/

14

14 Revolta de Israel 1Então toda a comunidade elevou a voz; puseram-se a clamar, eo povo chorou aquela noite. 2Todos os filhos de Israel murmuraram contra Moisés e Aarão, e toda a comunidade lhes disse: “Antes tivéssemos morrido na terra do Egito! Antes morrêssemos neste deserto! 3E por que Iahweh nos traz a esta terra para nos fazer perecer à espada, para entregar como presa as nossas mulheres e as nossas crianças? Não nos seria melhor voltar para o Egito?” 4E diziam uns aos outros: “Escolhamos um chefe e voltemos para o Egito.” 5Diante de toda a comunidade reunida dos filhos de Israel, Moisés e Aarão prostraram-se com a face em terra. 6Dentre aqueles que exploraram a terra, Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné, rasgaram as suas vestes. 7Disseram a toda a comunidade dos filhos de Israel: “A terra que fomos explorar

  • boa, é uma terra excelente. 8Se Iahweh nos é propício, ele nos fará entrar nesta terra e no-la dará. É uma terra que mana leite e mel. 9Tão-somente não vos rebeleis contra Iahweh. Não tenhais medo do povo daquela terra, pois os devoraremos como um bocado de pão. A sua sombra protetora lhes foi tirada, ao passo que Iahweh está conosco. Portanto, não tenhais medo deles.”

Ira de Iahweh e intercessão de Moisés 10Toda a comunidade falava em apedrejá-los,quando a glória de Iahweh apareceu na Tenda da Reunião a todos os filhos de Israel. 11E Iahweh disse a Moisés: “Até quando este povo me desprezará? Até quando recusará crer em mim, apesar dos sinais que fiz no meio deles? 12Vou feri-lo com pestilência e o deserdarei. De ti, contudo, farei uma nação maior e mais poderosa do que este povo.” 13Moisés respondeu a Iahweh: “Os egípcios ouviram que pela tua própria força fizeste sair este povo do meio deles. 14Disseram-no também aos habitantes desta terra. Souberam que tu, Iahweh, estás no meio deste povo, a quem te fazes ver face a face; que és tu, Iahweh, cuja nuvem paira sobre eles; que tu marchas diante cicies, de dia numa

coluna de nuvem e de noite numa coluna de fogo. 15Se fazes perecer a este povo como a um só homem, as nações que ouviram falar de ti vão dizer: 16‘Iahweh não pôde fazer este povo entrar na terra que lhe havia prometido com juramento e, por isso, o destruiu no deserto.’ 17Não! Mas que agora a tua força, meu Senhor, se engrandeça! Segundo a tua palavra: 18‘Iahweh é lento para a cólera e cheio de amor, tolera a falta e a transgressão, mas não deixa ninguém impune, ele que castiga a falta dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração.’ 19Perdoa, pois, a falta deste povo segundo a grandeza da tua bondade, tudo conforme o tens tratado desde o Egito até aqui.”

Perdão e castigo 20Disse Iahweh: “Eu o perdôo, conforme a tua súplica.21Mas—eisque eu vivo! e a glória de Iahweh enche toda a terra! — 22todos estes homens que viram minha glória e os sinais que fiz no Egito e no deserto, estes homens que já me puseram

  • prova dez vezes, sem obedecer à minha voz, 23não verão a terra que prometi com juramento a seus pais. Nenhum daqueles que me ultrajaram a verá. 24Mas o meu servo Caleb, visto que um espírito diferente o animou e que me obedeceu inteiramente, eu o farei entrar na terra onde já esteve, e a sua descendência a possuirá. 25(Os amalecitas e os cananeus habitam na planície.) Amanhã, pois, fazei meia volta e retornai ao deserto, na direção do mar de Suf.” 26Iahweh falou a Moisés e a Aarão. Disse-lhes: 27“Até quando esta comunidade perversa há de murmurar contra mim? Ouvi as queixas que os filhos de Israel murmuram contra mim. 28Dize-lhes: Por minha vida — oráculo de Iahweh — eu vos tratarei segundo as próprias palavras que pronunciastes aos meus ouvidos. 29Os vossos cadáveres cairão neste deserto, todos vós os recenseados, todos vós os enumerados desde a idade de vinte anos para cima, vós que tendes murmurado contra mim. 30Juro que não entrareis neste país, a respeito do qual eu, levantando a mão, fiz juramento de nele vos estabelecer. Apenas Caleb, filho de Jefoné, e Josué, filho de Nun, 31e os vossos filhos, dos quais dizíeis que seriam levados como presa, serão eles que farei entrar e que conhecerão a terra que desprezastes. 32Quanto a vós, os vossos cadáveres cairão neste deserto, 33e vossos filhos andarão errantes neste deserto durante quarenta anos, carregando o peso da vossa infidelidade, até que os vossos cadáveres se consumam no deserto. 34Explorastes a terra durante quarenta dias. A cada dia corresponde um ano: por quarenta anos levareis o peso de vossas faltas e sabereis o que é o fato de me abandonardes. 35Eu falei, eu mesmo, Iahweh; é assim que tratarei toda esta comunidade perversa amotinada contra mim. Neste mesmo deserto não restará um deles e é ali que morrerão.” 36Os homens que Moisés havia mandado para explorarem a terra e que, ao voltarem, haviam excitado toda a comunidade de Israel a murmurar contra ele, desacreditando a terra, 37tais homens que infamaram perversamente a terra, foram feridos de morte perante Iahweh. 38Dos homens que foram explorar a terra somente Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné, permaneceram vivos.

Tentativa fracassada dos filhos de Israel 39Moisés transmitiu estas palavras aosfilhos de Israel e o povo fez grandes lamentações. 40Depois, levantando-se de madrugada, subiram ao cume da montanha e diziam: “Eis nos aqui e subimos a este lugar, a respeito do qual Iahweh disse que havia mos pecado.” 41Respondeu Moisés: “Por que transgredis a ordem de Iahweh? Isso não será bem sucedido. 42Não subais, pois Iahweh não está no meio de vós: não prepareis a vossa derrota por meio dos vossos inimigos. 43Na verdade, os amalecitas e os cananeus estão lá diante de vós, e caireis à espada, porque vós vos desviastes de Iahweh e Iahweh não está convosco.” 44Contudo, eles subiram, na sua presunção, ao cume da montanha. A arca da aliança de Iahweh e Moisés não se apartaram do acampamento. 45Os amalecitas e os cananeus que

habitavam esta montanha desceram, derrotaram-nos e os fizeram em pedaços até Horma.

VI. Disposições sobre os sacrifícios. Poderes dos sacerdotes e dos levitas