Sexta-feira da 1ª Semana da Quaresma I Semana do Saltério

Compartilhar:

 

Invitatório

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

Agora é tempo favorável,

divino dom da Providência,
para curar o mundo enfermo
com um remédio, a penitência.

 

Da salvação refulge o dia,
na luz de Cristo a fulgurar.

O coração, que o mal feriu,

a abstinência vem curar.

 

Em corpo e alma, a abstinência,

Deus, ajudai-nos a guardar.

Por tal passagem, poderemos

à páscoa eterna, enfim, chegar.

 

Todo o Universo vos adore,

Trindade Santa, Sumo Bem.

Novos por graça entoaremos

um canto novo a vós. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Levantai-vos, ó Senhor, vinde logo em meu socorro!

Salmo 34(35),1-2.3c.9-19.22-23.27.28

O Senhor salva nas perseguições

Reuniram-se... e resolveram prender Jesus por um ardil para o matar (Mt 26,3.4).

I

1 Acusai os que me acusam, ó Senhor, *
combatei os que combatem contra mim!

=2 Empunhai o vosso escudo e armadura; †
levantai-vos, vinde logo em meu socorro *

3c
e dizei-me: “Sou a tua salvação!”

9 Então minh’alma no Senhor se alegrará *
e exulta de alegria em seu auxílio.

10 Direi ao meu Senhor com todo o ser: *
“Senhor, quem pode a vós se assemelhar,

– pois livrais o infeliz do prepotente *
e libertais o miserável do opressor?”

11 Surgiram testemunhas mentirosas, *
acusando-me de coisas que não sei.

12
Pagaram com o mal o bem que fiz, *
e a minh’alma está agora desolada!

Ant. Levantai-vos, ó Senhor, vinde logo em meu socorro!

Ant. 2 Defendei minha causa, Senhor poderoso!

II

=13 Quando eram eles que sofriam na doença, †
eu me humilhava com cilício e com jejum *
e revolvia minhas preces no meu peito;

14
eu sofria e caminhava angustiado *
como alguém que chora a morte de sua mãe.

=15 Mas apenas tropecei, eles se riram; †
como feras se juntaram contra mim *
e me morderam, sem que eu saiba seus motivos;

16
eles me tentam com blasfêmias e sarcasmos *
e se voltam contra mim rangendo os dentes.

Ant. Defendei minha causa, Senhor poderoso!

Ant. 3 Minha língua anuncia vossa justiça eternamente.

III

=17 Até quando, ó Senhor, podeis ver isso? †
Libertai a minha alma destas feras *
e salvai a minha vida dos leões!

18
Então, em meio à multidão, vos louvarei *
e na grande assembléia darei graças.

19 Que não possam nunca mais rir-se de mim *
meus inimigos mentirosos e injustos!

– Nem acenem os seus olhos com maldade *
aqueles que me odeiam sem motivo!

22 Vós bem vistes, ó Senhor, não vos caleis! *
Não fiqueis longe de mim, ó meu Senhor!

23
Levantai-vos, acordai, fazei justiça! *
Minha causa defendei, Senhor, meu Deus!

27 Rejubile de alegria todo aquele *
que se faz o defensor da minha causa

– e possa dizer sempre: “Deus é grande, *
ele deseja todo o bem para o seu servo!”

28
Minha língua anunciará vossa justiça *
e cantarei vosso louvor eternamente!

Ant. Minha língua anuncia vossa justiça eternamente.

V. Voltai ao Senhor vosso Deus.

R. Ele é bom, compassivo e clemente!

 

Primeira leitura

Do Livro do Êxodo             12,21-36

 

A morte dos primogênitos

Naqueles dias, 21Moisés convocou todos os anciãos de Israel e lhes disse: “Ide, tomai um animal para cada uma das vossas famílias, e imolai a vítima da Páscoa. 22Tomai um ramo de hissopo, molhai-o no sangue que estiver na bacia, e aspergi com ele os dois marcos e a travessa das portas. Mas ninguém de vós saia fora da porta da sua casa até o amanhecer. 23Quando o Senhor passar pelo Egito para castigá-lo, e vir sangue sobre os marcos e as travessas das portas, passará adiante de vossas portas e não deixará que o exterminador entre em vossas casas e faça dano. 24Observareis este preceito como decreto perpétuo para vós e vossos filhos. 25E, quando tiverdes entrado na terra que o Senhor vos há dedar, conforme prometeu, observareis este rito. 26E quando vossos filhos vos perguntarem: ‘Que significa este rito?’, 27respondereis: ‘É o sacrifício da Páscoa do Senhor, quando ele passou adiante das casas dos filhos de Israel no Egito, ferindo os egípcios e livrando as nossas casas’”. Então o povo, ouvindo isto, prostrou-se e adorou. 28E, saindo dali, os filhos de Israel fizeram o que o Senhor tinha mandado a Moisés e Aarão.

