Terça-feira da 1ª Semana da Quaresma I Semana do Saltério

Compartilhar:

 

Invitatório

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

Agora é tempo favorável,

divino dom da Providência,
para curar o mundo enfermo
com um remédio, a penitência.

 

Da salvação refulge o dia,
na luz de Cristo a fulgurar.

O coração, que o mal feriu,

a abstinência vem curar.

 

Em corpo e alma, a abstinência,

Deus, ajudai-nos a guardar.

Por tal passagem, poderemos

à páscoa eterna, enfim, chegar.

 

Todo o Universo vos adore,

Trindade Santa, Sumo Bem.

Novos por graça entoaremos

um canto novo a vós. Amém.

Salmodia

Ant. 1 O Senhor fará justiça para os pobres.

Salmo 9 B(10)

Ação de graças

Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus! (Lc 6,20).

I

1 Ó Senhor, por que ficais assim tão longe, *
e, no tempo da aflição, vos escondeis,

2
enquanto o pecador se ensoberbece, *
o pobre sofre e cai no laço do malvado?

3 O ímpio se gloria em seus excessos, *
blasfema o avarento e vos despreza;

4 em seu orgulho ele diz: “Não há castigo! *
Deus não existe!” –
5
É isto mesmo que ele pensa.

= Prospera a sua vida em todo tempo; †
vossos juízos estão longe de sua mente; *
ele vive desprezando os seus rivais.

6
No seu íntimo ele pensa: “Estou seguro! *
Nunca jamais me atingirá desgraça alguma!”

7 Só há maldade e violência em sua boca, *
em sua língua, só mentira e falsidade.

8
Arma emboscadas nas saídas das aldeias, *
mata inocentes em lugares escondidos.

9 Com seus olhos ele espreita o indefeso, *
como um leão que se esconde atrás da moita;

– assalta o homem infeliz para prendê-lo, *
agarra o pobre e o arrasta em sua rede.

10 Ele se curva, põe-se rente sobre o chão, *
e o indefeso tomba e cai em suas garras.

11
Pensa consigo: “O Senhor se esquece dele, *
esconde o rosto e já não vê o que se passa!”

Ant. O Senhor fará justiça para os pobres.

Ant. 2 Vós, Senhor, vedes a dor e o sofrimento.

II

12 Levantai-vos, ó Senhor, erguei a mão! *
Não esqueçais os vossos pobres para sempre!

13
Por que o ímpio vos despreza desse modo? *
Por que diz no coração: “Deus não castiga?”

14 Vós, porém, vedes a dor e o sofrimento, *
vós olhais e tomais tudo em vossas mãos!

– A vós o pobre se abandona confiante, *
sois dos órfãos vigilante protetor.

15 Quebrai o braço do injusto e do malvado! *
Castigai sua malícia e desfazei-a!

16
Deus é Rei durante os séculos eternos. *
Desapareçam desta terra os malfeitores!

17 Escutastes os desejos dos pequenos, *
seu coração fortalecestes e os ouvistes,

=18
para que os órfãos e oprimidos deste mundo †
tenham em vós o defensor de seus direitos, *
e o homem terreno nunca mais cause terror!

Ant. Vós, Senhor, vedes a dor e o sofrimento.

Ant. 3 As palavras do Senhor são verdadeiras
como a prata depurada pelo fogo.

Salmo 11(12)

Oração contra as más línguas

Porque éramos pobres, o Pai enviou o seu Filho (Sto. Agostinho).

2 Senhor, salvai-nos! Já não um homem bom! *
Não há mais fidelidade em meio aos homens!

3
Cada um só diz mentiras a seu próximo, *
com língua falsa e coração enganador.

4 Senhor, calai todas as bocas mentirosas *
e a língua dos que falam com soberba,

5
dos que dizem: “Nossa língua é nossa força! *
Nossos bios são por nós! – Quem nos domina?”

6 “Por causa da aflição dos pequeninos, *
do clamor dos infelizes e dos pobres,

– agora mesmo me erguerei, diz o Senhor, *
e darei a salvação aos que a desejam!”

=7 As palavras do Senhor são verdadeiras, †
como a prata totalmente depurada, *
sete vezes depurada pelo fogo.

8 Vós, porém, ó Senhor Deus, nos guardareis *
para sempre, nos livrando desta raça!

– Em toda a parte os malvados andam soltos, *
porque se exalta entre os homens a baixeza.

Ant. As palavras do Senhor são verdadeiras
como a prata depurada pelo fogo.

V. Eis o tempo de conversão!

R. Eis o dia da salvação!

 

Primeira leitura

Do Livro do Êxodo             6,29−7,25

 

A primeira praga do Egito

6,29 O Senhor disse a Moisés: “Eu sou o Senhor. Dize ao Faraó, rei do Egito, tudo o que eu te disse”. 30E Moisés respondeu ao Senhor: “Mas eu tenho dificuldade de falar. Como me ouvirá o Faraó?”

