SÃO LOURENÇO, DIÁCONO E MÁRTIR Festa

Compartilhar:

 

SÃO LOURENÇO, DIÁCONO E MÁRTIR

Festa

Era diácono da Igreja Romana e morreu mártir na perseguição de Valeriano, quatro dias depois do papa Sisto II e seus companheiros, os quatro diáconos romanos. O seu sepulcro encontra-se junto à Via Tiburtina, no Campo Verano. Constantino Magno erigiu uma basílica naquele lugar. O seu culto já se tinha difundido na Igreja no século IV.
 

Invitatório

Ant. do Invitatório: Ao Senhor, Rei dos mártires, vinde, adoremos!

 


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

Louvemos a glória

do mártir de Cristo,

que os bens desprezou:

aos nus deu vestidos

e pão aos famintos,

servindo ao Senhor.

 

Do fogo a tortura

acende a fé pura

no seu coração.

A chama é vencida

por quem fez da vida

total doação.

 

O coro dos anjos

recebe sua alma

nos átrios dos céus.

De louros cingido,

de Deus ele alcance

perdão para os réus.

 

Com preces ardentes,

rogamos, ó mártir,

implora o perdão

da culpa dos servos

e firma em fé viva

o seu coração.

 

Ao Pai honra e glória,

louvor e vitória

ao Filho também,

no Espírito Santo.

Aos Três nosso canto

nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Vós sereis odiados por meu nome;

quem for fiel até o fim há de ser salvo.

Salmo 2

1 Por que os povos agitados se revoltam? *
por que tramam as nações projetos vãos?
=2 Por que os reis de toda a terra se reúnem, †
e conspiram os governos todos juntos *
contra o Deus onipotente e o seu Ungido?

3 “Vamos quebrar suas correntes”, dizem eles, *
“e lançar longe de nós o seu domínio!”
4 Ri-se deles o que mora lá nos céus; *
zomba deles o Senhor onipotente.
5 Ele, então, em sua ira os ameaça, *
e em seu furor os faz tremer, quando lhes diz:

6 “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei, *
e em Sião, meu monte santo, o consagrei!”
=7 O decreto do Senhor promulgarei, †
foi assim que me falou o Senhor Deus: *
“Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!

=8 Podes pedir-me, e em resposta eu te darei †
por tua herança os povos todos e as nações, *
e há de ser a terra inteira o teu domínio.
9 Com cetro férreo haverás de dominá-los, *
e quebrá-los como um vaso de argila!”

10 E agora, poderosos, entendei; *
soberanos, aprendei esta lição:
11 Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória *
e prestai-lhe homenagem com respeito!

12 Se o irritais, perecereis pelo caminho, *
pois depressa se acende a sua ira!
– Felizes hão de ser todos aqueles *
que põem sua esperança no Senhor!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant.
Vós sereis odiados por meu nome;
quem for fiel até o fim há de ser salvo.

Ant. 2 Os sofrimentos desta vida aqui na terra

não se comparam com a glória que teremos.

 

Salmo 10(11)

   =1 No Senhor encontro abrigo; †
 como, então, podeis dizer-me: *
 'Voa aos montes, passarinho!
 
 –2 Eis os ímpios de arcos tensos, *
 pondo as flechas sobre as cordas,
 – e alvejando em meio à noite *
 os de reto coração!
 
 =3 Quando os próprios fundamentos †
 do universo se abalaram, *
 o que pode ainda o justo?'
 
 –4 Deus está no templo santo, *
 e no céu tem o seu trono;
 – volta os olhos para o mundo, *
 seu olhar penetra os homens.
 
 –5 Examina o justo e o ímpio, *
 e detesta o que ama o mal.
 =6 Sobre os maus fará chover †
 fogo, enxofre e vento ardente, *
 como parte de seu cálice.
 
 –7 Porque justo é nosso Deus, *
 o Senhor ama a justiça.
 – Quem tem reto coração *
 há de ver a sua face.

 

 – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

 

Ant. Os sofrimentos desta vida aqui na terra

não se comparam com a glória que teremos.


Ant. 3
Deus provou os seus eleitos como o ouro no crisol,

e aceitou seu sacrifício. 

Salmo 16(17)

1 Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, *
escutai-me e atendei o meu clamor!
– Inclinai o vosso ouvido à minha prece, *
pois não existe falsidade nos meus lábios!
2 De vossa face é que me venha o julgamento, *
pois vossos olhos sabem ver o que é justo.

=3 Provai meu coração durante a noite, †
visitai-o, examinai-o pelo fogo, *
mas em mim não achareis iniquidade.
4 Não cometi nenhum pecado por palavras, *
como é costume acontecer em meio aos homens.

– Seguindo as palavras que dissestes,*
andei sempre nos caminhos da Aliança.
5 Os meus passos eu firmei na vossa estrada, *
e por isso os meus pés não vacilaram.

6 Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, *
inclinai o vosso ouvido e escutai-me!
=7 Mostrai-me vosso amor maravilhoso, †
vós que salvais e libertais do inimigo *
quem procura a proteção junto de vós.

8 Protegei-me qual dos olhos a pupila *
e guardai-me, à proteção de vossas asas,
9 longe dos ímpios violentos que me oprimem, *
dos inimigos furiosos que me cercam.

10 A abundância lhes fechou o coração, *
em sua boca há só palavras orgulhosas.
11 Os seus passos me perseguem, já me cercam, *
voltam seus olhos contra mim: vão derrubar-me,
12 como um leão impaciente pela presa, *
um leãozinho espreitando de emboscada.

13 Levantai-vos, ó Senhor, contra o malvado, *
com vossa espada abatei-o e libertai-me!
14 Com vosso braço defendei-me desses homens, *
que já encontram nesta vida a recompensa.

= Saciais com vossos bens o ventre deles, †
e seus filhos também hão de saciar-se *
e ainda as sobras deixarão aos descendentes.
15 Mas eu verei, justificado,a vossa face *
e ao despertar me saciará vossa presença.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. 

Ant. 3 Deus provou os seus eleitos como o ouro no crisol,

e aceitou seu sacrifício.