29Era meia-noite,quando o Senhor feriu todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito do Faraó, que se assentava em seu trono, até ao primogênito do prisioneiro que estava no cárcere, e a todos os primogênitos dos animais. 30O Faraó levantou-se de noite, e com ele todos os seus servos e todos os egípcios, e houve um grande clamor no Egito, pois não havia casa onde não houvesse um morto. 31O Faraó, chamando Moisés e Aarão de noite, disse: “Levantai-vos, saí do meio do meu povo, vós e os filhos de Israel; ide, oferecei sacrifícios ao Senhor, como dissestes. 32Levai convosco também vossas ovelhas e vosso gado, como pedistes; e, despedi-vos de mim e saí”. 33Os egípcios pressionavam o povo e insistiam com ele para que saísse depressa da sua terra, dizendo: “Morreremos todos!” 34O povo teve de tomar a farinha amassada, antes que levedasse; e, envolvendo-a nas capas, apôs sobre os ombros. 35Além disso, os filhos de Israel fizeram o que Moisés lhes tinha dito, pedindo aos egípcios objetos de ouro e prata e grande quantidade de roupas. 36O Senhor fez com que o povo encontrasse graça aos olhos dos egípcios, de maneira que estes lhes davam o que pediam; assim eles despojaram os egípcios.

 

Responsório             Cf. Ex 12,7.13; cf. 1Pd 1,18.19

R. Com o sangue do cordeiro marcareis

os dois pórticos e os umbrais de vossas casas.

* Este sangue servirá como sinal.

V. Não foi nem com ouro, nem prata,

que fostes remidos, irmãos;

mas sim pelo sangue precioso de Cristo,

o Cordeiro sem mancha.

* Este sangue.

 

Segunda leitura

Do “Espelho da Caridade”, do Bem-aventurado Elredo, abade

(Lib. 3,5: PL 195,582)            (Séc.XI)

 

O amor fraterno a exemplo de Cristo

Nada nos impele tanto ao amor dos inimigos – e é nisso que consiste a perfeição do amor fraterno – do que considerar com gratidão a admirável paciência de Cristo, o mais belo dos filhos dos homens (Sl 44,3). Ele apresentou seu rosto cheio de beleza aos ultrajes dos ímpios; deixou-os velar seus olhos que governam o universo com um sinal; expôs seu corpo aos açoites; submeteu às pontadas dos espinhos sua cabeça, que faz tremer os principados e as potestades; entregou-se aos opróbrios e às injúrias; finalmente,suportou com paciência a cruz, os cravos, a lança, o fel e o vinagre, conservando em tudo a doçura, a mansidão e a serenidade.

Depois, como cordeiro levado ao matadouro ou como ovelha diante dos que a tosquiam, ele não abriu a boca (Is 53,7).

Ao ouvir esta palavra admirável, cheia de doçura, cheia de amor e de imperturbável serenidade: Pai, perdoa-lhes! (Lc 23,34), quem não abraçaria logo com todo o afeto os seus inimigos? Pai, perdoa-lhes!, disse Jesus. Poderá haver oração que exprima maior mansidão e caridade?

Entretanto, Jesus não se contentou em pedir; quis ainda desculpar, e acrescentou: Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem! (Lc 23,34). São, na verdade, grandes pecadores, mas não sabem avaliar a gravidade de seu pecado. Por isso, Pai, perdoa-lhes! Crucificaram-me, mas não sabem a quem crucificaram, porque, se soubessem, não teriam crucificado o Senhor da glória (1Cor 2,8). Por isso, Pai, perdoa-lhes! Julgaram-me um transgressor da lei, um usurpador da divindade, um sedutor do povo. Ocultei-lhes a minha face, não reconheceram a minha majestade. Por isso, Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem!

Por conseguinte, se o homem quer amar-se a si mesmo com amor autêntico, não se deixa corromper por nenhum prazer da carne. Para não sucumbir a essa concupiscência da carne, dirija todo o seu afeto à admirável humanidade do Senhor. Para encontrar mais perfeito e suave repouso nas delícias da caridade fraterna, abrace também com verdadeiro amor os seus inimigos.

Mas, para que esse fogo divino não arrefeça diante das injúrias, contemple sem cessar, com os olhos do coração, a serena paciência de seu amado Senhor e Salvador.

 

Responsório             Is 53,12b; Lc 23,34

R. Ele próprio entregou a sua vida

e deixou-se colocar entre os facínoras.

* Tomou nossos pecados sobre si,

intercedendo em favor dos pecadores.

V. Jesus dizia, na cruz: Perdoai-lhes, ó Pai,

pois não sabem o que fazem. * Tomou nossos.

Oração

Concedei, ó Deus, que vossos filhos e filhas se preparem dignamente para a festa da Páscoa, de modo que a mortificação desta Quaresma frutifique em todos nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

Invitatório

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Salmodia

Ant. 1 Aceitareis o verdadeiro sacricio
no altar do coração arrependido.

Salmo 50(51)

Tende piedade, ó meu Deus!

Renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. Revesti o homem novo (Ef 4,23-24).

3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *
Na imensidão de vosso amor, purificai-me!

4
Lavai-me todo inteiro do pecado, *
e apagai completamente a minha culpa!

5 Eu reconheço toda a minha iniqüidade, *
o meu pecado está sempre à minha frente.

6
Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, *
e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

– Mostrais assim quanto sois justo na sentença, *
e quanto é reto o julgamento que fazeis.

7
Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade *
e pecador já minha mãe me concebeu.