7,1 O Senhor disse a Moisés:“Olha, eu faço de ti um Deus para o Faraó, e Aarão, teu irmão, será teu profeta. 2Dirás tudo o que eu te mandar, e ele falará ao Faraó para que deixe sair de sua terra os filhos de Israel. 3Eu vou endurecer o coração do Faraó, e multiplicar meus sinais e meus prodígios na terra do Egito. 4Ele não vos ouvirá. Mas eu estenderei minha mão sobre o Egito e farei sair do Egito meu exército e meu povo, os filhos de Israel, por meio dos maiores castigos. 5E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando eu estender minha mão sobre o Egito e fizer sair do meio deles os filhos de Israel”.

6Moisés e Aarão fizeram exatamente como o Senhor lhes havia ordenado. 7Moisés tinha oitenta anos, e Aarão oitenta e três, quando falaram ao Faraó.

8O Senhor disse a Moisés e Aarão: 9“Quando o Faraó vos disser: ‘Fazei algum prodígio’, dirás a Aarão: ‘Toma a tua vara e lança-a por terra diante do Faraó e ela se transformará em serpente. 10Moisés e Aarão apresentaram-se ao Faraó e fizeram como o Senhor havia ordenado. Aarão lançou por terra a vara diante do Faraó e de seus servos, e ela transformou-se em serpente.

11 Mas o Faraó chamou sábios e feiticeiros, e também eles, os magos do Egito, fizeram o mesmo com seus encantamentos. 12Lançaram por terra cada um deles as suas varas, que se transformaram em serpentes. Mas a vara de Aarão engoliu as suas varas. 13Todavia, o coração do Faraó ficou inflexível, e ele não os ouviu, conforme o Senhor tinha predito.

14O Senhor disse, então, a Moisés: “O coração do Faraó se endureceu, pois ele não quer deixar o povo partir. 15Vai ter com ele amanhã cedo. Quando ele sair para a água, estarás à sua espera à beira do rio, levando contigo a vara que se transformou em serpente.16E lhe dirás: “O Senhor, o Deus dos hebreus, enviou-me a ti, dizendo: ‘Deixa o meu povo partir, para me oferecer sacrifícios no deserto’, e tu até agora não me quiseste ouvir. 17Portanto, assim diz o Senhor: ‘Nisto saberás que eu sou o Senhor: com a vara que tenho na mão, vou bater nas águas do Nilo, e elas se mudarão em sangue. 18Os peixes que há no rio morrerão, e as águas ficarão tão poluídas que os egípcios não poderão beber da água do Nilo’”.

19O Senhor disse a Moisés: “Dize a Aarão: ‘Toma a tua vara e estende a mão sobre as águas do Egito, dos seus rios, canais e pântanos, e de todos os seus reservatórios de água, para que elas se transformem em sangue. E haverá sangue em todo o país do Egito, até mesmo nas vasilhas de madeira e nos recipientes de pedra’”. 20Moisés e Aarão fizeram como o Senhor lhes havia ordenado. E, diante do Faraó e dos seus servos, erguendo a vara, Aarão feriu a água do rio, que se transformou em sangue. 21E morreram os peixes que havia no rio, e o rio ficou poluído, de modo que os egípcios não puderam beber da sua água, e houve sangue em toda a terra do Egito.

22Mas os magos do Egito fizeram o mesmo com seus encantamentos; o coração do Faraó se endureceu e ele não atendeu a Moisés e Aarão, conforme o Senhor tinha dito. 23E o Faraó retirou-se para o seu palácio, sem dar atenção àquilo. 24Os egípcios cavaram nas proximidades do rio à procura de água potável, pois não podiam beber da água do rio. 25E passaram-se sete dias depois que o Senhor feriu o rio Nilo.

 

Responsório             Cf. Ap 16,4-5.6.7

 

R. O anjo derramou sua taça sobre os rios,

e os rios viraram sangue.

E ouvi o anjo, dizendo:

Justo e santo sois, Senhor, que julgastes com justiça,

* Porque estes derramaram sangue de santos e profetas.

V. E ouvi um outro anjo que dizia do altar:

Sim, ó Deus onipotente, verdadeiros e corretos

são os vossos julgamentos. * Porque estes.

 

Segunda leitura

Do Tratado sobre a Oração do Senhor, de São Cipriano, bispo e mártir

(Cap.1-3: CSEL 3,267-268)             (Séc.III)

 

Quem nos deu a vida também nos ensinou a orar

Os preceitos evangélicos, irmãos caríssimos, não são outra coisa que ensinamentos divinos, fundamentos para edificar a esperança, bases para consolidar a fé, alimento para revigorar o coração, guias para mostrar o caminho, garantias para obter a salvação. Enquanto instruem na terra os espíritos dóceis dos que creem, eles os conduzem para o Reino dos céus.

Outrora quis Deus falar e fazer-nos ouvir de muitas maneiras pelos profetas, seus servos. Mas muito mais sublime é o que nos diz o Filho, a Palavra de Deus, que já estava presente nos profetas e agora dá testemunho pela sua própria voz. Ele não manda mais preparar o caminho para aquele que há de vir, mas vem, ele próprio, mostrar-nos e abrir-nos o caminho para que nós, outrora cegos e imprevidentes,errantes nas trevas da morte, iluminados agora pela luz da graça, sigamos o caminho da vida, sob a proteção e guia do Senhor.