 

V. Tribulação e sofrimento me assaltaram.

R. Minhas delícias são os vossos mandamentos.

 

Primeira leitura

Dos Atos dos Apóstolos                 6,1-6; 8,1.4-8

 

Os sete ministros escolhidos pelos Apóstolos

6,1 Naqueles dias, o número dos discípulos tinha aumentado, e os fiéis de origem grega começaram a queixar-se dos fiéis de origem hebraica. Os de origem grega diziam que suas viúvas eram deixadas de lado no atendimento diário. 2Então os Doze Apóstolos reuniram a multidão dos discípulos e disseram: “Não está certo que nós deixemos a pregação da Palavra de Deus para servir às mesas. 3Irmãos, é melhor que escolhais entre vós sete homens de boa fama, repletos do Espírito e de sabedoria, e nós os encarregaremos dessa tarefa. 4Desse modo nós poderemos dedicar-nos inteiramente à oração e ao serviço da Palavra”. 5A proposta agradou a toda a multidão. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo; e também Filipe, Prócoro, Nicanor, Timon, Pármenas e Nicolau de Antioquia, um pagão que seguia a religião dos judeus. 6Eles foram apresentados aos apóstolos, que oraram e impuseram as mãos sobre eles. 

8,1 Naquele dia começou uma grande perseguição contra a Igreja de Jerusalém. E todos, com exceção dos apóstolos, se dispersaram pelas regiões da Judéia e da Samaria. 

4 Entretanto, aqueles que se tinham dispersado iam por toda parte, pregando a Palavra.  

5 Filipe desceu a uma cidade da Samaria e anunciou-lhes o Cristo. 6As multidões seguiam com atenção as coisas que Filipe dizia. E todos unânimes o escutavam, pois viam os milagres que ele fazia. 7De muitos possessos saíam os espíritos maus, dando grandes gritos. Numerosos paralíticos e aleijados também foram curados. 8Era grande a alegria naquela cidade.

 

Responsório Mt 10,32; Jo 12,26a

 

R. Quem de mim der testemunho ante os homens,

* Darei dele testemunho ante meu Pai.

V. Se alguém quer me servir, que venha atrás de mim;

e onde eu estiver, ali estará meu servo. * Darei.

 

Segunda leitura

Dos Sermões de Santo Agostinho, bispo

(Sermo 304,1-4: PL 38,1395-1397)                  (Séc.V)

 

Serviu o sagrado Sangue de Cristo

A Igreja Romana apresenta-nos hoje o dia glorioso de São Lourenço quando ele calcou o furor do mundo, desprezou sua sedução e num e noutro modo venceu o diabo perseguidor. Nesta mesma Igreja – ouvistes muitas vezes – Lourenço exercia o ministério de diácono. Aí servia o sagrado sangue de Cristo; aí, pelo nome de Cristo, derramou seu sangue. O santo apóstolo João expôs claramente o mistério da ceia ao dizer: Como Cristo entregou sua vida por nós, também nós devemos entregar as nossas pelos irmãos (1Jo 3,16). São Lourenço, irmãos, entendeu isto; entendeu e fez; e da mesmíssima forma como recebeu daquela mesa, assim a preparou. Amou a Cristo em sua vida, imitou-o em sua morte.  

Também nós, irmãos, se de verdade amamos, imitemos. Não poderíamos produzir melhor fruto de amor do que o exemplo da imitação; Cristo sofreu por nós, deixando-nos o exemplo para seguirmos suas pegadas (1Pd 2,21). Nesta frase, parece que o apóstolo Pedro quer dizer que Cristo sofreu apenas por aqueles que seguem suas pegadas e que a morte de Cristo não aproveita senão àqueles que caminham em seu seguimento. Seguiram-no os santos mártires até à efusão do sangue, até à semelhança da paixão; seguiram-no os mártires, porém não só eles. Depois que estes passaram, a ponte não foi cortada; ou depois que beberam, a fonte não secou.  

Tem, irmãos, tem o jardim do Senhor não apenas rosas dos mártires; tem também lírios das virgens, heras dos casados, violetas das viúvas. Absolutamente ninguém, irmãos, seja quem for, desespere de sua vocação; por todos morreu Cristo. Com toda a verdade, dele se escreveu: Que quer salvos todos os homens, e que cheguem ao conhecimento da verdade (1Tm 2,4).  

Compreendamos, portanto, como pode o cristão seguir Cristo além do derramamento de sangue, além do perigo de morte. O Apóstolo diz, referindo-se ao Cristo Senhor: Tendo a condição divina, não julgou rapina ser igual a Deus. Que majestade! Mas aniquilou-se, tomando a condição de escravo, feito semelhante aos homens e reconhecido como homem (Fl 2,7-8). Que humildade!  

Cristo humilhou-se: aí tens, cristão, a que te apegar. Cristo se humilhou: por que te enches de orgulho? Em seguida, terminada a carreira desta humilhação, lançada por terra a morte, Cristo subiu ao céu; sigamo-lo. Ouçamos o Apóstolo: Se ressuscitastes com Cristo, descobri o sabor das realidades do alto, onde Cristo está assentado à destra de Deus (Cl 3,1).

 

Responsório Sl 17(18),3b

 

R. São Lourenço exclamava e dizia em voz alta:

Só adoro o meu Deus, só a ele servirei;

* Eu não temo, ó tirano, as torturas mais cruéis.

V. Sois meu escudo e proteção: Em vós espero,ó Senhor!

* Eu não temo.

 

HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)

A vós, ó Deus, louvamos,

a vós, Senhor, cantamos.

A vós, Eterno Pai,

adora toda a terra.

 

A vós cantam os anjos,

os céus e seus poderes:

Sois Santo, Santo, Santo,

Senhor, Deus do universo!

 

Proclamam céus e terra

a vossa imensa glória.

A vós celebra o coro

glorioso dos Apóstolos,

 

Vos louva dos Profetas

a nobre multidão

e o luminoso exército

dos vossos santos Mártires.

 

A vós por toda a terra

proclama a Santa Igreja,

ó Pai onipotente,

de imensa majestade,

 

e adora juntamente

o vosso Filho único,

Deus vivo e verdadeiro,

e ao vosso Santo Espírito.

