Segunda-feira da 9ª Semana do Tempo Comum I Semana do Saltério

Compartilhar:

SÃO JUSTINO, MÁRTIR

Memória

Justino, filósofo e mártir, nasceu no princípio do século II, em Flávia Neápolis (Nablus), na Samaria, de família pagã. Tendo-se convertido à fé cristã, escreveu diversas obras em defesa do cristianismo; mas se conservam apenas as duas Apologias e o Diálogo com Trifão. Abriu uma escola de filosofia em Roma, onde mantinha debates públicos. Sofreu o martírio,juntamente com seus companheiros, no tempo de Marco Aurélio, cerca do ano 165.

 

Invitatório

Ant. do Invitatório: Caminhemos com louvores ao encontro do Senhor!


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

I. Quando se diz o Ofício das Leituras durante a noite ou de madrugada:

Refeitos pelo sono,

do leito levantamos.

Ficai com vossos filhos,

ó Pai, vos suplicamos.

 

A vós, o som primeiro,

o amor que se irradia:

sejais princípio e fim

de cada ação do dia.

 

Que a treva ceda à aurora,

a noite ao sol dourado:

e a luz da graça afaste

a sombra do pecado.

 

Lavai as nossas faltas,

Senhor, que nos salvastes;

esteja o vosso nome

nos lábios que criastes.

 

A glória seja ao Pai,

ao Filho seu também,

ao Espírito igualmente,

agora e sempre. Amém.

 

II. Quando se diz o Ofício das Leituras durante o dia:

Divindade, luz eterna,

Unidade na Trindade,

proclamando vossa glória,

suplicamos piedade.

 

Cremos todos no Pai Santo,

no seu Filho Salvador

e no Espírito Divino

que os une pelo Amor.

 

Ó verdade, amor eterno,

nosso fim, felicidade,

dai-nos fé e esperança

e profunda caridade.

 

Sois o fim, sois o começo,

e de tudo sois a fonte,

esperança dos que creem,

luz que brilha no horizonte.

 

Vós, sozinho, fazeis tudo,

e a tudo vós bastais.

Sois a luz de nossa vida,

aos que esperam premiais.

 

Bendizemos a Trindade,

Deus Eterno, Sumo Bem,

Pai e Filho e Santo Espírito,

pelos séculos. Amém.

Salmodia

 

Ant. 1 Por vossa bondade, salvai-me, Senhor!

 

Salmo 6

 

O homem aflito pede clemência ao Senhor

Agora sinto-me angustiado. Pai, livra-me desta hora (Jo 12,27).

 

2 Repreendei-me, Senhor, mas sem ira; *

corrigi-me, mas não com furor!

=3 Piedade de mim: estou enfermo †

e curai o meu corpo doente! *

4 Minha alma está muito abatida!

 

= Até quando, Senhor, até quando.? †

5 Oh! voltai-vos a mim e poupai-me, *

e salvai-me por vossa bondade!

 

6 Porque, morto, ninguém vos recorda; *

pode alguém vos louvar no sepulcro?

 

=7 Esgotei-me de tanto gemer, †

banho o leito em meu pranto de noite, *

minha cama inundei com as lágrimas!

–8 Tenho os olhos turvados de mágoa, *

fiquei velho de tanto sofrer!

 

9 Afastai-vos de mim, malfeitores, *

porque Deus escutou meus soluços!

10 O Senhor escutou meus pedidos; *

o Senhor acolheu minha prece!

11 Apavorem-se os meus inimigos; *

com vergonha, se afastem depressa!

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Por vossa bondade, salvai-me, Senhor!

 

Ant. 2 O Senhor é o refúgio do oprimido,

seu abrigo nos momentos de aflição.

 

Salmo 9 A(9)

 

Ação de graças pela vitória

De novo há de vir em sua glória para julgar os vivos e os mortos

 

I

2 Senhor, de coração vos darei graças, *

as vossas maravilhas cantarei!

3 Em vós exultarei de alegria, *

cantarei ao vosso nome, Deus Altíssimo!

 

4 Voltaram para trás meus inimigos, *

perante a vossa face pereceram;

5 defendestes meu direito e minha causa, *

juiz justo assentado em vosso trono.

 

6 Repreendestes as nações, e os maus perdestes, *

apagastes o seu nome para sempre.

=7 O inimigo se arruinou eternamente, †

suas cidades foram todas destruídas, *

e até sua lembrança exterminastes.

 

8 Mas Deus sentou-se para sempre no seu trono, *

preparou o tribunal do julgamento;

9 julgará o mundo inteiro com justiça, *

e as nações há de julgar com equidade.

 

10 O Senhor é o refúgio do oprimido, *

seu abrigo nos momentos de aflição.

11 Quem conhece o vosso nome, em vós espera, *

porque nunca abandonais quem vos procura.

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. O Senhor é o refúgio do oprimido,

seu abrigo nos momentos de aflição.

 

Ant. 3 Anunciarei vossos louvores

junto às portas de Sião.

 

II

12 Cantai hinos ao Senhor Deus de Sião, *

celebrai seus grandes feitos entre os povos!

 –13 Pois não esquece o clamor dos infelizes, *

deles se lembra e pede conta do seu sangue.

 

=14 Tende pena e compaixão de mim, Senhor! †

Vede o mal que os inimigos me fizeram! *

E das portas dos abismos retirai-me,

=15 para que eu possa anunciar vossos louvores †

junto às portas da cidade de Sião, *

e exultar por vosso auxílio e salvação!

 

16 Os maus caíram no buraco que cavaram, *

nos próprios laços foram presos os seus pés.

17 O Senhor manifestou seu julgamento: *

ficou preso o pecador em seu pecado.

 

18 Que tombem no abismo os pecadores *

e toda gente que se esquece do Senhor!

19 Mas o pobre não será sempre esquecido, *

nem é vã a esperança dos humildes.

 

20 Senhor, erguei-vos, não se ufanem esses homens! *

Perante vós sejam julgados os soberbos!

