/

20

20 As águas de Meriba 1Os filhos de Israel, toda a comunidade, chegaram noprimeiro mês ao deserto de Sin. O povo permaneceu em Cades. Ali morreu Maria e ali foi sepultada. 2Não havia água para a comunidade; amotinaram-se, então, contra Moisés e Aarão. 3E o povo contendia contra Moisés: “Oxalá tivéssemos perecido”, diziam, “como pereceram nossos irmãos diante de Iahweh! 4Por que conduziste a assembléia de Iahweh a este deserto, para aqui morrermos, nós e os nossos animais? 5Por que nos fizeste subir do Egito para nos conduzir a este terrível lugar? É lugar impróprio para semeadura, sem figueiras, nem vinhas, nem romãzeiras e até mesmo sem água para beber!” 6Moisés e Aarão deixaram a assembléia e vieram à entrada da Tenda da Reunião. Prostraram-se com a face em terra, e apareceu-lhes a glória de Iahweh. 7Iahweh falou a Moisés e disse: 8“Toma a vara e reúne a comunidade, tu e teu irmão Aarão. Em seguida e sob os olhos deles, dize a este rochedo que dê as suas águas. Farás, pois, jorrar água deste rochedo, darás de beber à comunidade e aos seus animais.” 9Moisés tomou a vara de diante de Iahweh, como lhe havia ordenado. 10Moisés e Aarão reuniram a assembléia diante do rochedo, e em seguida ele lhes disse: “Ouvi, agora, rebeldes. Faremos nós jorrar água, para vós, deste rochedo?” 11Moisés levantou a mão e com a vara feriu o rochedo por duas vezes: a água jorrou abundantemente, e a comunidade e os seus animais puderam beber.

Castigo de Moisés e de Aarão 12Então Iahweh disse a Moisés e a Aarão: “Visto quenão crestes em mim, de modo a me santificardes aos olhos dos filhos de Israel, não fareis entrar esta assembléia na terra que lhe dei.” 13Estas são as águas de Meriba, onde os filhos de Israel contenderam com Iahweh e onde manifestou-lhes a sua santidade.

Edom recusa passagem 14Moisés enviou de Cades mensageiros: “Ao rei de Edom.Assim fala teu irmão Israel. Tu mesmo sabes quantas tribulações nos têm advindo. 15Nossos pais desceram ao Egito onde habitamos por muito tempo. Os egípcios, contudo, nos maltrataram, bem como a nossos pais. 16Clamamos a Iahweh. Ele ouviu a nossa voz e enviou o anjo que nos tirou do Egito. Eis que agora estamos em Cades, cidade que está nos confins do teu território. 17Queremos, se isto te apraz, atravessar a tua terra. Não atravessaremos os campos, nem as vinhas; não beberemos água dos poços; seguiremos a estrada real, sem nos desviarmos para a direita ou para a esquerda, até que atravessemos o teu território.” 18Respondeu-lhe Edom: “Não passarás por mim, pois do contrário marcharei armado ao leu encontro.” 19Disseram-lhe os filhos de Israel: “Seguiremos a estrada batida; se bebermos da tua água, eu e os meus animais, pagar-te-ei o preço. Hasta que me deixes passar a pé.” 20Respondeu Edom: “Não passarás”, o Edom marchou ao seu encontro, com muita gente e grande força. 21Tendo assim Edom recusado a Israel a passagem pelo seu território, desviou-se dele Israel.

Morte de Aarão 22Partiram de Cades, e os filhos de Israel, toda a comunidade,chegaram à montanha de Hor. 23Iahweh falou a Moisés e a Aarão, na montanha de Hor, na fronteira da terra de Edom. Disse-lhes: 24“Aarão reunir-se-á aos seus: não entrará na

terra que darei aos filhos de Israel, visto que fostes rebeldes à minha voz, nas águas de Meriba. 25Toma a Aarão e Eleazar, seu filho, e faze-os subir à montanha de Hor. 26Então despirás a Aarão das suas vestes e as porás em Eleazar, seu filho, e Aarão se reunirá aos seus: é ali que ele deve morrer.” 27Moisés fez o que Iahweh havia ordenado. Diante dos olhos de toda a comunidade, subiram à montanha de Hor. 28Moisés despiu a Aarão das suas vestes e as vestiu em Eleazar, seu filho; e lá morreu Aarão, no cume do monte. E Moisés e Eleazar desceram da montanha. 29Toda a comunidade viu que Aarão havia expirado e toda a casa de Israel chorou Aarão durante trinta dias.