Entre as exortações salutares e os preceitos divinos com que orienta seu povo para a salvação, o Senhor ensinou o modo de orar e nos instruiu e aconselhou sobre o que havemos de pedir. Quem nos deu a vida, também nos ensinou a orar com a mesma bondade com que se dignou conceder-nos tantos outros benefícios, a fim de que, dirigindo-nos ao Pai com a súplica e oração que o Filho nos ensinou, sejamos mais facilmente ouvidos.

Jesus havia predito que chegaria a hora em que os verdadeiros adoradores adorariam o Pai em espírito e em verdade. E cumpriu o que prometera. De fato, tendo nós recebido por sua graça santificadora o Espírito e a verdade, podemos adorar a Deus verdadeira e espiritualmente segundo os seus ensinamentos.

Pode haver, com efeito, oração mais espiritual do que aquela que nos foi ensinada por Cristo, que também nos enviou o Espírito Santo? Pode haver prece mais verdadeira aos olhos do Pai do que aquela que saiu dos lábios do próprio Filho que é a Verdade? Assim, orar de maneira diferente da que o Senhor nos ensinou não é só ignorância, mas também culpa, pois ele mesmo disse: Anulais o mandamento de Deus a fim de guardar as vossas tradições (cf. Mc 7,9).

Oremos, portanto, irmãos caríssimos, como Deus, nosso Mestre, nos ensinou. A oração agradável e querida por Deus é a que rezamos com as suas próprias palavras, fazendo subir aos seus ouvidos a oração de Cristo.

Reconheça o Pai as palavras de seu Filho, quando oramos. Aquele que habita interiormente em nosso coração, esteja também em nossa voz; e já que o temos junto ao Pai como advogado por causa de nossos pecados, digamos as palavras deste nosso advogado quando, como pecadores, suplicarmos por nossas faltas. Se ele disse que tudo o que pedirmos ao Pai em seu nome nos será dado (cf. Jo 14,13), quanto mais eficaz não será a nossa súplica para obtermos o que pedimos em nome de Cristo, se pedirmos com sua própria oração!

 

Responsório

 

R. Até agora não pedistes coisa alguma em meu nome.

* Pedi e recebereis e tereis plena alegria.

V. O que pedirdes ao meu Pai, em meu nome, eu vos darei,

para que seja, assim, o Pai glorificado no seu Filho.

* Pedi.

Oração

Olhai, ó Deus, vossa família, e fazei crescer no vosso amor aqueles que agora se mortificam pela penitência corporal. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.  

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

Invitatório

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Salmodia

Ant. 1 Quem tem mãos puras e inocente coração
subi até o monte do Senhor.

Salmo 23(24)

Entrada do Senhor no templo

Na Ascensão, as portas do céu se abriram para o Cristo (Sto. Irineu).

1 Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, *
o mundo inteiro com os seres que o povoam;

2
porque ele a tornou firme sobre os mares, *
e sobre as águas a mantém inabalável.

3 “Quem subi até o monte do Senhor, *
quem fica em sua santa habitação?”

=4
“Quem tem mãos puras e inocente coração, †
quem não dirige sua mente para o crime, *
nem jura falso para o dano de seu próximo.

5 Sobre este desce a bênção do Senhor *
e a recompensa de seu Deus e Salvador”.

6
“É assim a geração dos que o procuram, *
e do Deus de Israel buscam a face”.

=7 “Ó portas, levantai vossos frontões! †
Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *
a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

=8 Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †
“É o Senhor, o valoroso, o onipotente, *
o Senhor, o poderoso nas batalhas!”

=9 “Ó portas, levantai vossos frontões! †
Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, *
a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

=10 Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” †
“O Rei da glória é o Senhor onipotente, *
o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!”

Ant. Quem tem mãos puras e inocente coração
subi até o monte do Senhor.

Ant. 2 Vossas obras celebrem a Deus
e exaltem o Rei sempiterno.

Cântico Tb 13,2-8

Deus castiga e salva

Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia nos fez nascer de novo, para uma esperança viva (1Pd 1,3).

2 Vós sois grande, Senhor, para sempre, *
e vosso reino se estende nos séculos!

– Porque vós castigais e salvais, *
fazeis descer aos abismos da terra,

– e de nos trazeis novamente: *
de vossa mão nada pode escapar.

3 Vós que sois de Israel, dai-lhe graças *
e por entre as nações celebrai-o!

– O Senhor dispersou-vos na terra *
4 para narrardes sua glória entre os povos,
– e fa-los saber, para sempre, *
que não outro Deus além dele.

5 Castigou-nos por nossos pecados, *
seu amor haverá de salvar-nos.

– Compreendei o que fez para nós, *
dai-lhe graças, com todo o respeito!

6
Vossas obras celebrem a Deus *
e exaltem o Rei sempiterno!

– Nesta terra do meu cativeiro, *
haverei de honrá-lo e louvá-lo,

– pois mostrou o seu grande poder, *
sua glória à nação pecadora!

– Convertei-vos, enfim, pecadores, *
diante dele vivei na justiça;

– e sabei que, se ele vos ama, *
também vos dará seu perdão!

7 Eu desejo, de toda a minh’alma *
alegrar-me em Deus, Rei dos céus.

8
Bendizei o Senhor, seus eleitos, *
fazei festa e alegres louvai-o!

Ant. Vossas obras celebrem a Deus
e exaltem o Rei sempiterno.

