/

12

12 A sabedoria de Deus manifesta-se principalmente por seu poder destruidor 1Jótomou a palavra e disse: 2Realmente sois a voz do povo e convosco morrerá a

Sabedoria.3Mas também eu tenho inteligência, — não sou inferior a vós —; quem ignora tudo isso? 4Mas o homem torna-se a irrisão do seu amigo quando invoca a Deus para ter uma resposta. Zombam do justo íntegro. 5No infortúnio, o desprezo!, dizem os que estão felizes, um golpe a mais para quem titubeia! 6Nas tendas dos ladrões reina paz, e estão seguros os que desafiam a Deus, pensando que o têm na mão. 7Pergunta, pois, ao gado e ensinar-te-á, às aves do céu e informar-te-ão. 8Os répteis da terra dar-te-ão lições, os peixes dos mares te hão de narrar: 9quem não haveria de reconhecer que tudo isso é obra da mão de Deus? 10Em sua mão está a alma de todo ser vivo e o espírito de todo homem carnal. 11Não distingue o ouvido as palavras e não saboreia o paladar os manjares? 12Está nas venerandas cãs a sabedoria, e o entendimento com os anciãos. 13Mas ele possui sabedoria e poder, dele é o conselho e o entendimento. 14O que ele destrói, ninguém o reconstrói; se ele aprisionar, não haverá escapatória; 15se retiver a chuva, virá a seca; se a soltar, inundar-se-á a terra. 16Ele possui força e sensatez, com ele estão o enganado e aquele que engana. 17Torna estúpidos os conselheiros da terra e fere os juízes com loucura. 18Desamarra a cintura dos reis e cinge-os com uma corda. 19Faz andar descalços os sacerdotes e lança por terra os poderes estabelecidos. 20Tira a palavra aos confiantes e priva de sensatez os anciãos. 21Derrama o desprezo sobre os nobres e afrouxa o cinturão dos fortes; descobre o que há de mais recôndito nas trevas e traz à luz as sombras espessas; 23engrandece as nações e arruína-as: expande povos, e depois os suprime; tira o juízo aos chefes de um país e deixa-os errar num deserto sem estradas, 25cambalear nas trevas, sem luz, e titubear como um bêbado.