21 Lançai, Senhor, em cima deles o terror, *

e saibam todos que não passam de mortais!

 

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *

Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Anunciarei vossos louvores

junto às portas de Sião.

 

V. Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei.

R. E de todo o coração a guardarei.

 

Primeira leitura

Do Livro de Jó             29,1-10; 30,1.9-23

 

Jó lamenta a sua aflição

29,1 Jó continuou a falar, dizendo:

2“Quem me dera voltar aos tempos de antigamente,

aos dias em que Deus me protegia,

3quando a sua lâmpada brilhava sobre a minha cabeça

e a sua luz me guiava na escuridão:

4tal era eu nos dias de minha adolescência,

quando Deus protegia a minha tenda,

5quando o Todo-Poderoso ainda estava comigo

e meus filhos me rodeavam,

6quando banhava meus pés com leite

e a rocha me dava rios de azeite.

7Quando me dirigia à porta da cidade

e me sentava na praça,

8os jovens, ao ver-me, se retiravam,

os anciãos se levantavam e ficavam de pé,

9os chefes interrompiam suas conversas,

e punham a mão sobre a boca;

10a voz dos líderes se calava

e sua língua se colava ao céu da boca.

30,1 Mas agora zombam de mim

os mais jovens do que eu,

a cujos pais teria recusado

deixar com os cães do meu rebanho.

9Agora sou alvo de suas zombarias,

o tema do seu desdém.

10Cheios de horror por mim, ficam afastados

e atrevem-se a cuspir-me no rosto.

11Porque Deus deteve meu arco e me abateu,

eles perdem toda a compostura diante de mim.

12À minha direita levantam-se os vadios,

olham se estou tranquilo

e abrem contra mim caminhos de desgraça;

13desfazem minha estrada,

trabalham para minha ruína

e não há quem os detenha;

14penetram por uma larga brecha, ao assalto,

no meio dos escombros.

15Os terrores estão soltos contra mim,

minha segurança se dissipa como vento,

minha salvação é varrida como nuvem.

16A minha alma agora se dissolve:

os dias de aflição apoderaram-se de mim,

17de noite as dores penetram nos meus ossos,

não dormem as chagas que me coroem.

18Ele me agarra com violência pela roupa,

segura-me pela beira da túnica,

19ele me lança no lodo

e sou confundido com a poeira e a cinza.

20Clamo por ti, e não me respondes;

insisto, e não te importas comigo.

21Tu te tornaste meu carrasco

e me atacas com teu braço musculoso.

22Tu me levantas e me fazes cavalgar o vento

e me sacodes coma tempestade.

23Estou vendo que me entregas à morte,

ao lugar de encontro de todos os mortais.

 

Responsório Jó 30,17.19; 7,16b

 

R. As dores, de noite, transpassam meus ossos;

não dormem os males que estão me roendo.

* Comparo-me à lama e sou semelhante à cinza e ao pó.

V. Poupai-me, Senhor!

Meus dias de vida são um sopro de nada. * Comparo-me.

 

Segunda leitura

Das Atas do martírio dos santos Justino e seus companheiros

 

(Cap.1-5: cf.PG 6, 1566-1571)             (Séc. II)

 

Abracei a verdadeira doutrina dos cristãos

            Aqueles homens santos foram presos e conduzidos ao prefeito de Roma, chamado Rústico. Estando eles diante do tribunal, o prefeito Rústico disse a Justino: “Em primeiro lugar, manifesta tua fé nos deuses e obedece aos imperadores”. Justino respondeu: “Não podemos ser acusados nem presos, só pelo fato de obedecermos aos mandamentos de Jesus Cristo, nosso Salvador”.

            Rústico indagou: “Que doutrinas professas?” E Justino: “Na verdade, procurei conhecer todas as doutrinas, mas acabei por abraçar a verdadeira doutrina dos cristãos, embora ela não seja aceita por aqueles que vivem no erro”.

            O prefeito Rústico prosseguiu: “E tu aceitas esta doutrina, grande miserável?” Respondeu Justino: “Sim, pois a sigo como verdade absoluta”.

            O prefeito indagou: “Que verdade é esta?” Justino explicou: “Adoramos o Deus dos cristãos, a quem consideramos como único criador, desde o princípio, artífice de toda a criação, das coisas visíveis e invisíveis: adoramos também o Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, que os profetas anunciaram vir para o gênero humano como mensageiro da salvação e mestre da boa doutrina. E eu, um simples homem, considero insignificante tudo o que estou dizendo para exprimir a sua infinita divindade, mas reconheço o valor das profecias que previamente anunciaram aquele que afirmei ser o Filho de Deus. Sei que eram inspirados por Deus os profetas que vaticinaram a sua vinda entre os homens”.

            Rústico perguntou: “Então, tu és cristão?” Justino afirmou: “Sim, sou cristão”.

            O prefeito disse a Justino: “Ouve,tu que és tido por sábio e julgas conhecer a verdadeira doutrina: se fores flagelado e decapitado, estás convencido de que subirás ao céu?” Disse Justino: “Espero entrar naquela morada, se tiver de sofrer o que dizes. Pois sei que para todos os que viverem santamente está reservada a recompensa de Deus até o fim do mundo inteiro”.

            O prefeito Rústico continuou: “Então, tu supões que hás de subir ao céu para receber algum prêmio em retribuição”? Justino respondeu-lhe: “Não suponho, tenho a maior certeza”.

            O prefeito Rústico declarou: “Basta, deixemos isso e vamos à questão que importa, da qual não podemos fugir e é urgente. Aproximai-vos e todos juntos sacrificai aos deuses”. Justino respondeu: “Ninguém de bom senso abandona a piedade para cair na impiedade”. O prefeito Rústico insistiu: “Se não fizerdes o que vos foi ordenado, sereis torturados sem compaixão”. Justino disse: “Desejamos e esperamos chegar à salvação através dos tormentos que sofrermos por amor de nosso Senhor Jesus Cristo. O sofrimento nos garante a salvação e nos dá confiança perante o tribunal de nosso Senhor e Salvador, que é universal e mais terrível que o teu”.