8 Mas vós amais os corações que são sinceros, *
na intimidade me ensinais sabedoria.

9
Aspergi-me e serei puro do pecado, *
e mais branco do que a neve ficarei.

10 Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, *
e exultarão estes meus ossos que esmagastes.

11
Desviai o vosso olhar dos meus pecados *
e apagai todas as minhas transgressões!

12 Criai em mim um coração que seja puro, *
dai-me de novo um espírito decidido.

13
Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, *
nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

14 Dai-me de novo a alegria de ser salvo *
e confirmai-me com espírito generoso!

15
Ensinarei vosso caminho aos pecadores, *
e para vós se voltarão os transviados.

16 Da morte como pena, libertai-me, *
e minha língua exaltará vossa justiça!

17
Abri meus bios, ó Senhor, para cantar, *
e minha boca anunciará vosso louvor!

18 Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, *
e, se oferto um holocausto, o rejeitais.

19
Meu sacricio é minha alma penitente, *
não desprezeis um coração arrependido!

20 Sede benigno com Sião, por vossa graça, *
reconstruí Jerusalém e os seus muros!

21
E aceitareis o verdadeiro sacrifício, *
os holocaustos e oblações em vosso altar!

Ant. Aceitareis o verdadeiro sacricio
no altar do coração arrependido.

Ant. 2 Se vitoriosa no Senhor
e gloriosa toda a raça de Israel.

Cântico Is 45,15-25

Todos os povos se converterão ao Senhor

Ao nome de Jesus todo o joelho se dobre (Fl 2,10).

15 Senhor Deus de Israel, ó Salvador, *
Deus escondido, realmente, sois, Senhor!

=16
Todos aqueles que odeiam vosso nome, †
como aqueles que fabricam os seus ídolos, *
serão cobertos de vergonha e confusão.

17 Quem salvou a Israel, foi o Senhor, *
e é para sempre esta sua salvação.

– E não sereis envergonhados e humilhados, *
não o sereis eternamente pelos séculos!

18 Assim fala o Senhor que fez os céus, *
o mesmo Deus que fez a terra e a fixou,

– e a criou não para ser como um deserto, *
mas a formou para torná-la habitável:

= “Somente eu sou o Senhor, e não há outro! †
19 Não falei às escondidas e em segredo, *
nem falei de algum lugar em meio às trevas;

– nem disse à descendência de Jacó: *
‘Procurai-me e buscai-me inutilmente!’

– Eu, porém, sou o Senhor, falo a verdade *
e anuncio a justiça e o direito!

20
Reuni-vos, vinde todos, achegai-vos, *
pequeno resto que foi salvo entre as nações:

= como são loucos os que levam os seus ídolos †
e os que oram a uma estátua de madeira, *
a um deus que é incapaz de os salvar!

21
Apresentai as vossas provas e argumentos, *
deliberai e consultai-vos uns aos outros:

– Quem predisse estas coisas no passado? *
Quem revelou há tanto tempo tudo isso?

= Não fui eu, o Senhor Deus, e nenhum outro? †
Não existe outro Deus fora de mim! *
Sou o Deus justo e Salvador, e não há outro!

22 Voltai-vos para mim e sereis salvos, *
homens todos dos confins de toda a terra!

– Porque eu é que sou Deus e não há outro, *
23
e isso eu juro por meu nome, por mim mesmo!

– É verdade o que sai da minha boca, *
minha palavra é palavra irrevogável!

= Diante de mim se dobrará todo joelho, †
e por meu nome hão de jurar todas as línguas: *

24
‘Só no Senhor está a justiça e a fortaleza!’

– Ao Senhor hão de voltar envergonhados *
todos aqueles que o detestam e o renegam.

25
Mas se vitoriosa no Senhor *
e gloriosa toda a raça de Israel”.

Ant. Se vitoriosa no Senhor
e gloriosa toda a raça de Israel.

Ant. 3 Vinde todos ao Senhor com cantos de alegria!

Salmo 99(100)

A alegria dos que entram no templo

O Senhor ordena aos que foram salvos que cantem o hino de vitória (Sto. Atanásio).

=2 Aclamai o Senhor, ó terra inteira, †
servi ao Senhor com alegria, *
ide a ele cantando jubilosos!

=3 Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, †
Ele mesmo nos fez, e somos seus, *
nós somos seu povo e seu rebanho.

=4 Entrai por suas portas dando graças, †
e em seus átrios com hinos de louvor; *
dai-lhe graças, seu nome bendizei!

=5 Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, †
sua bondade perdura para sempre, *
seu amor é fiel eternamente!

Ant. Vinde todos ao Senhor com cantos de alegria!

Leitura breve             Is 53,11b-12
Meu Servo, o justo, fará justos inúmeros homens, carregando sobre si suas culpas. Por isso, compartilharei com ele multidões e ele repartirá suas riquezas com os valentes seguidores, pois entregou o corpo à morte, sendo contado como um malfeitor; ele, na verdade, resgatava o pecado de todos e intercedia em favor dos pecadores.

Responsório breve
R.
Vós nos resgatastes, ó Senhor,
* Para Deus o vosso sangue nos remiu. R. Vós nos.
V. Dentre todas as tribos e línguas,
dentre os povos da terra e nações. * Para Deus.
Glória ao Pai. R. Vós nos.