 

Ó Cristo, Rei da glória,

do Pai eterno Filho,

nascestes duma Virgem,

a fim de nos salvar.

 

Sofrendo vós a morte,

da morte triunfastes,

abrindo aos que têm fé

dos céus o reino eterno.

 

Sentastes à direita

de Deus, do Pai na glória.

Nós cremos que de novo

vireis como juiz.

 

Portanto, vos pedimos:

salvai os vossos servos,

que vós, Senhor, remistes

com sangue precioso.

 

Fazei-nos ser contados,

Senhor, vos suplicamos,

em meio a vossos santos

na vossa eterna glória.

 

(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).

Salvai o vosso povo.

Senhor, abençoai-o.

Regei-nos e guardai-nos

até a vida eterna.

 

Senhor, em cada dia,

fiéis, vos bendizemos,

louvamos vosso nome

agora e pelos séculos.

 

Dignai-vos, neste dia,

guardar-nos do pecado.

Senhor, tende piedade

de nós, que a vós clamamos.

 

Que desça sobre nós,

Senhor, a vossa graça,

porque em vós pusemos

a nossa confiança.

 

Fazei que eu, para sempre,

não seja envergonhado:

Em vós, Senhor, confio,

sois vós minha esperança!

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Invitatorio

Ant. do Invitatório: Ao Senhor, Rei dos mártires, vinde, adoremos!

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

No mártir São Lourenço
a fé, em luta armada,
venceu feroz batalha,
no sangue seu banhada.

Primeiro dos levitas
que servem no altar,
serviu em grau mais alto,
o mártir modelar.

Lutando com coragem,
não cinge a sua espada,
mas cinge, pela fé,
couraça mais sagrada.

Louvamos teu martírio,
Lourenço, santo irmão,
pedindo que da Igreja
escutes a oração.

Eleito cidadão
do céu, país da luz,
já cinges a coroa
da glória, com Jesus.

Louvor ao Pai e ao Filho,
e ao seu eterno Amor.
Dos Três, por tuas preces,
vejamos o fulgor.

Salmodia

Ant. 1 Minha alma se agarra em vós, ó meu Deus,
pois por vós foi queimado o meu corpo no fogo.

Salmo 62 (63), 2-9.


Sede de Deus

Vigia diante de Deus, quem rejeita as obras das trevas (cf. 1Ts 5,5)

2Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!*
Desde a aurora ansioso vos busco!
= A minh'alma tem sede de vós,+
minha carne também vos deseja,*
como terra sedenta e sem água!

3Venho, assim, contemplar-vos no templo,*
para ver vossa glória e poder.
4Vosso amor vale mais do que a vida:*
e por isso meus lábios vos louvam.

5Quero, pois, vos louvar pela vida,*
e elevar para vós minhas mãos!
6A minh'alma será saciada,*
como em grande banquete de festa;
— cantará a alegria em meus lábios,*
ao cantar para vós meu louvor!

- 7Penso em vós no meu leito, de noite,*
nas vigílias suspiro por vós!
8Para mim fostes sempre um socorro;*
de vossas asas à sombra eu exulto!
9Minha alma se agarra em vós;*
com poder vossa mão me sustenta.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Minha alma se agarra em vós, ó meu Deus,
pois por vós foi queimado o meu corpo no fogo.

Ant. 2 O Senhor enviou o seu anjo,
libertou-me do meio das chamas,
e assim não senti seu calor.

No cânticos que se segue o refrão entre parênteses é opcional.

Cântico Dn 3,57-88.56

Louvor das criaturas ao Senhor

Louvai o nosso Deus, todos os seus servos (Ap 19,5)

- 57Obras do Senhor, bendizei o Senhor,*
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- 58Céus do Senhor, bendizei o Senhor!
59Anjos do Senhor, bendizei o Senhor!

(R. Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
Ou
R.
A ele glória e louvor eternamente
)

- 60Águas do alto céu, bendizei o Senhor!*
61Potências do Senhor, bendizei o Senhor!
- 62Lua e sol, bendizei o Senhor!*
63Astros e estrelas bendizei o Senhor!
(R.)
- 64Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor!*
65Brisas e ventos, bendizei o Senhor!
- 66Fogo e calor, bendizei o Senhor!*
67Frio e ardor, bendizei o Senhor!
(R.)
- 68Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!*
69Geada e frio, bendizei o Senhor!
- 70Gelos e neves, bendizei o Senhor!*
71Noites e dias, bendizei o Senhor!
(R.)
- 72Luzes e trevas, bendizei o Senhor!*
73Raios e nuvens, bendizei o Senhor!
-74Ilhas e terra, bendizei o Senhor!*
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
(R.)
- 75Montes e colinas, bendizei o Senhor!*
76Plantas da terra, bendizei o Senhor!
- 77Mares e rios, bendizei o Senhor!*
78Fontes e nascentes, bendizei o Senhor!
(R.)
- 79Baleias e peixes, bendizei o Senhor!*
80Pássaros do céu, bendizei o Senhor!
- 81Feras e rebanhos, bendizei o Senhor!*
82Filhos dos homens, bendizei o Senhor!
(R.)
- 83Filhos de Israel, bendizei o Senhor!*
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- 84Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor!*
85Servos do Senhor, bendizei o Senhor!
(R.)
- 86Almas dos justos, bendizei o Senhor!*
87Santos e humildes, bendizei o Senhor!
- 88Jovens Misael, Ananias e Azarias, *
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
(R.)
- ao Pai e ao Filho e ao espírito Santo*
louvemos e exaltemos pelos séculos sem fim!
- 56Bendito sois, Senhor, no firmamento dos céus!*
Sois digno de louvor e de glória eternamente!

(R.)

No fim deste cântico não se diz Glória ao Pai

Ant. O Senhor enviou o seu anjo,
libertou-me do meio das chamas,
e assim não senti seu calor.!

Ant. 3 São Lourenço rezava, dizendo:
Dou-vos graças, Senhor, pois me destes
em vossa morada entrar!