            O mesmo também disseram os outros mártires: “Faze o que quiseres; nós somos cristãos e não sacrificaremos aos ídolos”.

            O prefeito Rústico pronunciou então a sentença: “Os que não quiseram sacrificar aos deuses e obedecer ordem do imperador, depois de flagelados, sejam conduzidos para sofrer a pena capital, segundo a norma das leis”. Glorificando a Deus, os santos mártires saíram para o local determinado, onde foram decapitados e consumaram o martírio proclamando a fé no Salvador.

 

Responsório Cf. At 20,21.24; Rm 1,16

 

R. Ao dar meu testemunho de fé em Jesus Cristo,

Senhor nosso, nada temo,

* Nem dou tanto valor à minha própria vida,

contanto que eu leve a bom termo minha carreira

e o ministério da palavra que, de Cristo, recebi:

dar testemunho do Evangelho da graça do Senhor.

Aleluia.

V. Não me envergonho do Evangelho;

pois é o poder de Deus para salvar todo o que crê,

primeiro, o judeu e depois, também o grego.

* Nem dou. 

 

Oração

Ó Deus, que destes ao mártir São Justino um profundo conhecimento de Cristo pela loucura da cruz, concedei-nos, por sua intercessão, repelir os erros que nos cercam e permanecer firmes na fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

 

Invitatório

  Ant. do Invitatório: Caminhemos com louvores ao encontro do Senhor!

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

Clarão da glória do Pai,
ó Luz, que a Luz origina,
sois Luz da Luz, fonte viva,
sois Luz que ao dia ilumina.

Brilhai, ó Sol verdadeiro,
com vosso imenso esplendor,
e dentro em nós derramai
do Santo Espírito o fulgor.

Também ao Pai suplicamos,
ao Pai a glória imortal,
ao Pai da graça potente,
que a nós preserve do mal.

Na luta fortes nos guarde
vencendo o anjo inimigo.
Nas quedas, dê-nos a graça,
de nós afaste o perigo.

As nossas mentes governe
num corpo casto e sadio.
A nossa fé seja ardente,
e não conheça desvio.

O nosso pão seja o Cristo,
e a fé nos seja a bebida.
O Santo Espírito bebamos
nas fontes puras da vida.

Alegre passe este dia,
tão puro quanto o arrebol.
A fé, qual luz cintilante,
refulja em nós como o sol.

A aurora em si traz o dia.
Vós, como aurora, brilhai:
ó Pai, vós todo no Filho,
e vós, ó Verbo, no Pai.

Salmodia

Ant. 1 Eu dirijo a minha prece a vós, Senhor,
e de manhã já me escutais.

Salmo 5,2-10.12-13

Oração da manhã para pedir ajuda

Aqueles que acolherem interiormente a Palavra de Cristo nele exultarão eternamente.

2 Escutai, ó Senhor Deus, minhas palavras, *
atendei o meu gemido!

3
Ficai atento ao clamor da minha prece, *
ó meu Rei e meu Senhor!

4 É a vós que eu dirijo a minha prece; *
de manhã já me escutais!

– Desde cedo eu me preparo para vós, *
e permaneço à vossa espera.

5 Não sois um Deus a quem agrade a iniqüidade, *
não pode o mau morar convosco;

6
nem os ímpios poderão permanecer *
perante os vossos olhos.

7 Detestais o que pratica a iniqüidade *
e destruís o mentiroso.

– Ó Senhor, abominais o sanguinário, *
o perverso e enganador.

8 Eu, porém, por vossa graça generosa, *
posso entrar em vossa casa.

– E, voltado reverente ao vosso templo, *
com respeito vos adoro.

9 Que me possa conduzir vossa justiça, *
por causa do inimigo!

– À minha frente aplainai vosso caminho, *
e guiai meu caminhar!

10 Não há, nos bios do inimigo, lealdade: *
seu coração trama ciladas;

– sua garganta é um sepulcro escancarado *
e sua língua é lisonjeira.

12 Mas exulte de alegria todo aquele *
que em vós se refugia;

– sob a vossa proteção se regozijem, *
os que amam vosso nome!

13 Porque ao justo abençoais com vosso amor, *
e o protegeis como um escudo!

Ant. Eu dirijo a minha prece a vós, Senhor,
e de manhã já me escutais.

Ant. 2 Nós queremos vos louvar, ó nosso Deus,
e celebrar o vosso nome glorioso.

Cântico 1Cr 29,10-13

Honra e glória, só a Deus

Bendito seja o Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo (Ef 1,3).

=10 Bendito sejais vós, ó Senhor Deus, †
Senhor Deus de Israel, o nosso pai, *
desde sempre e por toda a eternidade!

=11 A Vós pertencem a grandeza e o poder, †
toda a glória, esplendor e majestade, *
pois tudo é vosso: o que há no céu e sobre a terra!

= A vós, Senhor, também pertence a realeza, †
pois sobre a terra, como rei, vos elevais! *

12
Toda glória e riqueza vêm de vós!

= Sois o Senhor e dominais o universo, †
em vossa mão se encontra a força e o poder, *
em vossa mão tudo se afirma e tudo cresce!

=13 Agora, pois, ó nosso Deus, eis-nos aqui! †
e, agradecidos, nós queremos vos louvar *
e celebrar o vosso nome glorioso!

Ant. Nós queremos vos louvar, ó nosso Deus,
e celebrar o vosso nome glorioso.

Ant. 3 Adorai o Senhor no seu templo sagrado.

Salmo 28(29)

A voz poderosa de Deus

Do céu veio uma voz que dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus o meu agrado” (Mt 3,17).

1 Filhos de Deus, tributai ao Senhor, *
tributai-lhe a glória e o poder!

2
Dai-lhe a glória devida ao seu nome; *
adorai-o com santo ornamento!

3 Eis a voz do Senhor sobre as águas, *
sua voz sobre as águas imensas!

=4
Eis a voz do Senhor com poder! †
Eis a voz do Senhor majestosa, *
sua voz no trovão reboando!