Cântico evangélico, ant.
Se vossa justiça não superar
a justiça dos escribas e fariseus,
no reino dos céus não entrareis.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 

71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 
74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 

=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 

78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 

– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

Ant. Se vossa justiça não superar
a justiça dos escribas e fariseus,
no reino dos céus não entrareis.

Preces
Demos graças a Cristo nosso Senhor que, morrendo na cruz, nos deu a vida; e de coração lhe peçamos:

R. Pela vossa morte, Senhor, fazei-nos viver!

Cristo nosso Mestre e Salvador, que nos ensinastes a vossa verdade, e nos renovastes pela vossa gloriosa Paixão,
não nos deixeis cair na infidelidade do pecado.
R.
Ensinai-nos a praticar a abstinência,
para socorrer com nossos bens os irmãos necessitados.
R.
Dai-nos a graça de viver santamente este dia de penitência quaresmal,
e consagrá-lo a vós com obras de caridade fraterna.
R.
Corrigi, Senhor, as nossas vontades rebeldes,
e dai-nos um coração generoso e agradecido.
R.
(intenções livres)

Pai nosso.

Oração

Concedei, ó Deus, que vossos filhos e filhas se preparem dignamente para a festa da Páscoa, de modo que a mortificação desta Quaresma frutifique em todos nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

Oração das Nove Horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

Na fé em Deus, por quem vivemos,
na esperança do que cremos,
no dom da santa caridade,
de Cristo as glórias entoemos.

Ao sacrifício da Paixão
na hora terça conduzido,
Jesus levando a cruz às costas,
arranca às trevas o perdido.

Vós nos livrastes do decreto
duma total condenação;
do mundo mau livrai o povo,
fruto da vossa redenção.

A Cristo, ao Pai e ao Santo Espírito,
Trindade Santa, Eterno Bem,
nosso louvor e ação de graças
hoje e nos séculos. Amém.

Salmodia 

Ant. Chegou o tempo de penincia,
de conversão e de salvação.

Salmo 118(119),25-32

IV (Daleth)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Ao entrar no mundo, afirma: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade (Hb 10,5.7).

25 A minha alma está prostrada na poeira, *
vossa palavra me devolva a minha vida!

26
Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, *
ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade!

27 Fazei-me conhecer vossos caminhos, *
e então meditarei vossos prodígios!

28
A minha alma chora e geme de tristeza, *
vossa palavra me console e reanime!

29 Afastai-me do caminho da mentira *
e dai-me a vossa lei como um presente!

30
Escolhi seguir a trilha da verdade, *
diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

31 De coração quero apegar-me à vossa lei; *
ó Senhor, não me deixeis desiludido!

32
De vossos mandamentos corro a estrada, *
porque vós me dilatais o coração.

Salmo 25(26)

Prece confiante do inocente

Em Cristo, Deus nos escolheu para que sejamos santos e irrepreensíveis (Ef 1,4).

1 Fazei justiça, ó Senhor: sou inocente, *
e confiando no Senhor não vacilei.

2
Provai-me, ó Senhor, e examinai-me, *
sondai meu coração e o meu íntimo!

3 Pois tenho sempre vosso amor ante meus olhos; *
vossa verdade escolhi por meu caminho.

4 Não me assento com os homens mentirosos, *
e não quero associar-me aos impostores;

5
eu detesto a companhia dos malvados, *
e com os ímpios não desejo reunir-me.

6 Eis que lavo minhas mãos como inocente *
e caminho ao redor de vosso altar,

7 celebrando em alta voz vosso louvor, *
e as vossas maravilhas proclamando.

8
Senhor, eu amo a casa onde habitais *
e o lugar em que reside a vossa glória.

9 Não junteis a minha alma à dos malvados, *
nem minha vida à dos homens sanguinários;

10
eles têm as suas mãos cheias de crime; *
sua direita está repleta de suborno.

11 Eu, porém, vou caminhando na inocência; *
libertai-me, ó Senhor, tende piedade!

12
Está firme o meu pé na estrada certa; *
ao Senhor eu bendirei nas assembléias.

Salmo 27(28),1-3.6-9

Súplica e ação de graças

Pai, eu te dou graças, porque me ouviste (Jo 11,41).

1 A vós eu clamo, ó Senhor, ó meu rochedo, *
não fiqueis surdo à minha voz!

– Se não me ouvirdes, eu terei a triste sorte *
dos que descem ao sepulcro!

2 Escutai o meu clamor, a minha súplica, *
quando eu grito para vós;

– quando eu elevo, ó Senhor, as minhas mãos *
para o vosso santuário.

3 Não deixeis que eu pereça com os malvados, *
com quem faz a iniqüidade;

– eles falam sobre paz com o seu próximo, *
mas têm o mal no coração.

6 Bendito seja o Senhor, porque ouviu *
o clamor da minha súplica!

7 Minha força e escudo é o Senhor; *
meu coração nele confia.

– Ele ajudou-me e alegrou meu coração; *
eu canto em festa o seu louvor.

8 O Senhor é a fortaleza do seu povo *
e a salvação do seu Ungido.

9 Salvai o vosso povo e libertai-o; *
abençoai a vossa herança!

– Sede vós o seu pastor e o seu guia *
pelos culos eternos!

Ant. Chegou o tempo de penincia,
de conversão e de salvação.