Salmo 149

A alegria e o louvor dos santos

Os filhos da Igreja, novo povo de Deus, se alegrem no seu Rei Cristo Jesus (Hesíquio)

1Cantai ao Senhor Deus um canto novo,*
e o seu louvor na assembleia dos fiéis!
2Alegre-se Israel em quem o fez,*
e Sião se rejubile no seu Rei!
3Com danças glorifiquem o seu nome,*
toquem harpa e tambor em sua honra!

4Porque, de fato, o Senhor ama seu povo*
e coroa com vitória os seus humildes.
5Exultem os fiéis por sua glória,*
e cantando se levantem de seus leitos,
6com louvores do Senhor em sua boca*
e espadas de dois gumes em sua mão,

7para exercer sua vingança entre as nações,*
e infligir o seu castigo entre os povos,
8colocando nas algemas os seus reis,*
e seus nobres entre ferros e correntes,
9para aplicar-lhes a sentença já escrita:*
Eis a glória para todos os seus santos.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. São Lourenço rezava, dizendo:
Dou-vos graças, Senhor, pois me destes
em vossa morada entrar!

Leitura breve 2Cor 1,3-5

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, com a consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflição. Pois, à medida que os sofrimentos de Cristo crescem para nós, cresce também a nossa consolação por Cristo.

Responsório breve

R.
O Senhor é minha força,
*
Ele é o meu canto. R. O Senhor.
V.
E tornou-se para mim, para mim o Salvador.
*
Ele é. Glória ao Pai. R. O Senhor.

CÂNTICO EVANGÉLICO (BENEDICTUS) Lc 1,68-79

Ant. Meu servo, não temas, contigo estou!
Tu podes passar no meio das chamas:
nem cheiro de fogo em ti ficará.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, *
porque a seu povo visitou e libertou;
69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor,

70 como falara pela boca de seus santos, *
os profetas desde os tempos mais antigos,
71 para salvar-nos do poder dos inimigos *
e da mão de todos quantos nos odeiam.

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, *
recordando a sua santa Aliança
73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, *
de conceder-nos
74 que, libertos do inimigo,
= a ele nós sirvamos sem temor †
75 em santidade e em justiça diante dele, *
enquanto perdurarem nossos dias.

=
76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, †
pois irás andando à frente do Senhor *
para aplainar e preparar os seus caminhos,
77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados;

78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, *
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,
79
para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
= e na sombra da morte estão sentados 
e para dirigir os nossos passos, *
guiando-os no caminho da paz.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Meu servo, não temas, contigo estou!
Tu podes passar no meio das chamas:
nem cheiro de fogo em ti ficará.

Preces

Irmãos, celebremos nosso Salvador, a Testemunha fiel, nos mártires que deram a vida pela palavra de Deus; e digamos:

R. Com vosso sangue nos remistes, Senhor!

Por intercessão de vossos mártires que abraçaram livremente a morte para testemunharem a sua fé,
dai-nos, Senhor, a verdadeira liberdade de espírito. R.

Por intercessão de vossos mártires, que proclamaram a fé, derramando o próprio sangue,
dai-nos, Senhor, pureza e constância na fé.R.

Por intercessão de vossos mártires que, carregando a cruz, seguiram vossos passos,
dai-nos, Senhor, suportar com coragem as dificuldades da vida. R.

Por intercessão de vossos mártires, que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro,
dai-nos, Senhor, vencer todas as ciladas da carne e do mundo.
R.

(intenções livres)

Pai nosso...

 

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

Oração das nove horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Vinde, Espírito de Deus,
com o Filho e com o Pai,
inundai a nossa mente,
nossa vida iluminai.

Boca, olhos, mãos, sentidos,
tudo possa irradiar
o amor que em nós pusestes
para aos outros inflamar.

A Deus Pai e ao seu Filho
por vós dai-nos conhecer.
Que de ambos procedeis
dai-nos sempre firmes crer.

Ou:

Mantendo a ordem certa,
do coração fiel,
na hora terça oremos
aos Três, fulgor do céu.

Queremos ser os templos
do Espírito Santo, outrora
descido sobre os Doze
em chamas, nesta hora.

Fiel aos seus desígnios,
do Reino o Autor divino
a tudo ornou de graça
segundo o seu destino.

Louvor e glória ao Pai,
ao Filho, Sumo Bem,
e ao seu divino Espírito,
agora e sempre. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Procurei vossa vontade, ó Senhor;
por meio dela conservais a minha vida.

Salmo 118(119),89-96

XII (Lamed)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amei (cf. Jo 13,34).

89 É eterna, ó Senhor, vossa palavra, *
ela é tão firme e estável como o céu.

90
De geração em geração, vossa verdade *
permanece como a terra que firmastes.

91 Porque mandastes, tudo existe até agora; *
todas as coisas, ó Senhor, vos obedecem!

92
Se não fosse a vossa lei minhas delícias, *
eu já teria perecido na aflição!

93 Eu jamais esquecerei vossos preceitos, *
por meio deles conservais a minha vida.

94
Vinde salvar-me, ó Senhor, eu vos pertenço! *
Porque sempre procurei vossa vontade.

95 Espreitam-me os maus para perder-me, *
mas continuo sempre atento à vossa lei.

96
Vi que toda a perfeição tem seu limite, *
e só a vossa Aliança é infinita.

Ant. Procurei vossa vontade, ó Senhor;
por meio dela conservais a minha vida.

Ant. 2 Em vós confio, ó Senhor, desde a minha juventude.

Salmo 70(71)

Senhor, minha esperança desde a minha juventude!

Sede alegres por causa da esperança, fortes nas tribulações (Rm 12,12).

I

1 Eu procuro meu regio em vós, Senhor: *
que eu não seja envergonhado para sempre!

2
Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! *
Escutai a minha voz, vinde salvar-me!

3 Sede uma rocha protetora para mim, *
um abrigo bem seguro que me salve!

– Porque sois a minha força e meu amparo, *
o meu regio, proteção e segurança!

4 Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio, *
das garras do opressor e do malvado!

5
Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, *
em vós confio desde a minha juventude!

=6 Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, †
desde o seio maternal, o meu amparo: *
para vós o meu louvor eternamente!