5 Eis que a voz do Senhor quebra os cedros, *
o Senhor quebra os cedros do Líbano.

6
Faz o bano saltar qual novilho, *
e o Sarion como um touro selvagem!

=7 Eis que a voz do Senhor lança raios, †
8 a voz de Deus faz tremer o deserto, *
faz tremer o deserto de Cades.

=9
Voz de Deus que contorce os carvalhos, †
voz de Deus que devasta as florestas! *
No seu templo os fiéis bradam: “Glória!”

10 É o Senhor que domina os dilúvios, *
o Senhor reinará para sempre.

11
Que o Senhor fortaleça o seu povo, *
e abençoe com paz o seu povo!

Ant. Adorai o Senhor no seu templo sagrado.

Leitura breve 2Ts 3,10b-13

Quem não quer trabalhar, também não deve comer. Ora, ouvimos dizer que entre vós há alguns que vivem à toa, muito ocupados em não fazer nada. Em nome do Senhor Jesus Cristo, ordenamos e exortamos a estas pessoas que, trabalhando, comam na tranqüilidade o seu próprio pão. E vós mesmos, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.

Responsório breve

R. O Senhor seja bendito,
* Bendito seja eternamente! R.
O Senhor.

V. Só o Senhor faz maravilhas. * Bendito seja.
Glória ao Pai.
R.
O Senhor.

Cântico evangélico, ant.

Ant. Em toda a nossa oferenda, damos louvor ao Criador
por seu Filho Jesus Cristo e o Espírito Divino. Aleluia.

CÂNTICO EVANGÉLICO (BENEDICTUS) Lc 1,68-79

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, *
que a seu povo visitou e libertou;

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor,

70 como falara pela boca de seus santos, *
os profetas desde os tempos mais antigos,

71 para salvar-nos do poder dos inimigos *
e da mão de todos quantos nos odeiam.

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, *
recordando a sua santa Aliança

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, *
de conceder-nos
74 que, libertos do inimigo,
= a ele nós sirvamos sem temor
75 em santidade e em justiça diante dele, *
enquanto perdurarem nossos dias.

=76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, †
pois irás andando à frente do Senhor *
para aplainar e preparar os seus caminhos,

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que es na remissão de seus pecados;

78 pelo amor do coração de nosso Deus, *
Sol nascente que nos veio visitar

79 lá do alto como luz resplandecente *
a iluminar a quantos jazem entre as trevas

= e na sombra da morte estão sentados †
e para dirigir os nossos passos, *

guiando-nos no caminho da paz.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

(Ou):

Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. Em toda a nossa oferenda, damos louvor ao Criador
por seu Filho Jesus Cristo e o Espírito Divino. Aleluia.

Preces

Glorifiquemos a Cristo, em quem habita toda a plenitude da graça e do Espírito Santo; e imploremos com amor e confiança:

R. Dai-nos, Senhor, o vosso Espírito!

Concedei-nos que este dia seja agradável, pacífico e sem mancha,
para que, ao chegar a noite, vos possamos louvar com alegria e pureza de coração.

R.

Brilhe hoje sobre nós a vossa luz,
e dirigi o trabalho de nossas mãos.

R.

Mostrai-nos vosso rosto de bondade, para vivermos este dia em paz,
e que a vossa mão poderosa nos proteja.

R.

Olhai com benignidade aqueles que se confiaram às nossas orações,
e enriquecei-os com todos os bens da alma e do corpo.

R.

(intenções livres)

Pai nosso...

Oração

Ó Deus, que destes ao mártir São Justino um profundo conhecimento de Cristo pela loucura da cruz, concedei-nos, por sua intercessão, repelir os erros que nos cercam e permanecer firmes na fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

 O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

Oração das Nove Horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Vinde, Espírito de Deus,
com o Filho e com o Pai,
inundai a nossa mente,
nossa vida iluminai.

Boca, olhos, mãos, sentidos,
tudo possa irradiar
o amor que em nós pusestes
para aos outros inflamar.

A Deus Pai e ao seu Filho
por vós dai-nos conhecer.
Que de ambos procedeis
dai-nos sempre firmes crer.

Ou:

Mantendo a ordem certa,
do coração fiel,
na hora terça oremos
aos Três, fulgor do céu.

Queremos ser os templos
do Espírito Santo, outrora
descido sobre os Doze
em chamas, nesta hora.

Fiel aos seus desígnios,
do Reino o Autor divino
a tudo ornou de graça
segundo o seu destino.

Louvor e glória ao Pai,
ao Filho, Sumo Bem,
e ao seu divino Espírito,
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 A lei do Senhor alegra o coração e ilumina os olhos.

Salmo 18 B(19 B)

Hino a Deus, Senhor da lei

Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito (Mt 5,48).

8 A lei do Senhor Deus é perfeita, *
conforto para a alma!

– O testemunho do Senhor é fiel, *
sabedoria dos humildes.

9 Os preceitos do Senhor são precisos, *
alegria ao coração.

– O mandamento do Senhor é brilhante, *
para os olhos é uma luz.

10 É puro o temor do Senhor, *
imuvel para sempre.

– Os julgamentos do Senhor são corretos *
e justos igualmente.

11 Mais deseveis do que o ouro são eles, *
do que o ouro refinado.

– Suas palavras são mais doces que o mel, *
que o mel que sai dos favos.

12 E vosso servo, instruído por elas, *
se empenha em guardá-las.

13
Mas quem pode perceber suas faltas? *
Perdoai as que não vejo!

14 E preservai o vosso servo do orgulho: *
não domine sobre mim!

– E assim puro, eu serei preservado *
dos delitos mais perversos.

15 Que vos agrade o cantar dos meus lábios *
e a voz da minha alma;

– que ela chegue até vós, ó Senhor, *
meu Rochedo e Redentor!

Ant. A lei do Senhor alegra o coração e ilumina os olhos.

Ant. 2 O Senhor se ergue para julgar
os povos com justiça e retidão.

