3º Domingo do Advento

 

Invitatório

 ________________________________

Vigílias

introdução

V. Vinde, ó Deus em meu auxílio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.  

Hino

O Verbo eterno do Pai,
da luz do Pai emanado,
nascendo eleva a história,
caída pelo pecado.

Nos corações, vosso amor
queime, qual fogo candente.
Ao escutar vosso anúncio,
fuja a mentira da mente.

As profundezas dos seres,
Juiz, vireis penetrar
e, castigando o culpado,
o Reino ao justo entregar.

Enfim, libertos das culpas,
fruto de nossas malícias,
no céu possamos gozar
vossas eternas delícias.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai toda a glória,
com o Espírito Santo,
eterna honra e vitória.

Salmodia

Ant. 1 Eis que o Rei glorioso virá,

com poder vem salvar as nações. Aleluia.


Salmo 144(145)

Louvor à grandeza de Deus

Justo és tu, Senhor, aquele que é e que era, o Santo (Ap 16,5).


I

1 Ó meu Deus, quero exaltar-vos,ó meu Rei, *
e bendizer o vosso nome pelos séculos.

2 Todos os dias haverei de bendizer-vos, *
hei de louvar o vosso nome para sempre.
3Grande é o Senhor e muito digno de louvores, *
e ninguém pode medir sua grandeza.

4 Uma idade conta à outra vossas obras *
e publica os vossos feitos poderosos;
5 proclamam todos o esplendor de vossa glória *
e divulgam vossas obras portentosas!  

6 Narram todos vossas obras poderosas, *
e de vossa imensidade todos falam.
7 Eles recordam vosso amor tão grandioso *
e exaltam, ó Senhor, vossa justiça.

8 Misericórdia e piedade é o Senhor, *
ele é amor, é paciência, é compaixão.
9 O Senhor é muito bom para com todos, *
sua ternura abraça toda criatura.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant.
Eis que o Rei glorioso virá,

com poder vem salvar as nações. Aleluia.



Ant. 2
Exulta de alegria, ó Sião,
 Jerusalém, tem confiança e não receies!
 Está perto o teu Rei e Salvador.

II

10 Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, *
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
11 Narrem a glória e o esplendor do vosso reino *
e saibam proclamar vosso poder!

12 Para espalhar vossos prodígios entre os homens *
e o fulgor de vosso reino esplendoroso.
13 O vosso reino é um reino para sempre, *
vosso poder, de geração em geração.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Exulta de alegria, ó Sião,
Jerusalém, tem confiança e não receies!
Está perto o teu Rei e Salvador.


Ant. 3
Purificado seja o nosso coração,
 para irmos ao encontro do Senhor,
 o grande Rei, porque ele vem sem mais tardar.

III

13b O Senhor é amor fiel em sua palavra, *
é santidade em toda obra que ele faz.
14 Ele sustenta todo aquele que vacila *
e levanta todo aquele que tombou.

15 Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam*
e vós lhes dais no tempo certo o alimento;
16 vós abris a vossa mão prodigamente *
e saciais todo ser vivo com fartura.  

17 É justo o Senhor em seus caminhos, *
é santo em toda obra que ele faz.
18 Ele está perto da pessoa que o invoca, *
de todo aquele que o invoca lealmente.

19 O Senhor cumpre os desejos dos que o temem, *
ele escuta os seus clamores e os salva.
20 O Senhor guarda todo aquele que o ama, *
mas dispersa e extermina os que são ímpios.

=21 Que a minha boca cante a glória do Senhor †
e que bendiga todo ser seu nome santo *
desde agora, para sempre e pelos séculos.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant.
Purificado seja o nosso coração,
 para irmos ao encontro do Senhor,
 o grande Rei, porque ele vem sem mais tardar.


V.
Levantai vossa cabeça e olhai,

R. Pois a vossa redenção se aproxima.

 

Primeira leitura
Do Livro do Profeta Isaías
             29,13-24

 