7 Muita gente considera-me um prodígio, *
mas sois vós o meu auxílio poderoso!

8
Vosso louvor é transbordante de meus lábios, *
cantam eles vossa glória o dia inteiro.

9 Não me deixeis quando chegar minha velhice, *
não me falteis quando faltarem minhas forças!

10 Porque falam contra mim os inimigos, *
fazem planos os que tramam minha morte

11
e dizem: “Deus o abandonou, vamos matá-lo; *
agarrai-o, pois não há quem o defenda!”

12 Não fiqueis longe de mim, ó Senhor Deus! *
Apressai-vos, ó meu Deus, em socorrer-me!

13 Que sejam humilhados e pereçam *
os que procuram destruir a minha vida!

– Sejam cobertos de infâmia e de vergonha *
os que desejam a desgraça para mim!

Ant. Em vós confio, ó Senhor, desde a minha juventude.

Ant. 3 Na velhice, com os meus cabelos brancos,
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

II

14 Eu, porém, sempre em vós confiarei, *
sempre mais aumentarei vosso louvor!

15 Minha boca anunciará todos os dias *
vossa justiça e vossas graças incontáveis.

16
Cantarei vossos portentos, ó Senhor, *
lembrarei vossa justiça sem igual!

17 Vós me ensinastes desde a minha juventude, *
e até hoje canto as vossas maravilhas.

18
E na velhice, com os meus cabelos brancos, *
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

19 Ó meu Deus, vossa justiça e vossa força *
são tão grandes, vão além dos altos céus!

– Vós fizestes realmente maravilhas. *
Quem, Senhor, pode convosco comparar-se?

=20 Vós permitistes que eu sofresse grandes males, †
mas vireis restituir a minha vida *
e tirar-me dos abismos mais profundos.

21
Confortareis a minha idade avançada, *
e de novo me havereis de consolar.

22 Então, vos cantarei ao som da harpa, *
celebrando vosso amor sempre fiel;

– para louvar-vos tocarei a minha cítara, *
glorificando-vos, ó Santo de Israel!

23 A alegria cantará sobre meus lábios, *
e a minha alma libertada exultará!

24 Igualmente a minha língua todo o dia, *
cantando, exaltará vossa justiça!

– Pois ficaram confundidos e humilhados *
todos aqueles que tramavam contra mim.

Ant. Na velhice, com os meus cabelos brancos,
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

Leitura breve                 1Pd 5,10-11

Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna, em Cristo, vos restabelecerá e vos tornará firmes, fortes e seguros. A ele pertence o poder, pelos séculos dos séculos. Amém.

V.
O Senhor o revestiu de alegria.
R.
E lhe deu uma coroa de triunfo.

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R.
Graças a Deus.

Oração das doze horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Ó Deus, verdade e força
que o mundo governais,
da aurora ao meio-dia,
a terra iluminais.

De nós se afaste a ira,
discórdia e divisão.
Ao corpo dai saúde,
e paz ao coração.

Ouvi-nos, Pai bondoso,
por Cristo Salvador,
que vive com o Espírito
convosco pelo Amor.

Ou:

O louvor de Deus cantemos
com fervor no coração,
pois agora a hora sexta
nos convida à oração.

Nesta hora foi-nos dada
gloriosa salvação
pela morte do Cordeiro,
que na cruz trouxe o perdão.

Ante o brilho de tal luz
se faz sombra o meio-dia.
Tanta graça e tanto brilho
vinde haurir, com alegria.

Seja dada a glória ao Pai
e ao Unigênito também,
com o Espírito Paráclito,
pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Procurei vossa vontade, ó Senhor;
por meio dela conservais a minha vida.

Salmo 118(119),89-96

XII (Lamed)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amei (cf. Jo 13,34).

89 É eterna, ó Senhor, vossa palavra, *
ela é tão firme e estável como o céu.

90
De geração em geração, vossa verdade *
permanece como a terra que firmastes.

91 Porque mandastes, tudo existe até agora; *
todas as coisas, ó Senhor, vos obedecem!

92
Se não fosse a vossa lei minhas delícias, *
eu já teria perecido na aflição!

93 Eu jamais esquecerei vossos preceitos, *
por meio deles conservais a minha vida.

94
Vinde salvar-me, ó Senhor, eu vos pertenço! *
Porque sempre procurei vossa vontade.

95 Espreitam-me os maus para perder-me, *
mas continuo sempre atento à vossa lei.

96
Vi que toda a perfeição tem seu limite, *
e só a vossa Aliança é infinita.

Ant. Procurei vossa vontade, ó Senhor;
por meio dela conservais a minha vida.

Ant. 2 Em vós confio, ó Senhor, desde a minha juventude.

Salmo 70(71)

Senhor, minha esperança desde a minha juventude!

Sede alegres por causa da esperança, fortes nas tribulações (Rm 12,12).

I

1 Eu procuro meu regio em vós, Senhor: *
que eu não seja envergonhado para sempre!

2
Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! *
Escutai a minha voz, vinde salvar-me!

3 Sede uma rocha protetora para mim, *
um abrigo bem seguro que me salve!

– Porque sois a minha força e meu amparo, *
o meu regio, proteção e segurança!

4 Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio, *
das garras do opressor e do malvado!

5
Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, *
em vós confio desde a minha juventude!

=6 Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, †
desde o seio maternal, o meu amparo: *
para vós o meu louvor eternamente!

7 Muita gente considera-me um prodígio, *
mas sois vós o meu auxílio poderoso!

8
Vosso louvor é transbordante de meus lábios, *
cantam eles vossa glória o dia inteiro.

9 Não me deixeis quando chegar minha velhice, *
não me falteis quando faltarem minhas forças!

10 Porque falam contra mim os inimigos, *
fazem planos os que tramam minha morte

11
e dizem: “Deus o abandonou, vamos matá-lo; *
agarrai-o, pois não há quem o defenda!”

12 Não fiqueis longe de mim, ó Senhor Deus! *
Apressai-vos, ó meu Deus, em socorrer-me!

13 Que sejam humilhados e pereçam *
os que procuram destruir a minha vida!

– Sejam cobertos de infâmia e de vergonha *
os que desejam a desgraça para mim!