Leitura breve             Is 55,3
Inclinai vosso ouvido e vinde a mim, ouvi e tereis vida; farei convosco um pacto eterno, manterei fielmente as graças concedidas a Davi.

V. Criai em mim um coração que seja puro.
R. Dai-me de novo um espírito decidido!

Oração

Concedei, ó Deus, que vossos filhos e filhas se preparem dignamente para a festa da Páscoa, de modo que a mortificação desta Quaresma frutifique em todos nós. Por Cristo, nosso Senhor.  

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Oração das doze horas

 


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

Hino

Na mesma hora em que Jesus, o Cristo,
sofreu a sede, sobre a cruz pregado,
conceda a sede de justiça e graça
a quem celebra o seu louvor sagrado.

Ao mesmo tempo ele nos seja a fome
e o Pão divino que a Si mesmo dá;
seja o pecado para nós fastio,
só no bem possa o nosso gozo estar.

A unção viva do divino Espírito
impregne a mente dos que cantam salmos;
toda frieza do seu peito afaste,
no coração ponha desejos calmos,

Ao Pai e ao Cristo suplicamos graça,
com seu Espírito, eterno Bem;
Trindade Santa, protegei o orante,
guardai o povo em caridade. Amém.

Salmodia

Ant. Por minha vida, diz o Senhor,
não quero a
morte do pecador,
mas que ele
volte e tenha vida.

Salmo 118(119),25-32

IV (Daleth)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Ao entrar no mundo, afirma: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade (Hb 10,5.7).

25 A minha alma está prostrada na poeira, *
vossa palavra me devolva a minha vida!

26
Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, *
ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade!

27 Fazei-me conhecer vossos caminhos, *
e então meditarei vossos prodígios!

28
A minha alma chora e geme de tristeza, *
vossa palavra me console e reanime!

29 Afastai-me do caminho da mentira *
e dai-me a vossa lei como um presente!

30
Escolhi seguir a trilha da verdade, *
diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

31 De coração quero apegar-me à vossa lei; *
ó Senhor, não me deixeis desiludido!

32
De vossos mandamentos corro a estrada, *
porque vós me dilatais o coração.

Salmo 25(26)

Prece confiante do inocente

Em Cristo, Deus nos escolheu para que sejamos santos e irrepreensíveis (Ef 1,4).

1 Fazei justiça, ó Senhor: sou inocente, *
e confiando no Senhor não vacilei.

2
Provai-me, ó Senhor, e examinai-me, *
sondai meu coração e o meu íntimo!

3 Pois tenho sempre vosso amor ante meus olhos; *
vossa verdade escolhi por meu caminho.

4 Não me assento com os homens mentirosos, *
e não quero associar-me aos impostores;

5
eu detesto a companhia dos malvados, *
e com os ímpios não desejo reunir-me.

6 Eis que lavo minhas mãos como inocente *
e caminho ao redor de vosso altar,

7 celebrando em alta voz vosso louvor, *
e as vossas maravilhas proclamando.

8
Senhor, eu amo a casa onde habitais *
e o lugar em que reside a vossa glória.

9 Não junteis a minha alma à dos malvados, *
nem minha vida à dos homens sanguinários;

10
eles têm as suas mãos cheias de crime; *
sua direita está repleta de suborno.

11 Eu, porém, vou caminhando na inocência; *
libertai-me, ó Senhor, tende piedade!

12
Está firme o meu pé na estrada certa; *
ao Senhor eu bendirei nas assembléias.

Salmo 27(28),1-3.6-9

Súplica e ação de graças

Pai, eu te dou graças, porque me ouviste (Jo 11,41).

1 A vós eu clamo, ó Senhor, ó meu rochedo, *
não fiqueis surdo à minha voz!

– Se não me ouvirdes, eu terei a triste sorte *
dos que descem ao sepulcro!

2 Escutai o meu clamor, a minha súplica, *
quando eu grito para vós;

– quando eu elevo, ó Senhor, as minhas mãos *
para o vosso santuário.

3 Não deixeis que eu pereça com os malvados, *
com quem faz a iniqüidade;

– eles falam sobre paz com o seu próximo, *
mas têm o mal no coração.

6 Bendito seja o Senhor, porque ouviu *
o clamor da minha súplica!

7 Minha força e escudo é o Senhor; *
meu coração nele confia.

– Ele ajudou-me e alegrou meu coração; *
eu canto em festa o seu louvor.

8 O Senhor é a fortaleza do seu povo *
e a salvação do seu Ungido.

9 Salvai o vosso povo e libertai-o; *
abençoai a vossa herança!

– Sede vós o seu pastor e o seu guia *
pelos culos eternos!

Ant. Por minha vida, diz o Senhor,
não quero a
morte do pecador,
mas que ele
volte e tenha vida.

Leitura breve Cf. Jr 3,12b-14a
Voltai, é o Senhor que chama, não desviarei de vós minha face, porque eu sou misericordioso, não estarei irado para sempre. Convertei-vos, filhos, que vos tendes afastado de mim, diz o Senhor.