Salmo 7

Oração do justo caluniado

Eis que o Juiz está às portas (Tg 5,9).

I

2 Senhor meu Deus, em vós procuro o meu regio: *
vinde salvar-me do inimigo, libertai-me!

=3
Não aconteça que agarrem minha vida †
como um leão que despedaça a sua presa, *
sem que ninguém venha salvar-me e libertar-me!

4 Senhor Deus, se algum mal eu pratiquei, *
se manchei as minhas mãos na iniqüidade,

5
se acaso fiz o mal a meu amigo, *
eu que poupei quem me oprimia sem razão;

=6 que o inimigo me persiga e me alcance, †
que esmague minha vida contra o pó, *
e arraste minha honra pelo chão!

7
Erguei-vos, ó Senhor, em vossa ira; *
levantai-vos contra a fúria do inimigo!

– Levantai-vos, defendei-me no juízo, *
porque vós já decretastes a sentença!

=8 Que vos circunde a assembléia das nações; †
tomai vosso lugar acima dela! *

9
O Senhor é o juiz dos povos todos.

– Julgai-me, Senhor Deus, como eu mereço *
e segundo a inocência que há em mim!

=10
Ponde um fim à iniqüidade dos perversos, †
e confirmai o vosso justo, ó Deus-justiça, *
vós que sondais os nossos rins e corações.

Ant. O Senhor se ergue para julgar
os povos com justiça e retidão.

Ant. 3 Deus é juiz, ele julga com justiça,
e salva os que têm reto coração.

II

11 O Deus vivo é um escudo protetor, *
e salva aqueles que têm reto coração.

12
Deus é juiz, e ele julga com justiça, *
mas é um Deus que ameaça cada dia.

=13 Se para ele o coração não converterem, †
prepara a sua espada e o seu arco, *
e contra eles voltará as suas armas.

14
Setas mortais ele prepara e os alveja, *
e dispara suas flechas como raios.

15 Eis que o ímpio concebeu a iniqüidade, *
engravidou e deu à luz a falsidade.

16
Um buraco ele cavou e aprofundou, *
mas ele mesmo nessa cova foi cair.

17 O mal que fez lhe cairá sobre a cabeça, *
recai sobre seu crânio a violência!

18
Mas eu darei graças a Deus que fez justiça, *
e cantarei salmodiando ao Deus Altíssimo.

Ant. Deus é juiz, ele julga com justiça,
e salva os que têm reto coração.

Leitura breve Rm 13,8.10

Não fiqueis devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo – pois quem ama o próximo está cumprindo a Lei. O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.

V. Não me afasteis, vós que sois o meu aulio.

R. Meu Deus e Salvador, não me deixeis!

Oração

Ó Deus, Pai de bondade, destes o trabalho aos seres humanos para que, unindo seus esforços, progridam cada vez mais; concedei que, em nossas atividades, vos amemos a vós como filhos e filhas e a todos como irmãos e irmãs. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Oração das doze horas

 


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Ó Deus, verdade e força
que o mundo governais,
da aurora ao meio-dia,
a terra iluminais.

De nós se afaste a ira,
discórdia e divisão.
Ao corpo dai saúde,
e paz ao coração.

Ouvi-nos, Pai bondoso,
por Cristo Salvador,
que vive com o Espírito
convosco pelo Amor.

Ou:

O louvor de Deus cantemos
com fervor no coração,
pois agora a hora sexta
nos convida à oração.

Nesta hora foi-nos dada
gloriosa salvação
pela morte do Cordeiro,
que na cruz trouxe o perdão.

Ante o brilho de tal luz
se faz sombra o meio-dia.
Tanta graça e tanto brilho
vinde haurir, com alegria.

Seja dada a glória ao Pai
e ao Unigênito também,
com o Espírito Paráclito,
pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 A lei do Senhor alegra o coração e ilumina os olhos.

Salmo 18 B(19 B)

Hino a Deus, Senhor da lei

Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito (Mt 5,48).

8 A lei do Senhor Deus é perfeita, *
conforto para a alma!

– O testemunho do Senhor é fiel, *
sabedoria dos humildes.

9 Os preceitos do Senhor são precisos, *
alegria ao coração.

– O mandamento do Senhor é brilhante, *
para os olhos é uma luz.

10 É puro o temor do Senhor, *
imuvel para sempre.

– Os julgamentos do Senhor são corretos *
e justos igualmente.

11 Mais deseveis do que o ouro são eles, *
do que o ouro refinado.

– Suas palavras são mais doces que o mel, *
que o mel que sai dos favos.

12 E vosso servo, instruído por elas, *
se empenha em guardá-las.

13
Mas quem pode perceber suas faltas? *
Perdoai as que não vejo!

14 E preservai o vosso servo do orgulho: *
não domine sobre mim!

– E assim puro, eu serei preservado *
dos delitos mais perversos.

15 Que vos agrade o cantar dos meus lábios *
e a voz da minha alma;

– que ela chegue até vós, ó Senhor, *
meu Rochedo e Redentor!

Ant. A lei do Senhor alegra o coração e ilumina os olhos.

Ant. 2 O Senhor se ergue para julgar
os povos com justiça e retidão.

Salmo 7

Oração do justo caluniado

Eis que o Juiz está às portas (Tg 5,9).

I

2 Senhor meu Deus, em vós procuro o meu regio: *
vinde salvar-me do inimigo, libertai-me!

=3
Não aconteça que agarrem minha vida †
como um leão que despedaça a sua presa, *
sem que ninguém venha salvar-me e libertar-me!

4 Senhor Deus, se algum mal eu pratiquei, *
se manchei as minhas mãos na iniqüidade,

5
se acaso fiz o mal a meu amigo, *
eu que poupei quem me oprimia sem razão;

=6 que o inimigo me persiga e me alcance, †
que esmague minha vida contra o pó, *
e arraste minha honra pelo chão!

7
Erguei-vos, ó Senhor, em vossa ira; *
levantai-vos contra a fúria do inimigo!

– Levantai-vos, defendei-me no juízo, *
porque vós já decretastes a sentença!