Anúncio do julgamento de Deus

13 Disse o Senhor:
“Como este povo se aproxima de mim com palavras
e me honra só com os lábios,
enquanto seu coração está longe de mim,
e o seu temor para comigo é observado
como preceito humano para cumprir,
14
pois bem, eu continuarei a excitar a admiração
deste povo com um prodígio grande e admirável:
perecerá a sabedoria de seus sábios
e a prudência dos seus dirigentes desaparecerá”.
15
Ai dos que escondem do Senhor
suas intenções secretas,
os que praticam suas ações no escuro, e dizem:
“Quem nos vê? Quem nos conhece?”
16
Que pensamento perverso!
Acaso se pode comparar o oleiro ao barro
de tal modo que a obra diga ao seu autor:
“Tu não me fizeste?”
E o molde diga ao seu moldador:
“Tu não tiveste a ideia!”
17
Dentro de pouco tempo,
não se transformará o Líbano em jardim?
E não poderá o jardim tornar-se floresta?
18
Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro
e os olhos dos cegos verão,
no meio das trevas e das sombras.
19
Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor,
e os mais pobres dos homens
se rejubilarão no Santo de Israel;
20
fracassou o prepotente,
desapareceu o trapaceiro,
e sucumbiram todos os malfeitores precoces,
21
os que faziam os outros pecar por palavras,
e armavam ciladas ao juiz à porta da cidade
e atacavam o justo com palavras falsas.
22
Isto diz o Senhor
à casa de Jacó, ele que libertou Abraão:
“Agora, Jacó não mais terá que envergonhar-se
nem seu rosto terá que enrubescer;
23
quando contemplarem as obras de minhas mãos,
hão de honrar meu nome no meio do povo,
honrarão o Santo de Jacó,
e temerão o Deus de Israel;
24
os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria
e os maldizentes concordarão em aprender”.

 

Responsório             Is 29,18.19; cf. Mt 11,4.5

R. Os surdos ouvirão, naquele dia, as palavras do Senhor;
os cegos, libertados de suas trevas, tornarão a enxergar;

* E os pobres saltarão de alegria pelo Santo de Israel.

V. Dizei a João o que vistes e ouvistes:
os cegos enxergam, os coxos caminham,
os surdos entendem
e os pobres recebem a Boa-nocia. * E os pobres.

 

Segunda leitura
Dos Sermões de Santo Agostinho, bispo

(Sermo 293, 3: PL 38, 1328-1329)            (Séc. V)

 

João é a voz, Cristo, a Palavra

João era a voz, mas o Senhor, no princípio, era a Palavra (Jo 1,1). João era a voz passageira, Cristo, a Palavra eterna desde o princípio.

Suprimi a palavra, o que se torna a voz? Esvaziada de sentido, é apenas um ruído. A voz sem palavras ressoa ao ouvido, mas não alimenta o coração.

Entretanto, mesmo quando se trata de alimentar nossos corações, vejamos a ordem das coisas. Se penso no que vou dizer, a palavra já está em meu coração. Se quero, porém, falar contigo, procuro o modo de fazer chegar ao teu coração o que já está no meu.

Procurando então como fazer chegar a ti e penetrar em teu coração o que já está no meu, recorro à voz e por ela falo contigo. O som da voz te faz entender a palavra; e quando te fez entendê-la, esse som desaparece, mas a palavra que ele te transmitiu permanece em teu coração, sem haver deixado o meu.

Não te parece que esse som, depois de haver transmitido minha palavra, está dizendo: É necessário que ele cresça e eu diminua? (Jo 3,30). A voz ressoou, cumprindo sua função, e desapareceu, como se dissesse: Esta é a minha alegria, e ela é completa (Jo 3,29). Guardemos a palavra; não percamos a palavra concebida em nosso íntimo.

Queres ver como a voz passa e a palavra divina permanece? Que foi feito do batismo de João? Cumpriu sua missão e desapareceu; agora é o batismo de Cristo que está em vigor. Todos cremos em Cristo e esperamos dele a salvação: foi o que a voz anunciou.

Justamente porque é difícil não confundir a voz com a palavra, julgaram que João era o Cristo. Confundiram a voz com a palavra. Mas a voz reconheceu o que era para não prejudicar a palavra. Eu não sou o Cristo (Jo 1,20), disse João, nem Elias nem o Profeta. Perguntaram-lhe então: Quem és tu? Eu sou, respondeu ele, a voz que grita no deserto: “Aplainai o caminho do Senhor" (Jo 1,19.23). É a voz do que grita no deserto, do que rompe o silêncio. Aplainai o caminho do Senhor, como se dissesse: “Sou a voz que se faz ouvir apenas para levar o Senhor aos vossos corações. Mas ele não se dignará vir aonde o quero levar, se não preparardes o caminho”.

O que significa: Aplainai o caminho, senão: Orai como se deve orar? O que significa ainda: Aplainai o caminho, senão: Tende pensamentos humildes? Imitai o exemplo de João. Julgam que é o Cristo e ele diz não ser aquele que julgam; não se aproveita do erro alheio para uma afirmação pessoal. Se tivesse dito: “Eu sou o Cristo”, facilmente teriam acreditado nele, pois já era considerado como tal antes que o dissesse. Mas não disse; pelo contrário, reconheceu o que era, disse o que não era, foi humilde. Viu de onde lhe vinha a salvação; compreendeu que era uma lâmpada e temeu que o vento do orgulho pudesse apagá-la.

 

Responsório             Cf. Jo 3,30; 1,27; Mc 1,8

R. É preciso que ele cresça, eu, porém, que diminua;
o que vi depois de mim, já existia antes de mim;

* Não sou digno de desatar-lhe as correias das sanlias.