V. Desviai o vosso olhar dos meus pecados.
R. E apagai todas as minhas transgressões!

Oração

Concedei, ó Deus, que vossos filhos e filhas se preparem dignamente para a festa da Páscoa, de modo que a mortificação desta Quaresma frutifique em todos nós. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

Oração das Quinze Horas


 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

O número sagrado,
três vezes três das horas,
abrindo um novo espaço,
nos chama à prece, agora.
Ao nome de Jesus,
perdão seu povo implora.

O Cristo ouviu a prece
sincera do ladrão.
A graça foi-lhe dada,
por sua confissão.
Jesus ouvindo a súplica,
também nos dê perdão.

Agora morre a morte,
vencida pela cruz;
após as trevas densas,
serena, volta a luz;
o horror do mal se quebra,
na mentes Deus reluz.

A Cristo nós rogamos
e ao Pai, eterno Bem,
com seu Divino Espírito,
amor que os sustém,
proteja sua Igreja
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força

Salmo 118(119),25-32

IV (Daleth)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Ao entrar no mundo, afirma: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade (Hb 10,5.7).

25 A minha alma está prostrada na poeira, *
vossa palavra me devolva a minha vida!

26
Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, *
ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade!

27 Fazei-me conhecer vossos caminhos, *
e então meditarei vossos prodígios!

28
A minha alma chora e geme de tristeza, *
vossa palavra me console e reanime!

29 Afastai-me do caminho da mentira *
e dai-me a vossa lei como um presente!

30
Escolhi seguir a trilha da verdade, *
diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

31 De coração quero apegar-me à vossa lei; *
ó Senhor, não me deixeis desiludido!

32
De vossos mandamentos corro a estrada, *
porque vós me dilatais o coração.

Salmo 25(26)

Prece confiante do inocente

Em Cristo, Deus nos escolheu para que sejamos santos e irrepreensíveis (Ef 1,4).

1 Fazei justiça, ó Senhor: sou inocente, *
e confiando no Senhor não vacilei.

2
Provai-me, ó Senhor, e examinai-me, *
sondai meu coração e o meu íntimo!

3 Pois tenho sempre vosso amor ante meus olhos; *
vossa verdade escolhi por meu caminho.

4 Não me assento com os homens mentirosos, *
e não quero associar-me aos impostores;

5
eu detesto a companhia dos malvados, *
e com os ímpios não desejo reunir-me.

6 Eis que lavo minhas mãos como inocente *
e caminho ao redor de vosso altar,

7 celebrando em alta voz vosso louvor, *
e as vossas maravilhas proclamando.

8
Senhor, eu amo a casa onde habitais *
e o lugar em que reside a vossa glória.

9 Não junteis a minha alma à dos malvados, *
nem minha vida à dos homens sanguinários;

10
eles têm as suas mãos cheias de crime; *
sua direita está repleta de suborno.

11 Eu, porém, vou caminhando na inocência; *
libertai-me, ó Senhor, tende piedade!

12
Está firme o meu pé na estrada certa; *
ao Senhor eu bendirei nas assembléias.

Salmo 27(28),1-3.6-9

Súplica e ação de graças

Pai, eu te dou graças, porque me ouviste (Jo 11,41).

1 A vós eu clamo, ó Senhor, ó meu rochedo, *
não fiqueis surdo à minha voz!

– Se não me ouvirdes, eu terei a triste sorte *
dos que descem ao sepulcro!

2 Escutai o meu clamor, a minha súplica, *
quando eu grito para vós;

– quando eu elevo, ó Senhor, as minhas mãos *
para o vosso santuário.

3 Não deixeis que eu pereça com os malvados, *
com quem faz a iniqüidade;

– eles falam sobre paz com o seu próximo, *
mas têm o mal no coração.

6 Bendito seja o Senhor, porque ouviu *
o clamor da minha súplica!

7 Minha força e escudo é o Senhor; *
meu coração nele confia.

– Ele ajudou-me e alegrou meu coração; *
eu canto em festa o seu louvor.

8 O Senhor é a fortaleza do seu povo *
e a salvação do seu Ungido.

9 Salvai o vosso povo e libertai-o; *
abençoai a vossa herança!

– Sede vós o seu pastor e o seu guia *
pelos culos eternos!

Ant. Sejamos firmes na provação:
Sua justiça é nossa força

Leitura breve             Tg 1,27
A religião pura e sem mancha diante de Deus Pai é esta: assistir os órfãos e as viúvas em suas tribulações e não se deixar contaminar pelo mundo.

V. Meu sacrifício é minha alma penitente.
R. Não desprezeis um coração arrependido!

Oração

Concedei, ó Deus, que vossos filhos e filhas se preparem dignamente para a festa da Páscoa, de modo que a mortificação desta Quaresma frutifique em todos nós. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém

 

Hino

A abstinência quaresmal
vós consagrastes, ó Jesus;
pelo jejum e pela prece,
nos conduzis.da treva à luz.

Ficai presente agora à Igreja,
ficai presente à penitência,
pela qual vos suplicamos
para os pecados indulgência.

Por vossa graça, perdoai
as nossas culpas do passado;
contra as futuras protegei-nos,
manso Jesus, Pastor amado,

Para que nós, purificados
por esses ritos anuais,
nos preparemos, reverentes,
para gozar os dons pascais.

Todo o universo vos adore,
Trindade Santa, Sumo Bem.
Novos, por graça, vos cantemos
um canto novo e belo. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Curai-me, Senhor: eu pequei contra vós!