=8 Que vos circunde a assembléia das nações; †
tomai vosso lugar acima dela! *

9
O Senhor é o juiz dos povos todos.

– Julgai-me, Senhor Deus, como eu mereço *
e segundo a inocência que há em mim!

=10
Ponde um fim à iniqüidade dos perversos, †
e confirmai o vosso justo, ó Deus-justiça, *
vós que sondais os nossos rins e corações.

Ant. O Senhor se ergue para julgar
os povos com justiça e retidão.

Ant. 3 Deus é juiz, ele julga com justiça,
e salva os que têm reto coração.

II

11 O Deus vivo é um escudo protetor, *
e salva aqueles que têm reto coração.

12
Deus é juiz, e ele julga com justiça, *
mas é um Deus que ameaça cada dia.

=13 Se para ele o coração não converterem, †
prepara a sua espada e o seu arco, *
e contra eles voltará as suas armas.

14
Setas mortais ele prepara e os alveja, *
e dispara suas flechas como raios.

15 Eis que o ímpio concebeu a iniqüidade, *
engravidou e deu à luz a falsidade.

16
Um buraco ele cavou e aprofundou, *
mas ele mesmo nessa cova foi cair.

17 O mal que fez lhe cairá sobre a cabeça, *
recai sobre seu crânio a violência!

18
Mas eu darei graças a Deus que fez justiça, *
e cantarei salmodiando ao Deus Altíssimo.

Ant. Deus é juiz, ele julga com justiça,
e salva os que têm reto coração.

Leitura breve Tg 1,19b-20.26

Todo homem deve ser pronto para ouvir, mas moroso para falar e moroso para se irritar. Pois a cólera do homem não é capaz de realizar a justiça de Deus. Se alguém julga ser religioso e não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo: a sua religião é vã.

V. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo.

R. Seu louvor estará sempre em minha boca.

Oração

Ó Deus, senhor e guarda da vinha e da colheita, que repartis as tarefas e dais a justa recompensa, fazei-nos carregar o peso do dia, sem jamais murmurar contra a vossa vontade. Por Cristo, nosso senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

Oração das Quinze Horas


 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Vós que sois o Imutável,
Deus fiel, Senhor da História,
nasce e morre a luz do dia,
revelando a vossa glória.

Seja a tarde luminosa
numa vida permanente.
E da santa morte o prêmio
nos dê glória eternamente.

Escutai-nos, ó Pai Santo,
pelo Cristo, nosso irmão,
que convosco e o Espírito
vive em plena comunhão.

Ou:

Cumprindo o ciclo tríplice das horas,
louvemos ao Senhor de coração,
cantando em nossos salmos a grandeza
de Deus, que é Uno e Trino em perfeição.

A exemplo de São Pedro, nosso mestre,
guardando do Deus vivo e verdadeiro,
em almas redimidas, o mistério,
sinal de salvação ao mundo inteiro,

também salmodiamos no espírito,
unidos aos apóstolos do Senhor,
e assim serão firmados nossos passos
na força de Jesus, o Salvador.

Louvor ao Pai, autor de toda a vida,
e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem,
unidos pelo amor do Santo Espírito,
Deus vivo pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 A lei do Senhor alegra o coração e ilumina os olhos.

Salmo 18 B(19 B)

Hino a Deus, Senhor da lei

Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito (Mt 5,48).

8 A lei do Senhor Deus é perfeita, *
conforto para a alma!

– O testemunho do Senhor é fiel, *
sabedoria dos humildes.

9 Os preceitos do Senhor são precisos, *
alegria ao coração.

– O mandamento do Senhor é brilhante, *
para os olhos é uma luz.

10 É puro o temor do Senhor, *
imuvel para sempre.

– Os julgamentos do Senhor são corretos *
e justos igualmente.

11 Mais deseveis do que o ouro são eles, *
do que o ouro refinado.

– Suas palavras são mais doces que o mel, *
que o mel que sai dos favos.

12 E vosso servo, instruído por elas, *
se empenha em guardá-las.

13
Mas quem pode perceber suas faltas? *
Perdoai as que não vejo!

14 E preservai o vosso servo do orgulho: *
não domine sobre mim!

– E assim puro, eu serei preservado *
dos delitos mais perversos.

15 Que vos agrade o cantar dos meus lábios *
e a voz da minha alma;

– que ela chegue até vós, ó Senhor, *
meu Rochedo e Redentor!

Ant. A lei do Senhor alegra o coração e ilumina os olhos.

Ant. 2 O Senhor se ergue para julgar
os povos com justiça e retidão.

Salmo 7

Oração do justo caluniado

Eis que o Juiz está às portas (Tg 5,9).

I

2 Senhor meu Deus, em vós procuro o meu regio: *
vinde salvar-me do inimigo, libertai-me!

=3
Não aconteça que agarrem minha vida †
como um leão que despedaça a sua presa, *
sem que ninguém venha salvar-me e libertar-me!

4 Senhor Deus, se algum mal eu pratiquei, *
se manchei as minhas mãos na iniqüidade,

5
se acaso fiz o mal a meu amigo, *
eu que poupei quem me oprimia sem razão;

=6 que o inimigo me persiga e me alcance, †
que esmague minha vida contra o pó, *
e arraste minha honra pelo chão!

7
Erguei-vos, ó Senhor, em vossa ira; *
levantai-vos contra a fúria do inimigo!

– Levantai-vos, defendei-me no juízo, *
porque vós já decretastes a sentença!

=8 Que vos circunde a assembléia das nações; †
tomai vosso lugar acima dela! *

9
O Senhor é o juiz dos povos todos.

– Julgai-me, Senhor Deus, como eu mereço *
e segundo a inocência que há em mim!

=10
Ponde um fim à iniqüidade dos perversos, †
e confirmai o vosso justo, ó Deus-justiça, *
vós que sondais os nossos rins e corações.

Ant. O Senhor se ergue para julgar
os povos com justiça e retidão.