Ant. Em vós confio, ó Senhor, desde a minha juventude.

Ant. 3 Na velhice, com os meus cabelos brancos,
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

II

14 Eu, porém, sempre em vós confiarei, *
sempre mais aumentarei vosso louvor!

15 Minha boca anunciará todos os dias *
vossa justiça e vossas graças incontáveis.

16
Cantarei vossos portentos, ó Senhor, *
lembrarei vossa justiça sem igual!

17 Vós me ensinastes desde a minha juventude, *
e até hoje canto as vossas maravilhas.

18
E na velhice, com os meus cabelos brancos, *
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

19 Ó meu Deus, vossa justiça e vossa força *
são tão grandes, vão além dos altos céus!

– Vós fizestes realmente maravilhas. *
Quem, Senhor, pode convosco comparar-se?

=20 Vós permitistes que eu sofresse grandes males, †
mas vireis restituir a minha vida *
e tirar-me dos abismos mais profundos.

21
Confortareis a minha idade avançada, *
e de novo me havereis de consolar.

22 Então, vos cantarei ao som da harpa, *
celebrando vosso amor sempre fiel;

– para louvar-vos tocarei a minha cítara, *
glorificando-vos, ó Santo de Israel!

23 A alegria cantará sobre meus lábios, *
e a minha alma libertada exultará!

24 Igualmente a minha língua todo o dia, *
cantando, exaltará vossa justiça!

– Pois ficaram confundidos e humilhados *
todos aqueles que tramavam contra mim.

Ant. Na velhice, com os meus cabelos brancos,
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

Leitura breve                 Tg 1,12

Feliz o homem que suporta a provação. Porque, uma vez provado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu àqueles que o amam.

V.
O Senhor está comigo, nada temo.
R.
Que poderia contra mim um ser mortal?

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R.
Graças a Deus.

Oração das quinze horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.
 

Hino

Vós que sois o Imutável,
Deus fiel, Senhor da História,
nasce e morre a luz do dia,
revelando a vossa glória.

Seja a tarde luminosa
numa vida permanente.
E da santa morte o prêmio
nos dê glória eternamente.

Escutai-nos, ó Pai Santo,
pelo Cristo, nosso irmão,
que convosco e o Espírito
vive em plena comunhão.

Ou:

Cumprindo o ciclo tríplice das horas,
louvemos ao Senhor de coração,
cantando em nossos salmos a grandeza
de Deus, que é Uno e Trino em perfeição.

A exemplo de São Pedro, nosso mestre,
guardando do Deus vivo e verdadeiro,
em almas redimidas, o mistério,
sinal de salvação ao mundo inteiro,

também salmodiamos no espírito,
unidos aos apóstolos do Senhor,
e assim serão firmados nossos passos
na força de Jesus, o Salvador.

Louvor ao Pai, autor de toda a vida,
e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem,
unidos pelo amor do Santo Espírito,
Deus vivo pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Procurei vossa vontade, ó Senhor;
por meio dela conservais a minha vida.

Salmo 118(119),89-96

XII (Lamed)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amei (cf. Jo 13,34).

89 É eterna, ó Senhor, vossa palavra, *
ela é tão firme e estável como o céu.

90
De geração em geração, vossa verdade *
permanece como a terra que firmastes.

91 Porque mandastes, tudo existe até agora; *
todas as coisas, ó Senhor, vos obedecem!

92
Se não fosse a vossa lei minhas delícias, *
eu já teria perecido na aflição!

93 Eu jamais esquecerei vossos preceitos, *
por meio deles conservais a minha vida.

94
Vinde salvar-me, ó Senhor, eu vos pertenço! *
Porque sempre procurei vossa vontade.

95 Espreitam-me os maus para perder-me, *
mas continuo sempre atento à vossa lei.

96
Vi que toda a perfeição tem seu limite, *
e só a vossa Aliança é infinita.

Ant. Procurei vossa vontade, ó Senhor;
por meio dela conservais a minha vida.

Ant. 2 Em vós confio, ó Senhor, desde a minha juventude.

Salmo 70(71)

Senhor, minha esperança desde a minha juventude!

Sede alegres por causa da esperança, fortes nas tribulações (Rm 12,12).

I

1 Eu procuro meu regio em vós, Senhor: *
que eu não seja envergonhado para sempre!

2
Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! *
Escutai a minha voz, vinde salvar-me!

3 Sede uma rocha protetora para mim, *
um abrigo bem seguro que me salve!

– Porque sois a minha força e meu amparo, *
o meu regio, proteção e segurança!

4 Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio, *
das garras do opressor e do malvado!

5
Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, *
em vós confio desde a minha juventude!

=6 Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, †
desde o seio maternal, o meu amparo: *
para vós o meu louvor eternamente!

7 Muita gente considera-me um prodígio, *
mas sois vós o meu auxílio poderoso!

8
Vosso louvor é transbordante de meus lábios, *
cantam eles vossa glória o dia inteiro.

9 Não me deixeis quando chegar minha velhice, *
não me falteis quando faltarem minhas forças!

10 Porque falam contra mim os inimigos, *
fazem planos os que tramam minha morte

11
e dizem: “Deus o abandonou, vamos matá-lo; *
agarrai-o, pois não há quem o defenda!”

12 Não fiqueis longe de mim, ó Senhor Deus! *
Apressai-vos, ó meu Deus, em socorrer-me!

13 Que sejam humilhados e pereçam *
os que procuram destruir a minha vida!

– Sejam cobertos de infâmia e de vergonha *
os que desejam a desgraça para mim!

Ant. Em vós confio, ó Senhor, desde a minha juventude.

Ant. 3 Na velhice, com os meus cabelos brancos,
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

II

14 Eu, porém, sempre em vós confiarei, *
sempre mais aumentarei vosso louvor!

15 Minha boca anunciará todos os dias *
vossa justiça e vossas graças incontáveis.

16
Cantarei vossos portentos, ó Senhor, *
lembrarei vossa justiça sem igual!

17 Vós me ensinastes desde a minha juventude, *
e até hoje canto as vossas maravilhas.

18
E na velhice, com os meus cabelos brancos, *
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

19 Ó meu Deus, vossa justiça e vossa força *
são tão grandes, vão além dos altos céus!

