 O Senhor te abençoe de Sião, *
cada dia de tua vida;

– para que vejas prosperar Jerusalém *
6
e os filhos dos teus filhos.

– Ó Senhor, que venha a paz a Israel, *
que venha a paz ao vosso povo!

Salmo 128(129)

A renovada esperança do povo oprimido

A Igreja fala dos sofrimentos que ela suporta (Sto. Agostinho).

1 Quanto eu fui perseguido desde jovem, *
que o diga Israel neste momento!

2
Quanto eu fui perseguido desde jovem, *
mas nunca me puderam derrotar!

3 Araram lavradores o meu dorso, *
rasgando longos sulcos com o arado.

4
Mas o Senhor, que sempre age com justiça, *
fez em pedaços as correias dos malvados.

5 Que voltem para trás envergonhados *
todos aqueles que odeiam a Sião!

6
Sejam eles como a erva dos telhados, *
que bem antes de arrancada já secou!

7 Esta jamais enche a mão do ceifador *
nem o regaço dos que juntam os seus feixes;

=8
para estes nunca dizem os que passam: †
“Sobre vós desça a bênção do Senhor! *
Em nome do Senhor vos bendizemos!”

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força

Leitura breve             Hb 10,35-36
Não abandoneis a vossa coragem, que merece grande recompensa. De fato, precisais de perseverança para cumprir a vontade de Deus e alcançar o que ele prometeu.

V. Meu sacrifício é minha alma penitente.
R. Não desprezeis um coração arrependido.

Oração

Nós vos pedimos, ó Deus de bondade, que, corrigidos pela penitência e renovados pelas boas obras, possamos perseverar nos vossos mandamentos e chegar purificados às festas pascais. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

A abstinência quaresmal
vós consagrastes, ó Jesus;
pelo jejum e pela prece,
nos conduzis.da treva à luz.

Ficai presente agora à Igreja,
ficai presente à penitência,
pela qual vos suplicamos
para os pecados indulgência.

Por vossa graça, perdoai
as nossas culpas do passado;
contra as futuras protegei-nos,
manso Jesus, Pastor amado,

Para que nós, purificados
por esses ritos anuais,
nos preparemos, reverentes,
para gozar os dons pascais.

Todo o universo vos adore,
Trindade Santa, Sumo Bem.
Novos, por graça, vos cantemos
um canto novo e belo. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Ele é meu amor, meu regio,
meu escudo: é nele que espero.

Salmo 143(144)

Oração pela vitória e pela paz

As suas mãos foram treinadas para a luta, quando venceu o mundo conforme disse: eu venci o mundo (Sto. Hilário).

I

=1 Bendito seja o Senhor, meu rochedo, †
que adestrou minhas mãos para a luta, *
e os meus dedos treinou para a guerra!

2 Ele é meu amor, meu refúgio, *
libertador, fortaleza e abrigo;

– é meu escudo: é nele que espero, *
ele submete as nações a meus pés.

=3 Que é o homem, Senhor, para vós? †
Por que dele cuidais tanto assim, *
e no filho do homem pensais?

4
Como o sopro de vento é o homem, *
os seus dias são sombra que passa.

5 Inclinai vossos céus e descei, *
tocai os montes, que eles fumeguem.

6
Fulminai o inimigo com raios, *
lançai flechas, Senhor, dispersai-o!

=7 Lá do alto estendei vossa mão, †
retirai-me do abismo das águas, *
e salvai-me da mão dos estranhos;

8
sua boca só tem falsidade, *
sua mão jura falso e engana.

Ant. Ele é meu amor, meu regio,
meu escudo: é nele que espero.

Ant. 2 Feliz o povo que tem o Senhor por seu Deus!

II

9 Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, *
nas dez cordas da harpa louvar-vos,

10
a vós que dais a vitória aos reis *
e salvais vosso servo Davi.

11 Da espada maligna livrai-me *
e salvai-me da mão dos estranhos;

– sua boca só tem falsidade, *
sua mão jura falso e engana.