Ant. 3 Deus é juiz, ele julga com justiça,
e salva os que têm reto coração.

II

11 O Deus vivo é um escudo protetor, *
e salva aqueles que têm reto coração.

12
Deus é juiz, e ele julga com justiça, *
mas é um Deus que ameaça cada dia.

=13 Se para ele o coração não converterem, †
prepara a sua espada e o seu arco, *
e contra eles voltará as suas armas.

14
Setas mortais ele prepara e os alveja, *
e dispara suas flechas como raios.

15 Eis que o ímpio concebeu a iniqüidade, *
engravidou e deu à luz a falsidade.

16
Um buraco ele cavou e aprofundou, *
mas ele mesmo nessa cova foi cair.

17 O mal que fez lhe cairá sobre a cabeça, *
recai sobre seu crânio a violência!

18
Mas eu darei graças a Deus que fez justiça, *
e cantarei salmodiando ao Deus Altíssimo.

Ant. Deus é juiz, ele julga com justiça,
e salva os que têm reto coração.

Leitura breve 1Pd 17b.18a.19

Vivei respeitando a Deus durante o tempo de vossa migração neste mundo. Sabeis que fostes resgatados não por meio de coisas perecíveis, como a prata ou o ouro, mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito.

V. Libertai-me, ó Senhor, tende piedade!

R. Ao Senhor eu bendirei nas assembléias.

Oração

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Ó Deus, organizando
o líquido elemento,
as águas dividistes
firmando o firmamento.

As nuvens fazem sombra,
os rios dão frescor;
assim tempera a água,
dos astros o calor.

Em nós vertei a graça,
a água benfazeja;
do fogo das paixões,
constante, nos proteja.

Que a fé encontre a luz
e espalhe o seu clarão;
que nada impeça a alma
no impulso da ascensão!

Ao Pai e ao Filho, glória;
ao Espírito também:
louvor, honra e vitória
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Os olhos do Senhor se voltam para o pobre.

Salmo 10(11)

Confiança inabalável em Deus

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados (Mt 5,6).

=1 No Senhor encontro abrigo; †
como, então, podeis dizer-me: *
“Voa aos montes, passarinho!

2 Eis os ímpios de arcos tensos, *
pondo as flechas sobre as cordas,

– e alvejando em meio à noite *
os de reto coração!

=3 Quando os próprios fundamentos †
do universo se abalaram, *
o que pode ainda o justo?”
 

4 Deus es no templo santo, *
e no céu tem o seu trono;

– volta os olhos para o mundo, *
seu olhar penetra os homens.

5 Examina o justo e o ímpio, *
e detesta o que ama o mal.

=6
Sobre os maus fará chover †
fogo, enxofre e vento ardente, *
como parte de seu cálice.

7 Porque justo é nosso Deus, *
o Senhor ama a justiça.

– Quem tem reto coração *
há de ver a sua face.

Ant. Os olhos do Senhor se voltam para o pobre.

Ant. 2 Felizes os de puro coração,
porque eles haverão de ver a Deus.

Salmo 14(15)

Quem é digno aos olhos de Deus?

Vós vos aproximastes do monte Sião e da Cidade do Deus vivo (Hb 12,22).

1 “Senhor, quem mora em vossa casa *
e em vosso Monte santo habitará?”

2 É aquele que caminha sem pecado *
e pratica a justiça fielmente;

– que pensa a verdade no seu íntimo *
3
e não solta em calúnias sua língua;

– que em nada prejudica o seu irmão, *
nem cobre de insultos seu vizinho;

4
que não valor algum ao homem ímpio, *
mas honra os que respeitam o Senhor;

– que sustenta o que jurou, mesmo com dano; *
5 não empresta o seu dinheiro com usura,
– nem se deixa subornar contra o inocente. *
Jamais vacilará quem vive assim!

Ant. Felizes os de puro coração,
porque eles haverão de ver a Deus.

Ant. 3 No seu Filho o Pai nos escolheu,
para sermos seus filhos adotivos.

Nos cânticos que se seguem, o refrão entre parênteses é opcional.

Cântico Ef 1,3-10

O plano divino da salvação

3 Bendito e louvado seja Deus, *
o Pai de Jesus Cristo, Senhor nosso,

– que do alto céu nos abençoou em Jesus Cristo *
com bênção espiritual de toda sorte!

(R. Bendito sejais vós, nosso Pai,
que nos abençoastes em Cristo!
)

4 Foi em Cristo que Deus Pai nos escolheu, *
já bem antes de o mundo ser criado,

– para que fôssemos, perante a sua face, *
sem cula e santos pelo amor.

(R.)

=5 Por livre decisão de sua vontade, †
predestinou-nos, através de Jesus Cristo, *
a sermos nele os seus filhos adotivos,

6
para o louvor e para a glória de sua graça, *
que em seu Filho bem-amado nos doou.

(R.)

7 É nele que nós temos redenção, *
dos pecados remissão pelo seu sangue.

= Sua graça transbordante e inesgotável †
8
Deus derrama sobre nós com abundância, *
de saber e inteligência nos dotando.

(R.)

9 E assim, ele nos deu a conhecer *
o misrio de seu plano e sua vontade,

– que propusera em seu querer benevolente, *
10 na plenitude dos tempos realizar:
– o desígnio de, em Cristo, reunir *
todas as coisas: as da terra e as do céu.

(R.)

Ant. No seu Filho o Pai nos escolheu,
para sermos seus filhos adotivos.

Leitura breve Cl 1,9b-11

Que chegueis a conhecer plenamente a vontade de Deus, com toda a sabedoria e com o discernimento da luz do Espírito. Pois deveis levar uma vida digna do Senhor, para lhe serdes agradáveis em tudo. Deveis produzir frutos em toda a boa obra e crescer no conhecimento de Deus, animados de muita força, pelo poder de sua glória, de muita paciência e constância, com alegria.