V. Com água eu vos batizo;
mas ele vos batiza com o Esrito de Deus.
*
Não sou digno.

 

Cânticos

 

Ant. Alegra-te e louva, ó Filha de Sião

Eis que venho a ti, para morar em tua casa,

É o que diz o Senhor!

 

Cântico I                        Is 40,10-17 

O Bom Pastor é o Deus Altíssimo e Sapientíssimo

Eis que venho em breve, trazendo comigo a minha recompensa (Ap 22,12). 


10 Olhai e vede: o nosso Deus vem com poder, * 
dominará todas as coisas com seu braço. 
– Eis que o preço da vitória vem com ele, * 
e o precedem os troféus que conquistou. 

11 Como o pastor, ele apascenta o seu rebanho.* 
Ele toma os cordeirinhos em seus braços, 
– leva ao colo as ovelhas que amamentam, * 
e reúne as dispersas com sua mão.  


12 Quem, no côncavo da mão, mediu o mar? * 
Quem mediu o firmamento com seu palmo? 
= Quem mediu com o alqueire o pó da terra? † 
Quem pesou, pondo ao gancho, as montanhas, * 
e as colinas, colocando-as na balança? 


13 Quem instruíra o espírito do Senhor? * 
Que conselheiro o teria orientado? 
14 Com quem aprendeu ele a bem julgar, * 
e os caminhos da justiça a discernir? 
– Quem as veredas da prudência lhe ensinou * 
ou os caminhos da ciência lhe mostrou? 


15 Eis as nações: qual gota d'água na vasilha, * 
um grão de areia na balança diante dele; 
– e as ilhas pesam menos do que o pó * 
perante ele, o Senhor onipotente. 


16 Não bastaria toda a lenha que há no Líbano * 
para queimar seus animais em holocausto. 
17 As nações todas são um nada diante dele, * 
a seus olhos elas são quais se não fossem. 

 

Cântico II                      Is 42,10-16 

Hino ao Deus vencedor e salvador

Cantavam um cântico novo diante do trono (Ap 14,3).

10 Cantai ao Senhor Deus um canto novo, * 
louvor a ele dos confins de toda a terra! 

– Louve ao Senhor o oceano e o que há nele, * 
louvem as ilhas com os homens que as habitam! 
11 Ergam um canto os desertos e as cidades, * 
e as tendas de Cedar louvem a Deus! 

– Habitantes dos rochedos, aclamai; * 
dos altos montes sobem gritos de alegria! 
12 Todos eles deem glórias ao Senhor, * 
e nas ilhas se proclame o seu louvor! 

13 Eis o Senhor como um herói que vai chegando, * 
como guerreiro com vontade de lutar; 
– solta seu grito de batalha aterrador * 
como um valente que enfrenta os inimigos.  

14 'Por muito tempo me calei, guardei silêncio, * 
fiquei calado e, paciente, me contive; 
– mas grito agora qual mulher que está em parto, * 
ofegante e sem alento em meio às dores. 

15 As montanhas e as colinas destruirei, * 
farei secar toda a verdura que as reveste; 
– mudarei em terra seca os rios todos, * 
farei secar todos os lagos e açudes. 

16 Conduzirei, então, os cegos pela mão * 
e os levarei por um caminho nunca visto; 
– hei de guiá-los por atalhos e veredas * 
até então desconhecidos para eles. 

– Diante deles mudarei em luz as trevas, * 
farei planos os caminhos tortuosos. 
– Tudo isso hei de fazer em seu favor, * 
e jamais eu haverei de abandoná-los!' 

 

Cântico III                     Is 49,7-13 

O Senhor redime o povo por meio do seu servo

Deus enviou seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele (I Jo 4,9).

7 Assim fala o Senhor, o Redentor, * 
o santo de Israel,
– ao desprezado, ao rejeitado entre os povos, * 
ao escravo dos tiranos:

 
“Os reis, ao ver-te, haverão de levantar-se * 

e os príncipes, adorar-te,
– pelo Santo de Israel que te escolheu, * 
pelo Senhor, que é fiel”.

 
8 Todos eles deem glórias ao Senhor, * 
“Eu te ouvi no tempo certo, 
 no dia da salvação te ajudei, * 
eu te formei, a fim de seres

 
– mediador da Aliança com o povo * 

e restaurares o país;

 repartires as heranças devastadas * 

e dizeres aos vencidos:

 
9 “Saí!” e aos que jazem entre as trevas: * 
 “Vinde à luz! Aparecei!
– Encontrarão seu alimento no caminho, * 
nas colinas pastos verdes. 

10 Fome e sede nunca mais padecerão, * 
nem o sol os queimará. 
– Pois, quem tem misericórdia, os guiará * 
e às fontes levará. 