– Vós fizestes realmente maravilhas. *
Quem, Senhor, pode convosco comparar-se?

=20 Vós permitistes que eu sofresse grandes males, †
mas vireis restituir a minha vida *
e tirar-me dos abismos mais profundos.

21
Confortareis a minha idade avançada, *
e de novo me havereis de consolar.

22 Então, vos cantarei ao som da harpa, *
celebrando vosso amor sempre fiel;

– para louvar-vos tocarei a minha cítara, *
glorificando-vos, ó Santo de Israel!

23 A alegria cantará sobre meus lábios, *
e a minha alma libertada exultará!

24 Igualmente a minha língua todo o dia, *
cantando, exaltará vossa justiça!

– Pois ficaram confundidos e humilhados *
todos aqueles que tramavam contra mim.

Ant. Na velhice, com os meus cabelos brancos,
eu vos suplico, ó Senhor, não me deixeis!

Leitura breve                 Sb 3,1-2a.3b

A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; mas eles estão em paz.

V.
Cantando de alegria,voltarão,
R.
Carregando os seus feixes.

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por Cristo, nosso Senhor.

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R.
Graças a Deus.

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Louvemos a glória
do mártir de Cristo,
que os bens desprezou:
aos nus deu vestidos
e pão aos famintos,
servindo ao Senhor.

Do fogo a tortura
acende a fé pura
no seu coração.
A chama é vencida
por quem fez da vida
total doação.

O coro dos anjos
recebe sua alma
nos átrios dos céus.
De louros cingido,
de Deus ele alcance
perdão para os réus.

Com preces ardentes,
rogamos, ó mártir,
implora o perdão
da culpa dos servos
e firma em fé viva
o seu coração.

Ao Pai honra e glória,
louvor e vitória
ao Filho também,
no Espírito Santo.
Aos Três nosso canto
nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Lourenço entrou no combate dos mártires
e deu testemunho de Cristo Senhor.

Salmo 114(116 A)

Ação de graças

É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus (At 14,22).

1 Eu amo o Senhor, porque ouve *
o grito da minha oração.
2 Inclinou para mim seu ouvido, *
no dia em que eu o invoquei.

3 Prendiam-me as cordas da morte, *
apertavam-me os laços do abismo;
= invadiam-me angústia e tristeza: †
4 eu então invoquei o Senhor: *
'Salvai, ó Senhor, minha vida!'

5 O Senhor é justiça e bondade, *
nosso Deus é amor-compaixão.
6 É o Senhor quem defende os humildes: *
eu estava oprimido, e salvou-me.
7 Ó minh'alma, retorna à tua paz, *
o Senhor é quem cuida de ti!

=8 Libertou minha vida da morte, †
enxugou de meus olhos o pranto *
e livrou os meus pés do tropeço.
9 Andarei na presença de Deus, *
junto a ele na terra dos vivos.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Lourenço entrou no combate dos mártires
e deu testemunho de Cristo Senhor.

Ant. 2 São Lourenço exclamou: Que grande alegria
eu ter merecido ser hóstia de Cristo!

Salmo 115(116B)

10Guardei a minha fé, mesmo dizendo: *
'É demais o sofrimento em minha vida!'
11Confiei, quando dizia na aflição: *
'Todo homem é mentiroso! Todo homem!'

12Que poderei retribuir ao Senhor Deus *
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
13Elevo o cálice da minha salvação, *
invocando o nome santo do Senhor.
14Vou cumprir minhas promessas ao Senhor *
na presença de seu povo reunido.

15É sentida por demais pelo Senhor *
a morte de seus santos, seus amigos.
=16Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, †
vosso servo que nasceu de vossa serva; *
mas me quebrastes os grilhões da escravidão!

17Por isso oferto um sacrifício de louvor, *
invocando o nome santo do Senhor.
18Vou cumprir minhas promessas ao Senhor *
na presença de seu povo reunido;
19nos átrios da casa do Senhor, *
em teu meio, ó cidade de Sião!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. São Lourenço exclamou: Que grande alegria
eu ter merecido ser hóstia de Cristo!

Ant. 3 Dou-vos graças, Senhor, pois me destes
em vossa morada entrar!

Cântico Ap 4,11; 5,9.10.12

4,1 Vós sois digno, Senhor nosso Deus, *
de receber honra, glória e poder!

(R. Poder, honra e glória ao Cordeiro de Deus!)

=5,9 Porque todas as coisas criastes, †
é por vossa vontade que existem *
e subsistem porque vós mandais. (R.)

= Vós sois digno, Senhor nosso Deus, †
de o livro nas mãos receber *
e de abrir suas folhas lacradas! (R.)

– Porque fostes por nós imolado; *
para Deus nos remiu vosso sangue
– dentre todas as tribos e línguas, *
dentre os povos da terra e nações. (R.)

=10 Pois fizestes de nós, para Deus, †
sacerdotes e povo de reis, *
e iremos reinar sobre a terra. (R.)

=12 O Cordeiro imolado é digno †
de receber honra, glória e poder, *
sabedoria, louvor, divindade!
(R.)

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Dou-vos graças, Senhor, pois me destes
em vossa morada entrar!

Leitura breve             1Pd 4,13-14

Caríssimos, alegrai-vos por participar dos sofrimentos de Cristo, para que possais também exultar de alegria na revelação da sua glória. Se sofreis injúrias por causa do nome de Cristo, sois felizes, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vós.

Responsório breve

R. Na verdade, ó Senhor, vós nos provastes,
* Mas finalmente vós nos destes um alívio.R. Na verdade.
V. Depurastes-nos no fogo como a prata.* Mas finalmente.
Glória ao Pai. R. Na verdade.

Cântico evangélico (MAGNIFICAT) Lc 1,46-55

Ant. Dizia São Lourenço em oração:
Minha noite não conhece escuridão,
tudo nela resplandece como a luz!