Ant. 3 Ó justos, alegrai-vos no Senhor!
Aos retos fica bem glorifi-lo.

Salmo 32(33)

Hino à providência de Deus

Por ele foram feitas todas as coisas (Jo 1,3)

1 Ó justos, alegrai-vos no Senhor! *
Aos retos fica bem glorificá-lo.

2 Dai graças ao Senhor ao som da harpa, *
na lira de dez cordas celebrai-o!

3
Cantai para o Senhor um canto novo, *
com arte sustentai a louvação!

4 Pois reta é a palavra do Senhor, *
e tudo o que ele faz merece fé.

5
Deus ama o direito e a justiça, *
transborda em toda a terra a sua graça.

6 A palavra do Senhor criou os céus, *
e o sopro de seus lábios, as estrelas.

7
Como num odre junta as águas do oceano, *
e mantém no seu limite as grandes águas.

8 Adore ao Senhor a terra inteira, *
e o respeitem os que habitam o universo!

9
Ele falou e toda a terra foi criada, *
ele ordenou e as coisas todas existiram.

10 O Senhor desfaz os planos das nações *
e os projetos que os povos se propõem.

=11
Mas os desígnios do Senhor são para sempre, †
e os pensamentos que ele traz no coração, *
de geração em geração, vão perdurar.

12 Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, *
e a nação que escolheu por sua herança!

13
Dos altos céus o Senhor olha e observa; *
ele se inclina para olhar todos os homens.

14 Ele contempla do lugar onde reside *
e vê a todos os que habitam sobre a terra.

15
Ele formou o coração de cada um *
e por todos os seus atos se interessa.

16 Um rei não vence pela força do exército, *
nem o guerreiro escapará por seu vigor.

17
Não são cavalos que garantem a vitória; *
ninguém se salvará por sua força.

18 Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, *
e que confiam esperando em seu amor,

19
para da morte libertar as suas vidas *
e alimen-los quando é tempo de penúria.

20 No Senhor nós esperamos confiantes, *
porque ele é nosso auxílio e proteção!

21
Por isso o nosso coração se alegra nele, *
seu santo nome é nossa única esperança.

22 Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, *
da mesma forma que em vós nós esperamos!

Ant. Ó justos, alegrai-vos no Senhor!
Aos retos fica bem glorifi-lo.

Leitura breve             Jl 2,12-13
Voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos; rasgai o coração, e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus; ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo.

Responsório breve
R.
Curai-me, ó Deus Santo,
* Pois pequei contra vós! R. Curai-me.
V. Tende piedade de mim, renovai-me!* Pois pequei.
Glória ao Pai. R. Curai-me.

Cântico evangélico, ant.

Ensinai-nos, Senhor, a rezar,
como aos seus ensinou João Batista!

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 

71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 
74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 

=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 

78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 

– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

Ant. Ensinai-nos, Senhor, a rezar,
como aos seus ensinou João Batista!

Preces

Bendigamos a Cristo, que se deu a nós como pão descido do céu; e oremos, dizendo:

R. Cristo, pão da vida e remédio que nos salva, dai-nos vossa força!

Senhor, que nos alimentais na vossa ceia eucarística,
dai-nos a plena participação nos frutos do sacrifício pascal.
R.
Ensinai-nos a acolher vossa palavra num coração bom e reto,
para darmos frutos na paciência.
R.
Fazei que colaboremos alegremente convosco na construção do mundo,
a fim de que o anúncio da paz se difunda mais eficazmente pela ação da Igreja.
R.
Reconhecemos, Senhor, que somos pecadores;
apagai nossas culpas coma graça da vossa salvação.
R.
(intenções livres)

Pai nosso.

Oração 

Olhai, ó Deus, vossa família, e fazei crescer no vosso amor aqueles que agora se mortificam pela penitência corporal. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

Oração das Nove Horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

Na fé em Deus, por quem vivemos,
na esperança do que cremos,
no dom da santa caridade,
de Cristo as glórias entoemos.

Ao sacrifício da Paixão
na hora terça conduzido,
Jesus levando a cruz às costas,
arranca às trevas o perdido.

Vós nos livrastes do decreto
duma total condenação;
do mundo mau livrai o povo,
fruto da vossa redenção.

A Cristo, ao Pai e ao Santo Espírito,
Trindade Santa, Eterno Bem,
nosso louvor e ação de graças
hoje e nos séculos. Amém.

Salmodia 

Ant. Chegou o tempo de penincia,
de conversão e de salvação.

Salmo 118(119),1-8

I (Aleph)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Isto é amar a Deus: observar os seus mandamentos (1Jo 5,3).

1 Feliz o homem sem pecado em seu caminho, *
que na lei do Senhor Deus vai progredindo!

2
Feliz o homem que observa seus preceitos, *
e de todo o coração procura a Deus!

3 Que não pratica a maldade em sua vida, *
mas vai andando nos caminhos do Senhor.

4
Os vossos mandamentos vós nos destes, *
para serem fielmente observados.

5 Oxa seja bem firme a minha vida *
em cumprir vossa vontade e vossa lei!

6
Então não ficarei envergonhado *
ao repassar todos os vossos mandamentos.

7 Quero louvar-vos com sincero coração, *
pois aprendi as vossas justas decisões.

8
Quero guardar vossa vontade e vossa lei; *
Senhor, não me deixeis desamparado!

Salmo 12(13)

Lamentação do justo que confia em Deus

Que o Deus da esperança vos encha da alegria (Rm 15,13).