11 Converterei todos os monte em estradas, * 
nivelarei os seus caminhos. 
12 Uns vêm de longe, vêm do Norte e do Poente * 
e outros do Oriente.”

 

13 Cantai, ó céus, exulta, ó terra, de alegria * 
rompei em cantos, ó montanhas!

– Pois, o Senhor se compadece do seu povo * 
e tem pena dos aflitos! 

 

Ant. Alegra-te e louva, ó Filha de Sião

Eis que venho a ti, para morar em tua casa,

É o que diz o Senhor!

 

Leitura do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas

24,35-53

 

Assim era necessário que o Cristo padecesse

e ressurgisse dos mortos

Naquele tempo: 35Os dois discípulos contaram 
o que tinha acontecido no caminho,
e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão.
36
Ainda estavam falando,
quando o próprio Jesus apareceu no meio deles
e lhes disse:
“A paz esteja convosco!”
37Eles ficaram assustados e cheios de medo,
pensando que estavam vendo um fantasma.
38Mas Jesus disse: “Por que estais preocupados,
e porque tendes dúvidas no coração?
39Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo!
Tocai em mim e vede!
Um fantasma não tem carne, nem ossos,
como estais vendo que eu tenho”.
40E dizendo isso, Jesus mostrou-lhes as mãos e os pés.
41Mas eles ainda não podiam acreditar,
porque estavam muito alegres e surpresos.
Então Jesus disse:
'Tendes aqui alguma coisa para comer?'
42Deram-lhe um pedaço de peixe assado.
43Ele o tomou e comeu diante deles.
44Depois disse-lhes:
'São estas as coisas que vos falei
quando ainda estava convosco:
era preciso que se cumprisse tudo
o que está escrito sobre mim
na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos'.
45Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos
para entenderem as Escrituras,
46e lhes disse: “Assim está escrito:
O Cristo sofrerá 
e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia
47e no seu nome, serão anunciados
a conversão e o perdão dos pecados
a todas as nações, começando por Jerusalém.
48
Vós sereis testemunhas de tudo isso'.

49Eu enviarei sobre vós aquele que meu Pai prometeu.

Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto”.

50Então Jesus levou-os para fora, até perto de Betânia.

Ali ergueu as mãos e abençoou-os.

51Enquanto abençoava,

afastou-se deles e foi levado para o céu.

52Eles o adoraram.

Em seguida voltaram para Jerusalém, com grande alegria,

53E estavam sempre no Templo, bendizendo a Deus.

 

HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)

 

A vós, ó Deus, louvamos,

a vós, Senhor, cantamos.

A vós, Eterno Pai,

adora toda a terra.

 

A vós cantam os anjos,

os céus e seus poderes:

Sois Santo, Santo, Santo,

Senhor, Deus do universo!

 

Proclamam céus e terra

a vossa imensa glória.

A vós celebra o coro

glorioso dos Apóstolos,

 

Vos louva dos Profetas

a nobre multidão

e o luminoso exército

dos vossos santos Mártires.

 

A vós por toda a terra

proclama a Santa Igreja,

ó Pai onipotente,

de imensa majestade,

 

e adora juntamente

o vosso Filho único,

Deus vivo e verdadeiro,

e ao vosso Santo Espírito.

 

Ó Cristo, Rei da glória,

do Pai eterno Filho,

nascestes duma Virgem,

a fim de nos salvar.

 

Sofrendo vós a morte,

da morte triunfastes,

abrindo aos que têm fé

dos céus o reino eterno.

 

Sentastes à direita

de Deus, do Pai na glória.

Nós cremos que de novo

vireis como juiz.

 

Portanto, vos pedimos:

salvai os vossos servos,

que vós, Senhor, remistes

com sangue precioso.

 

Fazei-nos ser contados,

Senhor, vos suplicamos,

em meio a vossos santos

na vossa eterna glória.

 

(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).

 

Salvai o vosso povo.

Senhor, abençoai-o.

Regei-nos e guardai-nos

até a vida eterna.

 

Senhor, em cada dia,

fiéis, vos bendizemos,

louvamos vosso nome

agora e pelos séculos.

 

Dignai-vos, neste dia,

guardar-nos do pecado.

Senhor, tende piedade

de nós, que a vós clamamos.

 

Que desça sobre nós,

Senhor, a vossa graça,

porque em vós pusemos

a nossa confiança.

 

Fazei que eu, para sempre,

não seja envergonhado:

Em vós, Senhor, confio,

sois vós minha esperança!

 

Oração

Ó Deus de bondade, que vedes o vosso povo esperando fervoroso o natal do Senhor, dai-nos chegar às alegrias da Salvação e celebrá-las sempre com intenso júbilo na solene liturgia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

 V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.