Ofício das Leituras da Memória de São Cirilo, monge e São Metódio, bispo

Ofício das Leituras


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Ao celebrarmos, fiéis, este culto,
dos sacerdotes na festa solene,
em vossa honra os louvores ressoem,
Cristo Jesus, sacerdote supremo!

Por vosso dom, nossos padres puderam
guiar os povos nas sendas da luz
e lhes mostrar os caminhos da vida,
como um pastor que o rebanho conduz.

Nem a desgraça logrou demovê-los
de se manterem constantes na fé. 
A esperança dos prêmios futuros 
dava-lhes força a lutarem de pé.

Após os frágeis trabalhos da vida, 
tendo fielmente cumprido a missão, 
têm os seus tronos na pátria celeste,
e paz profunda sem fim fruirão. 

Honra suprema, louvores e glória
a vós, ó Deus, Rei dos reis, sejam dadas.
Que vos celebrem, por todos os séculos, ob
todas as coisas que foram criadas

Salmodia

Ant. 1 Inclinai o vosso ouvido para mim,
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!

Salmo 30(31),2-17.20-25

Súplica confiante do aflito

Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito (Lc 23,46).

I

2 Senhor, eu ponho em vós minha esperança; *
que eu não fique envergonhado eternamente!
= Porque sois justo, defendei-me e libertai-me, †
3 inclinai o vosso ouvido para mim; *
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!

– Sede uma rocha protetora para mim, *
um abrigo bem seguro que me salve!
4 Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; *
por vossa honra orientai-me e conduzi-me!
5 Retirai-me desta rede traiçoeira, *
porque sois o meu refúgio protetor!

6 Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, *
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!
7 Detestais os que adoram deuses falsos; *
quanto a mim, é ao Senhor que me confio.

=8 Vosso amor me faz saltar de alegria, †
pois olhastes para as minhas aflições *
e conhecestes as angústias de minh’alma.
9 Não me entregastes entre as mãos do inimigo, *
mas colocastes os meus pés em lugar amplo!

Ant. Inclinai o vosso ouvido para mim,
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!

Ant. 2 Mostrai serena a vossa face ao vosso servo.

II

=10 Tende piedade, ó Senhor, estou sofrendo: †
os meus olhos se turvaram de tristeza, *
o meu corpo e minha alma definharam!
11 Minha vida se consome em amargura, *
e se escoam os meus anos em gemidos!

– Minhas forças se esgotam na aflição, *
e até meus ossos, pouco a pouco, se desfazem!
12 Tornei-me o opróbrio do inimigo, *
o desprezo e zombaria dos vizinhos,
– e objeto de pavor para os amigos; *
fogem de mim os que me vêem pela rua.

13 Os corações me esqueceram como um morto, *
e tornei-me como um vaso espedaçado.
14 Ao redor, todas as coisas me apavoram; *
ouço muitos cochichando contra mim;
– todos juntos se reúnem, conspirando *
e pensando como vão tirar-me a vida.

15 A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, *
e afirmo que só vós sois o meu Deus!
16 Eu entrego em vossas mãos o meu destino; *
libertai-me do inimigo e do opressor!
17 Mostrai serena a vossa face ao vosso servo, *
e salvai-me pela vossa compaixão!

Ant. Mostrai serena a vossa face ao vosso servo.

Ant. 3 Seja bendito o Senhor Deus
por seu amor maravilhoso!

III

20 Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, *
que reservastes para aqueles que vos temem!
– Para aqueles que em vós se refugiam, *
mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.

21 Na proteção de vossa face os defendeis *
bem longe das intrigas dos mortais.
– No interior de vossa tenda os escondeis, *
protegendo-os contra as línguas maldizentes.

22 Seja bendito o Senhor Deus, que me mostrou *
seu grande amor numa cidade protegida!
23 Eu que dizia quando estava perturbado: *
“Fui expulso da presença do Senhor!”
– Vejo agora que ouvistes minha súplica, *
quando a vós eu elevei o meu clamor.

=24 Amai o Senhor Deus, seus santos todos, †
ele guarda com carinho seus fiéis, *
mas pune os orgulhosos com rigor.
25 Fortalecei os corações, tende coragem, *
todos vós que ao Senhor vos confiais!

Ant. Seja bendito o Senhor Deus
por seu amor maravilhoso!

