/

8

81Disse Iahweh a Moisés: “Dize a Aarão: ‘Estende a tua mão com a tua vara sobre osrios, sobre os canais e lagoas, e faze subir rãs sobre a terra do Egito.’ ” 2Aarão estendeu a mão sobre as águas do Egito, e subiram rãs e cobriram a terra do Egito. 3Os magos do Egito, porém, com suas ciências ocultas, fizeram o mesmo, e fizeram subir rãs sobre a terra do Egito. 4Faraó chamou Moisés e Aarão, e disse-lhes: “Rogai a Iahweh que afaste as rãs de mim e do meu povo, e deixarei o povo partir, para que ofereça sacrifício a Iahweh.” 5E Moisés disse a Faraó: “Digna-te dizer-me quando deverei rogar por ti, por teus servos e pelo teu povo, para que as rãs sejam arrancadas de ti e das tuas casas, e fiquem somente no Rio.” 6Ele respondeu: “Amanhã.” E Moisés disse: “Seja conforme a tua palavra, para que saibas que não há ninguém como Iahweh, o nosso Deus. 7As rãs afastar-se-ão de ti, da tua casa, dos teus servos e do teu povo; e ficarão somente no Rio.” 8Moisés e Aarão saíram da presença de Faraó; e Moisés clamou a Iahweh por causa das rãs que havia enviado a Faraó. 9E Iahweh fez conforme a palavra de Moisés; e morreram as rãs das casas, dos pátios e dos campos. 10E juntaram-nas em montes imensos, e a terra ficou poluída. 11Mas Faraó viu que havia alívio, e o seu coração ficou obstinado. E não os ouviu, como Iahweh havia dito.

  1. Os mosquitos 12Disse Iahweh a Moisés: “Dize a Aarão: ‘Estende a tua vara e fereo pó da terra, e haverá mosquitos em toda a terra do Egito.’ ” 13Aarão estendeu a mão com a sua vara e feriu o pó da terra, e houve mosquitos sobre os homens e sobre os animais. E todo o pó da terra transformou-se em mosquitos por todo o país do Egito. 14Os magos do Egito, porém, com suas ciências ocultas, fizeram o mesmo para produzirem mosquitos, e não conseguiram. E houve mosquitos sobre os homens e sobre os animais. 15Então os magos disseram a Faraó: “Isto é o dedo de Deus!” Endureceu-se, porém, o coração de Faraó, e não os ouviu como Iahweh havia dito.

IV As moscas 16Disse Iahweh a Moisés: “Levanta-te de madrugada e apresenta-te a

Faraó; eis que ele sairá às águas, e dize-lhe: ‘Assim fala Iahweh: Deixa o meu povo partir, para que me sirva. 17Se não deixares partir o meu povo, eis que enviarei moscas contra ti, contra os teus servos e contra o teu povo, e contra as tuas casas. As casas dos egípcios e a terra em que estiverem ficarão repletas de moscas. 18Naquele dia separarei a terra de Gessen, em que reside o meu povo, para que nela não haja moscas e saibas que eu sou Iahweh, no meio desta terra. 19Eu distinguirei entre o meu povo e o teu povo! Amanhã se dará este sinal.’ ” 20Assim fez Iahweh, e moscas em grande número entraram na casa de Faraó, nas casas dos seus servos e em toda a terra do Egito; e a terra ficou arruinada por causa das moscas. 21Faraó chamou Moisés e Aarão, e disse-lhes: “Ide, oferecei sacrifícios ao vosso Deus nesta terra.” 22Moisés respondeu: “Não convém agir assim, porque os nossos sacrifícios a Iahweh, o nosso Deus, são uma abominação para os egípcios. Se oferecermos, aos olhos dos egípcios, sacrifícios que eles abominam, não

haveriam de nos apedrejar?23E a três dias de marcha no deserto que iremos sacrificar a Iahweh, nosso Deus, conforme ele nos disse.” 24E Faraó disse: “Eu vos deixarei ir sacrificar a vosso Deus no deserto, mas não deveis ir muito longe. Rogai por mim.” 25Disse Moisés: “Loco que eu tiver saído da tua presença rogarei a Iahweh. Amanhã as moscas se afastarão de Faraó, dos seus servos e do seu povo; somente que Faraó não mais me engane, não deixando o povo ir sacrificar a Iahweh.” 26Tendo Moisés saído da presença de Faraó, orou a Iahweh. 27E Iahweh fez o que Moisés lhe tinha pedido, e as moscas se afastaram de Faraó, dos seus servos e do seu povo; não ficou uma só. 28Mas, ainda desta vez, Faraó obstinou o seu coração e não deixou o povo partir.