2 Até quando, ó Senhor, me esquecereis? *
Até quando escondereis a vossa face?

=3 Até quando estará triste a minha alma? †
e o coração angustiado cada dia? *
Até quando o inimigo se erguerá?

=4 Olhai, Senhor, meu Deus, e respondei-me! †
Não deixeis que se me apague a luz dos olhos *
e se fechem, pela morte, adormecidos!

=5 Que o inimigo não me diga: “Eu triunfei!” †
Nem exulte o opressor por minha queda, *

6
uma vez que confiei no vosso amor!

– Meu coração, por vosso auxílio, rejubile, *
e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Salmo 13(14)

A insensatez dos ímpios

Onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça (Rm 5,20).

1 Diz o insensato em seu próprio coração: *
“Não há Deus! Deus não existe!”

– Corromperam-se em ações abomináveis. *
Já não quem faça o bem!

2 O Senhor, ele se inclina lá dos céus *
sobre os filhos de Adão,

– para ver se resta um homem de bom senso *
que ainda busque a Deus.

3 Mas todos eles igualmente se perderam, *
corrompendo-se uns aos outros;

– não existe mais nenhum que faça o bem, *
não existe um sequer.

4 Se que não percebem os malvados *
quanto exploram o meu povo?

– Eles devoram o meu povo como pão, *
e não invocam o Senhor.

5 Mas um dia vão tremer de tanto medo, *
porque Deus está com o justo.

6 Podeis rir da esperança dos humildes, *
mas o Senhor é o seu refúgio!

7
Que venha, venha logo, de Sião *
a salvação de Israel!

– Quando o Senhor reconduzir do cativeiro *
os deportados de seu povo,

– que bilo e que festa em Jacó, *
que alegria em Israel!

Ant. Chegou o tempo de penincia,
de conversão e de salvação.

Leitura breve             Jl 2,17
Chorem, postos entre o vestíbulo e o altar, os ministros sagrados do Senhor, e digam: “Perdoa, Senhor, a teu povo, e não deixes que esta tua herança sofra infâmia e que as nações a dominem”.

V. Criai em mim um coração que seja puro.
R. Dai-me de novo um espírito decidido!

Oração

Olhai, ó Deus, vossa família, e fazei crescer no vosso amor aqueles que agora se mortificam pela penitência corporal. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Oração das doze horas

 


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Hino

Na mesma hora em que Jesus, o Cristo,
sofreu a sede, sobre a cruz pregado,
conceda a sede de justiça e graça
a quem celebra o seu louvor sagrado.

Ao mesmo tempo ele nos seja a fome
e o Pão divino que a Si mesmo dá;
seja o pecado para nós fastio,
só no bem possa o nosso gozo estar.

A unção viva do divino Espírito
impregne a mente dos que cantam salmos;
toda frieza do seu peito afaste,
no coração ponha desejos calmos,

Ao Pai e ao Cristo suplicamos graça,
com seu Espírito, eterno Bem;
Trindade Santa, protegei o orante,
guardai o povo em caridade. Amém.

Salmodia

Ant. Por minha vida, diz o Senhor,
não quero a
morte do pecador,
mas que ele
volte e tenha vida.

Salmo 118(119),1-8

I (Aleph)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Isto é amar a Deus: observar os seus mandamentos (1Jo 5,3).

1 Feliz o homem sem pecado em seu caminho, *
que na lei do Senhor Deus vai progredindo!

2
Feliz o homem que observa seus preceitos, *
e de todo o coração procura a Deus!

3 Que não pratica a maldade em sua vida, *
mas vai andando nos caminhos do Senhor.

4
Os vossos mandamentos vós nos destes, *
para serem fielmente observados.

5 Oxa seja bem firme a minha vida *
em cumprir vossa vontade e vossa lei!

6
Então não ficarei envergonhado *
ao repassar todos os vossos mandamentos.

7 Quero louvar-vos com sincero coração, *
pois aprendi as vossas justas decisões.

8
Quero guardar vossa vontade e vossa lei; *
Senhor, não me deixeis desamparado!

Salmo 12(13)

Lamentação do justo que confia em Deus

Que o Deus da esperança vos encha da alegria (Rm 15,13).

2 Até quando, ó Senhor, me esquecereis? *
Até quando escondereis a vossa face?

=3 Até quando estará triste a minha alma? †
e o coração angustiado cada dia? *
Até quando o inimigo se erguerá?

=4 Olhai, Senhor, meu Deus, e respondei-me! †
Não deixeis que se me apague a luz dos olhos *
e se fechem, pela morte, adormecidos!

=5 Que o inimigo não me diga: “Eu triunfei!” †
Nem exulte o opressor por minha queda, *

6
uma vez que confiei no vosso amor!

– Meu coração, por vosso auxílio, rejubile, *
e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Salmo 13(14)

A insensatez dos ímpios

Onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça (Rm 5,20).

1 Diz o insensato em seu próprio coração: *
“Não há Deus! Deus não existe!”

– Corromperam-se em ações abomináveis. *
Já não quem faça o bem!