V. Vossa verdade me oriente e me conduza,
R. Porque sois o Deus da minha salvação.

Primeira leitura
Do Livro dos Provérbios 3,1-20

Como encontrar a sabedoria

1Meu filho, não esqueças as minhas instruções,
e guarda no coração os meus preceitos;
2porque te trarão, certamente, duradouros dias e anos
de vida e paz.
3O amor e a fidelidade não te abandonem,
ata-os ao pescoço,
inscreve-os nas tábuas do teu coração,
4e alcançarás graça e bom sucesso
diante de Deus e dos homens.
5Confia no Senhor com todo o teu coração,
não te fies da tua própria inteligência;
6em todos os teus caminhos, reconhece-o,
e ele conduzirá teus passos.
7Não sejas sábio aos teus próprios olhos;
teme ao Senhor e evita o mal.
8Será a saúde para a tua carne
e refrigério para os teus ossos.
9Honra ao Senhor com a tua riqueza,
e com as primícias de todos os teus frutos;
10e os teus celeiros estarão cheios de trigo,
os teus lagares transbordarão de vinho novo.
11Meu filho, não desprezes a disciplina do Senhor,
nem te canses quando ele te corrige;
12porque o Senhor repreende os que ele ama,
como um pai o filho preferido.
13Feliz o homem que encontrou a sabedoria,
o homem que alcançou a prudência!
14Ganhá-la vale mais do que a prata,
e o seu lucro mais do que o ouro.
15É mais valiosa do que as pérolas;
nada que desejas a iguala.
16Em sua direita: longos anos;
em sua esquerda: riquezas e honra!
17Os seus caminhos são deliciosos,
todas as suas veredas são de paz.
18É uma árvore de vida para os que a colhem
e felizes são os que a retêm.
19O Senhor alicerçou a terra com a sabedoria,
e firmou o céu com a inteligência;
20por seu saber foram abertos os abismos,
e as nuvens destilam o orvalho.

Responsório Pr 3,11.12; Hb 12,7b

R. Não rejeites as lições do Senhor Deus,
nem desanimes, quando ele te corrige;
* Pois o Senhor corrige aqueles a quem ama,
como um pai corrige o filho preferido.
V. Deus nos trata como filhos, meus irmãos;
e qual o pai que não corrige o seu filho?
* Pois o Senhor.

Segunda Leitura

Da Vida eslava de Constantino
(Cap.18: Denkschriften der kaiserl. Akademie der Wissenschaften, 19, Wien 1970, p. 246)

Fazei crescer a vossa Igreja e a todos reuni na unidade

Constantino Cirilo, fatigado por muitos trabalhos, caiu doente; e quando já havia muitos dias que suportava a enfermidade, teve uma visão de Deus e começou a cantar: “O meu espírito alegrou-se e o meu coração exultou, quando me disseram: Vamos para a casa do Senhor”.

Depois de ter revestido as vestes de cerimônia, assim permaneceu todo aquele dia, cheio de alegria e dizendo: “A partir de agora, já não sou servo nem do imperador nem de homem algum na terra, mas unicamente do Deus todo-poderoso. Eu não existia, mas agora existo e existirei para sempre. Amém”. No dia seguinte, vestiu o santo hábito monástico e, acrescentando luz à luz, impôs-se o nome de Cirilo. E assim permaneceu durante cinquenta dias.

Chegada a hora de encontrar repouso e de emigrar para as moradas eternas, erguendo as mãos para Deus, orava com lágrimas: “Senhor meu Deus, que criastes todos os anjos e os espíritos incorpóreos, estendestes o céu, fixastes a terra e formastes do nada todas as coisas que existem; vós que sempre ouvis aqueles que fazem vossa vontade, vos temem e observam vossos preceitos, atendei a minha oração e conservai na fidelidade o vosso rebanho, a cuja frente me colocastes, apesar de incompetente e indigno servo.

Livrai-o da malícia ímpia e pagã dos que blasfemam contra vós; fazei crescer a vossa Igreja e a todos reuni na unidade. Tornai o povo perfeito, concorde na verdadeira fé e no reto testemunho; inspirai aos seus corações a palavra da vossa doutrina; porque é dom que vem de vós ter-nos escolhido para pregar o Evangelho de vosso Cristo, encorajando-nos a praticar as boas obras e a fazer o que é de vosso agrado. Aqueles que me destes, a vós entrego, porque são vossos; governai-os com vossa mão poderosa e protegei-os à sombra de vossas asas, para que todos louvem e glorifiquem o vosso nome, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém”.

Depois de ter beijado a todos com o ósculo santo, disse: “Bendito seja Deus que não nos entregou como presa aos dentes de nossos invisíveis adversários, mas rompeu suas armadilhas e nos libertou do mal que tramavam contra nós”. E assim adormeceu no Senhor, com quarenta e dois anos de idade.

O Sumo Pontífice ordenou que todos os gregos que estavam em Roma, juntamente com os romanos, se reunissem junto de seu corpo com velas acesas e cantando; e que suas exéquias fossem celebradas do mesmo modo como se celebram as do próprio Papa. E assim foi feito.

Responsório             Cf. Sl 88(89),20-22a; Jr 3,15

R. Outrora vós falastes em visões a vossos santos:
Do meio deste povo escolhi o meu eleito.
Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor;
* Com meu óleo consagrado o ungi para ser rei;
estará sempre com ele minha mão onipotente.
V. Hei de dar-vos pastores, que sejam
segundo o meu coração;
sabiamente eles hão de guiar-vos. * Com meu óleo.

Oração

Ó Deus, pelos dois irmãos Cirilo e Metódio, levastes a luz do Evangelho aos povos eslavos; dai-nos acolher no coração a vossa Palavra e fazei de nós um povo unido na verdadeira fé e no fiel testemunho do Evangelho. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

Um comentário em “Ofício das Leituras da Memória de São Cirilo, monge e São Metódio, bispo”

  1. Sou católico pela graça de Deus, casado, graduado em psicologia e há anos medito as Liturgias das Horas através desse tão adorável site que nos possibilita contemplar a palavra de Deus pelos salmos e a beber as sabedorias dos escritos dos santos padres e santos nas 2ª leituras do Ofício das Leituras. Gratidão por nos disponibilizar o acesso a essa graça. Paz e Bem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.