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor *
47 e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, *
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

49 O Poderoso fez por mim maravilhas *
e Santo é o seu nome!
50 Seu amor, de geração em geração, *
chega a todos que o respeitam;

51 demonstrou o poder de seu braço, *
dispersou os orgulhosos;
52 derrubou os poderosos de seus tronos *
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, *
e despediu, sem nada, os ricos.
54 Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,

55 como havia prometido aos nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Dizia São Lourenço em oração:
Minha noite não conhece escuridão,
tudo nela resplandece como a luz!

Preces

Nesta hora em que o Rei dos mártires ofereceu sua vida na última Ceia e a entregou na cruz, demos-lhe graças, dizendo:

R. Nós vos louvamos e bendizemos, Senhor!

Nós vos agradecemos, ó Salvador, fonte e exemplo de todo martírio, porque nos amastes até o fim:  R.  

Porque viestes chamar os pecadores arrependidos para o prêmio da vida eterna: R.

Porque destes à vossa Igreja, como sacrifício para a remissão dos pecados, o Sangue da nova e eterna Aliança: R.

Porque a vossa graça nos mantém até hoje perseverantes na fé: R.

(intenções livres)

Porque associastes à vossa morte, neste dia, muitos de nossos irmãos e irmãs:
R.

Pai nosso.

Oração

Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 



V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)
 

Hino

Agora que o clarão da luz se apaga,
a vós nós imploramos, Criador:
com vossa paternal misericórdia,
guardai-nos sob a luz do vosso amor.

Os nossos corações sonhem convosco:
no sono, possam eles vos sentir.
Cantemos novamente a vossa glória
ao brilho da manhã que vai surgir.

Saúde concedei-nos nesta vida,
as nossas energias renovai;
da noite a pavorosa escuridão
com vossa claridade iluminai.

Ó Pai, prestai ouvido às nossas preces,
ouvi-nos por Jesus, nosso Senhor,
que reina para sempre em vossa glória,
convosco e o Espírito de Amor.

Ou:

Ó Cristo, dia e esplendor,
na treva o oculto aclarais.
Sois luz de luz, nós o cremos,
luz aos fiéis anunciais.

Guardai-nos, Deus, nesta noite,
velai do céu nosso sono;
em vós na paz descansemos
em um tranquilo abandono.

Se os olhos pesam de sono,
vele, fiel, nossa mente.
A vossa destra proteja
quem vos amou fielmente.

Defensor nosso, atendei-nos
freai os planos malvados.
No bem guiai vossos servos,
com vosso sangue comprados.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai toda a glória,
com o Espírito Santo,
eterna honra e vitória.

Salmodia

Ant. Ó Senhor, sois clemente e fiel,
sois amor, paciência e perdão!

Salmo 85(86)

Oração do pobre nas dificuldades

Bendito seja Deus que nos consola em todas as nossas aflições (2Cor 1,3.4).

1 Inclinai, ó Senhor, vosso ouvido, *
escutai, pois sou pobre e infeliz!
=2 Protegei-me, que sou vosso amigo, †
e salvai vosso servo, meu Deus, *
que espera e confia em vós!

3 Piedade de mim, ó Senhor, *
porque clamo por vós todo o dia!
4 Animai e alegrai vosso servo, *
pois a vós eu elevo a minh'alma.

5 Ó Senhor, vós sois bom e clemente, *
sois perdão para quem vos invoca.
6 Escutai, ó Senhor, minha prece, *
o lamento da minha oração!

7 No meu dia de angústia eu vos chamo, *
porque sei que me haveis de escutar.
8 Não existe entre os deuses nenhum *
que convosco se possa igualar;
– não existe outra obra no mundo *
comparável às vossas, Senhor!

9 As nações que criastes virão *
adorar e louvar vosso nome.
10 Sois tão grande e fazeis maravilhas: *
vós somente sois Deus e Senhor!

11 Ensinai-me os vossos caminhos, *
e na vossa verdade andarei;
– meu coração orientai para vós: *
que respeite, Senhor, vosso nome!

12 Dou-vos graças com toda a minh'alma, *
sem cessar louvarei vosso nome!
13 Vosso amor para mim foi imenso: *
retirai-me do abismo da morte!

=14 Contra mim se levantam soberbos, †
e malvados me querem matar; *
não vos levam em conta, Senhor!

15 Vós, porém, sois clemente e fiel, *
sois amor, paciência e perdão.
=16 Tende pena e olhai para mim! †
Confirmai com vigor vosso servo, *
de vossa serva o filho salvai.

17 Concedei-me um sinal que me prove *
a verdade do vosso amor.
– O inimigo humilhado verá *
que me destes ajuda e consolo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Ó Senhor, sois clemente e fiel,
sois amor, paciência e perdão!

Leitura breve         1Ts 5,9-10

Deus nos destinou para alcançarmos a salvação, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele morreu por nós, para que, quer vigiando nesta vida, quer adormecidos na morte, alcancemos a vida junto dele.

Responsório breve

R. Senhor, em vossas mãos
* Eu entrego o meu espírito. R.Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Eu entrego. Glória ao Pai. R.Senhor.


Cântico evangélico, ant.

Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz!

Oração

Concedei, Senhor, aos nossos corpos um sono restaurador, e fazei germinar para a messe eterna as sementes do Reino, que hoje lançamos com nosso trabalho. Por Cristo, nosso Senhor.  Amém.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Ó Mãe do Redentor, do céu ó porta,
ao povo que caiu, socorre e exorta,
pois busca levantar-se, Virgem pura,
nascendo o Criador da criatura:
tem piedade de nós e ouve, suave,
o anjo te saudando com seu Ave!

Ou:


Ave, Rainha do céu;
ave, dos anjos Senhora;
ave, raiz, ave, porta;
da luz do mundo és aurora.
Exulta, ó Virgem tão bela,
as outras seguem-te após;
nós te saudamos: adeus!
E pede a Cristo por nós!
Virgem Mãe, ó Maria!

Ou:


Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,
vida doçura, esperança nossa, Salve!
A vós bradamos os degredados filhos de Eva,
a vós suspiramos gemendo e chorando
neste vale de lágrimas!
Eia, pois, Advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre!
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria.

Ou:


À vossa proteção recorremos, santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.