2 O Senhor, ele se inclina lá dos céus *
sobre os filhos de Adão,

– para ver se resta um homem de bom senso *
que ainda busque a Deus.

3 Mas todos eles igualmente se perderam, *
corrompendo-se uns aos outros;

– não existe mais nenhum que faça o bem, *
não existe um sequer.

4 Se que não percebem os malvados *
quanto exploram o meu povo?

– Eles devoram o meu povo como pão, *
e não invocam o Senhor.

5 Mas um dia vão tremer de tanto medo, *
porque Deus está com o justo.

6 Podeis rir da esperança dos humildes, *
mas o Senhor é o seu refúgio!

7
Que venha, venha logo, de Sião *
a salvação de Israel!

– Quando o Senhor reconduzir do cativeiro *
os deportados de seu povo,

– que bilo e que festa em Jacó, *
que alegria em Israel!

Ant. Por minha vida, diz o Senhor,
não quero a
morte do pecador,
mas que ele
volte e tenha vida.

Leitura breve             Jr 3,25b
Nós ofendemos o Senhor, nosso Deus, nós e nossos pais, desde a juventude até ao dia de hoje, não escutamos a voz do Senhor, nosso Deus.

V. Desviai o vosso olhar dos meus pecados.
R. E apagai todas as minhas transgressões!

Oração

Olhai, ó Deus, vossa família, e fazei crescer no vosso amor aqueles que agora se mortificam pela penitência corporal. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

Oração das Quinze Horas


 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

O número sagrado,
três vezes três das horas,
abrindo um novo espaço,
nos chama à prece, agora.
Ao nome de Jesus,
perdão seu povo implora.

O Cristo ouviu a prece
sincera do ladrão.
A graça foi-lhe dada,
por sua confissão.
Jesus ouvindo a súplica,
também nos dê perdão.

Agora morre a morte,
vencida pela cruz;
após as trevas densas,
serena, volta a luz;
o horror do mal se quebra,
na mentes Deus reluz.

A Cristo nós rogamos
e ao Pai, eterno Bem,
com seu Divino Espírito,
amor que os sustém,
proteja sua Igreja
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força

Salmo 118(119),1-8

I (Aleph)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Isto é amar a Deus: observar os seus mandamentos (1Jo 5,3).

1 Feliz o homem sem pecado em seu caminho, *
que na lei do Senhor Deus vai progredindo!

2
Feliz o homem que observa seus preceitos, *
e de todo o coração procura a Deus!

3 Que não pratica a maldade em sua vida, *
mas vai andando nos caminhos do Senhor.

4
Os vossos mandamentos vós nos destes, *
para serem fielmente observados.

5 Oxa seja bem firme a minha vida *
em cumprir vossa vontade e vossa lei!

6
Então não ficarei envergonhado *
ao repassar todos os vossos mandamentos.

7 Quero louvar-vos com sincero coração, *
pois aprendi as vossas justas decisões.

8
Quero guardar vossa vontade e vossa lei; *
Senhor, não me deixeis desamparado!

Salmo 12(13)

Lamentação do justo que confia em Deus

Que o Deus da esperança vos encha da alegria (Rm 15,13).

2 Até quando, ó Senhor, me esquecereis? *
Até quando escondereis a vossa face?

=3 Até quando estará triste a minha alma? †
e o coração angustiado cada dia? *
Até quando o inimigo se erguerá?

=4 Olhai, Senhor, meu Deus, e respondei-me! †
Não deixeis que se me apague a luz dos olhos *
e se fechem, pela morte, adormecidos!

=5 Que o inimigo não me diga: “Eu triunfei!” †
Nem exulte o opressor por minha queda, *

6
uma vez que confiei no vosso amor!

– Meu coração, por vosso auxílio, rejubile, *
e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!

Salmo 13(14)

A insensatez dos ímpios

Onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça (Rm 5,20).

1 Diz o insensato em seu próprio coração: *
“Não há Deus! Deus não existe!”

– Corromperam-se em ações abomináveis. *
Já não quem faça o bem!

2 O Senhor, ele se inclina lá dos céus *
sobre os filhos de Adão,

– para ver se resta um homem de bom senso *
que ainda busque a Deus.

3 Mas todos eles igualmente se perderam, *
corrompendo-se uns aos outros;

– não existe mais nenhum que faça o bem, *
não existe um sequer.

4 Se que não percebem os malvados *
quanto exploram o meu povo?

– Eles devoram o meu povo como pão, *
e não invocam o Senhor.

5 Mas um dia vão tremer de tanto medo, *
porque Deus está com o justo.

6 Podeis rir da esperança dos humildes, *
mas o Senhor é o seu refúgio!

7
Que venha, venha logo, de Sião *
a salvação de Israel!

– Quando o Senhor reconduzir do cativeiro *
os deportados de seu povo,

– que bilo e que festa em Jacó, *
que alegria em Israel!

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força

Leitura breve             Is 58,1-2a
Grita forte, sem cessar, levanta a voz como trombeta e denuncia os crimes do meu povo e os pecados da casa de Jacó. Buscam-me cada dia e desejam conhecer meus propósitos, como gente que pratica a justiça e não abandonou a lei de Deus.

