/

12

XI. Rafael

12 1Terminados os dias de bodas, Tobit chamou seu filho Tobias e disse-lhe: “Filho, já étempo de pagares o salário do homem que te acompanhou, acrescentando também alguma gratificação.” 2Tobias respondeu: “Pai, quanto devo dar-lhe pelos seus serviços? Mesmo entregando- lhe a metade dos bens que trago comigo eu não teria prejuízo. 3Reconduziu-me são e salvo, libertou minha mulher, trouxe-me o dinheiro e, enfim, te curou! Que recompensa devo dar-lhe?” 4Disse-lhe Tobit: “Filho, ele bem merece a metade de tudo o que trouxe.” 5Chamou-o, pois, Tobias e disse-lhe: “Toma como salário a metade de tudo quanto trouxeste e vai em paz.” 6Então Rafael chamou-os à parte e disse-lhes: “Bendizei a Deus e proclamai entre todos os viventes os bens que ele vos

concedeu; bendizei e cantai seu Nome. Manifestai a todos os homens as ações de Deus, como elas o merecem, e não vos canseis de dar-lhe graças. 7É bom manter oculto o segredo do rei; porém, é justo revelar e publicar as obras de Deus. Agradecei-lhe dignamente. Praticai o bem, e a desgraça não vos atingirá. 8Boa coisa é a oração com o jejum, e melhor é a esmola com a justiça do que a riqueza com a iniqüidade. É melhor praticar a esmola do que acumular ouro. 9A esmola livra da morte e purifica de todo pecado. Os que dão esmola terão longa vida; 10os que cometem o pecado e a injustiça são inimigos da própria vida. 11Vou dizer-vos toda a verdade, sem nada vos ocultar: já vos ensinei que é conveniente manter oculto o segredo do rei, mas que é honroso apregoar as obras de Deus. 12Quando tu e Sara fazíeis oração, era eu quem apresentava vossas súplicas diante da Glória do Senhor e as lia; eu fazia o mesmo quando enterravas os mortos. 13Quando não hesitaste em te levantares da mesa, deixando a refeição, para ires sepultar um morto, fui enviado para provar tua fé,14e Deus enviou-me, ao mesmo tempo para curar-te a ti e a tua nora Sara. 15Eu sou Rafael, um dos sete anjos que estão sempre presentes e têm acesso junto à Glória do Senhor.” 16Ficaram ambos cheios de espanto e caíram com a face em terra, com grande temor. 17Mas ele lhes disse: “Não tenhais medo; a paz esteja convosco! Bendizei a Deus para sempre. 18Se estive convosco, não foi por pura benevolência minha para convosco, mas por vontade de Deus. A ele deveis bendizer todos os dias, a ele deveis cantar. 19Pareceu-vos que eu comia, mas foi só aparência. 20E agora, bendizei ao Senhor sobre a terra e dai graças a Deus. Vou voltar para Aquele que me enviou. Ponde por escrito tudo quanto vos aconteceu.” E ele se elevou. 21Quando se reergueram, não o viram mais. Louvaram a Deus e entoaram hinos dando-lhe graças por aquela grande maravilha de haver-lhes aparecido um anjo de Deus.