/

3

A NOITE NA EIRA

3 1Noemi, sua sogra, disse-lhe: “Minha filha, não devo eu buscar-te repouso, para quesejas feliz? 2Ora, esse Booz, com cujas servas estavas, não é nosso parente? Esta noite, ele vai joeirar a cevada na eira. 3Lava- te, pois, e perfuma-te, põe teu manto e desce à eira, mas não te deixes reconhecer por ele, até que ele tenha acabado de comer e beber. 4Quando ele for dormir, observa o lugar em que está deitado; então entra, descobre seus pés e deita-te; e ele te dirá o que deves fazer.” 5Rute retrucou-lhe: “Farei tudo o que disseste.” 6Ela desceu à eira e fez tudo o que sua sogra lhe havia mandado. 7Booz

comeu, bebeu, seu coração se alegrou, e ele foi deitar-se junto de um monte de cevada; então ela veio de mansinho, descobriu seus pés e deitou-se. 8Alta noite, o homem estremeceu; voltou-se e viu uma mulher deitada a seus pés. 9Disse ele: “Quem és tu?” Ela respondeu: “Eu sou Rute, tua serva. Estende teu manto sobre tua serva, pois tens o direito de resgate.” 10E disse ele: “Bendita sejas por Deus, minha filha; este teu novo ato de piedade excede o primeiro, pois não procuraste jovens, pobres ou ricos. 11E agora, minha filha, não tenhas medo: far-te-ei tudo quando disseres, pois toda a população desta cidade sabe que és uma mulher virtuosa. 12Ora, realmente tenho o direito de resgate, mas há um outro parente mais próximo que eu. 13Passa a noite aqui e amanhã cedo, se ele quiser exercer seu direito de resgate sobre ti, está bem, que ele te resgate: se, pelo contrário, não quiser te resgatar, eu te resgatarei; juro pela vida de Iahweh! Fica deitada até de manhã.” 14Ela ficou deitada a seus pés até de manhã e levantou-se antes que uma pessoa pudesse reconhecer a outra; ele pensou consigo: “Não convém que se saiba que esta mulher veio à eira.” 15Disse então Booz: “Estende o manto que te cobre e segura-o.” Ela segurou-o e ele mediu seis medidas de cevada, que lhe pôs às costas. E ela voltou para a cidade. 16Quando Rute chegou à casa de sua sogra esta lhe perguntou: “Como estás, minha filha?” Rute contou-lhe então tudo o que aquele homem tinha feito por ela. 17E acrescentou: “Estas seis medidas de cevada, foi ele que me deu, dizendo-me: Não voltarás de mãos vazias para junto de tua sogra.” 18Noemi lhe disse: “Fica tranqüila, minha filha, até saberes como terminará tudo isso; com certeza este homem não descansará enquanto não resolver hoje mesmo esta questão.”