Salmo 40(41)

Prece de um enfermo

Um de vós, que come comigo, vai me trair (Mc 14,18).

2 Feliz de quem pensa no pobre e no fraco: *
o Senhor o liberta no dia do mal!

=3
O Senhor vai guardá-lo e salvar sua vida, †
o Senhor vai torná-lo feliz sobre a terra, *
e não vai entregá-lo à mer do inimigo.

4 Deus i ampará-lo em seu leito de dor, *
e lhe vai transformar a doença em vigor.

5
Eu digo: “Meu Deus, tende pena de mim, *
curai-me, Senhor, pois pequei contra vós!”

6 O meu inimigo me diz com maldade: *
“Quando de morrer e extinguir-se o seu nome?”

=7
Se alguém me visita, é com dupla intenção: †
recolhe más notícias no seu coração, *
e, apenas saindo, ele corre a espalhá-las.

8 Vaticinam desgraças os meus inimigos, *
reunidos, sussurram o mal contra mim:

9 “Uma peste incurável caiu sobre ele, *
e do leito em que jaz nunca mais se erguerá!”

10
Até mesmo o amigo em quem mais confiava, *
que comia o meu pão, me calcou sob os pés.

11 Vós ao menos, Senhor, tende pena de mim, *
levantai-me: que eu possa pagar-lhes o mal.
12 Eu, então, saberei que vós sois meu amigo, *
porque não triunfou sobre mim o inimigo.

13
Vós, porém, me havereis de guardar são e salvo *
e me pôr para sempre na vossa presença.

14 Bendito o Senhor, que é Deus de Israel, *
desde sempre, agora e sempre. Amém!

Ant. Curai-me, Senhor: eu pequei contra vós!

Ant. 2 Conosco es o Senhor do universo!
O nosso regio é o Deus de Ja!

Salmo 45(46)

O Senhor é refúgio e vigor

Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco (Mt 1,23).

2 O Senhor para nós é regio e vigor, *
sempre pronto, mostrou-se um socorro na angústia;

3 assim não tememos, se a terra estremece, *
se os montes desabam, caindo nos mares,

4
se as águas trovejam e as ondas se agitam, *
se, em feroz tempestade, as montanhas se abalam:

5 Os braços de um rio vêm trazer alegria *
à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.

6 Quem a pode abalar? Deus es no seu meio! *
Já bem antes da aurora, ele vem ajudá-la.

7
Os povos se agitam, os reinos desabam; *
troveja sua voz e a terra estremece.

8 Conosco está o Senhor do universo! *
O nosso refúgio é o Deus de Jacó!

9 Vinde ver, contemplai os progios de Deus *
e a obra estupenda que fez no universo:

= reprime as guerras na face da terra, †
10 ele quebra os arcos, as lanças destrói, *
e queima no fogo os escudos e as armas:

11
“Parai e sabei, conhecei que eu sou Deus, *
que domino as nações, que domino a terra!”

12 Conosco está o Senhor do universo! *
O nosso refúgio é o Deus de Jacó!

Ant. Conosco es o Senhor do universo!
O nosso regio é o Deus de Ja!

Ant. 3 Os povos virão adorar-vos, Senhor.

Cântico Ap 15,3-4

Hino de adoração

3 Como são grandes e admiveis vossas obras, *
ó Senhor e nosso Deus onipotente!

– Vossos caminhos são verdade, são justiça, *
ó Rei dos povos todos do universo!

(R. São grandes vossas obras, ó Senhor!)

=4 Quem, Senhor, não haveria de temer-vos, †
e quem não honraria o vosso nome? *
Pois somente vós, Senhor, é que sois santo!

(R.)

= As nações todas hão de vir perante vós, †
e prostradas haverão de adorar-vos, *
pois vossas justas decisões são manifestas!

(R.)

Ant. Os povos virão adorar-vos, Senhor.

Leitura breve             Tg 5,16.19-20
Confessai uns aos outros os vossos pecados e orai uns pelos outros para alcançar a saúde. A oração fervorosa do justo tem grande poder. Meus irmãos, se alguém de vós se desviar da verdade e um outro o reconduzir, saiba este que aquele que reconduz um pecador desencaminhado salvará da morte a alma dele e cobrirá uma multidão de pecados.

Responsório breve
R.
Curai-me, Senhor, ó Deus Santo,
* Pois pequei contra vós. R. Curai-me.
V. Tende piedade de mim, renovai-me! * Pois pequei.
Glória ao Pai. R. Curai-me.

Cântico evangélico, ant.
Se tu queres que agrade ao Senhor a tua oferta,
vai primeiro a teu irmão, reconcilia-te com ele,
e depois virás a Deus apresentar a tua oferta.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor
47 e se alegrou o meu esrito em Deus, meu Salvador
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, * 
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

49 O Poderoso fez por mim maravilhas * 
e Santo é o seu nome! 
50 Seu amor, de geração em geração, * 
chega a todos que o respeitam; 

51 demonstrou o poder de seu braço, * 
dispersou os orgulhosos; 
52 derrubou os poderosos de seus tronos * 
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, * 
e despediu, sem nada, os ricos. 
54 Acolheu Israel, seu servidor, * 
fiel ao seu amor

55 como havia prometido aos nossos pais, * 
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito, *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. Se tu queres que agrade ao Senhor a tua oferta,
vai primeiro a teu irmão, reconcilia-te com ele,
e depois virás a Deus apresentar a tua oferta.

