/

19

19 O sofrimento de Davi 1Então o rei tremeu. Subiu para a sala que está acima daporta e caiu em pranto. E dizia entre soluços: “Meu filho Absalão! meu filho! meu filho Absalão! Porque não morri eu em teu lugar! Absalão, meu filho! meu filho!” 2Avisaram a Joab: “O rei chora e se lamenta por causa de Absalão.” 3A vitória, naquele dia, se transformou em luto para todo o exército, porque o exército compreendeu naquele dia que o rei estava em grande angústia por causa de seu filho. 4Naquele dia, o exército entrou furtivamente na cidade, como faria um exército coberto de vergonha por estar fugindo no meio do combate. 5O rei tinha o rosto coberto e clamava em alta voz: “Meu filho Absalão! Absalão meu filho! meu filho!” 6Joab se aproximou do rei, no interior da casa, e lhe disse: “Tu cobres hoje de vergonha o rosto de todos os teus servos que hoje salvaram a tua vida, a dos teus filhos e das tuas filhas, a das tuas mulheres e das tuas concubinas, 7porque amas os que te odeiam e odeias os que te amam. Pois demonstraste hoje que chefes e soldados nada são para ti, porque agora sei que, se Absalão estivesse vivo e nós todos mortos hoje, tu acharias tudo muito bem. 8Vamos, rogo-te, sai e fala aos teus soldados, porque, eu juro por Iahweh, se tu não saíres, não haverá ninguém que passe contigo esta noite, e isso será para ti um mal maior do que todos os males que têm caído sobre ti desde a tua mocidade até o dia de hoje.” 9O rei se levantou e veio assentar-se à porta. E anunciou-se a todo o exército: “Eis que o rei está assentado à porta”, e então todo o exército se reuniu diante do rei.

Preparação para a volta de Davi —Israel fugiu, cada um para a sua tenda.10Em todasas tribos de Israel, todos discutiam. Dizia-se: “Foi o rei quem nos livrou da mão dos

nossos inimigos, foi ele quem nos salvou da mão dos filisteus, e agora teve de fugir da terra, para longe de Absalão. 11Quanto a Absalão, que tínhamos ungido para que reinasse sobre nós, morreu na batalha. Então, por que não fazeis nada para trazer o rei de volta?” 12bO que se dizia em todo o Israel chegou aos ouvidos do rei. 12aEntão o rei Davi mandou dizer aos sacerdotes Sadoc e Abiatar: “Falai assim aos anciãos de Judá: ‘Por que seríeis vós os últimos a trazer de volta o rei para casa? 13Vós sois meus irmãos, sois da minha carne e dos meus ossos. Por que seríeis os últimos a trazer o rei de volta?’ 14E direis a Amasa: ‘Não és tu osso meu e minha carne? Que Deus me faça este mal e acrescente este outro, se não estiveres para sempre ao meu serviço como chefe do exército, em lugar de Joab.’ ” 15Assim foi um só o sentimento de todos os homens de Judá, como o coração de um só homem, e mandaram dizer ao rei: “Vem, tu e todos os teus servos.”

Episódios da volta: Semei 16Então o rei voltou e chegou até o Jordão. Judá tinhachegado a Guilgal para ir encontrar-se com o rei, para ajudá-lo a atravessar o Jordão. 17A toda pressa, Semei, filho de Gera, o benjaminita de Baurim, desceu com os de Judá ao encontro do rei Davi. 18Vinham com ele mil homens de Benjamim. Siba, servo da casa de Saul, os seus quinze filhos e os seus vinte servos desceram com ele antes do rei ao Jordão 19e prepararam tudo para fazer passar a família do rei e agradar-lhe. Semei, filho de Gera, atirou-se aos pés do rei, quando ele atravessava o Jordão, 20e disse ao rei: “Que o meu senhor não me tenha por culpado! E não te lembres do mal que o teu servo cometeu no dia em que o senhor meu rei saiu de Jerusalém. Que o rei não guarde isso no coração! 21Porque o teu servo reconhece que pecou, e hoje sou o primeiro de toda a casa de José a descer perante o senhor meu rei.” 22Abisaí, filho de Sárvia, tomou então a palavra e disse: “Não é certo que Semei merece a morte por ter amaldiçoado o ungido de Iahweh?” 23Mas Davi disse: “Que tenho eu convosco, filhos de Sárvia, para que vos torneis hoje meus adversários? Poderia ser alguém condenado à morte hoje em Israel? Não tenho hoje a garantia de que sou rei sobre Israel?” 24O rei disse a Semei: “Não morrerás!”, e o rei o jurou.

