/

14

V. A vitória

14 Os judeus assaltam o acampamento assírio 1Disse-lhes Judite: “Escutai-me,irmãos. Tomai esta cabeça e suspendei-a no parapeito de vossa muralha. 2Logo que raiar a aurora e o sol se levantar sobre a terra, todos vós tomareis as vossas armas e saireis, todos os homens válidos, para fora da cidade. Estabelecei um chefe para eles, como se fossem descer à planície, em direção às sentinelas dos assírios. Mas não descereis. 3Eles, tomando suas armas, irão para o acampamento e acordarão os chefes do exército assírio. Correrão, então, à tenda de Holofernes, e não o encontrarão. O medo cairá sobre eles, e fugirão de vossa presença. 4Persegui-os, vós e todos os que habitam no território de Israel, e abatei-os em sua fuga. 5Porém, antes de agir assim, chamai-me Aquior, o amonita, para que ele veja e reconheça a quem desprezava a casa de Israel, ao que o enviou a nós como destinado à morte.” 6Chamaram, pois, Aquior na casa de Ozias. Quando veio e viu a cabeça de Holofernes na mão de um homem na assembléia do povo, caiu com o rosto por terra e desmaiou. 7Quando o levantaram ele prostrou-se aos

pés de Judite, saudou-a profundamente e disse: “Bendita sejas tu em todas as tendas de Judá e entre todos os povos; os que ouvirem teu nome ficarão inquietos. 8E agora, conta-me o que fizeste nesses dias.” Judite contou-lhe, em meio ao povo, tudo o que fizera desde o dia em que saíra de Betúlia até o momento em que falava. 9Quando acabou de falar, o povo gritou em altos brados e encheu a cidade com aclamações de alegria. 10Aquior, vendo tudo o que fizera o Deus de Israel, acreditou firmemente nele, circuncidou sua carne e foi acolhido, definitivamente, na casa de Israel. 11Quando despontou a aurora, suspenderam a cabeça de Holofernes na muralha. Cada homem tomou a sua arma e saíram em grupo para as encostas do monte. 12Os assírios, ao verem-nos, enviaram mensageiros aos seus chefes. Eles foram aos estrategos, aos generais e a todos os seus oficiais. 13Acorreram à tenda de Holofernes e disseram ao intendente geral: “Acorda nosso senhor, porque os escravos ousaram descer a nós e atacar- nos, a fim de serem completamente exterminados.” 14Entrou, pois, Bagoas, bateu palmas diante da cortina da tenda, pensando que Holofernes dormia com Judite. 15Como ninguém ouviu, ele abriu e entrou no quarto: encontrou-o jogado por terra, morto e decapitado. 16Deu então um grito, com choro, soluço e forte clamor, e rasgou suas vestes. 17Entrou em seguida na tenda onde se alojava Judite e não a encontrou. Precipitou-se então, para o povo e gritou: 18“Os escravos rebelaram-se. Uma mulher dos hebreus cobriu de vergonha a casa de Nabucodonosor. Holofernes jaz por terra, decapitado.” 19Ao ouvirem essas palavras, os chefes do exército assírio ficaram profundamente perturbados, rasgaram suas túnicas e prorromperam, no meio do acampamento, em fortes gritos e clamores.