/

34

34 Violência feita a Dina 1Dina, a filha que Lia havia dado a Jacó, saiu para ir ver asfilhas da terra. 2Siquém, o filho de Hemor, o heveu, príncipe da terra, tendo-a visto, tomou-a, dormiu com ela e lhe fez violência. 3Mas seu coração inclinou-se por Dina, filha de Jacó, amou a jovem e falou-lhe ao coração. 4Assim falou Siquém a seu pai Hemor: “Toma-me esta jovem como mulher.” 5Jacó soube que ele tinha desonrado sua filha Dina, mas como seus filhos estavam nos campos com seu rebanho, Jacó guardou silêncio até que voltassem.

Pacto matrimonial com os siquemitas 6Hemor, o pai de Siquém, foi a Jacó para lhefalar. 7Quando os filhos de Jacó voltaram dos campos e souberam disso, esses homens ficaram indignados e furiosos pelo fato de se ter cometido uma infâmia em Israel, dormindo com a filha de Jacó: isso não se faz! 8Hemor lhes falou assim: “Meu filho Siquém enamorou-se de vossa filha, peço-vos que lha deis como mulher. 9Aliai-vos a nós: vós nos dareis vossas filhas e tomareis as nossas para vós. 10Ficareis conosco e a terra estará a vosso dispor: podereis nela habitar, circular e vos estabelecer.” 11Siquém disse ao pai e aos irmãos da jovem: “Que eu encontre graça aos vossos olhos, e darei o que me pedirdes! 12Podeis impor uma elevada soma, como preço e como presente: eu pagarei tanto quanto pedirdes, mas dai-me a jovem como mulher!” 13Os filhos de Jacó responderam com falsidade a Siquém e a seu pai Hemor, e falaram com falsidade, porque ele tinha desonrado sua irmã Dina. 14Eles lhes disseram: “Não podemos fazer semelhante coisa: dar nossa irmã a um homem incircunciso, porque entre nós é uma desonra. 15Não vos daremos nosso consentimento senão com uma condição: deveis tornar-vos como nós e circuncidar todos os vossos machos. 16Então vos daremos nossas filhas e tomaremos as vossas para nós, permaneceremos convosco e formaremos um só povo. 17Mas se não nos ouvirdes, acerca da circuncisão, tomaremos nossa filha e partiremos.” 18Suas palavras agradaram a Hemor e a Siquém, filho de Hemor. 19O jovem não tardou em fazer isso, porque estava enamorado da filha de Jacó; ora, ele era o mais considerado de toda a família. 20Hemor e seu filho Siquém foram à porta de sua cidade e falaram assim aos homens de sua cidade: 21“Estes homens estão bem intencionados: que permaneçam conosco na terra, nela circulem, a terra estará aberta para eles em toda a sua extensão, tomaremos suas filhas como mulheres e lhes daremos nossas filhas. 22Mas estes homens não consentirão em ficar conosco para formar um só povo senão com uma condição: é que todos os machos devem ser circuncidados como eles próprios o são. 23Seus rebanhos, seus bens, todo o seu gado não será nosso? Consintamos, pois, a fim de que permaneçam conosco.” 24Hemor e seu filho Siquém foram ouvidos por todos os que passavam pela porta de sua cidade, e todos os machos se fizeram circuncidar.

Vingança traidora de Simeão e Levi 25Ora, no terceiro dia, quando elesconvalesciam, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Dina, tomaram cada qual sua espada e caminharam sem oposição contra a cidade e mataram todos os machos. 26Passaram ao fio da espada Hemor e seu filho Siquém, tomaram Dina da casa de Siquém e partiram. 27Os filhos de Jacó investiram sobre os feridos e pilharam a cidade, porque tinham desonrado sua irmã. 28Tomaram suas ovelhas, seus bois e seus jumentos, o que estava na cidade e o que estava nos campos. 29Roubaram todos os seus bens, todas as suas crianças e pilharam tudo o que havia nas casas. 30Jacó disse a Simeão e Levi: “Vós me arruinastes, tornando-me odioso aos habitantes da terra, os cananeus e os ferezeus: tenho poucos homens, eles se reunirão contra mim, vencer-me-ão e serei aniquilado com minha casa.” 31Mas eles replicaram: “Acaso se trata a nossa irmã como uma prostituta?”