12 Que nossos filhos, quais plantas viçosas, *
cresçam sadios, e fortes floresçam!

– As nossas filhas, colunas robustas, *
que um artista esculpiu para o templo.

13 Nossos celeiros transbordem de cheios, *
abastecidos de todos os frutos!

– Nossas ovelhas em muitos milhares *
se multipliquem nas nossas campinas!

=14 O nosso gado também seja gordo! †
Não haja brechas em nossas muralhas, *
nem desterro ou gemido nas praças!

15
Feliz o povo a quem isto acontece, *
e que tem o Senhor por seu Deus!

Ant. Feliz o povo que tem o Senhor por seu Deus!

Ant. 3 Chegou agora a salvação e o poder
e a realeza do Senhor e nosso Deus.

Cântico Ap 11,17-18; 12,10b-12a

O julgamento de Deus

11,17 Graças vos damos, Senhor Deus onipotente, *
a Vós que sois, a Vós que éreis e sereis,

– porque assumistes o poder que vos pertence, *
e enfim tomastes posse como rei!

(R. Nós vos damos graças, nosso Deus!)

= 18 As nações se enfureceram revoltadas, †
mas chegou a vossa ira contra elas *
e o tempo de julgar vivos e mortos,

= e de dar a recompensa aos vossos servos, †
aos profetas e aos que temem vosso nome, *
aos santos, aos pequenos e aos grandes.

(R.)

=12,10 Chegou agora a salvação e o poder †
a realeza do Senhor e nosso Deus, *
e o donio de seu Cristo, seu Ungido.

– Pois foi expulso o delator que acusava *
nossos irmãos, dia e noite, junto a Deus.

(R.)

= 11 Mas o venceram pelo sangue do Cordeiro †
e o testemunho que eles deram da Palavra, *
pois desprezaram sua vida até à morte.

12
Por isso, ó céus, cantai alegres e exultai *
e vós todos os que neles habitais!

(R.)

Ant. Chegou agora a salvação e o poder
e a realeza do Senhor e nosso Deus.

Leitura breve         Tg 4,7-8.10
Obedecei a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Purificai as mãos, ó pecadores, e santificai os corações, homens dúbios. Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará.

Responsório breve
R.
Senhor, atendei minha prece,
* Meu clamor chegue a vós! R. Senhor.
V. Escutai-me, no dia em que chamo.* Meu clamor.
Glória ao Pai. R. Senhor.

Cântico evangélico, ant.
As obras que eu faço é que dão testemunho
que o Pai me enviou.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor
47 e se alegrou o meu esrito em Deus, meu Salvador
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, * 
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

49 O Poderoso fez por mim maravilhas * 
e Santo é o seu nome! 
50 Seu amor, de geração em geração, * 
chega a todos que o respeitam; 

51 demonstrou o poder de seu braço, * 
dispersou os orgulhosos; 
52 derrubou os poderosos de seus tronos * 
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, * 
e despediu, sem nada, os ricos. 
54 Acolheu Israel, seu servidor, * 
fiel ao seu amor

55 como havia prometido aos nossos pais, * 
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito, *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. As obras que eu faço é que dão testemunho
que o Pai me enviou.

Preces

Proclamemos a misericórdia de Deus, que nos ilumina coma graça do Espírito Santo, para que resplandeçam em nossas obras a justiça e a santidade; e supliquemos:

R. Dai a vida, Senhor, ao povo que Cristo redimiu!

Senhor, fonte e autor de toda santidade, fortalecei os bispos, os sacerdotes e os diáconos em sua união com Cristo por meio do mistério eucarístico,
para que se renove sempre mais a graça que receberam pela imposição das mãos. R.

Ensinai os vossos fiéis a participarem de modo mais digno e ativo na mesa da Palavra e do Corpo de Cristo,
para que mantenham na vida e nos costumes o que receberam pela fé e pelos sacramentos. R.