Responsório breve

R. Curai-me, Senhor,
* Pois pequei contra vós. R.
Curai-me.

V. Eu vos digo: Meu Deus, tende pena de mim!
* Pois pequei. Glória ao Pai. R.
Curai-me.

CÂNTICO EVANGÉLICO (MAGNÍFICAT) Lc 1,46-55

Ant. De repente se acendeu na minh’alma um fogo ardente;
fui tomado pelo amor aos profetas e aos homens
que de Cristo são amigos. Aleluia.

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor *
47 e exulta meu esrito em Deus, meu Salvador;
48 porque olhou para humildade de sua serva, *
doravante as gerações hão de chamar-me de bendita.


49 O Poderoso fez em mim maravilhas *
e Santo é o seu nome!

50 Seu amor para sempre se estende *
sobre aqueles que o temem;


51 manifestou o poder de seu braço, *
dispersou os soberbos;

52 derrubou os poderosos de seus tronos *
e elevou os humildes;


53 saciou de bens os famintos, *
despediu os ricos sem nada.

54 Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,


55 como havia prometido a nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.


– Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém.

Ant. De repente se acendeu na minh’alma um fogo ardente;
fui tomado pelo amor aos profetas e aos homens
que de Cristo são amigos. Aleluia.

Preces

Demos graças a Deus Pai que, lembrando a sua aliança, não cessa de nos fazer o bem. Cheios de confiança, elevemos a ele nossa oração, dizendo:

R. Dai-nos, Senhor, vossos bens com fartura!

Salvai, Senhor, o vosso povo,
abençoai a vossa herança.

R.

Congregai na unidade os que têm o nome de cristãos,
para que o mundo acredite em Cristo, o Salvador que nos enviastes.

R.

Concedei a vossa graça a todos os nossos amigos e conhecidos,
para que em toda parte dêem o testemunho de Cristo.

R.

Manifestai o vosso amor aos agonizantes,
e dai-lhes a vossa salvação.

R.

(intenções livres)

Sede misericordioso para com os nossos irmãos e irmãs falecidos,
e abri-lhes as portas do paraíso.

R.

Pai nosso...

Oração

Ó Deus, que destes ao mártir São Justino um profundo conhecimento de Cristo pela loucura da cruz, concedei-nos, por sua intercessão, repelir os erros que nos cercam e permanecer firmes na fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)

Hino

Agora que o clarão da luz se apaga,
a vós nós imploramos, Criador:
com vossa paternal misericórdia,
guardai-nos sob a luz do vosso amor.

Os nossos corações sonhem convosco:
no sono, possam eles vos sentir.
Cantemos novamente a vossa glória
ao brilho da manhã que vai surgir.

Saúde concedei-nos nesta vida,
as nossas energias renovai;
da noite a pavorosa escuridão
com vossa claridade iluminai.

Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces,
ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor,
que reina para sempre em vossa glória,
convosco e o Espírito de Amor.

Salmodia

Ant. Ó Senhor, sois clemente e fiel,
sois amor, paciência e perdão!

Salmo 85(86)

Oração do pobre nas dificuldades

Bendito seja Deus que nos consola em todas as nossas aflições (2Cor 1,3.4).

1 Inclinai, ó Senhor, vosso ouvido, *
escutai, pois sou pobre e infeliz!
=2 Protegei-me, que sou vosso amigo, †
e salvai vosso servo, meu Deus, *
que espera e confia em vós!

3 Piedade de mim, ó Senhor, *
porque clamo por vós todo o dia!
4 Animai e alegrai vosso servo, *
pois a vós eu elevo a minh'alma.

5 Ó Senhor, vós sois bom e clemente, *
sois perdão para quem vos invoca.
6 Escutai, ó Senhor, minha prece, *
o lamento da minha oração!

7 No meu dia de angústia eu vos chamo, *
porque sei que me haveis de escutar.
8 Não existe entre os deuses nenhum *
que convosco se possa igualar;
– não existe outra obra no mundo *
comparável às vossas, Senhor!

9 As nações que criastes virão *
adorar e louvar vosso nome.
10 Sois tão grande e fazeis maravilhas: *
vós somente sois Deus e Senhor!

11 Ensinai-me os vossos caminhos, *
e na vossa verdade andarei;
– meu coração orientai para vós: *
que respeite, Senhor, vosso nome!

12 Dou-vos graças com toda a minh'alma, *
sem cessar louvarei vosso nome!
13 Vosso amor para mim foi imenso: *
retirai-me do abismo da morte!

=14 Contra mim se levantam soberbos, †
e malvados me querem matar; *
não vos levam em conta, Senhor!

15 Vós, porém, sois clemente e fiel, *
sois amor, paciência e perdão.
=16 Tende pena e olhai para mim! †
Confirmai com vigor vosso servo, *
de vossa serva o filho salvai.

17 Concedei-me um sinal que me prove *
a verdade do vosso amor.
– O inimigo humilhado verá *
que me destes ajuda e consolo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Ó Senhor, sois clemente e fiel,
sois amor, paciência e perdão!

Leitura breve         1Ts 5,9-10

Deus nos destinou para alcançarmos a salvação, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele morreu por nós, para que, quer vigiando nesta vida, quer adormecidos na morte, alcancemos a vida junto dele.

Responsório breve

R. Senhor, em vossas mãos
* Eu entrego o meu espírito. R.Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor.


Cântico evangélico, ant.

Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Oração

Concedei, Senhor, aos nossos corpos um sono restaurador, e fazei germinar para a messe eterna as sementes do Reino, que hoje lançamos com nosso trabalho. Por Cristo, nosso Senhor.  Amém.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,
ao povo que caiu, socorre e exorta,
pois busca levantar-se, Virgem pura,
nascendo o Criador da criatura:
tem piedade de nós e ouve, suave,
o anjo te saudando com seu Ave!

Ou:


Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem tão bela,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!
Virgem Mãe, ó Maria!

Ou:


Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,
vida doçura, esperança nossa, Salve!
A vós bradamos os degredados filhos de Eva,
a vós suspiramos gemendo e chorando
neste vale de lágrimas!
Eia, pois, Advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre!
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria.

Ou:


À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.