V. Meu sacrifício é minha alma penitente.
R. Não desprezeis um coração arrependido!

Oração

Olhai, ó Deus, vossa família, e fazei crescer no vosso amor aqueles que agora se mortificam pela penitência corporal. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

A abstinência quaresmal
vós consagrastes, ó Jesus;
pelo jejum e pela prece,
nos conduzis.da treva à luz.

Ficai presente agora à Igreja,
ficai presente à penitência,
pela qual vos suplicamos
para os pecados indulgência.

Por vossa graça, perdoai
as nossas culpas do passado;
contra as futuras protegei-nos,
manso Jesus, Pastor amado,

Para que nós, purificados
por esses ritos anuais,
nos preparemos, reverentes,
para gozar os dons pascais.

Todo o universo vos adore,
Trindade Santa, Sumo Bem.
Novos, por graça, vos cantemos
um canto novo e belo. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Ó Senhor, exaltai o vosso Ungido!

Salmo 19(20)

Oração pela vitória do rei

Quem invocar o nome do Senhor, será salvo (At 2,21).

2 Que o Senhor te escute no dia da aflição, *
e o Deus de Jacó te proteja por seu nome!

3
Que do seu santuário te envie seu auxílio *
e te ajude do alto, do Monte de Sião!

4 Que de todos os teus sacricios se recorde, *
e os teus holocaustos aceite com agrado!

5
Atenda os desejos que tens no coração; *
plenamente ele cumpra as tuas esperanças!

=6 Com a vossa vitória então exultaremos, †
levantando as bandeiras em nome do Senhor. *
Que o Senhor te escute e atenda os teus pedidos!

7 E agora estou certo de que Deus dará a vitória, *
que o Senhor há de dar a viria a seu Ungido;

– que have de atendê-lo do excelso santuário, *
pela força e poder de sua mão vitoriosa.

8 Uns confiam nos carros e outros nos cavalos; *
nós, porém, somos fortes no nome do Senhor.

9 Todos eles, tombando, caíram pelo chão; *
nós ficamos de pé e assim resistiremos.

10 Ó Senhor, dai vitória e salvai o nosso rei, *
e escutai-nos no dia em que nós vos invocarmos.

Ant. Ó Senhor, exaltai o vosso Ungido!

Ant. 2 Cantaremos celebrando a vossa força.

Salmo 20(21),2-8.14

Ação de graças pela vitória do Rei

O Cristo ressuscitado recebeu a vida para sempre (Sto. Irineu).

2 Ó Senhor, em vossa força o rei se alegra; *
quanto exulta de alegria em vosso auxílio!

3
O que sonhou seu coração, lhe concedestes; *
não recusastes os pedidos de seus lábios.

4 Com bênção generosa o preparastes; *
de ouro puro coroastes sua fronte.

5
A vida ele pediu e vós lhe destes *
longos dias, vida longa pelos séculos.

6 É grande a sua glória em vosso auxílio; *
de esplendor e majestade o revestistes.

7
Transformastes o seu nome numa bênção, *
e o cobristes de alegria em vossa face.

8 Por isso o rei confia no Senhor, *
e por seu amor fiel não cairá.

14
Levantai-vos com poder, ó Senhor Deus, *
e cantaremos celebrando a vossa força!

Ant. Cantaremos celebrando a vossa força.

Ant. 3 Fizestes de nós para Deus sacerdotes e povo de reis.

Cântico Ap 4,11; 5,9.10.12

Hino dos remidos

4,11 Vós sois digno, Senhor nosso Deus, *
de receber honra, glória e poder!

(R. Poder, honra e glória ao Cordeiro de Deus!)

= 5,9 Porque todas as coisas criastes, †
é por vossa vontade que existem *
e subsistem porque vós mandais.

(R.)

= Vós sois digno, Senhor nosso Deus, †
de o livro nas mãos receber *
e de abrir suas folhas lacradas!

(R.)

– Porque fostes por nós imolado; *
para Deus nos remiu vosso sangue

– dentre todas as tribos e línguas, *
dentre os povos da terra e nações.

(R.)

=10 Pois fizestes de nós, para Deus, †
sacerdotes e povo de reis, *
e iremos reinar sobre a terra.

(R.)

=12 O Cordeiro imolado é digno †
de receber honra, glória e poder, *
sabedoria, louvor, divindade!

(R.)

Ant. Fizestes de nós para Deus sacerdotes e povo de reis.

Leitura breve             Tg 2,14.17.18b

Meus irmãos, que adianta alguém dizer que tem fé, quando não a põe em prática? A fé seria então capaz de salvá-lo? A fé, se não se traduz em obras, por si só está morta. Tu, mostra-me a tua fé sem as obras, que eu te mostrarei a minha fé pelas obras!

Responsório breve

R. Iluminai-me, Senhor, conforme a vossa palavra,
* Para que eu sempre faça a vossa vontade!
R. Iluminai-me.
V. Inclinai meu coração aos vossos preceitos.* Para que eu.
Glória ao Pai. R. Iluminai-me.

Cântico evangélico, ant.