Ensinai-nos a reconhecer a dignidade de cada pessoa humana, redimida pelo Sangue de vosso Filho,
e a respeitarmos a liberdade e a consciência de nossos irmãos e irmãs. R.

Fazei que todos os seres humanos saibam moderar seus desejos de bens temporais,
e atendam às necessidades do próximo. R.

(intenções livres)

Tende piedade dos fiéis que hoje chamastes desta vida para vós,
e concedei-lhes o dom da eterna bem-aventurança. R.

Pai nosso...

Oração

Nós vos pedimos, ó Deus de bondade, que, corrigidos pela penitência e renovados pelas boas obras, possamos perseverar nos vossos mandamentos e chegar purificados às festas pascais. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)
 

Hino

Ó Cristo, dia e esplendor,
na treva o oculto aclarais.
Sois luz de luz, nós o cremos,
luz aos fiéis anunciais.

Guardai-nos, Deus, nesta noite,
velai do céu nosso sono;
em vós na paz descansemos
em um tranquilo abandono.

Se os olhos pesam de sono,
vele, fiel, nossa mente.
A vossa destra proteja
quem vos amou fielmente.

Defensor nosso, atendei-nos
freai os planos malvados.
No bem guiai vossos servos,
com vosso sangue comprados.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai toda a glória,
com o Espírito Santo,
eterna honra e vitória.

Salmodia

Ant. Meu corpo no repouso está tranquilo.

Salmo 15(16)

O Senhor é minha herança

Deus ressuscitou a Jesus, libertando-o das angústias da morte (At 2,24).

=1 Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! †
2 Digo ao Senhor: 'Somente vós sois meu Senhor: *
nenhum bem eu posso achar fora de vós!'

3 Deus me inspirou uma admirável afeição*
pelos santos que habitam sua terra.

4 Multiplicam, no entanto, suas dores *
os que correm para os deuses estrangeiros;
– seus sacrifícios sanguinários não partilho, *
nem seus nomes passarão pelos meus lábios.

5 Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, *
meu destino está seguro em vossas mãos!
6 Foi demarcada para mim a melhor terra, *
e eu exulto de alegria em minha herança!

7 Eu bendigo o Senhor, que me aconselha, *
e até de noite me adverte o coração.
8 Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, *
pois se o tenho a meu lado não vacilo.

=9 Eis por que meu coração está em festa, †
minha alma rejubila de alegria, *
e até meu corpo no repouso está tranquilo;

10 pois não haveis de me deixar entregue à morte, *
nem vosso amigo conhecer a corrupção.

=11 Vós me ensinais vosso caminho para a vida; †
junto a vós, felicidade sem limites, *
delícia eterna e alegria ao vosso lado!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Meu corpo no repouso está tranquilo.

Leitura breve 1Ts 5,23

Que o próprio Deus da paz vos santifique totalmente, e que tudo aquilo que sois – espírito, alma, corpo – seja conservado sem mancha alguma para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!

Responsório breve
R.
Senhor, em vossas mãos
* Eu entrego o meu espírito. R.Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor.

Cântico evangélico, ant.

Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Oração

Senhor nosso Deus, após as fadigas de hoje, restaurai nossas energias por um sono tranquilo, a fim de que, por vós renovados, nos dediquemos de corpo e alma ao vosso serviço. Por Cristo, nosso Senhor.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,
ao povo que caiu, socorre e exorta,
pois busca levantar-se, Virgem pura,
nascendo o Criador da criatura:
tem piedade de nós e ouve, suave,
o anjo te saudando com seu Ave!

Ou:


Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem tão bela,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!
Virgem Mãe, ó Maria!

Ou:


Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,
vida doçura, esperança nossa, Salve!
A vós bradamos os degredados filhos de Eva,
a vós suspiramos gemendo e chorando
neste vale de lágrimas!
Eia, pois, Advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre!
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria.

Ou:


À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.