Meribaal 25Meribaal, o filho de Saul, tinha também descido perante o rei. Não tinhalavado os pés nem as mãos, nem aparado o bigode, nem tinha lavado a sua roupa desde o dia em que o rei tinha partido até o dia em que voltou em paz. 26Tendo chegado de Jerusalém perante o rei, este lhe perguntou: “Por que não vieste comigo, Meribaal?”

27Ele respondeu: “O meu servo me enganou, senhor meu rei. O teu servo lhe havia dito:

‘Sela a minha mula: vou montá-la e irei com o rei’, porque o teu servo é aleijado. 28Ele caluniou o teu servo perante o senhor meu rei. Mas o senhor meu rei é como o Anjo de Deus: faze o que parecer bem aos teus olhos. 29Porque toda a família de meu pai merecia do senhor meu rei somente a morte, contudo recebeste o teu servo entre os que comem à tua mesa. Que direito tenho, pois, de implorar ainda ao rei?” 30O rei disse: “Por que continuar falando? Eu decido que tu e Siba repartais as terras.” 31Meribaal disse ao rei: “Fique ele com tudo, pois o senhor meu rei voltou em paz à sua casa!”

Berzelai 32Berzelai, o galaadita, tinha descido de Rogelim é acompanhado o rei até oJordão, a fim de despedir-se dele no Jordão. 33Berzelai era muito idoso: tinha oitenta anos. Havia ele, quando o rei passou por Maanaim, acudido à manutenção do rei, porque era um homem muito rico. 34Disse, pois, o rei a Berzelai: “Continua comigo e eu te proverei com o que precisares em Jerusalém.” 35Mas Berzelai respondeu ao rei: “Quantos anos me restam de vida, para que suba com o rei a Jerusalém? 36Estou agora com oitenta anos. Poderei distinguir o que é bom do que é mau? Sente este teu servo

sabor no que come ou bebe? Poderei ainda ouvir a voz dos cantores e das cantoras? Por que seria o teu servo agora um peso para o senhor meu rei? 37O teu servo passará o Jordão com o rei, mas por que me daria o rei tal recompensa? 38Permite ao teu servo que dali retorne: morrerei na minha cidade, perto do túmulo do meu pai e da minha mãe. Mas aqui está o teu servo Camaam: fique ele com o senhor meu rei, e faze com ele o que bem te aprouver.” 39Disse o rei: “Continue Camaam comigo então, e farei por ele o que te agradar, e tudo o que me pedires eu lhe farei por ti.” 40Todo o povo passou o Jordão, e então o rei passou, beijou a Berzelai e o abençoou, e Berzelai voltou para a sua casa.

Judá e Israel disputam o rei 41O rei prosseguiu em direção a Guilgal, e Camaam foicom ele. Todo o povo de Judá acompanhava o rei, e também a metade do povo de Israel. 42E eis que todos os homens de Israel vieram ter com o rei e lhe disseram: “Por que os nossos irmãos, os homens de Judá, se apossaram de ti, e fizeram passar o Jordão ao rei, à sua família e a todos os homens de Davi com ele?” 43Então todos os homens de Judá responderam aos homens de Israel: “É porque o rei é mais aparentado comigo! Por que te irritas por isso? Comemos nós a expensas do rei? Ou nos trouxe ele alguma porção?” 44Responderam os homens de Israel aos homens de Judá: “Eu tenho dez partes no rei, e, além disso, sou teu primogênito: por que me desprezaste? E não fui eu o primeiro a promover a volta do meu rei?” Mas as palavras dos homens de Judá foram mais ofensivas do que as dos homens de Israel.