Preces

Elevemos nossas súplicas ao Senhor Jesus Cristo, que nos santificou com o seu sangue; e digamos:

R. Senhor, tende compaixão do vosso povo!

Jesus, Redentor nosso, pelos méritos da vossa Paixão, dai aos vossos fiéis o espírito de penitência, sustentai-os no combate contra o mal e reavivai a sua esperança,
para que se disponham para celebrar mais santamente a vossa Ressurreição.
R.
Fazei que os cristãos, exercendo sua missão profética, anunciem por toda parte o Evangelho do Reino,
e o confirmem com seu testemunho de fé, esperança e caridade.
R.
Confortai os aflitos com a força do vosso amor,
e fazei que saibamos consolá-los com nossa solicitude fraterna.
R.
Ensinai-nos a levar nossa cruz em união com os vossos sofrimentos,
para que manifestemos em nós mesmos a vossa salvação.
R.
(intenções livres)

Autor da vida, lembrai-vos daqueles que partiram deste mundo,
e concedei-lhes a glória da ressurreição.

Pai nosso.

Oração

Concedei, ó Deus, que vossos filhos e filhas se preparem dignamente para a festa da Páscoa, de modo que a mortificação desta Quaresma frutifique em todos nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)

Hino

Agora que o clarão da luz se apaga,
a vós nós imploramos, Criador:
com vossa paternal misericórdia,
guardai-nos sob a luz do vosso amor.

Os nossos corações sonhem convosco:
no sono, possam eles vos sentir.
Cantemos novamente a vossa glória
ao brilho da manhã que vai surgir.

Saúde concedei-nos nesta vida,
as nossas energias renovai;
da noite a pavorosa escuridão
com vossa claridade iluminai.

Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces,
ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor,
que reina para sempre em vossa glória,
convosco e o Espírito de Amor.

Salmodia

Ant. De dia e de noite eu clamo por vós.

Salmo 87(88)

Prece de um homem gravemente enfermo

Mas esta é a hora, a hora do poder das trevas (Lc 22,53).

2 A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, *
e de noite se eleva até vós meu gemido.
3 Chegue a minha oração até a vossa presença, *
inclinai vosso ouvido a meu triste clamor!

4 Saturada de males se encontra a minh’alma, *
minha vida chegou junto às portas da morte.
5 Sou contado entre aqueles que descem à cova, *
toda gente me vê como um caso perdido!

6 O meu leito já tenho no reino dos mortos, *
como um homem caído que jaz no sepulcro,
– de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre *
e excluiu por completo da sua atenção.

7 Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, *
nos locais tenebrosos da sombra da morte.
8 Sobre mim cai o peso do vosso furor, *
vossas ondas enormes me cobrem, me afogam.

9 Afastastes de mim meus parentes e amigos, *
para eles tornei-me objeto de horror.
– Eu estou aqui preso e não posso sair, *
10 e meus olhos se gastam de tanta aflição. 

– Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar, todo o dia, *
minhas mãos para vós se levantam em prece.
11 Para os mortos, acaso, faríeis milagres? *
poderiam as sombras erguer-se e louvar-vos?

12 No sepulcro haverá quem vos cante o amor *
e proclame entre os mortos a vossa verdade?
13 Vossas obras serão conhecidas nas trevas, *
vossa graça, no reino onde tudo se esquece?

14 Quanto a mim, ó Senhor, clamo a vós na aflição, *
minha prece se eleva até vós desde a aurora.
15 Por que vós, ó Senhor, rejeitais a minh’alma? *
E por que escondeis vossa face de mim?

16 Moribundo e infeliz desde o tempo da infância, *
esgotei-me ao sofrer sob o vosso terror.
17 Vossa ira violenta caiu sobre mim *
e o vosso pavor reduziu-me a um nada!

18 Todo dia me cercam quais ondas revoltas, *
todos juntos me assaltam, me prendem, me apertam.
19 Afastastes de mim os parentes e amigos, *
e por meus familiares só tenho as trevas!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. De dia e de noite eu clamo por vós.

Leitura breve         Cf. Jr 14,9

Tu, Senhor, estás no meio de nós, e teu nome foi invocado sobre nós; não nos abandones, Senhor nosso Deus.

 

Responsório breve
R.
Senhor, em vossas mãos
* Eu entrego o meu espírito. R.Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor.

Cântico evangélico, ant.

Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Oração

Concedei-nos, Senhor, de tal modo unir-nos ao vosso Filho morto e sepultado, que mereçamos ressurgir com ele para uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,
ao povo que caiu, socorre e exorta,
pois busca levantar-se, Virgem pura,
nascendo o Criador da criatura:
tem piedade de nós e ouve, suave,
o anjo te saudando com seu Ave!

Ou:


Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem tão bela,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!
Virgem Mãe, ó Maria!

Ou:


Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,
vida doçura, esperança nossa, Salve!
A vós bradamos os degredados filhos de Eva,
a vós suspiramos gemendo e chorando
neste vale de lágrimas!
Eia, pois, Advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre!
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria.

Ou:


À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.