Tu, porém, quando rezares, fecha a porta do teu quarto
e em segredo adora o Pai.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor
47 e se alegrou o meu esrito em Deus, meu Salvador
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, * 
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

49 O Poderoso fez por mim maravilhas * 
e Santo é o seu nome! 
50 Seu amor, de geração em geração, * 
chega a todos que o respeitam; 

51 demonstrou o poder de seu braço, * 
dispersou os orgulhosos; 
52 derrubou os poderosos de seus tronos * 
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, * 
e despediu, sem nada, os ricos. 
54 Acolheu Israel, seu servidor, * 
fiel ao seu amor

55 como havia prometido aos nossos pais, * 
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito, *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. Tu, porém, quando rezares, fecha a porta do teu quarto
e em segredo adora o Pai.

Preces
Imploremos a Cristo Senhor, que nos mandou vigiar e orar para não cairmos em tentação; e digamos confiantemente:

R. Ouvi-nos, Senhor, e tende piedade!

Cristo Jesus, que prometestes estar presente no meio daqueles que se reúnem para orar em vosso nome,
ensinai-nos a orar sempre convosco ao Pai no Espírito Santo.
R.
Celeste Esposo, purificai de todo pecado vossa amada Igreja,
e fazei que ela viva sempre na esperança e na alegria do Espírito Santo.
R.
Amigo do ser humano, tornai-nos solícitos pelo bem do próximo, como nos mandastes,
a fim de que, por meio de nós, brilhe para todos a luz da vossa salvação.
 R.
Pai pacífico, dai ao mundo a vossa paz,
para que em toda parte se faça mais sensível vossa presença salvadora.
R.
(intenções livres)

Abri as portas da bem-aventurança eterna a todos os que morreram,
– e admiti-os na glória da eternidade.
R.

Pai nosso.

Oração 

Olhai, ó Deus, vossa família, e fazei crescer no vosso amor aqueles que agora se mortificam pela penitência corporal. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)

Hino

Agora que o clarão da luz se apaga,
a vós nós imploramos, Criador:
com vossa paternal misericórdia,
guardai-nos sob a luz do vosso amor.

Os nossos corações sonhem convosco:
no sono, possam eles vos sentir.
Cantemos novamente a vossa glória
ao brilho da manhã que vai surgir.

Saúde concedei-nos nesta vida,
as nossas energias renovai;
da noite a pavorosa escuridão
com vossa claridade iluminai.

Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces,
ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor,
que reina para sempre em vossa glória,
convosco e o Espírito de Amor.

Salmodia

Ant. Não escondais vossa face de mim,
porque em vós coloquei a esperança!

Salmo 142(143),1-11

Prece na aflição

Ninguém é justificado por observar a Lei de Moisés, mas por crer em Jesus Cristo (Gl 2,16).

1 Ó Senhor, escutai minha prece, *
ó meu Deus, atendei minha súplica!
– Respondei-me, ó vós, Deus fiel, *
escutai-me por vossa justiça! –

=2 Não chameis vosso servo a juízo, †
pois diante da vossa presença *
não é justo nenhum dos viventes.

3 O inimigo persegue a minha alma, *
ele esmaga no chão minha vida
– e me faz habitante das trevas, *
como aqueles que há muito morreram.
4 Já em mim o alento se extingue, *
o coração se comprime em meu peito!

=5 Eu me lembro dos dias de outrora †
e repasso as vossas ações, *
recordando os vossos prodígios.
=6 Para vós minhas mãos eu estendo; †
minha alma tem sede de vós, *
como a terra sedenta e sem água.

7 Escutai-me depressa, Senhor, *
o espírito em mim desfalece!
= Não escondais vossa face de mim! †
Se o fizerdes, já posso contar-me *
entre aqueles que descem à cova!

8 Fazei-me cedo sentir vosso amor, *
porque em vós coloquei a esperança!
– Indicai-me o caminho a seguir, *
pois a vós eu elevo a minha alma!
9 Libertai-me dos meus inimigos, *
porque sois meu refúgio, Senhor!

10 Vossa vontade ensinai-me a cumprir, *
porque sois o meu Deus e Senhor!
– Vosso Espírito bom me dirija *
e me guie por terra bem plana!

11 Por vosso nome e por vosso amor *
conservai, renovai minha vida!
– Pela vossa justiça e clemência, *
arrancai a minha alma da angústia!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Não escondais vossa face de mim,
porque em vós coloquei a esperança!

Leitura breve 1Pd 5,8-9a
Sede sóbrios e vigilantes. O vosso adversário, o diabo, rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar. Resisti-lhe, firmes na fé.

Responsório breve
R.
Senhor, em vossas mãos
* Eu entrego o meu espírito. R.Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor.

Cântico evangélico, ant.

Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Oração

Concedei, Senhor, aos nossos corpos um sono restaurador, e fazei germinar para a messe eterna as sementes do Reino, que hoje lançamos com nosso trabalho. Por Cristo, nosso Senhor.  Amém.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,
ao povo que caiu, socorre e exorta,
pois busca levantar-se, Virgem pura,
nascendo o Criador da criatura:
tem piedade de nós e ouve, suave,
o anjo te saudando com seu Ave!

Ou:


Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem tão bela,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!
Virgem Mãe, ó Maria!

Ou:


Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,
vida doçura, esperança nossa, Salve!
A vós bradamos os degredados filhos de Eva,
a vós suspiramos gemendo e chorando
neste vale de lágrimas!
Eia, pois, Advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre!
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria.

Ou:


À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.