Terça-feira da 17ª Semana do Tempo Comum

Compartilhar:
 

Antífona de Entrada 

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)
 

Oração do dia 

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura - Ex 33,7-11; 34,5b.28 

O Senhor falava com Moisés face a face.

Leitura do Livro do Êxodo 33,7-11; 34,5b.28

Naqueles dias:
7Moisés levantou a tenda e armou-a longe,
fora do acampamento,
e deu-lhe o nome de Tenda da Reunião.
Assim, todo aquele que quisesse consultar o Senhor,
saía para a Tenda da Reunião,
que estava fora do acampamento.
8Quando Moisés se dirigia para lá,
o povo se levantava e ficava de pé
à entrada da própria tenda,
seguindo Moisés com os olhos até ele entrar.
9Logo que Moisés entrava na Tenda,
a coluna de nuvem baixava e ficava parada à entrada,
enquanto o Senhor falava com Moisés.
10Ao ver a coluna de nuvem parada à entrada da Tenda,
todo o povo se levantava
e cada um se prostrava à entrada da própria tenda.
11O Senhor falava com Moisés face a face,
como um homem fala com seu amigo.
Depois, Moisés voltava para o acampamento,
mas o seu jovem ajudante, Josué, filho de Nun,
não se afastava do interior da Tenda.
34,5bMoisés invocou o nome do Senhor.
6Enquanto o Senhor passava diante dele, Moisés gritou:
'Senhor, Senhor, Deus misericordioso e clemente,
paciente, rico em bondade e fiel,
7que conserva a misericórdia por mil gerações,
e perdoa culpas, rebeldias e pecados,
mas não deixa nada impune,
pois castiga a culpa dos pais nos filhos e netos,
até à terceira e quarta geração'!
8Imediatamente, Moisés curvou-se até o chão
9e, prostrado por terra, disse:
'Senhor, se é verdade que gozo de teu favor,
peço-te, caminha conosco;
embora este seja um povo de cabeça dura,
perdoa nossas culpas e nossos pecados
e acolhe-nos como propriedade tua'.
28Moisés esteve ali com o Senhor
quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão nem beber água,
e escreveu nas tábuas as palavras da aliança,
os dez mandamentos.
Palavra do Senhor. 

 

Salmo - Sl 102,6-7. 8-9. 10-11. 12-13 (R. 8a) 

R. O Senhor é indulgente, é favorável.


6O Senhor realiza obras de justiça *
e garante o direito aos oprimidos;
7revelou os seus caminhos a Moisés, *
e aos filhos de Israel, seus grandes feitos.R.

8O Senhor é indulgente, é favorável, *
é paciente, é bondoso e compassivo.
9Nóo fica sempre repetindo as suas queixas, *
nem guarda eternamente o seu rancor.R.

10Não nos trata como exigem nossas faltas, *
nem nos pune em proporção às nossas culpas.
11Quanto os céus por sobre a terra se elevam, *
tanto é grande o seu amor aos que o temem;R.

12quanto dista o nascente do poente, *
tanto afasta para longe nossos crimes.
13Como um pai se compadece de seus filhos, *
o Senhor tem compaixão dos que o temem.R.

 

Evangelho - Mt 13,36-43 

Como o joio é recolhido e queimado ao fogo,
assim também acontecerá no fim dos tempos.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13,36-43

Naquele tempo:
36Jesus deixou as multidões e foi para casa.
Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram:
'Explica-nos a parábola do joio!'
37Jesus respondeu:
Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem.
38O campo é o mundo.
A boa semente são os que pertencem ao Reino.
O joio são os que pertencem ao Maligno.
39O inimigo que semeou o joio é o diabo.
A colheita é o fim dos tempos.
Os ceifadores são os anjos.
40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo,
assim também acontecerá no fim dos tempos:
41o Filho do Homem enviará os seus anjos
e eles retirarão do seu Reino
todos os que fazem outros pecar
e os que praticam o mal;
42e depois os lançarão na fornalha de fogo.
Ali haverá choro e ranger de dentes.
43Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai.
Quem tem ouvidos, ouça.'
Palavra da Salvação. 

 

Antífona da Comunhão 

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)
 

Depois da Comunhão 

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.